terça-feira, 14 de maio de 2013

Resignação: Enfrentando a Vida com um Suspiro


Todo um gênero de literatura religiosa se desenvolveu a partir deste tipo de atitude "espiritual". Na verdade, a maioria dos cristãos se encontra nesta categoria, numa ou noutra época. 

Às vezes, achamos que há algo de piedoso em nos resignarmos aos duros golpes da vida. A resignação não é uma virtude que distingue os cristãos. 

Poderíamos aprender com os escritores pagãos, como os estóicos da Grécia antiga, a aceitar a calamidade com resignação. Em geral, é a maneira mais fácil de reagir, uma espécie de fatalismo ou analgésico – anestesia onde deveria existir ação. 

A vitória cristã autêntica não está no caminho da mera resignação. Em vez disso, o cristão que cresce vê, como Jó viu, que, embora Deus possa nos ferir (ou permitir que sejamos feridos), "as suas mãos também curam." (Jó 5:18) 

Ainda bem que o rei Davi não vivia permanentemente "numa boa". Pense só nos Salmos que não conheceríamos, se fosse este o caso. Nos seus escritos, ele deixa ver um lado da sua natureza que nos intriga e inspira. Em vez de se resignar ao sofrimento, ele falou coisas como: "Por que estás abatida, minha alma? Por que estás perturbada dentro de mim?"(Salmos 42:5) 
Como ele respondeu a essas perguntas retóricas? Prosseguiu ele: "Espera em Deus, pois ainda lhe darei graças pelo auxílio do seu rosto." (vv. 5, 6) Continua a raciocinar consigo mesmo:"De dia Jeová ordenará a sua benignidade, e de noite estará comigo o seu cântico, a saber, uma oração ao Deus da minha vida. Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim?" "Por que estás abatida, minha alma? Por que estás perturbada dentro de mim?" Ele mesmo se responde, triunfante: "Espera em Deus, pois ainda lhe darei graças pelo auxílio do seu rosto." (vv. 5-6)

Davi recusava-se a resignar-se às derrotas que, às vezes, ameaçavam derrubá-lo. Mais de uma vez, tanto na sua vida pessoal quanto na pública, ele parecia ter sido vencido – mas sempre olhava para além do obstáculo ou problema tentando enxergar o próprio Deus. "Elevo os meus olhos para os montes: de onde há de vir o meu socorro? O meu socorro vem de Jeová, que fez o céu e a terra." (Salmos 121: 1,2) 

Embora Davi possa ter se mostrado triste, confuso ou desanimado em alguns salmos, ele sempre termina numa nota de esperança ou confiança em Deus.

Como já ressaltamos, a tristeza, as dificuldades, os sofrimentos e até a perseguição, de uma forma ou de outra, chegam à vida de todo cristão. 

Não temos um escudo mágico para nos proteger dos problemas. Porém, a resignação pura e simples pode levar-nos a um estado de abatimento. 

No final das contas, é a nossa atitude que conta – a nossa atitude para conosco e para com Deus. 

Podemos transformar os fardos em bênçãos, ou deixar que os fardos nos enterrem. 

Extraído do livro: A Segunda Vinda de Cristo: Perspectiva do Sofrimento de Billy Grham 

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário