sábado, 5 de janeiro de 2013

Quero Jesus, mas temo não ficar firme


Esta tem sido uma expressão que tenho ouvido com frequência, da parte de muitas pessoas sinceras, que temem entregar seus corações a Jesus, porque sentem que não terão força de vontade suficiente para vencer antigos hábitos, que são incompatíveis com a vida de perseverança e de santidade, que é requerida pelo Senhor.

Contudo, em muitos casos, isto decorre de uma grande falta de entendimento do que seja realmente a vida cristã, conforme ensinada pelo próprio Senhor Jesus e pelos apóstolos, na Bíblia.

Em primeiro lugar, devemos entender que não somos nós que nos firmamos no crescimento e no conhecimento de Jesus, porque é o próprio Deus que efetua tal operação em nós, e não somente esta de firmar, como também aperfeiçoar, fortificar e fundamentar.

“Ora, o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar.” (1Pe 5.10)

“Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” (Fp 1.6)

“Porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade.”  (Fp. 2.13)

O cristão está firme na graça, conforme diz o apóstolo Paulo em Rom 5.1, porque é a fé em Cristo que dá acesso a tal firmeza, que conforme dissemos antes, nos é concedida pelo próprio Deus.

O que se espera de nós então, é que demos o passo da fé. Que entreguemos o coração ao Senhor, e o mais Ele fará.

É impossível, que alguém, depois de ter tido um encontro real e pessoal com Cristo, sido justificado por Deus, regenerado e santificado pelo Espírito Santo, na sua conversão, que queira desistir desta caminhada com o Senhor.

“Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma.” (Hb. 10.39)

Os que são da fé não recuam.

Eles não podem voltar atrás numa separação definitiva do Senhor, porque, nenhum poder conseguirá jamais separá-los do amor de Deus, que está em Cristo Jesus.

Quedas eventuais, a tenacidade do pecado em persegui-los, não poderão afastá-los do amor divino, porque tem feito uma nova aliança com base no sangue de Jesus, na qual promete ser misericordioso para com as nossas iniquidades, e de não mais lembrar nossos pecados.

Assim, transgressões eventuais dos mandamentos de Deus, não podem desfazer a aliança que o Senhor fez conosco, porque Fiel é o que nos fez a promessa, selada com um juramento, de nos unir para sempre a Cristo, tão somente por meio da fé e do arrependimento.

Assim, posso assegurar com toda a convicção, por minha própria experiência pessoal, e pelo que tenho observado nas vidas de tantas outras pessoas, que nos firmar na graça, pertence exclusivamente a Deus.

Além disso, devemos esclarecer ainda, aos que têm dúvidas quanto ao que seja estar firme na graça, ao que seja a vida cristã verdadeira, que isto não consiste em se viver sem nunca mais pecar, porque estaremos sujeitos à perseguição do pecado, até que venhamos a sair deste mundo.

Todavia, aquele que entregou sua vida nas mãos do Senhor, não terá mais prazer no pecado, porque se entristecerá por pensar e praticar coisas que saberá, pelo Espírito Santo, que Deus condena. E assim, confessará suas faltas ao Senhor, e lhe pedirá que o conduza ao arrependimento, para não mais viver pecando.

Mas, como temos falado, quem não ousou confiar em Cristo, para ser seu servo, jamais poderá experimentar esta contrição de coração, porque, como temos afirmado, ela é operada pelo Espírito Santo, que transforma, somente, aqueles que se converteram a Jesus.

Autor: Silvio Dutra

Por Litrazini

Graça e Paz




Nenhum comentário:

Postar um comentário