segunda-feira, 15 de junho de 2015

COMO RESOLVER CONFLITOS NOS RELACIONAMENTOS

Certo homem tinha seus bens na cidade do Carmelo, era muito rico. Possuía três mil ovelhas e mil cabras. Seu nome era Nabal, e o nome de sua mulher Abigail, mulher inteligente e bonita; mas seu marido era rude e maligno em toda a sua maneira de viver. (1Sm. 25.2-3)

“Um relacionamento que dá certo é um edifício que tem que ser construído todos os dias”. (Thomas Fuller)

Todas as pessoas experimentam conflitos relacionais. E nem todos eles podem ser modificados. Mas jamais poderemos transformar os conflitos em algo positivo até que os enfrentemos.

Fugir dos conflitos não é a solução.

O poeta português Luis de Camões afirmou que não se aprende na fantasia, sonhando, imaginando ou estudando somente. Aprendemos vendo, tratando e pelejando.

Rever seu relacionamento à luz das atitudes e reações familiares contidas aqui é crucial. Tanto para aquele que enfrenta conflito, como para aquele que deseja alcançar e conservar a felicidade. Tanto quem é bem casado, como quem experimenta a infelicidade de uma relação anômala; todos encontrarão ajuda na extraordinária sabedoria de Abigail, ou serão confrontados ao mirar-se no espelho de Nabal, cujas atitudes não devem ser imitadas.

Prevenir ainda é o melhor remédio. 

Os solteiros devem aprender a não perpetuar os mesmos erros de pessoas insensíveis e irredutíveis que, de contínuo, ferem e causam infelicidade àqueles que convivem com elas. 

Ao rever suas posturas, os solteiros poderão buscar sabedoria para agir com integridade, firmeza e carinho.

Conflitos são, até certo ponto, normais. Ninguém pode viver inteiramente livre deles. 

Na verdade, não são os conflitos que acabam com as melhores ou piores relações. O que determina o fim do relacionamento são as decisões que tomamos diante dos conflitos.

Quem age motivado pela ira, mentira, amargura, irritabilidade e infidelidade, jamais é feliz. 

É a paz que alicerça o amor, e não a ira. 

É a verdade que promove a confiança, e não a mentira. 

É o perdão que traz a reconciliação, e não a amargura. 

É a sensibilidade que permite o diálogo, e não a irritabilidade. 

É a fidelidade que garante que o relacionamento será capaz de durar até a morte, e não a infidelidade. 

Esquecer estas verdades é um convite ao desastre.

Mude suas atitudes ou viva com as conseqüências.

A escolha é sua.

“Uma vitória dentro de nós é mil vezes mais gloriosa do que qualquer vitória fora de nós”. (Henry Ward Beecher)

Extraído do Livro Como Resolver Conflito no Relacionamento de Autoria de Silmar Coelho

Por Litrazini

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário