sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Coragem cristã

Coragem cristã é a vontade de dizer e fazer a coisa certa sem se importar com o custo terreno, porque Deus promete lhe ajudar e salvá-lo na conta de Cristo. Um ato demanda coragem se a probabilidade de ser doloroso for alta. A dor pode ser física, como em guerras e operações de resgate. Ou a dor pode ser mental, como em confrontos e controvérsias. 

Coragem é indispensável por espalhar e por preservar a verdade de Cristo. Jesus prometeu que a difusão do evangelho encontraria resistência: “Então, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome.” (Mateus 24:9). E Paulo avisou que, mesmo na igreja, a fé à verdade passaria por apuros: “Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles.” (Atos 20:29-30; Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. (2 Timóteo 4:3-4).

Portanto, o verdadeiro evangelismo e o verdadeiro ensino vão demandar coragem. Fugir da resistência no evangelismo ou no ensino desonra Cristo.

Há um tipo de covardia que fala apenas as verdades que são seguras para serem faladas. Martinho Lutero coloca a questão da seguinte forma:

Se eu professo com a voz mais alta e exponho da forma mais clara cada porção da verdade de Deus exceto precisamente aquele pequeno ponto que o mundo e o diabo estão naquele momento atacando, eu não estou confessando a Cristo, embora eu esteja professando ousadamente a Cristo. Onde a batalha aperta é que a lealdade do soldado é provada, e ser constante em todos os campos de batalha além desse é inútil se o soldado vacila neste ponto. (Citado em Parker T. Williamson, Standing Firm: Reclaiming Christian Faith in Times of Controversy [Springfield, PA: PLC Publications, 1996], P. 5)
 
De onde, então, devemos tirar essa coragem? Considere as sugestões abaixo.

DE SERMOS PERDOADOS E SERMOS JUSTOS
“E eis que lhe trouxeram um paralítico deitado num leito. Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Tem bom ânimo, filho; estão perdoados os teus pecados.” (Mateus 9:2).

DE CONFIARMOS EM DEUS E ESPERARMOS NELE
“Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no SENHOR.” (Salmos 31:24; veja também 2 Coríntios 3:12).

DE SERMOS CHEIOS DO ESPÍRITO
“Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.” (Atos 4:31).

DA PROMESSA DE DEUS ESTAR COM VOCÊ
Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.” (Josué 1:9).

DE SABER QUE AQUELE QUE ESTÁ COM VOCÊ É MAIOR QUE O ADVERSÁRIO
“Sede fortes e corajosos, não temais, nem vos assusteis por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda a multidão que está com ele; porque um há conosco maior do que o que está com ele.” (2 Crônicas 32:7).

DE TER CERTEZA QUE DEUS É SOBERANO SOBRE AS BATALHAS
“Sê forte, pois; pelejemos varonilmente pelo nosso povo e pelas cidades de nosso Deus; e faça o SENHOR o que bem lhe parecer.” (2 Samuel 10:12).



POR MEIO DA ORAÇÃO
“No dia em que eu clamei, tu me acudiste e alentaste a força de minha alma.” (Salmos 138:3; veja também Efésios 6:19-20).

DO EXEMPLO DOS OUTROS
e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor por minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a palavra de Deus.” (Filipenses 1:14)

Autoria de John Piper / Traduzido por Daniel TC | iPródigo

Por Litrazini

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário