sábado, 31 de agosto de 2013

O livramento de Deus

Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos. (Isaías 55:9).

Deus não está preso aos nossos esquemas e nem se restringe à nossa compreensão. Por vezes cremos que Deus irá agir, mas queremos que seja da nossa maneira. Mas Deus não pode se prender à nossa compreensão do tamanho de uma caixa de sapatos. Para suprir essa deficiência Deus nos deu a fé. Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. (Hebreus 10:38). 

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêm. Porque por ela os antigos alcançaram testemunho. Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente. Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala. Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado, porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus. Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam. Hebreus 11:1-6

Vemos que Deus, neste tempo, estará colocando uma Palavra de fé nos corações de algumas pessoas dispostas a ouví-Lo, para que estes possam dizer como Josué e Calebe: 'Eia, subamos e possuamos a terra, porque certamente prevaleceremos contra ela' (Nm 13:30).

A Maneira como Deus Libera um Livramento – Débora.  
E disse ela: Certamente irei contigo, porém não será tua a honra da jornada que empreenderes; pois à mão de uma mulher o SENHOR venderá a Sísera. E Débora se levantou, e partiu com Baraque para Quedes. (Jz 4:9)  

O Senhor mesmo quebra tradições e pré-conceitos.
Os trezentos de Gideão Isto nos mostra que Deus não está preso à uma só maneira de agir!

Exemplos:
Ex endemoninhado gadareno enviado como evangelista (Não havia ainda sido discipulado). A Igreja Primitiva iniciando novos trabalhos. A maneira de agir era sempre imprevisível.

Em Jerusalém, após os discípulos serem batizados com o Espírito Santo, uma multidão se converte com uma pregação pública de Pedro.

Ainda em Jerusalém, um homem é curado em público, e uma multidão se converte. At 5:42 nos mostra que usavam as reuniões públicas e caseiras tanto para o ensino como para a pregação do evangelho.O mesmo sucedeu em Cesaréia, na casa de Cornélio, onde ele faz uma reunião com seus parentes e amigos íntimos e chama Pedro para pregar (At 10:24).

Filipe, em praça pública realiza sinais e prodígios, prega sobre o Nome de Jesus e sobre o Reino de Deus (At 8:5-8,12). 

No caminho de Gaza, Filipe dá um gancho no Eunuco (At. 8:26-40).

Em Salamina (At 13:5) ensinavam numa sinagoga de Judeus.

Em Antioquia da Psídia (At. 13:14,44) lotaram o local de reunião dos Judeus para pregar a Palavra de Deus.

Em Derbe (At. 14:20,21) anunciaram o evangelho na cidade e fizeram muitos discípulos.

Em Atenas (At. 17:16,17,19) Paulo sai intercedendo nas ruas da cidade, prega nas sinagogas, prega em praça pública e é convidado para pregar na corte mais alta que havia em Atenas.

Em Corinto (At 18:1-11), Paulo arruma um emprego, evangeliza em seu trabalho e ganha um discípulo (Áqüila), prega numa sinagoga e causa uma divisão na sinagoga, e começa a fazer suas reuniões na casa ao lado da sinagoga.

Em Éfeso (At 19:8-11), Paulo divide novamente uma sinagoga, e passou a fazer suas reuniões numa escola onde Paulo realizava muitos milagres.

Como vimos exaustivamente nos relatos acima, Deus não tem uma maneira padrão de agir. Vendo isto, não podemos nos fechar para as coisas novas que Deus queira nos mostrar nesse tempo.

Assim como nem tudo o que é novo é o melhor, também nem tudo o que é novo é ruim. Por isso, temos que nos abrir para novas formas de Deus agir.  Juntemos os nossos esforços em oração e intercessão.

Ouçamos os novos ministérios que possam surgir nesta época. Não deixemos passar de nós este mover.

Pr Anésio Rodrigues de Souza

Adaptado e revisado Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Espíritos Malignos - Texto de Jorge Linhares

Essa palavra é para os casados e solteiros, para aqueles que são membros de uma família ou querem constituir uma. Lembrando que destruir é muito mais fácil que construir.

Muitas vezes para comprar um carro é necessário economias, esforço, até conseguir quitar todas as parcelas, mas batê-lo pode ser questão de segundos.

O diabo quer destruir as famílias e o único lugar onde se fala a respeito dele é na igreja evangélica. Jesus havia acabado de orar por um homem que tinha um espírito maligno que não o deixava falar (João 11.16 - ) e Jesus o sarou e o declarou liberto.

As pessoas chegaram perto dele e disseram que Jesus expulsava o demônio pelo poder de belzebu e o Mestre disse que expulsava espíritos malignos pelo poder de Deus –

Uma casa dividida não subsiste. Só no nome de Jesus que os demônios saem.

Satanás sabe que em uma casa dividida, ele faz uma arruaça. Sou fruto de um lar desfeito. Meu pai se separou da minha mãe e abandonou a mim e aos meus irmãos, deixando minha mãe grávida.

Ele se envolveu com outra mulher e começou a ter atitudes fora do normal, falou até em agredir minha mãe – coisa que nunca havia acontecido, então houve uma ruptura!

Os nossos sonhos foram desmoronados. Minha mãe saiu de casa, fomos morar em um lugar estranho e minha mãe foi trabalhar como empregada doméstica.

Meu irmão teve que trabalhar em três empregos para sustentar a família. Com sete anos de idade eu comecei a trabalhar vendendo jornais para o meu irmão e os nosso sonhos foram totalmente desmoronados.

Um lar desfeito gera algumas conseqüências. Muitos filhos passam a não querer casar mais, pois ficam decepcionados. E quando os filhos vêem o pai batendo na mãe? O trauma é terrível! Por isso muitas pessoas têm medo de escuro, de voz alta...

De lares conturbados saem muitos adolescentes que se drogam, bebem...

Porque antes de crer em Deus a criança têm os pais como heróis e quando estas crianças vêem seus pais em conflito, em um ambiente de gritaria se tornam pessoas frustradas.

Outra conseqüência de famílias destruídas são filhas que se casam para sair de casa, não por amor! Criam uma nova família em decadência.

A solidão também é uma conseqüência. O homem que se separa da esposa, geralmente não quer se casar novamente, por causa dos traumas e estes procuram apoio nos amigos, mas chega um momento que os amigos não satisfazem e eles procuram prostitutas - conseqüência? Muitos estão infectados pelo vírus HIV.

Nascem crianças que não tem afeto de seus pais com uma vida totalmente desestruturada. A solidão é uma das armas mais tristes que satanás usa.

Uma pessoa solitária se torna viciada em remédios, não tem pra onde ir e se apega em coisas erradas muitas vezes. Tive muita dificuldade de chamar Deus de pai. Eu procurava meu pai nas pessoas.

Existem muitas pessoas que procuram o pai no pastor, no vizinho, nos amigos, no marido e não encontram. Então a pessoa se frustra na vida.

Pastor Jorge Linhares

A Graça e a Paz do Senhor Jesus Cristo,

Moacir Neto

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Superando a Solidão

“Não é bom que o homem esteja só”(Gn. 2.18)

A solidão é algo que assusta profundamente o ser humano. A solidão dói. Os homens se envolvem cada vez mais em atividades, para não se sentirem sós.

O medo da solidão pode gerar relacionamentos insatisfatórios, onde as pessoas se toleram e se aturam para não ficarem sós. Cercar-se de amigos, casar-se, ir a festas, participar de uma igreja, mergulhar no trabalho, nada disso vence a solidão, pois ela não é uma ausência física de companhia humana, é a constatação da ausência de relações significativas com outras pessoas. Daí os solitários sentirem-se insatisfeitos, tristes, inseguros, ansiosos e deprimidos.

Na cruz, Jesus sentiu-se desamparado. Paulo viu-se sozinho numa prisão de Roma. João passou seus últimos dias exilado na ilha de Patmos.

Jesus tinha necessidade de ficar só de vez em quando e procurava lugares desertos para orar. Nós também podemos ter esses momentos de isolamento, tão propícios ao descanso e reflexão, isso se chama solitude

Já a solidão é caracterizada por um vazio existencial devido à falta de relações significativas com entes queridos. Mesmo cercados de muitas pessoas, se não tiver determinada importância ou proximidade conosco, seremos solitários. “Sou como o pelicano no deserto, como a coruja nas ruínas” (Sl. 102.6). Existe muita solidão nos orfanatos, asilos, hospitais, e penitenciárias. Nós a encontraremos entre os migrantes, soldados, solteiros e viúvos. Ela também existirá nas grandes cidades, condomínios luxuosos, entre artistas, governantes, nas multidões apressadas e nas fábricas entupidas de operários.

Ser religioso não deixa ninguém menos só. A religião não pode resolver o problema da solidão, pode até agravar. Não podemos forjar uma relação com o Senhor para compensar a falta de laços satisfatórios com outras pessoas. Não seria uma comunhão espiritual saudável, mas uma compensação.

A solidão é um fardo pesado, mergulha-se num estado crônico de depressão, a auto estima desaba, a busca de relacionamentos com ansiedade acaba por afastar as pessoas, originando autopiedade e desespero. Daí, tentam esconder-se no trabalho, numa vida social intensa, nas drogas, no álcool, alguns, até tentam o suicídio.

Podemos ira à Casa de Deus por costume e sair de lá exatamente como entramos, mas, se quisermos faremos do culto um momento de riqueza espiritual e de crescimento interior. Infelizmente muitas igrejas, por conta das cerimônias frias e convívio humano superficial, contribuem para que seus membros se sintam solitários.

Nenhuma solidão resiste a um companheirismo sincero e desinteressado com o Senhor. Quem está com ele nunca se encontra totalmente só. “... Se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá.” (Sl. 27.10).

Se nos relacionarmos apenas com pessoas, mas não com Deus, ainda estaremos solitários. Porém, além de nos abrir com Deus, necessitamos estabelecer relacionamentos significativos com quem está ao nosso lado, no templo, em casa, no trabalho, para isso precisamos tentar superar desentendimentos do passado.

Para sair da solidão, temos de reconhecer que o propósito da vida das pessoas não é nos satisfazer, nem tornar nossas vidas mais agradáveis, que eles não existem para nós, mas, para si próprios. É dar-se e receber, para viver e deixar viver, de uma maneira desinteressada, profunda e sincera.

Obter vitória para a solidão é superar as circunstâncias, a timidez e o medo. É sair do seu mundo fechado e estabelecer relações significativas e gratificantes.

Por Litrazini


Graça e Paz

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

MANTENDO A CONFIANÇA

Confiança não significa "autoconfiança". Não significa inteligência humana. Não significa nem sequer ser mais esperto do que outras pessoas. Significa "estar seguro", "ter segurança".

O Senhor era a única fonte de segurança de Davi. É nesse ponto que o cristianismo sai da teoria e cai na prática. E você quer, mais do que tudo, ter confian­ça. Deus também quer isso para você.

Como Davi obteve confiança? Ele tinha uma só coisa em seu coração:

Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: Que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, Para contemplar a beleza do Senhor E meditar no seu templo. Salmo 27:4

Não peça cem coisas a Deus. Peça uma única coisa, "eu a buscarei". O que isso significava para Davi? Responda depressa. "Que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida."

O quê? Está dizendo que devo morar num prédio de igreja? Você sabe que não é esse o sentido, porque Davi está no campo, fugindo para não perder a vida. 

"Para contemplar a beleza do Senhor e meditar no seu templo." Não perca então esta parte: morar na casa e meditar no templo. Pois, no dia da adversidade, ele me ocultará no seu pavilhão; No recôndito do seu tabernáculo, me acolherá; Elevar-me-á sobre uma rocha. Salmo 27:5

Morar na casa... meditar no templo... ocultar-se no pavilhão... esconder-se no tabernáculo. Tudo isso ajuda a substituir o medo pela confiança. Parece bom demais para mim. Mas o que ele quer dizer com todas essas coisas?

Nos dias de Davi, as imagens dos salmos eram tais que estar numa casa significava estar cercado de proteção. Em nossos termos, significaria comunhão consciente, contí­nua com o Senhor vivo em meio ao seu povo. Alguém chamou isso de "praticar a presença de Deus".

Davi dizia: "Quando eu sair desta caverna, sem saber de onde virão as flechas, sei que na tenda, no tabernáculo, na casa, no templo, cercado pela tua proteção, estarei se­guro. É isso que peço, Senhor: que nada quebre a nossa comunhão."

Quando somos intimidados, quando nos falta confian­ça, ficamos invariavelmente mais conscientes da pessoa que nos ataca do que do Senhor. Quando entramos num cenário que nos intimida, devemos nos ver conscientemen­te na tenda, meditando no tabernáculo, contemplando a beleza do Senhor e dizendo-lhe: "No momento, Deus, não tenho nada em que me apoiar; sou todo teu."

Nesse ponto, Davi começou a orar:
Ouve, Senhor, a minha voz; eu clamo; Compadece-te de mim e responde-me [um imperativo, como um comando]. Ao meu coração me ocorre: Buscai a minha presença; buscarei, Pois, Senhor, a tua presença. Não me escondas, Senhor, a tua face, Não rejeites com ira o teu servo; Tu és o meu auxílio, não me recuses, nem me desampares, Ó Deus da minha salvação. Salmo 27:7-9

Esta não é uma petição morna, cada palavra dita por Davi era sincera. Nossa tendência é brincar com a oração. Deus diz: "Prometo a você a minha presença. Una-se a mim. Conte comigo e irei tirá-lo dessa situação ameaçadora."

Respondemos com algo frio e formal, como: "Tudo bem, Senhor, se por acaso quiser, por favor, me oriente, guie e dirija." Esse não é o tipo de oração que Deus quer!

"Senhor, agora! Eu aceito a tua Palavra. Não posso entrar nesta situação sem ti. Responde-me, supre a minha necessidade, dá-me as forças de que necessito neste exato mo­mento."

Extraído do livro PERSEVERANÇA de Charles R. Swindoll

Por Litrazini


Graça e Paz

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Buscando a Deus - Texto de Jorge Linhares

II Crônicas 26.1-5


“Buscou a Deus nos dias de Zacarias, que o instruiu no temor de Deus. Enquanto buscou ao Senhor, Deus o fez prosperar.”

Este texto é um dos textos mais ministrados com respeito a nossa vida de prevenção. E aqui nós vemos o que Deus pode fazer na vida de alguém que o busca.

Deus não se limita ao físico, a idade, a aparência, e depois que somos marcados por Deus é impossível deixá-lo.

Crê em Deus é um presente, a pessoa que não crê em Deus tem que crer em alguma coisa. O pai do rei Uzias o ensinou que existia um Deus e que este criara todas as coisas.

Talvez você é um pai que não crê em Deus porque ninguém te ensinou a respeito de Deus.

Uzias com 16 anos de idade se propôs a buscar a Deus. Enquanto tantos jovens buscam estar em lugares indevidos, fazendo coisas que não devem, este rapaz propôs no seu coração buscar a Deus.

Entenda uma coisa: você recebe benefício daquilo que você investe. Canalize sua fé em Deus. Uzias começou a receber de Deus a partir da busca.

Para que possamos ser pessoas prósperas, que aproveitem os benefícios do Senhor, temos de aprender a dominar o que já temos. Uma pessoa pode ter muito dinheiro e não ter prosperidade, porque a verdadeira prosperidade é ter domínio sobre o que Deus nos dá.

Não podemos buscar ao Senhor somente nas horas de dificuldades, tristezas e decepções. Temos que dá a primazia das nossas vidas a Deus.

Foi isso Uzias fez. Se você busca a Deus em primeiro lugar (se você considera Deus como utopia, partido...), se você está perto de Deus, aonde você vai estar? Na frente, por cima, porque Deus tem sempre o melhor.

Se estar perto de pessoas importantes produz certos privilégios, imagine se você estiver juntinho de Deus?

Se você buscar ao Senhor em primazia – Deus te faz prosperar!

Pastor Jorge Linhares

A Graça e a Paz do Senhor Jesus Cristo,

Moacir Neto

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

O que você está ouvindo?

Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.(Mt.6.19,20)

Um nativo da América e seu amigo estavam na cidade de Nova York e se encontravam caminhando perto da Times Square, em Manhattan. 

Era a hora do almoço, por volta de 12 horas, e as ruas estavam muito cheias. Os carros buzinavam, os táxis cantavam pneus ao dobrar as esquinas e o som da cidade era ensurdecedor, ao ponto de surdez. De repente, o nativo disse:
- “Eu ouvi um grilo”. Seu amigo, admirado e espantado, exclamou:
- “O que! Você deve estar louco. É simplesmente impossível conseguir ouvir um grilo no meio de todo este barulho.”
- “Não, eu tenho certeza de Ter ouvido um grilo”, disse o índio.
- “Isto é loucura”, disse o amigo.

O índio ouviu atentamente por alguns instantes e, com passos firmes, atravessou a rua e dirigiu-se a um lugar onde havia um arbusto.  Ele colocou a sua mão no meio do mato e ali, debaixo de algumas plantas, localizou o pequeno grilo. Seu amigo não podia acreditar no que via.
- “Isto é incrível!” ele disse. “Seus ouvidos não são humanos.” Não, ele disse:
- “Meus ouvidos não são diferentes dos seus. Tudo depende daquilo que lhe interessa ouvir.
- “Isto não pode ser!” disse o amigo. “Eu nunca conseguiria ouvir um grilo no meio de todo este barulho.” 
- “Sim, é verdade, ele respondeu. “Tudo depende daquilo que é realmente importante para você. Deixe-me mostrar-lhe o que estou tentando dizer.

“Ele colocou a mão no bolso, tirou algumas moedas e as deixou cair na calçada. Então, mesmo com todo o barulho da rua cheia de pessoas, eles observaram que todas as pessoas, a uma distância razoável de onde as moedas caíram, voltaram as suas cabeças para ver se elas lhes pertenciam.
- “Você entende o que estou tentando lhe dizer”? perguntou o nativo. “Tudo depende daquilo que é mais importante para você.”

O QUE É IMPORTANTE PARA VOCÊ? O QUE VOCÊ PROCURA OUVIR? O QUE DESPERTA O SEU INTERESSE?

Algumas pessoas dizem que não há Deus, e que Ele não fala mais nos dias de hoje. Mas, talvez elas não consigam vê-lo ou ouvi-lo por não estarem ouvindo a Ele. Elas estão vivendo para si mesmas, e não para Deus. 

Se você estiver sintonizado com Deus, você estará apto a percebê-lo trabalhando em sua vida e no mundo ao seu redor. E estará apto para ouvi-Lo quando Ele falar.

Inclinai os ouvidos, e ouvi a minha voz; atendei bem e ouvi o meu discurso. Porventura lavra todo o dia o lavrador, para semear? [...] O seu Deus o ensina, e o instrui acerca do que há de fazer. Porque a ervilhaca não se trilha com trilho, nem sobre o cominho passa roda de carro; mas com uma vara se sacode a ervilhaca, e o cominho com um pau. O trigo é esmiuçado, mas não se trilha continuamente, nem se esmiuça com as rodas do seu carro, nem se quebra com os seus cavaleiros. Até isto procede do SENHOR dos Exércitos; porque é maravilhoso em conselho e grande em obra. Isaías 28:23-29

Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não temais, ó pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o reino. [...] Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração. Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias.[...] Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.  (Lucas 12:31-37)

Litrazini

Graça e Paz

domingo, 25 de agosto de 2013

Vencendo o Complexo de Inferioridade

“Forjai espadas das vossas enxadas, e lanças das vossas foices; diga o fraco: Eu sou forte”. (Joel 3:10)

Por que pessoas inteligentes, bonitas, criativas, bem articuladas fracassam?

Uma das causas é o complexo de inferioridade que elas nutrem dentro de si. Segundo o calculo do escritor Maxwell Maltz, 95% de todas as pessoas em nossa sociedade sentem-se inferiores.

Dicas para vencer o complexo de inferioridade:
- Viva consciente da sua identidade como filho de Deus. Você é príncipe porque o seu pai é o Rei da Glória (Rm 8:14;.Mt 6:9).

- Não confunda amor próprio com atitude de superioridade, vontade própria obstinada ou orgulho (Mc 12:31).

-  Maximize o seu potencial (Mt 25:15).

- Afirme para você mesmo eu fui criado à imagem e semelhança de Deus, tenho capacidade intelectual, liberdade para fazer escolhas, conhecimento do que é certo e errado. Eu tenho valor para Deus.

- Feche os ouvidos do teu coração para as palavras negativas que visam destruir sua auto imagem e estima.

-  Vença os pensamentos “de inferioridade” recitando textos das Escrituras (1Co 15:10; Fp 4:11-13; Sl 8:4,5; 91:11; Jr 29:11).

- Nunca diga “não valho nada, sou um fracasso” porque isso não é verdade. Você nasceu com potencial para ser um vencedor.

- Tenha alvos na vida e estabeleça metas para alcançá-los.

- Seja uma pessoa que aceita desafios, que não tem medo de assumir riscos com responsabilidade.

- Supere suas limitações com dedicação, esforço e determinação. Pense como o apóstolo Paulo: “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. (Fp 4:13)

- Não meça o seu valor com base no que os outros pensam a seu respeito. “E uma voz dos céus disse: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.(Mateus 3:17)

Jesus nunca mediu seu valor com base no que as pessoas pensavam e diziam a seu respeito. Se ele tivesse feito isso, com certeza ele seria um fracasso, um homem sem uma grande história.

Se você quer medir o seu valor, faça uma auto avaliação usando como referência aquilo que diz as Escritura a seu respeito.

Pr. Josué Gonçalves

Por Litrazini


Graça e Paz

sábado, 24 de agosto de 2013

Geração Transformadora

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Mas a quem hei de comparar esta geração? É semelhante a meninos que, sentados nas praças, gritam aos companheiros: Nós vos tocamos flauta, e não dançastes; entoamos lamentações, e não pranteastes. (Mt. 11.15-17)

João Batista vivia no deserto, vestia-se de pele de camelo, comia gafanhoto e mel Silvestre, Jesus se vestia de túnicas sem costura, comia nas melhores casas, e vivia nas cidades.

Criticavam João Batista por ser estranho, pobre, e viver no deserto, criticavam Jesus chamando de comilão e beberrão.

Que geração é essa?

GERAÇÃO DA INSATISFAÇÃO
O homem, na grande maioria, tem um ratinho chamado insatisfação; Não importa o que acabou de conquistar, Nem bem concretizou e, já esta pensando na próxima conquista.

Insatisfação gera ingratidão.
Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração.Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará. (Sl 37:4,5)

Insatisfação destrói a alegria.
Alegrei-me, sobremaneira, no Senhor porque, agora, uma vez mais, renovastes a meu favor o vosso cuidado; o qual também já tínheis antes, mas vos faltava oportunidade. Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece. (Fp 4:10-13)

Insatisfação leva a um lugar de destruição.
Podemos citar como exemplo experiências com droga, sexo, religiões entre outras

GERAÇÃO DA CRITICA
Uns diziam que João Batista era estranho, outros que Jesus bebia e comia demais. Critica-se governo, pai, mãe, marido, esposa, filhos, pastor, igreja, ofertas...

Tudo que criticamos, automaticamente, afastamos de nós.
De ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra (Gn 12:2, 3)

Precisamos ser uma geração que abençoa!

GERAÇÃO DA INDIFERENÇA
A morte é normal. Separação é normal. Homossexualismo é normal. Pobreza é normal. Morrer e ir para o inferno é normal.

Na Parábola do Bom Samaritano verificamos que sob o ponto de vista do...
Ladrão - o que é meu é meu e, o que é seu é meu também.
Sacerdote - O que é meu é meu, o que é seu é seu, eu não tenho nada haver com isso.
Samaritano - O que é meu é meu, mas eu não tenho problema em repartir com você.

Indiferença com o próximo.
Podemos fazer algo por alguém.
Devemos salvar as baleias, mico leão dourado, tartaruga, etc., mas é necessário priorizar campanhas para salvação do homem. É preciso gastar tempo investindo o que temos para salvar vidas.

Amai, porém, os vossos inimigos, fazei o bem e emprestai, sem esperar nenhuma paga; será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo. Pois ele é benigno até para com os ingratos e maus. (Lc 6:35)

Indiferença com Deus.
Só Ele pode todas as coisas. Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo. (Ap 3:20) Ele é o único Salvador.

Será que temos medo de nos comprometer com seu Deus e Ele pedir algo?

Ele veio para nos dar a vida eterna.

Nós somos a geração que vai mudar a história. Pense nisso!

Autor: Pr. Michael Aboud 

Por Litrazini


Graça e Paz

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Apanhai-me as raposas, as raposinhas


 “Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que devastam os vinhedos...(Cantares 2.15)


Engana-se quem imagina que são os grandes problemas que destroem um casamento, uma família ou uma grande amizade. Pelo contrário, quando uma grave tormenta se abate sobre o lar, tal como um acidente de um dos familiares, ou uma doença grave e repentina, a tendência é dos membros da família se unirem e estreitarem seu relacionamento para lutar com todas as forças contra aquele “inimigo” indesejável.

Muitas vezes situações ameaçadoras vindo de fora ajudam a despertar da letargia membros da família que passam a se posicionar mais firmemente nesses tempos.

Agora, difícil mesmo é lutar contra as “pequenas raposinhas” que aparecem sob o vinhedo, e pouco a pouco vão destruindo sua formosura, até que ele seque completamente.

O que o poeta bíblico quis dizer com “raposinhas”?
Parece que elas gostavam de cavoucar ao redor das videiras cobertas de flores. Elas são as pequenas coisas que não damos muita importância, mas que, infelizmente, teimam estar presentes em nossa vida – é aquela palavra a mais, ao final da discussão, que não precisava ser dita, e você insiste sempre em dizer, é o gesto desprovido de mansidão, é a dureza de julgamento, são os ciúmes que a esposa não consegue esconder ou o perfeccionismo do marido que insiste em que tudo seja feito do jeito que ele gosta.

Na vida da igreja, as “raposinhas” são aqueles pequenos acontecimentos desagradáveis, à princípio sem maior importância, mas se não damos cabo deles, logo começam a perturbar o relacionamento dos irmãos e pequenas intrigas surgem aqui e acolá, e quando o pastor vê todo o vinhedo construído com tanto amor foi destruído – não pela ação maléfica do mundo nem por uma investida insidiosa de Satanás.

Tudo isso são como imperceptíveis “raposinhas”, que às vezes nem nos damos conta de sua existência em nossas vidas. Mas uma coisa é certa – o resultado é sempre devastador. Não há jejum e oração que mantenha o vinhedo bonito se, por outro lado, ele estiver sendo devastado pelas pequenas raposas.

Sansão derrotou inimigos fortíssimos mas depois foi vencido porque permitiu a ação destruidora de uma delas em sua vida.

Gideão, grande herói da Bíblia que venceu batalhas com poucos homens, ao final de sua vida permitiu que uma pequena vaidade levasse Israel de volta à idolatria.

Crentes amarram Satanás todos os dias nas grandes concentrações mas não apanham as raposinhas que estão destruindo sua vida familiar.

É interessante observar como há cristãos hoje preocupados com a besta do Apocalipse, com maldição hereditária, com demônios territoriais, com a temperatura do inferno, e não fazem a menor ideia que aquilo que eles devem temer e se preocupar de verdade é com aquele olhar de soslaio que lançam sorrateiramente ao sexo oposto, tem de se preocupar é com aquele sentimento de auto suficiência que, devagarzinho, devagarzinho, os tem afastado do Deus vivo.

Só há uma maneira de manter a videira bonita, a família saudável e a igreja abençoada: “apanhando” tudo aquilo que destrói uma relação de amor. Sim, apanhe tudo isso e dê um fim em nome de Jesus.

Talvez o que o cristão mais precisa hoje é reconhecer a existência dessas “raposinhas” em sua vida.

Não é bom sinal se não estamos conseguindo dar cabo delas. É sinal de que alguma coisa vai mal lá dentro de nós, é sinal que há um “sabotador” em nosso interior que está destruindo aquilo que levou anos para erigir. É sinal de que não estamos bem conosco nem com Deus.

As vinhas estão em flor; não deixemos que elas sejam destruídas por pequenas coisas.

Autoria: Daniel Rocha

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

A origem e o propósito do Jejum

Original do Hebraico ( Y (Tsom), no Grego? (Nesteía), ambos com o significado de Jejum como um rito cultual entre as reuniões religiosas. É um verbo no particípio, presente, ativa, nominativo, masculino, Segunda pessoa singular.

Jejum segundo Aurélio é a abstinência, total ou parcial, de alimentação ou bebidas em determinados dias, por penitência ou prescrição religiosa ou médica. Quando diz abster-se é o mesmo que conter-se, refrear-se, privar-se (de alimento como; açúcar, carne, óleo entre outros, de bebida; alcoólicas, refrigerantes etc.).

Tem sido praticado pela humanidade em praticamente todas as épocas, nações, culturas e religiões.  Pode ser com finalidade espiritual ou até mesmo medicinal, visto que o jejum traz tremendos benefícios físicos com a desintoxicação que produz no corpo. Mas nosso enfoque é o jejum bíblico. Sem dúvida, é uma arma poderosa para o cristão.

Não há regras fixas na Bíblia sobre quando jejuar ou qual tipo de jejum praticar, isto é algo pessoal.

O PROPÓSITO DO JEJUM
Kenneth Hagin afirma que: "O jejum não muda a Deus. Ele é o mesmo antes, durante e depois de seu jejum. Mas, jejuar mudará você; vai lhe ajudar a manter-se mais suscetível ao Espírito de Deus".

O jejum não tornará Deus mais bondoso ou misericordioso para conosco, ele está ligado diretamente a nós, à nossa necessidade de romper com as barreiras e limitações da carne.

O jejum deixará nosso espírito atento, pois mortifica a carne e aflige nossa alma.

Jesus deixou-nos um ensino precioso acerca disto quando falava sobre o jejum: "Ninguém põe vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho romperá os odres; e tanto se perde o vinho como os odres. Mas põe-se vinho novo em odres novos." (Mc.2:22). O odre era um recipiente feito com pele de animais, que era devidamente preparada mas, com o passar do tempo envelhecia e ressecava. O vinho era o suco extraído da uva que fermentava naturalmente dentro do odre. Portanto, quando se fazia o vinho novo, era sábio colocá-lo num recipiente de pele (o odre) que não arrebentasse na hora em que o vinho começasse a fermentar, e o melhor recipiente era o odre novo.

Com essa ilustração Jesus estava ensinado que o vinho novo que Ele traria (o Espírito Santo) deveria ser colocado em odres novos, e o odre (ou recipiente do vinho) é nosso corpo. A Bíblia está dizendo com isto que o jejum tem o poder de "renovar" nosso corpo. A Escritura ensina que a carne milita contra o espírito, e a melhor maneira de receber o vinho, o Espírito, é dentro de um processo de mortificação da carne.

Alguns acham que o jejum é uma "varinha de condão" que resolve as coisas por si mesmo, mas não podemos ter o enfoque errado. Vai lhe ajudar a manter-se mais suscetível ao Espírito de Deus".

A resposta às orações flui melhor quando jejuamos porque através desta prática estamos liberando nosso espírito na disputada batalha contra a carne, e por isso algumas coisas acontecem. 

Quando Jesus disse aos discípulos que não puderam expulsar um demônio por falta de jejum (Mt.17:21), ele não limitou o problema somente a isto mas falou sobre a falta de fé (Mt.17:19,20) como um fator decisivo no fracasso daquela tentativa de libertação. O jejum ajuda a liberar a fé!

O que nos dá vitória sobre o inimigo é o que Cristo fez na cruz e a autoridade de seu nome. O jejum em si não me faz vencer, mas libera a fé para o combate e nos fortalece, fazendo-nos mais conscientes da autoridade que nos foi delegada.

Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Andando no Espírito

“Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim que sou manso e humilde”…Mt.11:29-30

Vida no Espírito é lago que se renova a cada manhã. Infelizmente, hoje existem pessoas sobrecarregadas e até mesmo dentro da igreja. Sobrecarregadas por: circunstâncias, problemas, etc… Deus quer nos liberar de toda carga através desta vida no Espírito. (Gl 5.25-26)

COMO FAZER PARA NÃO DEIXAR DE ANDAR NO ESPÍRITO?

1) SENDO FERVOROSO NO ESPÍRITO – RM.12:11 – SERVINDO AO SENHOR.
Ser fervoroso no Espírito é ser  apaixonado pelo Senhor e o seu propósito.
• Infelizmente, hoje a igreja tem perdido esta paixão.

2) COMO A IGREJA TEM PERDIDO ESTA PAIXÃO?
A) Quando nós deixamos as coisas preciosas ser tornarem coisas comuns.
• Hoje em dia o diabo tem tirado o valor de tudo o que tem valor para Deus – Jo.10:10
• O povo de Deus sempre foi conhecido pela sua alegria em toda história.
• A igreja perdeu o fervor na humanização
B) Quando começamos a depender das coisas externas, de fora, e não do fluir verdadeiro de Deus – Jo.4:23-24
• Para os filhos de Deus a base de tudo tem que vir de DEUS, Ele é a única fonte dentro de nós
• Somos o seu templo, e temos que viver como tal
• A cada manhã temos que acordar cheios do Espírito

3) VIVEMOS EM UM MUNDO APÁTICO = RM 12:1-2
• A apatia vem sobre nós quando nós nos conformamos com a situação.
• Temos que tomar muito cuidado com os nosso filhos.

4) A IGREJA TEM PERDIDO A VISÃO DO PROPÓSITO DE DEUS, ELA PERDEU O ALVO.
• Uma Igreja que vê o propósito de Deus com clareza é uma Igreja fervorosa – (Num.13:14)
• Os que perdem o alvo morrem no deserto.
• O alvo de Deus deve estar estampado em nós.
• Hoje em dia a Igreja tem se voltado mais para a estrutura do que para as vidas.

5) PORQUE O FERVOR É TÃO IMPORTANTE?
R: Porque ele é primordial na vida da Igreja, é uma prioridade.

Líderes, pastores, músicos, cada serviço deve ser realizado com paixão a Deus. Amor e paixão pelo os irmãos – (Jo.13:34-35)
• Não podemos fazer a obra de Deus sem paixão!
• Deve ser uma prioridade na minha vida o que eu amo. Temos que observar na vida dos discípulos o que é prioridade.
• O que queima por dentro deve fazer diferença por fora
• O que queima por dentro você sente o cheiro por fora, e o cheiro deve ser o cheiro de Cristo.
• Eu sei o quanto custou o preço da minha vida para Jesus.
• Eu não devo ficar preocupado em ser o melhor, mas em dar o melhor para Deus, o melhor para o Senhor da minha vida.
• Ser apaixonado por tudo aquilo que Deus ama.

COMO RESTAURAR A PAIXÃO PELO O MOVER?

1) OLHANDO PARA JESUS – É IMPOSSÍVEL ALGUÉM OLHAR PARA JESUS E NÃO FICAR APAIXONADO POR ELE . – EF.5:14/ HEB.12:2/ II COR.3:18
• Nós contemplamos o Senhor Jesus, contemplando o verbo = a palavra.
• Contemplar Jesus é contemplar a palavra de Deus.
• Podemos contemplar Jesus olhando para os nosso irmãos – Mt.18:20

2) PODEMOS RESTAURAR A PAIXÃO RETORNADO AO PRIMEIRO AMOR.
• Deve ser uma prioridade – Ap. 2:4
• Voltar ao primeiro amor fala de valores que se perderam
• Temos que resgatar os valores perdidos
• Primeiro amor é comunhão com Deus

3) DEIXE O ESPÍRITO SANTO ATIVAR OS SEUS DONS.
• Muitos não aprendem a desenvolver os seus dons – Ef.4:8
• Muitos enterraram os seus dons
• Temos que ajudar cada discípulo a desenvolver os dons
• Cada um tem um dom pelo menos – I Pe.4:10
• A partir do natural Deus dá o sobrenatural

4) FAÇA TUDO, AINDA QUE SEJA POUCO, FAÇA TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS
• Identifique os dons
• Santifique
• Deus unge tudo isso
• Submeta os seus dons ao corpo
• Submeta os seus dons aos líderes
• Submeta os seus dons a palavra de Deus
- Não agrada a Deus o enterrar os talentos – Mt.25:14-30
- A Igreja deve ser um lugar onde os dons precisam ser despertados

5) VIVA E ANDE PERTO DE GENTE APAIXONADA POR DEUS.
• Jovens, olhem para pessoas apaixonadas por Deus
• No trabalho, seja sócio de pessoas apaixonadas por Deus

6) NUNCA SE ESQUEÇA DE TUDO O QUE DEUS FEZ POR VOCÊ
• Um exemplo negativo – o povo de Israel – Num.12 e 14
• Sl.103 – Seja sempre grato ao Senhor por tudo, e nunca se esqueça do que Ele já fez por você.

Andar no Espírito, ser cheio do Espírito, plenitude do Espírito

Autor: Asaph Borba

Por Litrazini


Graça e Paz