sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

CONSCIÊNCIA MISSIONÁRIA


A PAIXÃO MISSIONÁRIA FAZ PARTE DO CARÁTER DE DEUS!
Deus é o maior interessado em Missões. Seu desejo de alcançar pessoas demonstra-se desde o Antigo Testamento até o ministério de Jesus, sendo este o grande modelo missionário para a Igreja. Em Gênesis 12:1, por exemplo, Deus convoca Abraão e lhe garante: “Em ti serão benditas todas as famílias da terra”. Em Mateus 4:17, logo no início do ministério de Jesus, sua ênfase missionária já evidencia-se: “Daí por diante passou Jesus a pregar e a dizer: arrependei-vos porque é chegado o Reino de Deus”. E como o apóstolo Paulo lembra a Timóteo: “Deus deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1 Tm 2:4).
Se o nosso Deus é um Deus missionário, também nós, seu povo, devemos ser um povo missionário.

A AÇÃO MISSIONÁRIA É A CAUSA DA EXISTÊNCIA DA IGREJA
Não haveria igreja nenhuma hoje se não fosse a ação missionária histórica. É por causa do testemunho da fé do povo de Deus no Antigo Testamento, os quais transmitiram de geração para geração os extraordinários feitos salvificos de Deus em seu favor, e também do testemunho dos discípulos de Jesus a partir do Novo Testamento, que também nós estamos aqui e agora, sendo desafiados a compartilhar o nosso testemunho. Nas palavras de Jesus em Mt 28:19-20, assim é o nosso desafio: “Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”.
Deus não tem netos! É por isso que pregamos e é por isso que também outros chegam a crer.
 
O ALVO MISSIONÁRIO DA IGREJA É O MUNDO!
Deus está interessado em todas as pessoas, de todas as raças, povos, nações, etnias, tribos, línguas, etc., em todas as gerações, por toda a história da humanidade, desejando sua salvação. O evangelho de João é muito claro a este respeito quando afirma: “Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16). Deus amou o mundo! Ele não tem nenhum prazer na morte dos ímpios e não faz qualquer acepção de pessoas. Sua igreja, moldada pelo Espírito à sua imagem, deve seguir-lhe o exemplo.

A RESPONSABILIDADE MISSIONÁRIA É DE TODOS OS CRENTES!
A primeira certeza que devemos alimentar em nossos corações é a de que todos nós somos desafiados a testemunhar o evangelho de Cristo. Alegar que não possuímos dom de evangelista ou dom de apostolado não é justificativa para omitirmo-nos de nossa tarefa. Contudo, é verdade que nem todos dedicar-se-ão ao trabalho missionário ou evangelístico em período integral. A maioria nem mesmo experimentará o que é testemunhar para números elevados de pessoas. Ainda assim, podemos participar da vida missionária da Igreja com toda ousadia, e se não indo, ao menos intercedendo e contribuindo. Há lugar e desafio para todos.
Estamos cumprindo nossa parte? Estamos pregando? Orando? Contribuindo?

A FORÇA MISSIONÁRIA DA IGREJA É O PODER DO ESPÍRITO!
A profundidade e a importância da tarefa missionária da igreja são também sua grande dificuldade. Isto porque se, por um lado, nos sentimos desafiados, vocacionados e comissionados para esta grande empreitada, por outro nos sentimos absolutamente incapazes para tanto. E Deus sabe disso. Por esta razão o próprio Jesus preparou seus discípulos dizendo: “Mas recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra” (At 1:8).

O Deus que chama e envia é também o Deus que capacita! Por isso aceitamos o desafio e não tememos.

O CENTRO DA MENSAGEM MISSIONÁRIA É O SENHORIO DE CRISTO!
Diferentemente do que temos visto e ouvido em nossos dias, a ênfase de nossa mensagem não é o ser humano e suas necessidades, mas Cristo e sua vitória definitiva sobre todos os seus inimigos. Ele é o Senhor. Toda a autoridade lhe foi dada. Homens e mulheres, independentemente de suas necessidades físicas ou emocionais são chamados ao arrependimento e à sujeição diante de Jesus. Por isso Paulo afirma: “Se com a tua boca confessares que Jesus Cristo é o Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo” (Rm 10:9).
Nossas vidas foram compradas por preço e não temos o direito de vive-las por nós mesmos.

Marcelo Gomes

Por Litrazini

Graça e Paz
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário