segunda-feira, 20 de outubro de 2014

O PAPEL DO HOMEM COM DEUS

Todos os cristãos são chamados (I Pedro 2.9)

Todos os cristãos recebem algum Dom espiritual (I Co.12.4-11; Romanos 12.4-8)

Todos os cristãos são ministros (I Pedro 4.10,11; I Co 12.5; Atos 11.29)

Todos temos uma vocação divina e uma responsabilidade para com Deus. Deus está convocando um enorme exército da oração. Ele quer que o Seu povo componha-se de homens e mulheres dedicados à oração e à intercessão.

Se não perseverarmos na oração, perderemos a adequada relação com o que ocorre no reino de Deus. Para sentir o que está no coração de Deus e para entender o que Ele tem em mente, é necessário passar tempo na presença do Senhor. Enquanto não aceitar a chamada divina para ser um intercessor, e não desenvolver o seu próprio relacionamento íntimo com Deus, terá pouco discernimento espiritual, em princípio. Só poderá imitar outros homens de Deus.

Se quiser ouvir a voz de Deus, teremos que começar a falar com Ele, em favor de si mesmo e de outras pessoas. Precisaremos formar o hábito falar com o Senhor, separando tempo para o serviço que todos devem oferecer a Deus, através da oração e da adoração pessoal (ver Atos 13:2). Quando a pessoa assim o fizer, de seu espírito fluirão revelações claras e refrigeradoras.

Uma pessoa que queira dedicar-se à oração necessita do espírito de intercessão, que conduz à revelação. Em seguida, a revelação misturada com a coragem de obedecer ao Senhor, conduz a resultados na manifestação.: “Invoca-me, e te responderei; anunciar-te-ei cousas grandes e ocultas, que não sabes” (Jr. 33.3).

Só Deus sabe os maravilhosos feitos que poderão ser realizados, pelos cristãos que optarem por passar tempo diante d’Ele, em intercessão, recebendo a Sua revelação e obedecendo corajosamente a essa revelação, para então contemplarem as manifestações sobrenaturais e seus resultados.

Jesus Cristo, nosso grande Sumo Sacerdote, convidou-nos a participar, juntamente com Ele, do ministério de intercessão. Jesus ensinou uma parábola “sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer” (Lc 18.1). E também nos instruiu: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á” (Mt. 7.7).

Ele declarou que algumas coisas só podem ser realizadas por meio de oração e do jejum (Mc. 9.29). E Jesus também prometeu: “...se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que porventura pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai que está nos céus” (Mt 18.19). E também tudo quanto pedirdes em oração, se crermos, receberemos (Mt. 21.22)

A pessoa dedicada à oração deve começar seu ministério diário com louvor, santificando e exaltando o nome de nosso Pai Celeste. Em princípio, deve agradecer a Deus, por haver enviado Seu Filho, a fim de nos redimir: se não fora Jesus, não poderíamos chamar a Deus nosso Pai (Gl. 4.4-6).

Ao iniciar o dia, na qualidade de intercessor, devermos orar, invocando uma cerca de proteção em torno de nós mesmos, de nossos entes queridos e dos bens materiais. 

A defesa contra as astúcias do diabo é revestir-se de toda a armadura de Deus, pedir e pedir, conforme está mencionado em Efésios 6.14-17, crendo e declarando que Jesus é a armadura (Romanos 13.12,14).

Inteiramente revestidos com a armadura de Deus, e protegido pela cerca proteção divina, poderemos nos sentir seguro na vitória conquistada por Jesus. Assim, poderemos combater o bom combate da fé e derrotar os poderes das trevas.

Podemos ouvir mil sermões por dia, e, mesmo assim, não mudarmos para melhor. Mas se houvesse humildade e resolução para passarmos uma hora diante de Deus a cada dia, dedicados à oração; intercedendo por nós mesmos e por outras pessoas, então acontecerá algo sobrenatural. A glória do Senhor retornará e transformará nossa vida e a vida de nossos familiares.

Lidiomar T. Granatti

Por Litrazini


Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário