quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Deus se importa com sua vida

"QUAL, DENTRE VÓS, É O HOMEM QUE, POSSUINDO CEM OVELHAS E PERDENDO UMA DELAS, NÃO DEIXA NO DESERTO AS NOVENTA E NOVE E VAI A BUSCA DA QUE SE PERDEU, ATÉ ENCONTRÁ-LA?"(Lc. 15:4).

O infinito valor da alma que seria salva
Na Palestina dos dias de JESUS, um rebanho de cem ovelhas seria um rebanho considerável, pelo que temos aqui a descrição de um proprietário bastante rico. No entanto, segundo diz JESUS, até mesmo um proprietário desses sentiria a falta de uma ovelha que fosse. É possível que tal homem não sentisse qualquer emoção particular a respeito, mas tão-somente o senso da perda financeira. Não obstante, lemos que havia certa forma de simpatia entre o pastor e as ovelhas, e que, em alguns casos, o pastor dava nomes a cada uma das suas ovelhas.

Se este tivesse sido o caso, então a perda teria sido muito mais séria do que um débito financeiro. O pastor não perderia todo interesse pelas demais noventa e nove ovelhas, mas, apesar disso, pensaria em deixá-las temporariamente a fim de procurar a ovelha perdida e trazê-la à segurança. O número de ovelhas perdidas foi o mínimo possível, mas o pastor não deixou de interessar-se por isso.

Tudo isso serve para mostrar-nos o grande amor de DEUS, um amor que JESUS compartilhou em seu ministério. É por essa razão que JESUS acolhia os odiados publicanos ou coletores de impostos, e também as prostitutas.

Tomamos conhecimento que a literatura rabínica, algumas vezes, declara que os publicanos estavam fora do alcance da chamada ao arrependimento, mas JESUS não compartilhava dessa opinião, e também asseverou, acerca das prostitutas, que algumas delas entrariam no reino dos céus antes das orgulhosas autoridades religiosas de seus dias.

JESUS usou, nesta parábola, uma ilustração comum, porquanto os seus ouvintes estavam bem familiarizados com a vida pastoril. Mostrou ele que um proprietário de ovelhas, apesar de rico, deixaria noventa e nove ovelhas a fim de procurar a única ovelha que se perdera. E mostrou que aquilo que qualquer homem faria em prol de uma ovelha, ele mesmo, em seu ministério, estava fazendo em favor das almas dos homens.

Assim, mostrou ele o grande valor que atribuía a uma única alma, atitude perfeitamente característica em JESUS, que nunca deixou de dar elevado valor ao homem. E esse valor se deriva do fato de que DEUS está transformando homens cristãos segundo a própria imagem e substância da natureza moral de CRISTO, conduzindo dessa forma muitos filhos à glória e elevando-os bem acima da posição dos anjos. A criatura que tem esse tipo de potencial é infinitamente valiosa.

"SABEMOS QUE TODAS AS COISAS COOPERAM PARA O BEM DAQUELES QUE AMAM A DEUS,DAQUELES QUE SÃO CHAMADOS SEGUNDO O SEU PROPÓSITO, PORQUANTO AOS QUE DE ANTEMÃO CONHECEU, TAMBÉM OS PREDESTINOU PARA SEREM CONFORME A IMAGEM DE SEU FILHO, A FIM DE QUE ELE SEJA O PRIMOGÊNITO ENTRE MUITOS IRMÃOS". (Rm. 8:28-29).

Não há qualquer indício sobre o motivo pelo qual a ovelha se desviou e se perdeu. JESUS não estava examinando as razões por que as pessoas se afastam do caminho certo - por que as prostitutas assim se tornaram, por que os coletores de impostos enganavam em suas cobranças, furtavam e matavam. Mas preocupava-se aqui com o arrependimento, que é uma modificação uma reforma, uma vida nova, e ao quais todos os pecadores são candidatos.

É de supor que o trabalho de procura do pastor deve ter sido extenuante, pois arriscou tudo quanto era necessário, sofreram calor da viagem, os perigos dos assaltantes, os rigores de uma jornada dificílima, mas tudo isso estava plenamente justificado porquanto representava o infinito valor da alma que seria salva.

Não podemos negar que o simbolismo das "ovelhas" é uma representação da humanidade toda, e ilustra a intenção do Pai, em conduzir todos os homens até ele mesmo. Assim sendo, o texto em foco simplesmente nos permite subentender a capacidade de todos os homens de se achegarem a CRISTO,

"O QUAL DESEJA QUE TODOS OS HOMENS SEJAM SALVOS E CHEGUEM AO PLENO CONHECIMENTO DA VERDADE"(1 Tim. 2; 4).

Wilson de Oliveira Carvalho

Por Litrazini


Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário