quarta-feira, 1 de outubro de 2014

À LUZ DA BÍBLIA, É POSSÍVEL SER CURADO DE DOENÇA EMOCIONAL?

Há várias fontes produtoras de doença emocional: uma família mal estruturada e violenta, a cultura secular, uma religião legalista, opressão maligna e até a própria pessoa, devido à sua inabilidade em lidar com as suas emoções ante as crises da vida, às suas escolhas erradas, à falta de perdão, etc.

As emoções negativas que se acumulam no coração humano — devido a um passado sofrido, a traumas e abusos vivenciados na infância, a perdas, rejeições, injustiças, comparações — provocam frustração, dor, raiva, sentimentos de vingança, baixa autoestima e uma autoimagem negativa.

Com o passar do tempo e o estresse do dia-a-dia, causado pela violência nas ruas e a luta pela sobrevivência, essas emoções represadas e não tratadas vêm à tona em forma de atitudes e comportamentos inexplicáveis (neuroses/transtornos de humor, fobias, síndrome do pânico) e/ou doenças psicossomáticas.

A pessoa começa a apresentar perturbações psicoemocionais, acompanhadas ou não de sintomas físicos alergias, úlceras gástricas, dores de cabeça, nas costas.

Para fugir do sofrimento emocional, muitos se viciam em antidepressivos, calmantes e remédios para dormir. Eles não querem investigar a raiz do problema e resolvê-lo. Acham que isso intensificaria a dor que querem evitar. Na busca desesperada por alívio, preferem tomar remédio para dormir ou para relaxar. Entretanto, se combatessem o foco do problema e recorressem à ajuda de Deus, certamente o resolveriam.

O que as pessoas com doenças na alma precisam saber é que a maioria dessas enfermidades não deveria ser tratada com remédios, mas sim com a Palavra de Deus e com a “terapia da oração”. Deus nos criou e nos conhece e entende mais do que qualquer um.

A PALAVRA DE DEUS É REMÉDIO PARA OS PROBLEMAS QUE AFLIGEM NOSSO SER, POIS ELA NOS DESNUDA, FAZENDO COM QUE O ESTÁ DENTRO DE NÓS SEJA IDENTIFICADO E POSSA SER TRATADO.

As Escrituras são uma fonte terapêutica extraordinária porque a Palavra de Deus trabalha no íntimo do homem, penetra até à divisão da alma, e do espírito [...], e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração(Hebreus 4.12), onde Freud e qualquer outro psicanalista ou psicólogo, gostaria, mas jamais penetrou.

A Palavra de Deus nos estimula à análise introspectiva. Quando você começar a mergulhar dentro de si mesmo, descobrirá a causa que o está levando a esse estado de coisas, e encontrará a solução.

Quem está sofrendo com depressão, angústia, baixa autoestima ou complexo de inferioridade, deve investigar a razão, conscientizar-se de suas fraquezas e suprir suas deficiências, bem como descobrir seus pontos fortes e valorizá-los.

Pode ser que, ao analisar a raiz do problema, a solução não seja encontrada de imediato. Mas a pessoa não deve desistir; antes deve insistir nessa autoanálise, pensando sobre o que a tem afligido e contando tudo o que está sentindo ao Senhor, sem medo ou vergonha. O desabafo por meio da oração trará leveza e alívio.

Talvez também seja necessária a ajuda de um terapeuta; alguém formado em psicologia, preparado para conduzi-la em uma análise. Por meio do processo da verbalização começará a desenhar-se a cura.

Para a terapia funcionar, o analisando deve falar o máximo que puder, para facilitar o processo de investigação terapêutica. Assim, por meio da verbalização, o paciente fala sobre todos os seus problemas e, por meio da transferência, lança sobre o terapeuta sua carga emocional. Este ouve o desabafo do paciente e, durante o tempo da consulta, aceita a carga. Mas, no final da seção, devolve tudo para aquele, fazendo uma contratransferência.

Contudo, é bom lembrar que, por mais perspicaz e eficiente que seja o terapeuta, ele não é onipotente nem onipresente, tampouco o dono da verdade. Ele pode formular hipóteses falsas sobre o problema, intervindo de forma errada na terapia. Isso provocará resistência e aversão da parte do paciente, em vez de empatia e cooperação.

A terapia divina é totalmente diferente da humana. Com Deus nunca há antipatia, só empatia, porque Ele é amor, bondade, misericórdia. E Ele ainda tem a capacidade de assumir tudo o que você lançar sobre Ele, fazendo uma contratransferência na hora e na medida certa e indo à raiz do problema.

Quando alguém dobra os seus joelhos para orar, falar com o Altíssimo, que é onisciente e onipotente, sobre o que o está incomodando, machucando, ferindo, o que está dentro da sua alma, imediatamente o processo da cura é iniciado.

O Senhor tem poder para curar depressão, angústia, tristeza, traumas, e resgatar a autoestima e ajudar-nos a ter uma autoimagem positiva de nós mesmos.

Um dos instrumentos terapêuticos dele é a oração e a ministração da Sua Palavra. Além disso, convém ao paciente pensar positivamente, ter uma boa perspectiva da vida e não se isolar! Ele deve manter a comunhão com Deus e com familiares, irmãos na fé, amigos leais; pessoas com quem podem partilhar alegrias e tristezas.

SUGESTÕES DE LEITURA:
2 Samuel 22.7; 1 Reis 1.29; 2 Crônicas 15.4; Salmo 9.9; 20.1; 42; 116; 2Coríntios 1.3,4; 7.5,6; Filipenses 4.6

Autor: Pr. Silas Malafaia

Por Litrazini


Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário