sábado, 31 de dezembro de 2016

RELACIONAMENTOS

Você é preciosa, especial e única para Deus. Não importa o que tenha feito ou o que fizeram com você, Deus tem um grande futuro para sua vida. Ele a ama de forma perfeita, mas não força ninguém a receber o Seu amor. Essa é uma escolha pessoal. Você tem que crer, aceitar e confiar no amor de Deus diariamente. 

Mesmo quando cometemos erros e sabemos que não merecemos esse amor, ainda assim Ele o derrama sobre nós para que possamos desfrutar da plenitude que deseja para nossas vidas.

Faça esta oração: Deus, eu sei que o Senhor me ama, e eu recebo o Seu amor e vou caminhar nele hoje e todos os dias da minha vida. Vou desfrutar deste amor, porque sei que o Senhor me ama. Mesmo que eu não mereça, o Senhor torna tudo melhor. 

O amor de Deus em sua vida levará você rumo à vitória. Mesmo quando todos os poderes e principados do inferno parecerem se unir contra você, o amor de Deus a conduzirá em meio às tempestades da vida para um lugar de paz e calma. Você será sempre mais que vencedora, tendo atitudes de quem é amada, aceita e valorizada por Deus.

Confesse todos os dias: Deus, eu sei que sou amada. Sei que tenho o Seu favor e que o Senhor me concede este favor também diante dos homens.

Aprenda a caminhar no favor de Deus como Ester, Rute, Abigail, Débora, Maria, Isabel, Lídia, Dorcas, entre outras mulheres que o seguiram e que são inspiração e exemplo para nós. 

Coloque o Senhor como parceiro em sua trajetória. Ele sempre terá uma recompensa em mente para você, e suas bênçãos se multiplicarão a cada ano em sua vida.

O Espírito do Senhor Deus está sobre mim; porque o Senhor me ungiu e me qualificou para pregar o Evangelho das Boas Novas aos humildes, aos pobres e aflitos; Ele enviou-me a por ligaduras e a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos [física, espiritual e emocional]; e a abertura das prisões e dos olhos daqueles que estão algemados, a proclamar o ano aceitável do Senhor [o ano do seu favor]..., e a pôr [consolação e alegria] sobre os que em Sião estão de luto, ornamento de beleza [uma coroa ou diadema] em vez de cinza; óleo de alegria em vez de pranto, veste expressiva de louvor, em vez de espírito enfraquecido, oprimido e abatido (Isaías 61.1-3, adição da autora).

Tome posse das promessas do Pai, e você viverá um novo tempo de paz, prosperidade e alegria na presença do Senhor. E mais: atrairá pessoas para o Reino de Deus e deixará um legado positivo para muitas pessoas nesta e nas futuras gerações.

Dra. Elizete Malafaia

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

ENTENDIMENTO

Entendimento é melhor do que conhecimento.

Muita gente pode lhe conhecer sem lhe entender, mas ninguém pode lhe entender sem lhe conhecer. Quem lhe entende fica feliz por quem você é.

Compreendeu que erros são excelentes professores quando aprendemos com eles.

Não tenha vergonha de confessar seus erros, voltar atrás e corrigi-los.

Quando estiver errado, admita, corrija e mude. Quando estiver certo, não perca tempo discutindo; fique quieto e persiga a verdade.

Seja humilde o bastante para entender que não é melhor do que ninguém, é sábio o bastante que é diferente de todos.

Ser diferente não é um erro; erro é desejar ser quem não é.

No entanto, respeite a todos; ninguém se torna melhor fazendo com que os outros pareçam piores.

Não seja teimoso, a não ser para alcançar objetivos. Porém, seja flexível quanto aos métodos para alcançá-los.

Quem não muda, para no tempo e fica para trás.

Sabedoria não é fruto de estudos, é uma constante jornada de vida, procura, correção e transformação.

"Feliz o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento; porque melhor é o lucro que ela dá do que o da prata, e melhor a sua renda do que o ouro mais fino" ("Provérbios 3:13-14). 

Dr. Silmar Coelho

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

PORQUE TEM O REINO DE DEUS PRIORIDADE SUPREMA?

Buscai primeiro o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Lucas 12:31

É fácil de perceber porque Jesus diz: BUSCAI PRIMEIRO... se toda a vida humana, tanto no presente como no futuro está determinada pela opção que o individuo faz, a favor ou contra o Reino de Deus, esta determinação de Jesus revela que é uma questão de vida ou morte. Não há razão para deixar para depois, é urgente, deve ser feito agora.

A verdade é que a pessoa determinada por sua decisão pessoal se viverá ou não no Reino de Deus, não importa a época em que venha de forma visível. Cada um tem que tomar a decisão no tempo que se chama hoje, pois dela depende fundamentalmente a sua salvação .

Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado (Hb 3.13)

Fica assim claro que Jesus considera como coisa secundária a preocupação com comida, bebida, roupa, etc. estas coisas não podem ocupar a preocupação dos seguidores de Jesus como mais importantes da vida. Embora sejam necessárias. De uma forma ou de outra, mais a uns, menos a outros, mas a todos distribui o indispensável para a vida.

Quem perde tempo preocupando em demasia com estas coisas, não consegue perceber os desafios que o Reino de Deus faz, e fracassa.

Jesus jamais barateia a entrada no Reino. (ele não faz liquidação). Trata-se de algo a ser alcançado por meio de luta (Mt 11.22), que só se consegue atravessando uma porta estreita e andando por um caminho apertado. (Mt 7.13-14).

A justiça dos que pretendem entrar no Reino de Deus tem que ser superior à dos escribas e fariseus (Mt 5.20), os mais ferrenhos e minuciosos cumpridores dos mandamentos no tempo de Jesus.

Os que se preocupam com as necessidades de cada dia e nisto desperdiçam o seu tempo, ficarão surpresos, quando na vinda do Reino, ao ser-lhes apontado “o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos”, já que nunca socorreram aos que tinham fome, sede, nudez, enfermidades, ou andavam sem ter onde se hospedar os estavam presos (Mt 25.41.46).

Esta é a simples e fundamental razão porque Jesus coloca acima de todas as coisas o seu imperativo de preocupação com o Reino de Deus.

Transcrito Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE A IRA?

Lidar com a ira é um tópico muito importante. Um conselheiro experiente disse que 50% das pessoas que vieram ao seu consultório para aconselhamento tinham problemas com ira. Ela pode destruir a comunicação e acabar com relacionamentos, além de arruinar a alegria e saúde de muitos.

É muito comum que pessoas tentem justificar sua ira, ao invés de aceitar a responsabilidade por seu comportamento. Há um tipo de ira que a Bíblia chama de indignação justa, mas ela não deve ser confundida com a ira da qual estamos falando aqui. 

EM PRIMEIRO LUGAR, IRA NEM SEMPRE É UM PECADO.
Deus é raivoso (Salmo 7:11; Marcos 3:5), e os crentes são comandados a se irarem (Efésios 4:26). Duas palavras gregas são usadas no Novo Testamento para a nossa palavra “ira”. Uma (orge) significa “paixão, energia”; a outra (thumos) significa “agitado, fervendo”. O dicionário Webster define a ira como “emoção excessiva, paixão despertada por um sentimento de injustiça ou erro”; essa injustiça pode ter sido contra nós ou outra pessoa.

Biblicamente falando, a ira é uma energia dada por Deus para nos ajudar a resolver problemas. Exemplos de ira bíblica incluem Paulo confrontando Pedro por causa de seu mau exemplo em Gálatas 2:11-14, Davi estando chateado ao escutar o profeta Natã narrando sua injustiça (2 Samuel 12) e Jesus ficando irado pela forma em que alguns judeus tinham defamado o louvor no templo de Deus em Jerusalém (João 2:13-18). Note que nenhum desses exemplos de ira envolveram auto-defesa, mas defesa de outras pessoas ou de um princípio.

No entanto, a ira se torna um pecado quando é causada por motivos egoístas (Tiago 1:20), quando o objetivo de Deus é destorcido (1 Coríntios 10:31), ou quando a ira permanece por muito tempo (Efésios 4:26-27). Ao invés de usar a energia gerada pela ira para atacar o problema em mão, a pessoa é que acaba sendo atacada.

Efésios 4:15, 19 diz que devemos falar a verdade em amor e crescer em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, e não permitir com que palavras insensíveis ou destrutivas saiam de nossas bocas.

Infelizmente, esse falar venenoso é uma característica comum do homem pecador (Romanos 3:13-14). A ira se torna um pecado quando permitimos com que transborde sem limites, resultando em um cenário no qual todos presentes se machucam (Provérbios 29:11), devastando tudo e todos, com consequências irreparáveis.

A ira também se torna um pecado quando o que está irado se recusa a se acalmar, e acaba guardando rancor ou mágoas dentro de si (Efésios 4:26-27). Isso pode causar depressão e irritabilidade com qualquer coisinha, geralmente com coisas que não tinham nada a ver com o problema original. 

PODEMOS LIDAR COM A IRA DE UMA FORMA BÍBLICA:

1) AO RECONHECER E ADMITIR QUE NOSSA IRA E A FORMA NA QUAL LIDAMOS COM ELA SÃO EGOÍSTAS (Provérbios 28:13; 1 João 1:9). Essa confissão deve ser a Deus e àqueles que se machucaram como resultado de nossa ira. Não devemos minimizar esse pecado e dizer que “as coisas esquentaram um pouco o outro dia” ou ao tentar transferir a culpa: “bem, se você não tivesse agido do jeito que agiu...”

2) AO VER QUE DEUS TEM CONTROLE SOBRE TUDO.
Isso é de grande importância especialmente quando outras pessoas fizeram algo para nos ofender especificamente. Tiago 1:2-4; Romanos 8:28-29 e Gênesis 50:20 apontam ao fato de que Deus é soberano e em total controle sobre TODAS as cirscunstâncias e pessoas que cruzam nosso caminho. Nada acontece conosco que Ele não permite.

E assim como todos esses versículos ensinam, Deus é um Deus BOM (Salmo 145:8,9,17) que faz coisas boas e usa todas as coisas em nossas vidas para o nosso bem e para o bem daqueles que estão ao nosso redor! Refletir nessa verdade até que penetre nossas cabeças e corações vai influenciar como reagimos com aqueles que nos machucaram muito. 

3) AO DAR ESPAÇO PARA A IRA DE DEUS.
Isso é especialmente importante em casos de injustiça, especialmente quando executados por homens “malignos” a pessoas “inocentes”. Gênesis 50:19 e Romanos 12:19 nos dizem que não devemos fazer o papel de Deus. Deus é correto e justo, e podemos confiar que Aquele que conhece tudo e vê tudo vai agir justamente (Gênesis 18:25). 

4) AO NÃO RETORNAR MAL AO INVÉS DO BEM (Gênesis 50:21; Romanos 12:21).
Isso é de grande importância para converter nossa ira em amor. Assim como as nossas ações se originam em nossos corações, assim também nossos corações podem ser alterados por nossas ações (Mateus 5:43-48). Isso quer dizer que podemos mudar nossos sentimentos em relação a uma pessoa ao mudar como escolhemos agir ao redor dessa pessoa. 

5) AO ESCOLHER SE COMUNICAR BEM PARA RESOLVER O PROBLEMA. Há quatro regras básicas para comunicação, de acordo com Efésios 4:15,25-32:
a) Seja honesto no seu falar (Efésios 4:15,25). As pessoas não podem ler nossas mentes. Fale a verdade EM AMOR. 
b) Não acumule (Efésios 4:26-27). Não devemos permitir que o que está nos incomodando acumule até que finalmente perdemos o controle. Compartilhar e lidar com o que está nos incomodando antes de chegar a esse ponto é muito importante. 
c) Ataque o problema, não a pessoa (Efésios 4:29,31). Devemos manter o volume de nossa voz baixo (Provérios 15:1). Gritaria é geralmente considerada uma forma de ataque. 
d) Aja, não reaja (Efésios 4:31-32). Por causa de nossa natureza pecaminosa, nosso primeiro impulso é geralmente pecaminoso (verso 31). O tempo que passamos “contando até dez” deve ser usado para refletir em uma resposta que agrada a Deus (verso 32) e para nos lembrar que a ira deve ser usada para resolver problemas, não para criar outros problemas maiores. 

6) Em último lugar, DEVEMOS FAZER A NOSSA PARTE PARA RESOLVER O PROBLEMA (Atos 12:18).
Não podemos controlar como outras pessoas vão responder, mas podemos cuidar do que deve ser mudado da nossa parte. Superar um temperamento explosivo não vai acontecer da noite para o dia.

No entanto, através de orações, estudos Bíblicos e dependência do Espírito Santo de Deus, podemos ter vitória. Assim como talvez nós deixamos com que a ira fizesse parte de nossas vidas através de prática habitual, também precisamos praticar responder da forma correta até que se torne um novo hábito que substitui os velhos hábitos. Leia a seguir alguns versículos do livro de Provérbios que lidam com o tópico da ira:
6:34 - ... porque o ciúme enfurece ao marido, que de maneira nenhuma poupará no dia da vingança.

14:17 - Quem facilmente se ira fará doidices; mas o homem discreto é paciente.
14:29 - Quem é tardio em irar-se é grande em entendimento; mas o que é de ânimo precipitado exalta a loucura.
15:1 - A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.
15:18 - O homem iracundo suscita contendas; mas o longânimo apazigua a luta.
16:32 - Melhor é o longânimo do que o valente; e o que domina o seu espírito do que o que toma uma cidade.
19:11 - A discrição do homem fá-lo tardio em irar-se; e sua glória está em esquecer ofensas.
19:19 - Homem de grande ira tem de sofrer o castigo; porque se o livrares, terás de o fazer de novo.
22:24,25 - Não faças amizade com o iracundo; nem andes com o homem colérico; para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma.
27:4 - Cruel é o furor, e impetuosa é a ira; mas quem pode resistir à inveja?
29:8 - Os escarnecedores abrasam a cidade; mas os sábios desviam a ira.
29:22 - O homem iracundo levanta contendas, e o furioso multiplica as transgressões.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

A FÉ CRISTÃ

A fé é um dos principais fundamentos da religião cristã. Todo homem possui a capacidade de crer. A Bíblia define a fé nestes termos: A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das que não se vêem.Porque por ela os antigos alcançaram testemunho.Hebreus11:2.

1- A FÉ CRISTÃ BASEIA-SE NAS SAGRADAS ESCRITURAS. A BÍBLIA.

a- Jesus Cristo sempre citou a Bíblia.  … E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus… Lucas 4: 1-13

b- Jesus Cristo sempre atestou a superioridade das Sagradas Escrituras. Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. Mat. 22:29; Mateus, 24:35; João 5:39; João 10:35; II Timoteo 3:16.

2- JESUS CRISTO É O AUTOR E O CENTRO DA FÉ CRISTÃ.

a- Ele é antes de todas as coisas. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. João 1:2-3; Col. 1:15-17

b- Ele é o anunciado pelos profetas. E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz; Mat. 1:21-22; Marcos 1:1-2; Lucas. 4: 14-21

c- Ele é o redentor da humanidade. Porque o teu Criador é o teu marido; o Senhor dos Exércitos é o seu nome; e o Santo de Israel é o teu Redentor; que é chamado o Deus de toda a terra. Isaías 54:5; Romanos 3:24; Colossenses 1:14

3- A RESSURREIÇÃO E A VIDA ETERNA SÃO AS MAIORES ESPERANÇAS DA FÉ CRISTÃ.

Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda. I Cor. 15:20-22; I Cor 15:17-20

4- A ESPERANÇA CRISTÃ ESTÁ NOS CÉUS.

Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. João 14:1-3; Filip. 3:20; Hebreus 11:16.

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

UMA CHAMADA RADICAL

E, andando junto do mar da Galiléia, viu Simão, e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. E Jesus lhes disse: Vinde após mim, e eu farei que sejais pescadores de homens. E, deixando logo as suas redes, o seguiram. E, passando dali um pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco consertando as redes, E logo os chamou. E eles, deixando o seu pai Zebedeu no barco com os jornaleiros, foram após ele. (Mc .1.16-20)

Desde a cena à margem do mar da Galiléia até à cena da chamada e envio dos discípulos, os Evangelhos não escondem que entre a multidão de seguidores havia os comprometidos com um compromisso radical. Um texto que ilustra isso é o do jovem rico. Afinal ninguém pode servir a dois senhores (Lc 18.18-23; Mt 6.24).

Jesus não fundou comunidades locais, mas deu origem a um movimento de carismáticos itinerantes. O movimento de Jesus é, antes de tudo, uma desestabilização da religião institucionalizada na sinagoga e no templo. Os discípulos primitivos tornaram-se apóstolos que, itinerantes, andavam de lugar em lugar, sempre em busca de simpatizantes ou prosélitos à sua pregação. Num primeiro momento, dentro do Judaísmo; depois, fora dele. 

É curioso notar que, no relato introdutório de Atos, a igreja primitiva de Jerusalém foi dirigida por doze apóstolos (cf. At 1.12ss). Lucas projeta no passado seu ideal presente de uma igreja dirigida por um colegiado. Fato que é visto contrariamente nas alusões de Paulo à igreja de Jerusalém, pois, em sua visita, três anos depois, ele não encontrou senão a Pedro (cf. Gl 1.18). Onde estavam os demais? A resposta é que estavam pregando e curando, à luz do que Jesus havia feito e recomendado que eles fizessem (cf. Mc 3.13ss ou Lc 10.1-11).

Numa segunda viagem, Paulo encontra as três colunas (cf. Gl 2.9). O grupo dos doze ou dos 120 dispersou-se logo no início do Cristianismo, tornando-se uma comunidade de itinerantes. O próprio ministério de Paulo revestiu-se dessa característica. Essa característica de Jesus e de seus discípulos tem um contorno sociológico. 

Os discípulos, com nítidas características carismáticas, são os moldadores das tradições mais antigas, e constituem o pano de fundo social de uma parte significativa da tradição sinótica. Seus esforços pela recuperação das palavras (logias) de Jesus, através de citações em suas pregações missionárias, representam a melhor fonte do que hoje se convencionou chamar de Evangelho anterior aos evangelhos.

Podemos dizer que certas ordens de Jesus como Rabi, a esses discípulos, são por eles perpetuadas em seus comportamentos e formas de convívio social, pois foram eles que praticaram e transmitiram tais palavras. Foram eles que deram as bases missionárias e que fundaram igrejas como Samaria, Cesaréia, Antioquia e Damasco.

O mais interessante nesse movimento missionário dos discípulos são as normas éticas, porque fazem referências diretas ao comportamento dos seguidores de Jesus, mesmo em estilo missionário. Nesta ética, encontra-se o fundamento sociológico, com sérias implicações político-econômicas, pois envolvem renúncia a lugar estável (cf. Mt 8.20), à família (cf. Mt 10.37-39), à prosperidade (cf. Mt 4.22; 19.37), e ao sustento (cf. Mt 6.25-33; 10.8-10).

Paulo Lockmann

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 25 de dezembro de 2016

SINAIS DOS TEMPOS



"Os sinais da sua vinda mais se mostram cada vez. Vencendo vem Jesus". Este é parte do texto de um hino composto por Lutero. Não me lembro exatamente quando, mas, considerando que a data da reforma, está aí na casa dos 500 anos. Jesus disse que à medida em que o tempo final se aproximar, os falsos profetas se multiplicarão e dirão assim: olha ele ali, veja mais para lá, não, está mais adiante (Mt 24),

Na época em que estudava no Seminário, dizia-se muito, que Jesus estava para voltar a qualquer momento. Jesus prometeu que a geração que presenciar o florescimento da Figueira (símbolo de Israel), presenciará estas ocorrências. Resta saber, se a figueira floresceu em 1948, quando a ONU lhe devolveu o estatus de nação, ou quando ocupar toda a Terra que lhe foi prometida.

O desenho do mundo para o tempo do arrebatamento inclui Israel assentado no território que a ele foi dado por Deus e não pela ONU. Hoje não ocupa nem 15% deste território. Terá de haver muita luta ali para acontecer a reocupação total. E será exatamente esta luta, que se transformará no Armagedom (Leia Mt 24 inteiro).

Lembre-se de que depois do arrebatamento da Igreja, Israel, será novamente a essência da videira e retornará ao centro das ações de Deus na Terra (leia Rm 9-11).

Jesus disse que vem como um ladrão, sem que estejamos esperando, e este evento é anunciado demais. O diabo infiltrou em nosso meio agentes capazes de fomentar falsas esperanças, e criar falsas esperanças é de grande interesse para o diabo.

Cá entre nós, a lua avermelhada está muito distante de ser algo parecido com lua de sangue, conforme está descrita na Bíblia. 

O mapa profético desenhado na Bíblia descrevendo o mundo dos últimos tempos não parece totalmente terminado. No entanto alguém pode estar interpretando tudo isso, erroneamente, inclusive eu. Por isso, precisamos estar preparados para o caso de ter havido algum cochilo teológico de todos nós.

E se ele tivesse vindo ontem, hoje pela manhã, ou à noite e nos encontrasse espiritualmente adormecidos? Ele disse que quando acontecer, haverá uma aparente situação de paz e segurança, mas na realidade ocorrerá uma repentina destruição.

Ubirajara Crespo

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 24 de dezembro de 2016

ENTÃO É NATAL!

Um choro de bebê corta a noite escura. É o nascimento mais esperado da História da humanidade.
Um menino nos nasceu. Não apenas a seus pais, mas a todos nós. Um Filho se nos deu, posto que já existia desde a eternidade.

Foi gestado por nove meses no ventre de uma mulher virgem, mas era esperado e anunciado por milênios.

Era, como se cuidava, filho de Maria e de José. Mas seus pais sabiam a história inteira.

A verdadeira versão é inacreditável aos céticos, simplista aos intelectuais, alienante aos filósofos, assustadora aos poderosos, descabida aos religiosos. Não é questão de ser Natal, é questão de ser Jesus.

O menino é Emanuel. Deus Conosco. O Eterno e Todo poderoso Criador e Sustentador do Universo agora está envolto em panos, deitado numa cocheira em um desconhecido estábulo na periferia na insignificante Belém de Judá.

Sua mãe daqui a pouco vai amamentá-lo. Vai trocar suas fraldas. Vai dar banho e depois mimá-lo com canções infantis, embalando seu sono.

Quem poderia imaginar um Deus Soberano cabendo num pequenino corpo humano em desenvolvimento?

Suas pequenas mãozinhas de recém-nascido contraem-se num espasmo típico. Um dia, elas sustentarão o peso dos pecados do mundo inteiro. Mas nessa noite, elas ainda dependem totalmente dos cuidados de Maria.

E o menino é tomado nos braços pelo homem piedoso e conhecedor dos desígnios de Deus: “Agora posso morrer em paz, porque meus olhos viram a tua salvação”.

Não era apenas mais um garotinho judeu cumprindo o ritual sagrado da religião dos seus antepassados; Ele é o Sol nascente das alturas. Enquanto tantos ainda buscam nos astros a direção para suas vidas, ele é o Criador que ilumina e energiza todo o Universo.

E o menino cresceu. Da manjedoura foi ao Egito, do Egito a Nazaré. Aprendeu o ofício de seu pai e até os 30 anos tornou-se um reconhecido carpinteiro. Todos queriam seus serviços, porque ele era profissional do tipo que não engana, não enrola, não mente e cobra o justo. Nunca houve erro nas suas palavras nem nos seus atos.

Então, o menino já homem feito, passa a manifestar o verdadeiro sentido e propósito da sua vida. Ele, que tinha tudo para se tornar uma celebridade, fazer fama e sucesso, torna-se um Mestre revolucionário para pessoas simples. Seus ensinos não são como o dos demais rabinos de sua época. 

Ele tem autoridade no que fala, porque vive o que prega. Sua pregação exige um alto padrão de comprometimento: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue; dia a dia tome a sua cruz e siga-me”. Nada menos do que isso. Para seguir Jesus ou você O aceita por completo e se envolve totalmente, ou você não serve.

Chega o dia. Ele veio para dar vida em abundância. Mas para isso, ele tem que dar a sua própria vida. Falar do Natal sem falar da Cruz é o mesmo que contar a história de qualquer outro ser humano. Porque se Ele tivesse nascido como nasceu, vivido como viveu, mas não tivesse morrido como morreu, não haveria esperança, nem salvação, nem futuro para a raça humana.

E o homem Jesus foi crucificado num monte chamado Calvário. Foi submetido à vergonha, à zombaria, ao desprezo, às dores indescritíveis. Mais ainda, foi desamparado pelo Pai, com quem teve desde sempre ampla, geral e irrestrita comunhão e amizade. Entregou seu espírito. Morreu. Foi baixado da cruz e colocado num túmulo novo.

Mas esse também não era o fim da história. Ao terceiro dia, Jesus ressuscitou. Quebrou as cadeias da morte e saiu vitorioso daquele lugar, que absolutamente não combinava com o Autor da vida.

Ele está vivo. Deus o coroou e o fez Senhor e Cristo. Ao nome de Jesus todo joelho tem que se dobrar, nos céus, na terra e debaixo da terra. Não há outro nome dado entre os homens pelo qual importa que sejamos salvos.

É tempo de celebrar. Não o Natal. Não os presentes e as festas. Nem mesmo o menino deitado numa manjedoura. Mas o Salvador.

Marcos soares

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

ENTENDENDO O VERDADEIRO NATAL

Para muitos o natal é uma festa a ser meramente comemorada, dão-se presentes, regalam-se com comes e bebes, festejam entre parentes e amigos.

No entanto, como cristãos, entendemos pela Palavra de Deus que o natal (nascimento de Cristo), representa o cumprimento das muitas promessas a respeito da vinda do Messias, o Salvador da humanidade.

PORTANTO O NATAL É BEM MAIS QUE COMEMORAÇÃO: É CELEBRAÇÃO DA SALVAÇÃO.

Quanto ao fato do nascimento de Cristo ser celebrado não deveriam existir discussões. Porém, quanto à data, à forma e o significado deste evento existem muitas controvérsias.

EM PRIMEIRO LUGAR, DISCUTE-SE MUITO A RESPEITO DO DIA SEPARADO PARA ESTA CELEBRAÇÃO. REALMENTE 25 DE DEZEMBRO NÃO É A DATA ORIGINAL DO NASCIMENTO DE JESUS CRISTO. O DIA CORRETO Não se sabe, no entanto com alguns cálculos bíblicos é possível concluir que o nascimento se tenha dado em um dia entre os meses de março e junho; Apesar de ter quem defenda que foi próximo ao final de Setembro.

No período que envolve a colheita e a primavera judaica a data tradicional de 25 de dezembro, inicialmente fez parte do calendário romano, quando era comemorado o “Solstício de Inverno” (dia que marca a chegada do inverno e do verão).

Nesta ocasião era realizada uma festa pagã de adoração ao astro sol, que representava para eles a divindade chamada “Sol invicto”. Porém, por influência da presença marcante dos cristãos na vida do império, este dia veio a ser oficializado como do dia da comemoração do nascimento de Jesus Cristo, desfazendo o costume pagão, o que veio a se tornar uma tradição cristã, Malaquias profetizou:[“Mas para vocês que temem o meu nome, nascerá o sol da justiça trazendo salvação em seus raios” (Jesus).

Lembremos que quando Jesus nasceu o mundo estava sob o domínio romano e, no primeiro dia da semana era adorado o “Sol invicto”.

Quando Jesus ressuscitou no domingo, biblicamente, este dia passou a ser chamado “Dia do Senhor”. Até hoje a maioria dos cristãos consagram o domingo à adoração de Jesus Ressurreto.

EM SEGUNDO LUGAR OS SÍMBOLOS TRADICIONAIS DE NATAL SÃO MUITAS VEZES QUESTIONADOS. Não estamos dizendo das discrepâncias, como o uso de duendes, gnomos..., que realmente nada tem a ver com o “Natal de Cristo”. Mas, das guirlandas, do presépio (estrebaria), o pinheirinho, as bolinhas coloridas, os pisca-piscas, as luzinhas, os presentes, os anjos, as estrelas, sinos e as canções.

Quanto aos anjos, as estrelas, canções, presentes e a estrebaria não há muito que discutir, pois a Bíblia revela que Maria deu a luz à Jesus e deitou-o numa manjedoura (gamela onde se depositava alimentos para os animais), pois não havia lugar na estalagem. Aos pastores foi anunciado o nascimento, e um anjo fez os convites para visitá-lo na estrebaria (um compartimento ligado à hospedaria ou uma gruta próxima, como era costume dos judeus), logo surgiu uma multidão de exércitos celestiais (milhares de anjos) e louvaram a Deus.

Os magos do oriente foram guiados pela estrela e deram os presentes (ouro, incenso e mirra), ao bebê Jesus (Lc. 2.1-19; Mt. 1.18-25 a 2.1-2). Em relação aos outros símbolos, eles são frutos de tradição cristã, apesar de alguns autores os associarem ao paganismo.

Dizem por exemplo que o pinheirinho vem da antiga prática pagã de idolatria envolvendo árvores sagradas, mas se esquecem que não somos pagãos e nossa concepção deve ser renovada pela mente de Cristo e pelo Espírito Santo.

Por exemplo, a Bíblia diz que “...Apareceu o Senhor a Abraão nos carvalhos de Manre, estando ele assentado à porta da tenda no calor do dia”: Gn. 18.1. Em uma época em que os pagãos tinham o carvalho como sagrado, Deus não se incomodou de falar com seu servo ali, pois sabia que ele não adorava uma árvore e sim ao Criador, de quem foi chamado de amigo.

A Bíblia fala muito a respeito de árvores em comparação a vida de Deus nos justos (Sl.1; Jo.15.1-5; Sl.92.12; Is.61.3). Não é justo condenar cristãos que montam e enfeitam uma árvore; mesmo porque algumas dessas práticas foram consolidadas pela própria tradição protestante, o primeiro a por enfeites coloridos e iluminar uma árvore de natal.

O Natal deve ser uma festa de luz e cores, pois Jesus é a luz do mundo, é Ele que confere beleza e encanto a nossa vida.

As bolas coloridas representam “Romãs”, que na Bíblia simbolizam santidade e prosperidade (vida frutífera) (Ex.39.24-26).

Os sinos também faziam parte das vestes sacerdotais.

As guirlandas (coroas), na antigüidade faziam parte do prêmio dos vencedores, representam honra e glória. Há autores que afirmam que as guirlandas são uma forma satânica de figurar a coroação de Cristo com uma coroa de espinhos. Isto soa como extremamente tendencioso, pois a própria Bíblia afirma que os cristãos devem visualizar a Cristo como um rei coroado de glória e honra (Hb.2.9). A guirlanda não aponta outra coisa senão para esse esplendor de Cristo.

As mais belas canções de Natal são uma composição evangélica. Por exemplo: “Eis dos anjos a harmonia” – Charles Wesley.

Sendo assim, celebre o natal dentro da liberdade cristã.

Gosta de símbolos? Utilize-os, se não, não. Mas lembre-se destas recomendações:

Primeiro, o Natal de uma família cristã é a celebração espiritual (leia Lc.2.1 a 20; Mt.1.18 a 2.12 com sua família).

Faça uma oração de gratidão por Jesus ter nascido para nos salvar.

Avaliem a convivência familiar, façam consertos, peçam perdão e declarem boas coisas uns aos outros.

Segundo, o nascimento de Jesus foi um presente de Deus para a salvação da humanidade.

No natal desembrulhe este presente diante de outras pessoas. Mostre Jesus para alguém que não o conheça. Símbolos são apenas símbolos.

Você possui o próprio Cristo nascido em seu coração.

Este é o natal que deve ser celebrado todos os dias do ano.

FELIZ NATAL!!

Lidiomar T. Granatti

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

LIBERTAÇÃO DA SUPERSTIÇÃO E DA FEITIÇARIA

Milhões de pessoas estão sob o domínio do diabo — sem sabê-lo. Todo aquele que busca refúgio nos tenebrosos poderes das trevas com qualquer pergunta, uma doença ou um problema, ao invés de dirigir-se ao Deus vivo, entrega-se ao diabo e fica sob seu domínio.

Sabemos bem que todo aquele que toca a rede elétrica de alta-tensão, sucumbe sem consideração ao seu efeito fatal — não interessando se ele “só queria experimentar uma vez” se o fez “só por brincadeira” ou se achou que “uma vez só não faz mal”. Com a mesma certeza, todo aquele que entra nos domínios do diabo fica sob o seu poder.

O QUE É SUPERSTIÇÃO E FEITIÇARIA?
É uma terrível “lista negra” de coisas, que parecem inofensivas para muitos —, mas que mesmo assim são iscas do diabo, para apanhar e destruir almas humanas:

Tudo que deve trazer sorte ou azar nos faz dependentes de poderes das trevas. Qualquer tipo de adivinhação — também o uso de pêndulos e a crença no horóscopo, arrastam-nos para o domínio do diabo. Pais e mães pecam — frequentemente sem sabê-lo, contra seus filhos, colocando-os sob o domínio de Satanás através de práticas supersticiosas ou através do “benzimento”.

ONDE HÁ SUPERSTIÇÃO E FEITIÇARIA EM TUA VIDA?
A maioria das pessoas descobrirá os negros vestígios da ação diabólica em sua vida, logo que se colocarem sob a clara luz da palavra de Deus.

O diabo tem direito adquirido sobre todo homem que pratica superstição e feitiçaria — ele domina seu corpo, sua alma e seu espírito. Na maioria dos casos surge uma pressão sobre o espírito — acaba a fome pela Palavra de Deus — os instintos animalescos ficam fortes — os nervos falham — lentamente o homem é arruinado pelo medo, e ele começa a ter pavor desvairado da morte — da hora em que se realizará o acerto de contas do diabo e o espírito do homem irá para o abismo.

O QUE DEUS, O SENHOR, DIZ SOBRE FEITIÇARIA E SUPERSTIÇÃO?
Todo aquele que quiser, pode conhecer o julgamento do Deus vivo Todo- poderoso sobre feitiçaria e superstição:“Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz  tal coisa é abominação ao Senhor; e por essas abominações o Senhor teu Deus os lança de diante de ti” (Deuteronômio 18.9-12).

Portanto, é bem possível receber respostas sobre o futuro através desse caminho diabólico. É possível curar doentes por meio de poderes diabólicos. É possível consultor os mortos. Mas aquele que o faz é uma abominação ao Senhor. Desse modo ele sucumbiu ao poder da mentira, às trevas diabólicas, e vai pagar caro o dom enganoso de Satanás.

EXISTE ALGUMA SALVAÇÃO?
Ninguém pode libertar-se sozinho do domínio de Satanás! Só existe um que é o mais forte — e que venceu o forte: Jesus Cristo, o Filho de Deus. Isto é a maravilhosa e libertadora mensagem de vitória do evangelho:

“Para isto se manifestou o Filho de Deus, para destruir as obras do diabo” (1 João 3.8). Ele veio para que “destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse a todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida” (Hebreus 2.14-15). Ele “despojando os principados e aspotestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Colossenses 2.15).

O QUE DEVEMOS FAZER?
Levar profundamente a sério o pecado do superstição. Deixar que o Espírito de Deus revele onde houver o menor vestígio desse pecado em tudo vida. Diante da face de Deus, olhar para trás até à infância!

Confessar esse pecado como abominação diante do Senhor Jesus, o Salvador pessoal, e crer no seu sangue derramado, que purifica de todo pecado. A palavra de Deus, que – não mente -, garante-nos que Jesus Cristo levou em nosso lugar também o pecado da superstição e da feitiçaria, pois ele tomou sobre si o pecado do mundo e o tirou. Seu sangue é mais poderoso e forte do que todo pecado, e o extirpa completamente. Creia na Palavra, que diz a ti: ”o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1.7). “O castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53.5).

Jesus Cristo não somente perdoa o pecado, mas ele também liberta do poder do pecado e das algemas de Satanás. Ele entregou sua vido para nos libertar da escravidão do diabo. Ele nos resgatou pelo seu próprio sangue, o preço foi pago, estamos livres! Temos nas mãos a carta de alforria, que diz: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8.36). “Porque fostes comprados por bom preço” (1Coríntios 6.20).

Completamente livre! Uma grandiosa mensagem para prisioneiros, que viviam no medo do escravo. Apoiemo-nos na sua garantia, que sua Palavra nos dá, e agradeçamos porque ele te deu a liberdade. O diabo não tem mais direito sobre nós. Ele é um inimigo vencido, que é afugentado pelo nome de Jesus Cristo.

Entregando nossa vido completamente ao domínio de Jesus, Satanás não continua com nenhuma área da vida em suas mãos! Somente aquilo que é governado por Jesus Cristo, está completamente seguro do inimigo. Aquele que permanece nele, está seguro numa fortaleza — e o diabo não pode tocá-lo!

Este é um fato que a Bíblia confirma e que podemos experimentar diariamente: “Graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Coríntios 15.57).

Fonte: Folheto evangelístico do ministério Aconselhamento Bíblico, Dra. Gertrud Wasserzug.

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

JESUS CRISTO: O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL

Todos sabem que, no natal, comemora-se o nascimento de Jesus Cristo. Mas, quem é Jesus e para que ele nasceu? 

Na Bíblia estão as palavras do apostolo Paulo que disse: "Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal." (I Timoteo 1.15)

Que Jesus veio ao mundo, ninguém duvida. A própria historia geral cita esse fato. Alias, todos os outros fatos históricos ficaram divididos entre antes e depois de Cristo. Ele se tornou um ponto de referencia universal. 

Quanto a veracidade de sua existência, existe comum acordo. Mas, quanto ao propósito da sua vinda, começam as polemicas, que se originam em meras opiniões humanas. 

O que o texto bíblico diz é que Jesus veio para salvar os pecadores. 

Ele não veio fundar uma nova religião, nem criar uma nova linha de pensamento filosófico. 

Ele veio salvar os pecadores. 

O QUE É SALVAÇÃO? 

Libertação e livramento.

Libertação no sentido presente: Quando alguém se entrega a Cristo, ele o liberta dos vícios, das angustias existenciais, da infelicidade, e das opressões espirituais. 

A salvação é também livramento no sentido futuro. 

Os que aceitam a Cristo ficam livres da condenação eterna que sobre eles recairia no juízo final. 

O apostolo Paulo termina a frase com as palavras: "dos quais eu sou o principal". Ele disse que a salvação era para os pecadores e que ele se considerava o principal deles. Isto é reconhecimento do estado pecaminoso. 

A parte de Deus na obra da salvação foi enviar Jesus para morrer em nosso lugar, recebendo sobre si o castigo que seria nosso. A nossa parte é reconhecer que somos pecadores e que precisamos do perdão que Cristo oferece. 

Jesus é o medico espiritual que atende com amor a todos os que reconhecem a doença do pecado. Ele ama a todos e diz "Vinde a mim todos vos que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei." (Mateus 11.28) 

Reconheçamos, pois nossa situação e oremos: "Senhor Jesus, sou pecador. Estou perdido e condenado. Preciso de ti. Eu creio que tu morreste em meu lugar. Tu assumiste a minha culpa e o castigo que seria meu. Agora, eu te aceito como meu Senhor e suficiente Salvador. 

Entrego a ti a minha vida e tudo que sou. Perdoa todos os meus pecados e ajuda-me a evitá-los. 

Transforma-me para que eu possa viver para a tua honra e morar contigo na eternidade.  Amem." 

Você pode falar com Cristo agora mesmo onde você estiver. 

Se você o fizer com fé e com um sincero desejo de ter uma experiência real com ele, sua vida será transformada. 

Só assim você poderá ter um FELIZ NATAL, pois, dessa forma, o nascimento de Jesus fará diferença para a sua vida, como fez para mim e para milhares de pessoas em todo o mundo. 

Autor: Anísio Renato de Andrade  

Por Litrazini

Graça e Paz