sexta-feira, 31 de julho de 2015

COMO É A HIERARQUIA NO REINO DAS TREVAS?

Imaginamos que o reino do mal seja uma bagunça, sujo e desorganizado, mas não é assim. Mesmo consciente de que é um derrotado, Satanás é altamente organizado.

EXISTE UMA HIERARQUIA INFERNAL.
O diabo comanda espíritos malignos organizados em vários grupos: principados e potestades, príncipes das trevas e hostes espirituais, cada um com sua incumbência. É isso que observamos em Efésios 6.11,12: Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

Assim como os príncipes, primeiros-ministros e presidentes de nações, os principados exercem autoridade sobre outros grupos de demônios que, por sua vez, comandam outros hierarquicamente inferiores.

As potestades representam outro nível na hierarquia, inferior ao dos principados, mas também muito poderoso, que comanda milhares de demônios.

Os príncipes das trevas são os demônios que comandam outros que agem em áreas específicas.

Enquanto os principados e potestades trabalham exclusivamente no mundo espiritual, para que o homem não veja a glória de Deus, não reconheça Jesus, os príncipes das trevas atuam diretamente contra o Reino de Deus e a Igreja.

As hostes espirituais da maldade são formadas por tropas, exércitos de demônios, que estão prontos para atacar a qualquer hora e em qualquer lugar onde a batalha for mais renhida. Essas entidades malignas são enviadas a todo instante contra pessoas, grupos ou nações. Exercem autoridade também sobre os homens perdidos e sobre aqueles que rejeitam Jesus.

O reino das trevas é tão organizado que não há divisão. Os demônios trabalham unidos. O próprio Jesus reconheceu isso em Mateus 12.25,26. Satanás é o príncipe deste século, e o mundo jaz no maligno.

Sabemos que somos de Deus e que todo o mundo está no maligno (1 João 5.19). O diabo tem muitos planos, mas o principal é matar o homem. O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir (João 10.10a).

O inimigo é tão terrível que pode transformar um simples fato em um caos na vida de qualquer pessoa. Contudo, não é onipotente. Mesmo não sendo todo-poderoso, ele tem alguns poderes. Quando caiu pela sua rebeldia, Lúcifer perdeu sua glória, mas não todo o seu poder.

Então, fique atento e permaneça firme em Cristo, orando, lendo a Sua Palavra e sendo fiel à Sua vontade.

Autor: Pr. Silas Malafaia

Por Litrazini

Graça e Paz


quinta-feira, 30 de julho de 2015

TUDO VAI DAR CERTO

CONFIA NO SENHOR E VOCÊ ESTARÁ SEGURO!

Isaías 46:9-10: ” Lembrem-se do que aconteceu no passado e reconheçam que só eu sou Deus, que não há nenhum outro como eu. Desde o princípio anunciei as coisas do futuro; há muito tempo, eu disse o que ia acontecer. Afirmei que o meu plano seria cumprido, que eu faria tudo o que havia resolvido fazer.”  

Esse é um dos textos mais abençoados da Bíblia e uma das mais ricas profecias. Sabe o motivo? Por que nesse texto o profeta Isaías subiu além da linha do tempo: ele entrou na prospecção da eternidade.

Toda vez que você entra no mundo espiritual, toda vez que você entra no louvor, na adoração e sente que invadiu a eternidade, você sente que está se movendo em um nível acima. Sabe o que aconteceu? Você subiu além da linha do tempo! E neste momento em que você está sob esta unção, não existe passado, não existe presente e não existe futuro. Somente o “agora”. E você se move no mundo Espiritual.

Você concorda que nós vivemos extremamente dentro do “hoje”? E viver dentro do “hoje” nos aprisiona. Quem vive o hoje se preocupa com o futuro! Diz sempre: Será que vai dar certo? Será que eu vou conseguir? Eu não tenho certeza! Meu Deus me ajuda!

Já o profeta inspirado por Deus, o Senhor, começa dizendo assim: “Lembrem-se do que aconteceu no passado e reconheçam que só eu sou Deus, que não há nenhum outro como eu.”.

Você concorda que a Bíblia raramente nos manda olhar pra traz? Aliás, o maior esforço do Senhor é dizer para esquecermos nosso passado e os pecados cometidos. Por quê? Porque o passado nos traz marcas, marcas trazem memórias, memórias congelam as dores que continuarão latentes. O texto diz: “Lembrem-se do que aconteceu no passado e reconheçam que só eu sou Deus”

Você deve vasculhar o seu passado, não para acusar alguém, mas para lembrar-se de quantas vezes Deus veio a intervir em sua vida!

E Deus diz assim: “Eu anuncio o fim desde o início, volta ao seu passado para lembrar que eu sou Deus na sua vida!” Sabe qual a maior necessidade do ser humano? Conhecer o final, porque no meio do processo é que estão os medos, as inseguranças, as incertezas. E o medo que trava suas ideias.

Eu, o profeta do Senhor digo a você que vai dar certo! Vai dar tudo muito certo. Sempre.

Confia no Senhor e você estará seguro!

Robson Rodovalho

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 29 de julho de 2015

O QUE É CRER EM DEUS?

A grande questão a ser respondida, no que tange à religião, não é se cremos ou não na existência de Deus, porque a tal respeito, os próprios demônios não precisam crer, pois sabem que Ele existe, e isto de nada lhes aproveita.

Além disso, o ponto de vista de Deus é o que conta, e não aquilo, que a humanidade por Ele criada, considera como verdade para responder a questões tais como as seguintes:
– Há vida após a morte física?
– Há realmente no homem um espírito eterno?
– Há um juízo divino sobre cada pessoa?

Todavia, enquanto o homem pensa de tal modo, Deus afirma na Bíblia, relativamente ao homem que:
– Foi criado à Sua imagem e semelhança, e por isso é dotado de um espírito.
– Contudo, este espírito está morto, porque não carrega nele, naturalmente, a vida de Deus, que pode ser obtida, somente pela fé em Jesus Cristo.
– Na condição de morto, o espírito está debaixo de uma condenação que é designada por morte eterna, ou impossibilidade de ser reconciliado com Deus e ganhar, assim, a vida eterna.

Deste modo, a oferta do evangelho aponta sobretudo para a obtenção desta vida eterna que há em Jesus Cristo. Mas não se deve pensar nela, como o ato de se achar o santo graal da eternidade, e beber nele o sorvo que fará com que se viva para sempre.

Porque para isto, não há qualquer necessidade, porque o espírito humano não pode ser aniquilado. Ou ele vai pro céu, ou para o inferno.

É a verdade curta e grossa, exposta claramente na Palavra divina.

Ou bênção eterna, ou maldição eterna. Ou salvação eterna, ou condenação eterna. Ou alegria e glória eternas, ou vergonha e horror eternos. É o que está na Bíblia, e deve ser declarado.

Então em todos estes questionamentos se interpõe ainda um pensamento final, quanto ao que se deve pensar sobre o que seja Deus e a Sua vontade.

Jesus veio para nos revelar a pessoa e a vontade de Deus Pai.

Está no Novo Testamento registrado que não se ama a Deus se não amamos Sua Palavra, Seus mandamentos.

Então a verdadeira fé em Deus, ou em Cristo, dá no mesmo, é fé na Sua Palavra revelada, tal como  ela se encontra registrada na Bíblia.

“Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;” (João 8.31)

Alguém dirá:
“Mas eu não creio nisto. Não creio que Jesus seja Deus. Não aceito os Seus mandamentos como sendo verdadeiros”

E daí, isto muda o céu? Muda o inferno? Muda a realidade? Muda a verdade?

O que penso não tem o poder de alterar um só milímetro tudo o que se refere ao desígnio e ao poder divino.

A morte física é coisa certa ou é uma quimera O que pensamos altera a realidade desta morte? E o que penso pode mudar o que se refere à morte espiritual e eterna?

Pr Silvio Dutra

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 28 de julho de 2015

A SALVAÇÃO É SOMENTE PELA FÉ OU PELA FÉ MAIS AS OBRAS?

Esta talvez seja a mais importante pergunta em toda a Teologia Cristã. Esta pergunta motivou a Reforma: a separação entre a igreja Protestante e a igreja Católica. Nesta pergunta está a diferença crucial entre o Cristianismo Bíblico e a maioria dos cultos “Cristãos”.

A SALVAÇÃO SE DÁ SOMENTE PELA FÉ OU PELA FÉ MAIS AS OBRAS? SOU SALVO APENAS POR CRER EM JESUS OU TENHO QUE CRER EM JESUS E FAZER CERTAS COISAS?

A questão da fé somente ou fé mais as obras se faz difícil por causa de algumas passagens bíblicas de difícil correlação. Compare Romanos 3:28, 5:1 e Gálatas 3:24 com Tiago 2:24. Há quem veja uma diferença entre Paulo (a Salvação é somente pela fé) e Tiago (a Salvação é pela fé mais as obras).

Na verdade, Paulo e Tiago, de maneira alguma, discordam entre si. O único ponto de discordância que alguns afirmam existir é a respeito da relação entre fé e obras. Paulo dogmaticamente diz que a justificação se dá somente pela fé (Efésios 2:8-9) enquanto Tiago aparentemente está dizendo que a justificação é pela fé mais as obras. Este aparente problema é resolvido ao examinarmos com precisão sobre o que discorre Tiago.

Tiago está negando a crença de que a pessoa possa ter fé sem produzir quaisquer boas obras (Tiago 2:17-18). Tiago está enfatizando o argumento de que a fé genuína em Cristo produzirá uma vida transformada e boas obras (Tiago 2:20-26). Tiago não está dizendo que a justificação se dá pela fé mais as obras, mas, ao invés disso, diz que a pessoa que é verdadeiramente justificada pela fé produzirá boas obras em sua vida. Se uma pessoa afirma ser crente, mas não produz boas obras em sua vida - então ela provavelmente não tem fé genuína em Cristo (Tiago 2:14, 17, 20, 26).

Paulo escreve o mesmo. O bom fruto que os crentes devem produzir em suas vidas é citado em Gálatas 5:22-23. Logo depois de nos dizer que somos salvos pela fé, não por obras (Efésios 2:8,9), Paulo nos informa que fomos criados para as boas obras (Efésios 2:10).

Paulo espera tanto de uma vida transformada quanto Tiago. “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (II Coríntios 5:17)!

Tiago e Paulo não discordam em seus ensinamentos sobre a salvação. Eles abordam o mesmo assunto sob diferentes prismas. Paulo simplesmente enfatizou que a justificação vem somente pela fé enquanto Tiago enfatizou o fato de que a fé em Cristo produz boas obras.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

segunda-feira, 27 de julho de 2015

A VEREDA DO CRISTÃO

Nossa, essa pessoa está falando comigo, Deus mostrou para ela tudo que eu estou passando!

Ihh!! Ela esta mandando ir pra frente; e agora? Vou ou não vou? Bom, já estou aqui mesmo, eu vou.

Que lindo!! Que alegria em meu peito! Quer dizer que agora Deus mora em meu coração, que sou outra pessoa?

Éh, nosso amigo entrou na vereda do céu, Que grande avenida tem pela frente, cheia de semáforos, cruzamentos, desvios, atalhos; Ahh se não fossem esses desvios e atalhos, tudo seria mais fácil.

Logo no início, o cruzamento do amor de Deus. Abraços, palavras de incentivo, amor, carinho, confraternização. Maravilhoso! Pena que não podemos ficar parado, por conta de gerar congestionamento.

CRUZAMENTO DOS DONS
Uma parcela da graça que recebemos de Deus na forma de dons e devemos gerenciá-los sabiamente, ou agir como administradores. Nossas dádivas divinas, ou dons espirituais, não nos são dadas para que as retenhamos conosco. São nossas para serem usadas no sentido de promover o reino de Deus no mundo presente.

É o Espírito Santo quem decide quem recebe os dons e, os distribui como quer. Em 1Co.12.4-10 lemos: “Ora, os dons são diversos... mas a manifestação do Espírito é concedida a cada um, visando a um fim proveitoso. Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. 

OLHA A PLACA DE INDICA O CRUZAMENTO DO FRUTO
O fruto do Espírito é o resultado da operação do Espírito na vida do salvo, o qual, ligado intimamente à vida de Jesus, produz em sua própria vida aquelas características preciosas da personalidade e dos sentimentos que havia em Jesus: “Pois nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal” - II Co.4.11. São qualidades do caráter de Deus que o Espírito Santo nos transmite quando confiamos em Jesus e obedecemos suas ordens.

O fruto é o que resulta da vida de plena comunhão com Cristo. Ao passo que os dons são dados, o fruto é gerado em nosso interior. O mais interessante é que os dons podem ser imitados, porem o fruto nunca o será; em seu todo é um e indivisível. Os dons identificam o que fazemos, e o fruto mostra o que somos, a saber: a alegria, amor, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e domínio próprio.

A AVENIDA ESTÁ FICANDO MAIS ESTREITA, MAS OLHA ESSE CRUZAMENTO É O DAS OBRAS DA CARNE
Enquanto o fruto do Espírito é um e indivisível, as obras da carne são mais de uma. As obras da carne podem ser caracterizadas como pecados da carne. Conforme Galatas 5.19 a 21, são elas: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. 

Quando o ser humano peca, quando faz alguma coisa que seja errada ou condenável pela Bíblia, nada estará fazendo contrária à sua natureza. Gritar, xingar, amaldiçoar, mentir, aproveitar-se da situação, roubar, e coisas tais, são inerentes à condição humana.

O natural é cometer pecado, e ter as obras da carne presentes em nossa vida. O sobrenatural é vencer a carne. “Os que andam em espírito, não se curvam aos desejos da carne” (Gl. 5.16)

Se não lutarmos contra a nossa natureza vil e perversa, seremos dominados por ela, e as obras da carne se farão presentes em nossa vida, isso significa que nosso espírito carnal dominará nosso ser. Então, o Espírito de Deus se entristece, deixando-nos um vazio, e uma angústia em nossas almas e em nossos corações.

O detalhe que não pode ser esquecido nessa vereda do cristão é que as obras da carne fazem desvios e ou atalhos que pode complicar e comprometer o sucesso dessa caminhada para o céu. Normalmente, esses desvios ou atalhos, além de atrasar trazem muita dor sofrimento, impedindo o cumprimento dos propósitos e promessas de Deus em nossa vida.

A avenida virou rua, ficou estreita e escura? Tá doendo?

Qual será o atalho que você pegou? Será  o do orgulho da soberba, da desonra...?

Mas ainda há tempo, basta arrepender-se, confessar o pecado, pedir perdão ao Senhor e voltar para a vereda do cristão. 1João.1.9  Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.

Lidiomar T. Granatti

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 26 de julho de 2015

A BELA ARTE DE ERRAR

Acontece a todos nós. Professores e alunos. Policiais e criminosos. Chefes e secretarias. Pais e filhos. Os diligentes e os preguiçosos. Nem mesmo os presidentes estão imunes. Os chefes de nossa corporação que ganham salários de seis algarismos. O mesmo se verifica com os arquitetos bem-intenciona­dos e os construtores que trabalham duro e os engenheiros de pensamento claro. . . para não mencionar os profissionais da bola, os políticos e os pregadores.

O quê? Errar? Sim, fazer coisas erradas, ge­ralmente com a melhor das intenções. E isso acontece com notável regularidade.

Sejamos objetivos: o sucesso é superestima­do. E todos nós o desejamos a despeito da prova diária de que o pendor real do homem reside em direção bem oposta. Realmente, somos profissionais da incompetência.

O que me leva a uma pergunta fundamental que tem estado ardendo dentro em mim por me­ses. Por que nos surpreendemos quando vemos a incompetência em outros e nos devas­tamos quando ela ocorre em nós mesmos?

Mostre-me quem inventou o perfeccionis­mo e garanto que ele é um roedor de unhas com um rosto cheio de tiques. . . cuja esposa tem horror quando o vê entrar em casa. Além do mais, ele perde o direito de ser respeitado porque ou é culpado de não admitir que errou, ou se tornou um especialista em cober­tura.

Pode acontecer com você. Pare e pense nos meios como certas pessoas conseguem evitar de confessar suas falhas. Os médicos podem sepultar seus erros. Os erros dos advogados calam-se na prisão — literalmente. Os erros dos dentistas são extraídos. Os erros dos enca­nadores são entupidos. Os carpinteiros transformam os seus em serragem. Gosto do que li numa revista recentemente:

E tem havido alguns erros notáveis!.
O que dizer daquela famosa torre na Itália? A "torre inclinada", quase seis metros fora da linha perpendicular. O cara que planejou aquele alicerce de somente dez metros de profundidade (para um edifício de 56 metros de altura) não possuía o maior cérebro do mundo. Que acha você de ter arrolado no currículo de sua vida profissional "Desenhou a Torre Inclinada de Pisa"?

Dentre os muitos desregrados e malucos relatórios estão coisas tais como a menos bem-sucedida previsão do tempo, o pior computa­dor, a mais enfadonha preleção, a menor de todas as audiências, o mais feio edifício já construído, a mais caótica cerimônia de casamento, e algumas das piores declarações. . que a posteridade provou estarem erradas. Algumas dessas declarações foram, por exem­plo:

A única coisa que podemos agradecer quando se trata de errar é que nin­guém guarda um registro dos nossos erros. Ou guardam? Ou você guarda o dos outros? Não se você leva o encorajamento a sério.

Vamos lá, acalme-se. Se nosso gracioso Se­nhor é suficiente para remover o que temos de pior, de mais feio, de mais enfadonho, de menos bem-sucedido, nossos fracassos de tor­re inclinada, e perdoa-os sepultando-os nas profundezas do mar do es­quecimento, então está na hora de darmos aos outros uma oportunidade.

Com efeito, ele promete plena aceitação juntamente com pleno perdão em forma impressa para que todos leiam. . . sem anexar folha de errata. Não é isso encorajador?

Não podemos ser esse tipo de encorajador para algum outro?

Afinal de contas, a imperfeição é uma das poucas coisas que ainda temos em comum. Ela vincula-nos à mesma família!

Assim, quando um de nós errar e não puder ocultá-lo, que tal um pouco de apoio por parte daqueles que ainda não foram apanhados?

Opa, correção. Que tal bastante apoio?

Extraído do livro Dê-me ânimo de Charles R. Swindoll

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 25 de julho de 2015

A GLÓRIA DE DEUS E A BENÇÃO PARA O HOMEM

"Atribuam ao Senhor a glória que o seu nome merece; adorem o Senhor no esplendor do seu santuário." Salmos 29:2

Havia no meu quintal um abacateiro que produzia pouquíssimos frutos. 

Por acreditar que uma árvore frutífera precisa ser produtiva, pedi a Deus que abençoasse aquele abacateiro permitindo-lhe frutificar bastante. 

A florada aconteceu e o abacateiro se encheu de centenas de frutinhos. 

Quando eles já estavam grandes, para surpresa minha, o galho central, com 69 abacates, quebrou. 

Um outro galho também, por não suportar o peso, acabou caindo, levando tantos outros frutos. 

Fiquei perplexo! 

Deus havia permitido que o abacateiro ficasse recheado de frutos e logo depois quebrasse, sem que eu os aproveitasse.

Por quê? 

A resposta veio logo. 

Nem sempre temos estrutura para suportar o tamanho da bênção que pedimos a Deus.

Por isso, muitas vezes precisamos esperar algum tempo para recebê-la. 

Ela só virá quando nossa vida estiver profundamente enraizada no terreno fértil da fé em Jesus Cristo, enrijecida pela leitura constante da Palavra de Deus, fortalecida pela seiva da oração e produzindo os frutos abundantes da presença de Deus em nós. 

Assim, na certeza de que a glória não é nossa, mas do Senhor Jesus, não sucumbiremos ao volume da bênção. .

Será que estamos preparados para receber a bênção que pedimos a Deus?

Autor Desconhecido

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 24 de julho de 2015

NÃO UM APARENTE FRACASSO, MAS UMA ESCOLHA DELIBERADA

E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo, diziam: Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se (Mateus 27:41-42).

Em geral, as pessoas normais têm respeito suficiente para não zombar de alguém prestes a morrer. Mas quando o Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, estava na cruz sofrendo dores atrozes, ele foi alvo do escárnio humano.

E não eram os soldados nem o povo de classe inferior que zombavam, e sim os líderes religiosos!

Eles eram testemunhas oculares de como o Senhor Jesus havia salvado outras pessoas, mas apesar de verem os milagres, jamais admitiram que o poder de Deus era a fonte deles, ao contrário, disseram que tais obras foram feitas pela influência demoníaca (Mateus 12:24), simplesmente porque se recusaram a reconhecer o Senhor Jesus como o Messias prometido.

Poucas horas antes, o Senhor Jesus fizera dezenas de homens que tinham ido prendê-Lo caírem por terra apenas com uma frase: “Sou eu” (João 18:6). Mas naquele momento, eles o tinham em suas mãos. E por que o Senhor Jesus não usou seu poder?
A resposta é: se o Senhor Jesus tivesse Se livrado da cruz, nós jamais seríamos salvos.

Ele sabia que era o Único capaz não apenas de suportar o escárnio dos homens, mas principalmente a ira de Deus em nosso lugar.

“Por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida” (Romanos 5:18)
.
O Senhor Jesus escolheu executar a obra da nossa redenção; ele escolheu Se sacrificar para nos salvar! “O Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la” (João 10:17-18).

Honra e glória ao Cordeiro de Deus!

Extraído do devocional BOA SEMENTE

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quinta-feira, 23 de julho de 2015

QUALQUER UM PODE ENTENDER A BÍBLIA CLARAMENTE

Um rapaz de dezessete anos foi a um culto, certo dia, a conselho de um vendedor de sapatos, que o havia levado a Cristo, e lhe dissera da necessidade de conhecer melhor o Salvador que acabava de aceitar.

Após o período de louvor, o pregador disse: "Abramos a Bíblia agora em Segundo Timóteo 5:12."

O jovem convertido abriu na primeira página da Bíblia que seu amigo lhe dera, e começou a folheá-la por Gênesis, Êxodo, Deuteronômio e Josué, e vários outros livros, sem encontrar Timóteo.

Voltou ao índice, e observou que 2 Timóteo encontrava-se na página 325. Quando abriu nesse número encontrou o livro de Josué.

Olhou novamente no índice, e percebeu que a Bíblia tinha duas grandes divisões, e que Timóteo achava-se na segunda.

Quando afinal encontrou o texto, o pastor já havia terminado o sermão.

Desnecessário é dizer que ele estava envergonhado e um pouco confuso.

Será que você já se sentiu assim?

Não fique desanimado. A maioria dos crentes novos começa desse modo. Apesar daquele início tão pouco auspicioso, aquele jovem sentiu um grande desejo de conhecer melhor a Bíblia. Anos depois, ele se tornou um famoso pregador, que levou a Cristo um milhão de pessoas. No fim de sua vida, fundou um instituto bíblico que ainda hoje prepara cerca de 1200 jovens todos os anos, na Palavra de Deus.

O nome dele era Dwight L. Moody. Poucos homens igualaram a contribuição de Moody para a cristandade. Mas ele próprio nunca teria realizado o que realizou se não houvesse se disposto a estudar a Palavra de Deus.

Embora não saibamos que método ele utilizou para estudar a Bíblia, sabemos que não recebeu um treinamento em escola bíblica; a maior parte de seus conhecimentos ele adquiriu por si mesmo.

Nosso sucesso ou fracasso na vida cristã depende da quantidade de conhecimento bíblico que armazenamos em nossa mente, com regularidade, e de nossa obediência às suas verdades.

É certo que uma pessoa pode ir para o céu sabendo pouco mais que João 3:16, ou Romanos 10:9, 10, pois esse maravilhoso dom de Deus, que é a salvação, é tão gratuito, que tudo que precisamos fazer é recebê-lo pela fé (Jo 1:12).

Mas se desejarmos ser crentes felizes e vitoriosos, teremos que nos alimentar regularmente da Palavra de Deus, e isso requer aplicação de nossa parte. Quanto mais nos dedicarmos a isso, tanto mais rápido e melhor cresceremos na vida espiritual. E descobriremos depois que vale muito a pena o preço que temos que pagar.

Jesus enunciou a fórmula do sucesso pessoal, quando afirmou: "Ora, se sabeis estas cousas, bem-aventurados sois se as praticardes" (Jo 13:17). 

A felicidade, portanto, resulta de se conhecer a vontade de Deus revelada na Bíblia, e obedecê-la.

O problema de muitos crentes é que não se aplicam ao estudo dos princípios bíblicos, e por isso não sabem o que Deus espera deles.

Não é de se admirar que não recebam todas as bênçãos da vida cristã.

Extraído do Livro COMO  ESTUDAR  A  BÍBLIA  SOZINHO de autoria de Tim LaHaye

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 22 de julho de 2015

O QUE É SALVAÇÃO? QUAL É A DOUTRINA CRISTÃ DA SALVAÇÃO?"

Salvação é a libertação do perigo ou sofrimento. Salvar é libertar ou proteger.

A palavra carrega a idéia de vitória, saúde, ou preservação.

Às vezes, a Bíblia usa palavras como salvo ou salvação para se referir à libertação temporária e física, tal como a libertação de Paulo da prisão (Filipenses 1:19).

O uso mais frequente da palavra salvação tem a ver com libertação eterna e espiritual. Quando Paulo disse ao carcereiro de Filipo o que ele precisava fazer para ser salvo, Paulo estava se referindo ao destino eterno do carcereiro (Atos 16:30-31).

Jesus igualou ser salvo com entrar no reino de Deus (Mateus 19:24-25).

SOMOS SALVOS DE QUÊ?
Na doutrina Cristã da salvação, somos salvos da “ira”; quer dizer, do julgamento de Deus sobre o pecado (Romanos 5:9; 1 Tessalonicenses 5:9). Nosso pecado nos separou de Deus, e a consequência do pecado é morte (Romanos 6:23).

Salvação bíblica se refere à libertação da consequência do pecado e envolve, portanto, remoção do pecado.

QUEM PODE SALVAR?
Só Deus pode remover pecado e nos livrar da penalidade do pecado (2 Timóteo 1:9; Tito 3:5). 

COMO DEUS SALVA?
Na doutrina Cristã da salvação, Deus nos resgatou através de Cristo (João 3:17).Especificamente, foi a morte de Jesus na cruz e subsequente ressurreição que alcançou nossa salvação (Romanos 5:10; Efésios 1:7).

A Bíblia é clara que salvação é um gracioso dom de Deus que não merecemos (Efésios 2:5,8), e é disponível apenas através de fé em Jesus Cristo (Atos 4:12).

COMO RECEBEMOS SALVAÇÃO?
Somos salvos por fé. Primeiro, precisamos escutar o evangelho – a boa nova da morte e ressurreição de Cristo (Efésios 1:13). Então, precisamos acreditar – confiar completamente no Senhor Jesus (Romanos 1:16). Isso envolve arrependimento, uma mudança de mentalidade sobre pecado e Cristo (Atos 3:19) e invocar o nome do Senhor (Romanos 10:9-10, 13).

Uma definição da doutrina Cristã da salvação seria: “A libertação espiritual e eterna que Deus concede imediatamente a aqueles que aceitam Suas condições de arrependimento e fé no Senhor Jesus”.

Salvação só é possível através de Jesus Cristo (João 14:6; Atos 4:12), e depende de Deus para a sua provisão, garantia e segurança.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 21 de julho de 2015

ACERTE SEU RELÓGIO COM O RELÓGIO DE DEUS

"... tendo sido impedidos pelo Espírito Santo de pregar a palavra na Ásia... à noite, sobreveio a Paulo uma visão, na qual um homem macedônio estava em pé e lhe rogava: passa a Macedônia e ajuda-nos”. Atos 16:6-10

Não devemos entender, com base nesse texto, que Deus não queria que o povo da Ásia ouvisse a sua Palavra. Tanto é assim que o apóstolo Paulo, depois, abriu várias Igrejas na Ásia, como a Igreja dos Gálatas, dos Efésios, dos Coríntios, e outras. Apenas não era a sua prioridade no momento para o ministério de Paulo, pois havia uma necessidade maior na Macedônia.

Dentro do grande universo da obra de Deus aqui na terra, precisamos descobrir as prioridades que estão no seu coração e, para isso:

PRECISAMOS LER A “AGENDA” DE DEUS
Nada havia de errado em pregar o evangelho na Ásia, fosse aos gálatas ou aos de Bitínia, mas não era isso que estava na “agenda” de Deus para aquele momento.

Para sermos bem sucedidos naquilo que fazemos, precisamos estar atentos à agenda de Deus.

PRECISAMOS ACERTAR NOSSO RELÓGIO COM O “RELÓGIO” DE DEUS
Paulo, quando leu na agenda de Deus qual a tarefa do dia, não esperou nem mais um minuto: partiu imediatamente.

Resultado: Lídia e toda a sua família foram salvos, uma jovem adivinhadora foi liberta dos demônios, um carcereiro e toda sua família conheceram a Jesus. Estava fundada a Igreja dos Filipenses, que foi a mais elogiada pelo apóstolo Paulo, dentre todas as suas cartas.

Nosso relógio não pode estar atrasado em relação ao de Deus. Precisamos agir no tempo de Deus!

PRECISAMOS VER COM OS “OLHOS” DE DEUS
 Paulo teve uma visão, dada por Deus, de um macedônio que lhe clamava por ajuda. Naquele momento ele viu com os olhos de Deus, e soube qual era a sua prioridade: alguém que clamava por socorro.

Precisamos pedir as visões de Deus para nossa vida, senão gastaremos nosso tempo e energia naquilo que não é a Sua prioridade.

Muita coisa precisa ser feita, mas Deus tem uma ordem de prioridades que precisa ser seguida. Ele pode nos mostrar, não um macedônio, mas talvez uma criança de rua clamando por um pedaço de pão, um alcoólatra clamando por libertação, uma mulher chorando por seu filho, um pai desempregado e em desespero.

Qual é a prioridade de Deus para nossa vida?

Em que área ele quer nos usar?

Busquemos visões de Deus.

Gerson Moura Martins

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 19 de julho de 2015

FIDELIDADE – POR QUE AS PESSOAS TRAEM?

“Jardim fechado… Eu sou um muro, e os meus seios como as suas torres; sendo eu assim, fui tida por digna da confiança do meu amado”. (Cant. 4.12; 8.10; 1Co.7.2-5)

Quem ama não trai. Com certeza não existe maior traição da confiança do que a infidelidade conjugal. POR QUE PESSOAS TRAEM? (Segundo o terapeuta norte-americano Alert Ellis).

CAUSAS NÃO-NEURÓTICAS:
- Insatisfação sexual no casamento que pode levar a busca de compensação.
- A perda de atração pelo companheiro (a). O desejo sexual vai ficando reprimido e as fantasias vão se multiplicando até levar ao adultério.
- A excessiva absorção no trabalho, pode produzir no outro uma sensação de rejeição e abandono.
- O tédio, que vem da repetição, da rotina e que gera indiferença sexual e emocional.
- Extensos períodos de ausência.
- A pressão do estar longe de casa durante longos períodos de tempo pode ser esmagadora.
- Doenças físicas de vários tipos. Gestações sucessivas.

CAUSAS NEURÓTICAS:
- OS “MIMADOS” – são aqueles que acreditam que precisam de tudo o que desejam. Encaram caprichos temporários com necessidades básicas. Os casos nunca correspondem sua expectativas, que são, aliás, irreais (ex: a síndrome do fim de semana perfeito, do sexo perfeito).
- OS “NARCISISTAS”- eles se consideram irresistíveis, têm uma necessidade constante de reconhecimento e admiração, uma enorme preocupação consigo mesmos e uma total incapacidade de corresponder. Adultério para eles é uma experiência de auto engrandecimento.
-  OS “OS FUJÕES” – são aquelas pessoas que estão fugindo não apenas de si mesmas, mas da própria vida.
- OS “IMATUROS”­ – são os que através da infidelidade procuram afirmar, provar eternamente sua masculinidade ou feminilidade. A vida se transforma num teste contínuo de sedução. A mola propulsora desse comportamento é ansiedade.
- OS “INSEGUROS” – são pessoas que se auto desvalorizam, não se respeitam e não têm auto estima. Usam o adultério como fuga.
- OS “VAZIOS” – são os que sofrem de um grande vazio existencial e se recusam a dar um sentido para a própria vida. Estes vão tendo relacionamento promíscuos para encobrir a falta de nexo dentro de si mesmos.
- OS “VINGATIVOS”- São os que traem tendo como motivação um sentimento de vingança.

A fidelidade conjugal da segurança ao casamento e garante a bênção de Deus na vida do casal.

Veja o a Palavra de Deus diz: “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros”.(Hb. 13:4)

Na verdade, o adultério é a manifestação da necessidade de cura, libertação interior.

Extraído do livro: “Casais Debaixo da Graça” – Pr. Josue Gonçalves

Por Litrazini

Graça e Paz

DEUS É POR VOCÊ

A adoração não consiste apenas numa expressão de louvor a Deus; é, sobretudo, uma vida dedicada a agradar ao Senhor, o que implica renúncia. E uma das coisas fundamentais na vida de um adorador é confiar plenamente no Senhor, acreditando na Sua Palavra e colocando em prática a fé, independente das circunstâncias.

Deus se agrada de um coração confiante e deseja que você seja totalmente dependente dele. 

Em Hebreus 13.5,6, somos encorajados: Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei. E, assim, com confiança, ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei o que me possa fazer o homem.

O Senhor é o seu ajudador! Você precisa acreditar que, até mesmo antes de passar por adversidades, já existia um escape, uma resposta, uma porta aberta para você.

Não fique olhando para sua situação atual, achando que nada mudará. A adversidade pela qual você está passando hoje não irá derrotá-lo. Olhe para as circunstâncias adversas como degraus que o levarão ao amadurecimento espiritual e ao fortalecimento da sua fé.

Adore ao Deus vivo até mesmo na dor, porque quem o sustenta e intercede por você é o Senhor. 

A vida é feita de momentos. Tudo nesta vida é passageiro, mas existe a Palavra, e as promessas do Senhor jamais passarão. A palavra de vitória já foi liberada por Deus para você. Tome posse disso, pois tudo o que acontecer daqui para frente será de acordo com a sua fé. Você precisa crer! Você pode acreditar na sua vitória porque:

1) Deus é por você e jamais o abandonará;
2) foi Ele quem determinou a sua vitória, é Ele quem garante o seu milagre;
3) Ele tem todo o poder; é Ele quem faz, e não o homem.

O fardo maior não está mais sobre você. Foi levado por Jesus na cruz. O preço da sua salvação já foi pago por Ele. Você pode estar vivendo um tempo de dúvidas e incertezas, questionando-se: “O que vou fazer? Como vou fazer? O que vai ser de mim?”. Se este é o seu caso, posicione-se de modo diferente. Indague a si mesmo: “Não foi Deus quem me criou com um lindo propósito? Não é Ele quem me tem sustentado até aqui? Não foi Ele quem prometeu? Então, Ele fará!”.

Em 2 Coríntios 12.9,10, Deus disse a Paulo: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Agora, atente para a reação do apóstolo: De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte.

Paulo entendeu o segredo de depender do Senhor. Entenda-o você também, e achegue-se a Deus com um coração confiante na ajuda dele, pois, ainda que você não saiba como agir, Ele sabe e pode orientá-lo! Você pode não ter os recursos, mas Ele tem. Você é fraco, mas Ele é forte. Acredite: Deus é por você!

Raquel Malafaia

Por Litrazini

Graça e Paz