segunda-feira, 10 de junho de 2013

Aprendendo a Interpretar a Bíblia

A Bíblia é um documento muito antigo, escrita entre mais ou menos 1.450 a.C ou 1.300 a.C e 90 d.C.

1) Para compreender o Antigo Testamento, não podemos de maneira nenhuma lê-lo com nossa mente ocidental moderna.

Estamos falando de um povo antigo, com costumes totalmente diferentes, com uma cultura totalmente diferente e com uma percepção totalmente diferente. Hoje temos uma análise muitas vezes marxista das coisas (sob o ponto de vista social) que pode nos levar a interpretar a bíblia de forma errônea.

Desta maneira, quando você tiver dificuldades com o texto, primeiramente tente entender para quem está sendo escrito aquele texto. Depois quem foi que o escreveu, e tente compreender o que esta pessoa queria dizer. Pois o ponto não é o que você compreende, e sim o que a pessoa queria dizer.

Por exemplo: Eu estou falando sobre meu trabalho para uma pessoa, descrevendo como foi o ano, que estou muitíssimo satisfeito com os novos projetos que tive, e termino dizendo que quero outros novos desafios. Se alguém chega e pega apenas o final, pode me compreender de forma errônea. Se apenas ouve: Quero novos desafios. Pode entender que eu estou insatisfeito e desejo outro emprego. Desta maneira, a pessoa que não procurou entender o contexto, o que eu queria dizer, e para quem eu estava dizendo, interpretou errado.

Se isto acontece nos dias de hoje, imagina com o texto bíblico que foi escrito a muitas centenas de anos atras.

2) Outro ponto é compreender que existem momentos nos textos em que há linguagem poética, outros momentos são históricos, outros proféticos, outros escatológicos.

Desta forma, de maneira nenhuma posso interpretar sob um ponto de vista histórico um texto poético.

Há também momentos na bíblia em que o texto não está preocupado em explicar determinadas coisas que talvez nós queremos que ele explique.

Por exemplo: Em Gênesis 1, o autor relata a criação de Deus. Porém ele não está preocupado em passar uma visão científica desta criação. Ele começa dizendo que a Terra era sem forma e vazia, e todo decorrer do texto se preocupa apenas em mostrar Deus dando forma a Terra, e a preenchendo.

Outra questão são as genealogias e idades muito superiores nas primeiras gerações de Gênesis. Será que estamos interpretando os números de forma correta? Os Sumérios costumavam dizer que seus reis naquela mesma época reinavam mais de 20.000 anos. Outros viveram 241.000 anos. Será que viviam assim mesmo ou era apenas uma forma de exaltar o rei?

Vamos tentar compreender algo. Vamos supor que escrevo um bilhete para um amigo dizendo: “Estou cansado de ficar te esperando. Você demorou um século para chegar. Poxa, da próxima vez que você ficar mil anos se arrumando eu vou te deixar pra trás.”

Agora imagine daqui a 1000 anos algum arqueólogo acha esse bilhete e não se preocupa em entender o que eu quis dizer e pensa. Nossa, como eles demoravam naquela época!

Há outras questões numéricas como o número de pessoas que saíram do Egito e partiram para o Êxodo com Moisés. No caso, seriam mais de 2 milhões de pessoas se levarmos em conta uma soma exata dos números. Porém, se pensarmos que o povo de Israel era menor do que os povos que viviam em Canaã, e eram sete povos maiores do que Israel, certamente teríamos mais de 20 milhões de pessoas em Israel naquela época.

Sendo que a China deveria ter cerca de 55 milhões. E Israel hoje está abarrotado com 7 milhões de pessoas. Será que reduziu tanto assim, ou estamos interpretando esses números de forma errada?

3) Devemos ao ouvir algum ponto de vista de algum teólogo ou estudioso que interprete a bíblia tentando entender sob qual ponto de vista ele está interpretando-a.

Existem diferentes formas de ver uma mesma história. Existem aqueles que a vêem sob o ponto de vista dos poderosos. Outros a vêem sob o ponto de vista do povo (Mateus, por exemplo). Outros lêm sob um ponto de vista social (marxista).

Por exemplo, alguém que lê sob o ponto de vista social-financeiro, quando interpreta a Reforma Protestante, diz que a Reforma existiu apenas porque os Reis não queriam mais dar dinheiro para a Igreja Católica e então romperam com isto e apoiaram Lutero. A questão de justificação pela fé é bobagem para estas pessoas.

Pode existir algum sentido? Pode. Porém não podemos deixar de ver por todos os ângulos para não nos tornarmos tendenciosos com relação ao texto bíblico.


É mais fácil o texto estar correto e você estar interpretando de forma errada do que de fato o texto estar completamente errado e você é o sabichão que aprendeu interpretar a bíblia do seu jeito, segundo suas experiências e de acordo com o que você acha. Talvez por isso vemos tantas pessoas se perdendo na Teologia Liberal e se enveredando por caminhos tortuosos de flexibilização da palavra de Deus, que é viva e eficaz para nos salvar!

4) Busque diferentes traduções e de preferência leia os textos nas línguas originais.

Se você não consegue ler nestas línguas, existem diferentes ferramentas hoje que podem ajudar!

Daniel Simoncelos

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário