domingo, 10 de agosto de 2014

A INFINITA MISERICÓRDIA DE DEUS

E guiarei os cegos por um caminho que nunca conheceram, fá-lo-eis caminhar por veredas que não conheceram; tornarei as trevas em luz… E as coisas tortas farei direitas. (Is. 42.16).

Que diz Deus aos que se preocupam e se entristecem pelo deplorável estado de Sião, pela apostasia da cristandade, pela queda e impenitência de muitos membros e dirigentes das igrejas?

O que diz aos que desejam ajudar e fazer algo a fim de que esta situação melhore, mas se dão conta de não lograr mudanças favoráveis?

Assim diz o Senhor: “Alegrem-se com Jerusalém, e gozem com ela todos os que a amam; enchei-vos com ela de gozo, todos os que por ela estão enlutados”.

As Escrituras demonstram que o poder de Deus tudo pode mudar. Que Deus pode consertar e tornar tudo novamente novo.

O poder do Pai é suficiente, assim como são suficientes os méritos do Filho, e o poder do Espírito Santo. A boa vontade e misericórdia de Deus, sua fidelidade e verdade nos demonstram isso: “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”, que nunca devemos nos sentir infeliz e nos entristecermos como os que não têm esperança.

Se for uma verdade que eu sou pecador, também é verdade que meu Salvador Jesus Cristo é Justo.

É verdade que sou imundo, mas Cristo é puro. Eu sou fraco, mas Cristo é forte. Quando me sinto só e isolado, e anelo a companhia de Deus, o Senhor me faz lembrar: “E eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos”.

Se minhas fraquezas me entorpecem, e me sinto incapaz de orar, “O espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis”.

Se eu tremo diante da morte e do inferno, o Senhor me diz: “Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó morte, a tua vitória?”.

Se nisso crêssemos e nisso pensássemos um pouco mais, que felicidade celestial teríamos já aqui na terra! Viveríamos com nossos corações  no Paraíso! Como honraríamos e louvaríamos a Deus!

Seria como se já estivéssemos nos céus… Com o apóstolo Paulo diríamos: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?”

Oh Deus, não deixes que nos tornemos arrogantes e tampouco preguiçosos. Que o diabo não nos separe de tua preciosa palavra nem cause divisões em nosso meio. Amém.

C.O. Rosenius (1816-1868) Novo Dia – Trad. Sóstenes Ferreira da Silva

Por Litrazini


Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário