quarta-feira, 19 de novembro de 2014

O ALERTA DOS SINAIS

Apesar de não parecer, a dor é necessária e positiva. Ainda que desagradável, a dor o obriga a retirar os dedos de um ferro em brasa ou de um aparelho em curto. 

Como a dor, alguns problemas exigem a sua pronta reação. Sem ela, você não prestaria a devida atenção e morreria sem dar-se conta do perigo. 

Logicamente, nem toda dor é benigna, mas na maioria das vezes, ela funciona como proteção, avisando de que algo não vai bem. Assim que senti-la, aja com urgência. 

Seu automóvel também se comunica através de sinais. Seu carro não "quebra" de repente. Antes de parar, ele sinaliza as luzes de alerta do painel. A luz do óleo pisca. Os pneus começam a cantar ou derrapar. O motor demora a pegar ou "morre" com freqüência. 

Contudo, alguns motoristas não dão atenção aos sinais. Continuam a rodar, querendo fazer uma economia contraproducente ou afirmando para si mesmo que o problema não é grave. Deixa para amanhã o que deveria fazer imediatamente. Até que o automóvel empaca. Aquilo que poderia ser apenas um pequeno reparo, torna-se um enorme e caríssimo conserto. 

O sono também é um sinal. O corpo precisa de descanso. Ninguém pode viver sem dormir. Quando o sono chega, ele sinaliza que é hora de parar. Da mesma forma, a falta de sono avisa que alguma coisa estranha interfere com o metabolismo. 

Lucas relata em Atos o acontecido com um jovem chamado Êutico “que estava sentado numa janela, adormecendo profundamente durante o prolongado discurso de Paulo, vencido pelo sono, caiu do terceiro andar abaixo e foi levantado morto”.

Êutico, não dormiu de repente. Ele cochilou, "pescou" seguidamente. Todavia, não prestou atenção aos sinais. Continuou, teimosamente, sentado num lugar perigoso, na janela. Até que vencido pelo sono, caiu e morreu. 

Da mesma forma, o motorista que dirige à noite, dá uns cochilos relâmpagos. São sinais de perigo. Se não der uma parada de alguns minutos, provocará um grave acidente que pode causar sua morte. 

A febre é outro sinal. Ela indica que algo está errado com o organismo, que existe infecção ou outro tipo de doença. Tomar antipiréticos, como Tylenol ou Aspirina, baixa a febre. Mas, assim que terminar o efeito dos remédios, a febre volta. É preciso mais que um pequeno comprimido. Você deve pro­curar um médico, fazer exames para descobrir a causa da febre. Então, o tratamento correto acabará efetivamente com a febre. 

Com a vida acontece algo semelhante. Um sentimento parecido com a febre incomoda o ser humano. Ele aparece intermitente, gritando no interior do coração que alguma coisa está fora do lugar. 

Pequenas brigas, discussões, dificuldades sempre piores, avisam que o relacionamento está enfermo. Dívidas que aumentam, nervosismo e insônia freqüentes, ausência constante e doenças psicossomáticas são alarmes da proximidade do caos. 

Os filhos tornam-se estranhos dentro da própria casa. O respeito e a confiança desaparecem. A comunicação não mais existe. A preocupação e a ansiedade dominam as ações. 

Ignorar estes múltiplos alertas é fatal. Conforto e dinheiro não bastam. O sucesso material não cura este tipo de febre. Os males da intolerância e indiferença são sarados por outro tipo de remédio.

Deus em sua bondade envia algumas perturbações para corrigir a infecção causada pela displicência e omissão. Esta infecção não pode ser curada pelos antibióticos da farmácia. Somente o sangue precioso de Jesus Cristo pode matar certos tipos de germes. 

Os sinais de alerta estão por toda parte e soam de múltiplos modos. Deus ilumina a razão e sentimentos para que você detectar os perigos eminentes. Os alertam pedem mudanças; sem elas você corre o risco de se perder pelo caminho. 

Do céu Deus fez com que vocês ouvissem a sua voz, para discipliná-los. Na terra, mostrou-lhes o seu grande fogo, e vocês ouviram as suas palavras vindas do meio do fogo. (Dt. 4.36) 

A rebeldia à voz do Senhor e aos sinais da própria vida leva ao desastre. 

O maior desejo de Deus é a sua felicidade. Acerte os seus passos e caminhe de acordo com a sua per­feita vontade. Assim você experimentará qualidade de vida no meio das turbulências. 

Aprender a gerenciar os sinais o ajudará a superar a ansiedade, evitar erros, descobrir novos caminhos e tirar preciosas lições do fracasso. A felicidade não é uma miragem impossível de ser alcançada. 

O Soberano, o Senhor, abriu os ouvidos, e eu não tenho sido rebelde; eu não me afastei. (Is. 50.5) 

Extraído do Livro o Amor pode durar para sempre do Dr. Silmar Coelho 

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/


Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário