quinta-feira, 24 de abril de 2014

Deus é culpado de tudo?

Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos (1 João.4.8-9)

Por que Deus não coloca um ponto final em toda miséria, conflitos e violência do mundo?

Por que Ele apenas olha enquanto milhões estão famintos?

Dizem que Ele é um Deus de amor. Onde podemos comprovar isso?

Tais palavras são comuns. Mas raramente são pronunciadas pelos que de fato creem na existência de Deus, pois estes sabem que o Criador nos aguarda para prestarmos conta de nossas ações, palavras e pensamentos. Portanto, sentem que é inadequado fazer tais acusações.

Deus vive em uma esfera muito diferente da nossa. Se assim não fosse, Ele não seria Deus. Fazer perguntas como essas só revelam nossa incredulidade.

Se Deus interviesse e acabasse com toda a injustiça dos homens que não O reconhecem como Senhor, isso significaria um juízo devastador.

Foi o que aconteceu nos dias de Noé, quando praticamente toda a raça humana pereceu no Dilúvio, porque “viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra” (Gênesis 6:5).

Hoje em dia as coisas não estão melhores! Nosso problema mais essencial é o pecado, que determina toda a nossa conduta.

Deus realmente é amor. Ele revelou Seu amor quando enviou Seu Filho, Jesus Cristo, ao mundo.

Deus julgou a culpa dos homens n’Ele, o Inocente, para que todo aquele que n’Ele crer obtenha a vida eterna.

Engana-se quem pensa que Deus está em silêncio.

Ele nos fala por meio de Cristo, por meio do Evangelho, por meio das circunstâncias, por meio da natureza, etc.

Todos têm a chance de ouvir a mensagem da cruz. Mas são poucos os que se rendem a tais palavras. A esmagadora maioria segue seu próprio coração pecaminoso e, quando não obtêm o resultado que desejam, culpam a Deus.

“A estultícia do homem perverterá o seu caminho, e o seu coração se irará contra o Senhor” (Provérbios 19:3).

Extraído do Devocional Boa Semente

Por Litrazini

Graça e Paz


Nenhum comentário:

Postar um comentário