quinta-feira, 30 de junho de 2016

UMA ALIANÇA FIRMADA EM GRAÇA

Em Isaías 55 vemos que o evangelho é para os que têm fome e sede de justiça.

A mesa do banquete está pronta e tudo o que de nós se exige é apetite. É tudo de graça.

Por isso o convite da salvação é dirigido a todos os que têm sede para que venham às águas da salvação, e que poderão adquirir (comprar) o vinho espiritual da alegria, e o leite racional que nos alimenta que é a graça de Cristo, que acompanha o evangelho, para sermos alimentados por ela, sem dinheiro e sem preço (Is 55.1).

Diz-se portanto que todo esforço e gasto de dinheiro para obter a salvação é vão, porque a salvação verdadeira que Deus está operando pelo Filho, é completamente gratuita.

A boa comida espiritual, e o tutano divino são achados somente na mesa de Cristo, e não nas mãos dos que fazem da religião ocasião de comércio (Is 55.2).

A mensagem do evangelho deve ser ouvida atentamente, pela voz dos ungidos do Senhor, através dos quais Cristo fala, para que pessoas se convertam a Ele, para entrarem na aliança eterna, que Ele havia prometido como sendo firmes beneficências a Davi (v. 3). Estas firmes beneficências a Davi são citadas também em passagens do Novo Testamento, como em At 13.34.

“Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei uma aliança perpétua, dando-vos as fiéis misericórdias prometidas a Davi.” (Is 55.3).

É maravilhoso saber que as últimas palavras que Davi falou pelo Espírito, apontaram para esta aliança segura e eterna.

Deus fez uma aliança conosco em Jesus Cristo, e nós aprendemos das Suas palavras pela boca de Davi que é uma aliança perpétua. Perpétua em si mesma e na forma do seu caráter, manutenção, continuação e confirmação. Deus diz também pela boca de Davi que é bem ordenada e segura (v. 5).

Esta aliança está bem ordenada por Deus em todas as coisas que dizem respeito a ela. Esta ordenação perfeita trabalhará em meio às imperfeições dos cristãos e os aperfeiçoará progressivamente, para a glória de Deus, de modo que se a obra não for completada na terra, ele o será no céu.

E para isso a aliança possui um Mediador e um Consolador para promover a santidade e o conforto dos cristãos. Está ordenado também que toda transgressão na aliança não lançará fora qualquer dos aliançados!

Por isso Jesus afirma que não lançará fora de modo nenhum, a qualquer que vier a Ele. Assim, a segurança da salvação não é colocada nas mãos dos cristãos, mas nas mãos do Mediador. E se diz que a aliança é segura porque está assim bem ordenada por Deus.

Ela foi planejada de tal modo a poder conduzir pecadores ao céu. Ela está tão bem estruturada que qualquer um deles pode ter a certeza de que estará sendo aperfeiçoado na terra e a conclusão desta obra de aperfeiçoamento será concluída no céu.

E uma das razões para que o aperfeiçoamento não seja concluído na terra, é para que se saiba que a aliança é de fato para pecadores, e não para quem se considera perfeitamente justo, embora todos os aliançados sejam chamados agora a se empenharem na prática da justiça.

As misericórdias prometidas aos aliançados é segura, e operarão de acordo com as condições estabelecidas em relação à necessidade de arrependimento e fé. A aplicação particular destas misericórdias para santificar os cristãos é segura. É segura porque é suficiente.

Nada mais do que isto nos salvará, porque a base da salvação repousa na fidelidade de Deus em cumprir a promessa que Ele fez à casa de Davi, a todo aquele que for encontrado nela, por causa da sua fé no descendente, no Filho de Davi que é Cristo. É somente disto que a nossa salvação depende.

Muitos podem pensar que quando se conclama, na profecia de Isaías, ao ímpio a deixar o seu caminho e o homem maligno os seus pensamentos para se voltar para o Senhor, para achar misericórdia e perdão, porque se diz que Deus é rico em perdoar, que isto não se aplique às pessoas perversas.

No entanto, é um convite a todas as pessoas porque não há quem não peque, e Cristo veio salvar e justificar ímpios (Rom 4.5), de forma que aquele que se julgar justo e bom a seus próprios olhos jamais poderá ser salvo por Cristo, porque Ele salva aqueles que se reconhecem pecadores.

Para esclarecer este ponto, para que ninguém fizesse uma avaliação errada relativa à sua real condição diante de Deus, Ele declarou que os seus pensamentos não são os nossos pensamentos, nem os nossos caminhos os seus caminhos (Is 55.8).

Se nos compararmos com outras pessoas é possível que nos achemos bons e justos. Mas se contemplarmos os que estão no céu, especialmente ao próprio Deus em sua perfeita santidade e glória, nós veremos quão imperfeitos somos. E clamaremos tal como Isaías fizera no capítulo sexto, quando viu a santidade e glória com que os serafins louvavam ao Senhor no Seu trono de glória.

Por isso se ordena que olhemos para Cristo para que sejamos salvos, porque somente quando contemplamos a majestade da sua santidade, é que podemos enxergar qual é o nosso real quadro de miséria e de necessidade que temos de sermos salvos por Ele. Então esta salvação não será achada em nós mesmos. Porque ela nos vem inteiramente destes caminhos e pensamentos elevados de Deus que procedem do céu e não da terra.

É do alto que a graça e o Espírito são derramados, e por isso somos conclamados a olhar para o alto, para Cristo, para o tesouro do céu e não para o que é terreno, quando o assunto se refere à nossa salvação.

Esta salvação vem do alto, mas a Palavra que salva foi revelada por Cristo na terra, e está não apenas na Bíblia, mas junto da nossa boca e coração, para que façamos a confissão da fé no Seu nome e senhorio, para que sejamos salvos.

Deus pôs esta autoridade para nos salvar na Sua Palavra. A palavra do evangelho é a semente que contém a vida eterna. De maneira que todo o que crê na Palavra da verdade será salvo, porque esta Palavra gerará em seu coração a fé pela qual Deus o salvará. Por isso Ele afirma o que se lê em Is 55.10,11.

Estes que crerem no evangelho e forem salvos sairiam dando testemunho por todas as partes com a alegria e a paz com que seriam guiados pelo Espírito Santo, e por onde passarem anunciando as boas novas, a maldição será transformada em bênção porque se diz que em vez de espinheiros e sarças, cresceriam a faia e a murta que são plantas ornamentais. E isto seria para o Senhor um nome e um sinal eterno que nunca se apagará (v. 12, 13).

Pr Silvio Dutra

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 29 de junho de 2016

MONGES BUDISTAS SE CONVERTEM E 200 MIL PESSOAS SEGUEM JESUS NO TIBETE

O relatório do ano passado da missão Asian Access, que divulga a Palavra de Deus no sul da Ásia, mostrou que um monge budista tibetano se converteu a Jesus Cristo. Ele ouviu as boas novas de uma equipe de missionários, que ofereceram ajuda humanitária para as pessoas do Tibete, após um grande terremoto que atingiu a região.

Joe Handley, presidente da Asian Access explica que esse ex-monge era muito influente, tendo vivido 30 anos como guia espiritual dos praticantes do budismo tibetano, tornando-se um lama.

Mesmo perseguido por ter abandonado a antiga fé ele perseverou e recebeu treinamento, sendo consagrado pastor depois de um tempo. Por causa do seu testemunho, 62 monges também abandonaram Buda por Cristo.

A Asian Acces explica que nos últimos 12 meses, mais de 200.000 pessoas entregaram as vidas a Cristo no Tibete.

Com cerca de 3 milhões de habitantes, o país ficou fechado ao cristianismo durante séculos, por conta de leis que proibiam que estrangeiros pregassem qualquer outra religião que não fosse o budismo tibetano. O líder de facto do país era o Dalai Lama, até que na década de 1950, foi invadida e passou parte da China.

Para Handley, esse avivamento ocorre em parte por cauda do trabalho dos missionários cristãos que chegaram ao Tibete após o terremoto devastador do ano passado.

“Eles não viram budistas, hindus ou outros grupos religiosos ajudando no meio dos escombros. Mas semana após semana, estavam ali seguidores de Jesus que dedicaram seu tempo e arriscaram suas próprias vidas para servir, dispondo-se a ser as mãos e os pés de Jesus”, assegura.

O desafio da missão agora é ajudar a plantar novas igrejas no país que é 90% budista e possui um outro grande empecilho: sua geografia. O Tibete fica no alto da cordilheira do Himalaia, lar das montanhas mais altas do planeta como o Monte Everest (8 848 m) e o K2 (8 611 m). A temperatura média anual é sempre abaixo de zero e o acesso as aldeias é extremamente difícil. Com informações de Christian Today

Fonte: Gospel Prime

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 28 de junho de 2016

A PALAVRA DE DEUS

“...Ele te humilhou, e te deixou ter forme, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram, para te dar a entender que nem só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do Senhor, disso viverá o homem”. Deuteronômio 8.3

O QUE A PALAVRA DE DEUS PRODUZ EM NÓS?
ORIENTAÇÃO (Salmo 119.105);
ESTABILIDADE (Efésios 4.14);
SABEDORIA (Salmo 119.99-100);
VITÓRIA CONTRA O PECADO (Salmo 119.11);
PAZ (Salmo 119.165);
ESPERANÇA (Romanos 15.4);
REVELAÇÃO (Hebreus 4.12)

O QUE NÓS DEVEMOS FAZER COM A PALAVRA DE DEUS?
DESEJAR (I Pedro 2.2);
TEMER COM TREMOR (Isaías 66.2);
EXAMINAR (Atos 17:11);
BUSCAR (Isaías 34.16);
GUARDAR NO CORAÇÃO (Deuteronômio 11.18; Colossenses 3.16);
PRATICAR (João 15.7; Tiago 1.22-25);
ENSINAR (Deuteronômio 11.19)

COMO DEVEMOS LER A PALAVRA DE DEUS
a). Começar pelos evangelhos. Ler, na ordem, os quatro evangelhos no mínimo duas vezes. Depois o livro de Atos, as epístolas e por último Apocalipse.

b) Os tipos de leitura são:
Devocional: Nesse tipo de leitura a ênfase está em particularizar a Palavra, não levando em conta o aspecto histórico, doutrinário, etc. Se lê poucos versículos, meditando, “ruminando” a Palavra para extrair tudo para nossas vidas, em caráter pessoal.
Sistemática: Nessa tomamos a Palavra como um todo, de maneira ordenada. Deve-se ler capítulos para que não se perca o contexto.

c) Ler com oração, pedindo que o Espírito Santo descortine a Palavra para nós

d) Memorizar as verdades centrais da Palavra

e) Ler primordialmente o novo testamento pois nele estão contidas as realidades e não as sombras (Colossenses 2:16,17)

Devemos ter uma disciplina de leitura e meditação da Palavra de Deus. Não devemos afrouxar nem um pouco nesse ponto. Quando nos distanciamos da leitura constante da Palavra de Deus corremos o risco de cair no fanatismo (na prática é observar preceitos de homens cegamente sem questionar pela Palavra de Deus) ou misticismo (interpretar a Palavra de acordo com as experiências espirituais subjetivas; espiritualidade sem fundamento).

O sangue de muitos irmãos foi derramado para que a Palavra de Deus conforme temos conosco pudesse ser preservada; inúmeras foram as tentativas de tirá-la de nós ou de ridicularizá-la, porém ela permanece como uma rocha perante tudo isso.

Nós que cremos na restauração do Senhor temos que ser, mais do que ninguém, fiéis à leitura constante da Palavra para que possamos receber revelação de Deus sobre a plenitude de Deus na Igreja.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 27 de junho de 2016

O BICHO TÁ PEGANDO

Nossa alma acumula feitos em cima dos quais procura levantar seus vôos. Investimos no futuro construindo capacitações, aprimoramentos nossas mentes, fortalecendo o corpo e convencendo a nós mesmos e aos outros, daquilo que merecemos.

Estas moedas podem nos ajudar a comprar espaço na Terra, mas não é assim que ganhamos o Céu. Sabemos que nas regiões celestiais em Cristo, as escadas e alavancas, que nos fazem subir na terra, se transformam em pesos que afundam nossa alma no mar do ostracismo eterno.

Convém que ele (Jesus) cresça e que eu diminua. Quando somos fracos é que nos tornamos fortes.
Jesus nos ensinou que diante de Deus ganhamos notoriedade quando confessamos nossos pecados e não quando maquiamos nossas almas com nossos feitos.

No Reino de Deus voamos no vácuo das nossas inutilidades e crescemos, expondo nossas fraquezas e cortando nossas asas.

No Reino de Deus a fraqueza é o degrau que nos conduz à Fortaleza. Lá, o único lugar onde vale à pena sermos aprovados, conseguimos uma boa posição quando confessamos pecados e não quando expomos realizações.

Abdicação, humilhação, admissão dos erros e lavar os pés alheios, são chaves que abrem a porta para o crescimento espiritual e constroem a grandeza da alma.

O Céu concede notoriedade somente àqueles que se assentam nos últimos lugares, servem mais e sabem que a soberba precede a ruína.

“Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?” Mateus 7:3.

"Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês que praticam o mal!” Mateus 7:22-23

UBIRAJARA CRESPO

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 26 de junho de 2016

ESCALA DE VALORES: FAMÍLIA EM SEGUNDO LUGAR

Muita gente tem errado ao pensar que a igreja ou o ministério vem depois de Deus. É como um caso que ouvimos.

Uma senhora do interior de São Paulo disse que Deus a chamou para uma missão e desapareceu de casa por mais de um mês. Quando os irmãos da congregação perceberam o que estava acontecendo, tiveram que cuidar dos filhos desta mulher que não tinham o que comer e nem vestir. O marido estava furioso porque roupas chegaram a apodrecer no tanque enquanto a família aguardava ansiosa o término da “missão”.

Isto é um absurdo! Uma mulher destas nunca leu a Bíblia! Até no caso de diminuir a intensidade do contato físico para se dedicar à oração, o casal deve estar em acordo (1 Co 7.5). Mas aquela mulher não consultou seu marido, ela apenas disse: – “Deus me chamou e eu estou indo”. E ainda por cima dizia que o marido era “carnal” a ponto de não discernir a voz de Deus…

Veja o que as Sagradas Escrituras ensinam acerca do lugar da família na nossa escala de valores:
“Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo.” (1 Timóteo 5.8)

Não há dúvida que a família é nossa segunda prioridade depois de Deus. Se alguém negligenciar sua família por causa da igreja, do ministério, ou de qualquer outra coisa, por mais “espiritual” que pareça, está contra a Palavra de Deus! Paulo disse que tal pessoa está negando a fé e é pior do que um incrédulo! Agora veja, Paulo estava falando com os crentes que iam à igreja mas estavam negligenciando o lar.

Logo, concluímos que a família vem antes da igreja na nossa escala de valores. Há um outro texto que mostra claramente a família como uma prioridade antes da igreja e do ministério. É o conselho pastoral que Paulo queria estender a todos os ministros debaixo da supervisão de Timóteo:

“É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, … que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a sua própria casa, como cuidará da igreja de Deus?)” (1 Timóteo 3.2,4 e 5)

Observe que o homem de Deus deve ser exemplar quanto à sua família. Fiel à sua esposa, e governando bem sua casa e seus filhos, caso contrário não poderá cuidar da igreja e ministério.

A Palavra de Deus não deixa a menor sombre de dúvida quanto ao lugar que nossa família deve ter na nossa escala de valores. Mas muitos cristãos tem negligenciado a sua família. Muitos pais que não dão tempo e atenção aos seus filhos se queixam de vê-los desviados, mas não se apercebem que estão andando em desordem. Há esposas perdendo seus maridos e vice-versa, porque não os colocaram no lugar certo na escala de valores.

É hora de ordenarmos nossos passos e darmos a atenção, honra e dedicação devida à família.

*Trecho extraído do artigo "Ordenando nossa escala de valores", de Luciano Subirá - publicado originalmente em 'Orvalho.com'

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 25 de junho de 2016

O DOM DA PROFECIA - SIGNIFICADO E OBJETIVOS

O dom da profecia é a manifestação sobrenatural do Espírito mediante expressão vocal em línguas conhecidas para exortar, edificar e consolar (1 Co 12.10, 14.3).

Consiste na transmissão à igreja ou a uma determinada pessoa de uma mensagem recebida do Espírito Santo.

O apóstolo Paulo adverte para que não desprezemos as profecias, o que poderá extinguir o fogo do Espírito.

“Reprimir ou rejeitar o uso correto e ordenado da profecia, ou de outros dons espirituais, resultará na perda em geral da manifestação do Espírito (1 Co 12.7-10, 28-30)”.

Esse dom é muito usado nas igrejas pentecostais, as que acreditam na atualidade dos dons espirituais, isto é, que acreditam na continuidade da ação sobrenatural como ocorreu no passado (Atos 2.1-13). 

A não ser que haja recomendação expressa do Espírito, a profecia deve ser dada particularmente à pessoa envolvida, em particular. São os casos em que a exortação possa causar algum constrangimento público.

O objetivo do Espírito será sempre levantar o ânimo do crente, dar-lhe forças para conseguir vencer os obstáculos e fazê-lo saber de que Deus está no controle de tudo e acompanhando a sua vida. 

O Espírito tem liberdade – e não podia ser diferente – para transmitir à Igreja o que achar conveniente; transmitir a toda a congregação ou a um determinado membro.

O objetivo da profecia será sempre o de EXORTAR, isto é, animar a pessoa a tomar um curso diferente, mudar de atitude, de modo que se amolde à vontade do Senhor e siga crescendo na graça; de EDIFICAR, isto é, promover o crescimento espiritual da igreja, mediante a prática de atos consentâneos com a vontade de Deus, deixando os que são nocivos à vida cristã; CONSOLAR, isto é, transmitir à igreja ou individualmente ao crente uma palavra de conforto e de esperança, fazendo-os lembrar das infalíveis promessas de Deus para seu povo. 

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 24 de junho de 2016

JESUS VEIO QUEBRAR AS REGRAS?

JESUS VEIO OBEDECER A LEI DE DEUS SEM SUBTRAÇÕES
“Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido”.

Sabemos que quando Jesus foi tentado, Satanás utilizou a Palavra de Deus. Essa é uma velha tática utilizada por ele que visa dizer uma meia verdade com o objetivo de nos fazer pecar. Não foi isso que ele fez com Eva? A serpente disse: “Deus sabe que, no dia em que dele comerem, seus olhos se abrirão, e vocês, como Deus, serão conhecedores do bem e do mal”. Conheceram isso foi uma verdade, mas da pior maneira, pecando.

A verdade da Palavra de Deus quando incompleta passa a ser uma mentira de Satanás. Por isso que Jesus foi enfático ao dizer que não seria retirada a menor letra do alfabeto hebraico o “yod”, nem a pequena marca “til” que distingue certas letras hebraicas de outras. Toda a Escritura deveria ser obedecida em sua totalidade, sem subtrações.

Uma pequena letra, acento ou sinal quando retirada de uma frase pode modificar todo o significado de um texto. Se digo, por exemplo, que Cristo pediu que nos amássemos uns aos outros, entendemos que devemos amar o nosso semelhante. Mas se digo que Cristo pediu que nos amassemos uns aos outros, o sentido passa a ser o de que devemos amassar o nosso semelhante, como se amassa uma folha de papel sem serventia.

Cristo cumpriu toda Lei ao obedecê-la de forma completa e verdadeira. Mas Satanás continua a espalhar falsas doutrinas com uma roupagem de verdade. 

Um discurso muito comum hoje em nossas igrejas é o que diz que devemos participar mais ativamente de “ações sociais” para realizarmos uma missão integral. Isso é uma verdade importante, mas que passa a ser meia verdade quando se exclui grandes doutrinas bíblicas, como a redenção.

Várias igrejas têm transformado seus templos em postos de distribuição de alimentos e roupas. Verdadeiros centros de assistência social que alimentam e agasalham os mais carentes fisicamente, enquanto os deixam perecer espiritualmente. Ainda que ajudemos os mais necessitados, devemos deixar claro a cada um deles por meio da pregação do evangelho que a nossa maior carência é a de Deus em nossas vidas. Somente assim o evangelho pode ser pregado de forma integral.

Como você tem vivido o evangelho de forma integral ou parcial?

JESUS VEIO OBEDECER A LEI SEM ADIÇÕES
“Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus”.

Deus a fim de proteger o seu povo, criou regras conhecidas pelos israelitas como a Torá, ou seja, a Lei de Deus. A questão é que no século II a. C. os Fariseus criaram outras leis a fim de ajudar as pessoas a não violar a Lei.

Essa lei, conhecida como Talmude, determinava minuciosamente o que podia e não podia ser feito por meio de adições a Lei de Deus. O quarto mandamento, por exemplo, diz apenas que devemos guardar o sábado. Já a lei oral discriminava quais atividades, algo em torno de 39 tipos, que não podiam ser feitos no sétimo dia da semana. Andar mais do que 1 quilômetro a partir da povoação em que se vivia, carregar um fardo, acender um lume ou mesmo até mesmo cuspir no chão entre outras, era considerado uma infração a lei.

O problema é que, ainda que pareça que estivessem fazendo isso com a melhor das intenções, esse zelo exagerado não visava agradar a Deus em gratidão, mas garantir por meio de méritos a graça de Deus. Chamamos isso de legalismo, ou seja, o ato de se cumprir a Lei de Deus a fim de garantir a salvação por meio das obras.

Jesus fez um alerta sobre as consequências que virão sobre a vida de quem acrescente qualquer coisa a Palavra de Deus: “Ai de vós, também, doutores da lei, que carregais os homens com cargas difíceis de transportar; e, vós mesmos, nem ainda com um dos vossos dedos tocais essas cargas.” Lucas 11:46

Larry Crabb disse: “O problema central não é que somos zelosos demais sobre coisas erradas, mas, que não temos zelo o suficiente para as coisas boas.[1]

Hoje muitas seitas e até denominações criam divisões e elementos externos a Lei. Estes grupos criam regras que não podem ser observadas em sua totalidade e ainda assim afirmam ser esse o único, ou melhor, caminho até Jesus.

VOCÊ TEM SEGUIDO A LEI DOS HOMENS OU A LEI DO REINO DOS CÉUS?

Conclusão
Não sei qual era o seu grupo favorito, se o dos legalistas ou dos liberais, porém quero lhe dizer que existe um terceiro grupo, o dos bíblicos. Aqueles que obedecem a Lei de Deus em gratidão pela graça que nos foi concedida por meio do sacrifício de Cristo na cruz. Junte-se hoje mesmo a esse time e veja as maravilhas que Cristo operará por meio de sua vida.

Notas
[1] Larry Crabb. Jornal Leadership, Vol. 15, no. 2.

Alessandro Brito

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 23 de junho de 2016

JESUS APARECE A REFUGIADOS QUE CRUZAVAM MAR E ACALMA TEMPESTADE

REFUGIADOS SOBREVIVERAM À PERIGOSA TEMPESTADE E SE CONVERTERAM

O testemunho de Erick Schenkel, diretor-executivo do Projeto Filme Jesus tem surpreendido muitas pessoas na Europa. Ele conta que sua missão está trabalhando no discipulado de um grupo de refugiados que afirmam ter visto Jesus no mar Egeu.

Eles estavam em um barco como as dezenas que atravessam do norte da África para a Grécia todos os meses.

O vento forte e as ondas altas ameaçavam virar a embarcação cheia de imigrantes fugindo do Médio Oriente. Todos sabiam que muitos outros nas mesmas condições morreram na travessia.

Os refugiados estavam com medo e a beira do desespero. “Mas as pessoas do barco começaram a clamar a Deus em voz alta. De repente, uma “figura divina brilhante” apareceu a eles”, relata Schenkel. “O barco inteiro sabia que era Jesus”, insiste, acrescentando que eles o ouviram dar um comando e as águas se acalmaram imediatamente, salvando suas vidas.

“A partir desse ponto, o mar ficou calmo e tranquilo, e eles chegaram em segurança em terra”, ressalta Schenkel.

Semanas depois, os refugiados foram atendidos por cristãos que, ouvindo o relato, começaram a fazer grupos de discipulado e de estudo da Bíblia. O responsável pelas aulas é um ex-jihadista, que também teve uma forte experiência de conversão.

Para o líder do Projeto Filme Jesus, o relato surpreendente ecoa o episódio relato nos Evangelhos quando o Messias acalmou uma tempestade no Mar da Galileia (Mateus 4:37).

Embora não tenha dado mais detalhes sobre quem eram esses refugiados, insiste que havia um propósito pois todos que estavam ali queriam se tornar seguidores daquele que tem todo o poder. 

Fonte Guia-me Com informações de Christian Post

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 22 de junho de 2016

PSIU: BOM DIA... BOA TARDE... BOA NOITE...

Quando você se levantou pela manhã, eu já havia preparado o sol para aquecer o seu dia, e o alimento para sua nutrição. Sim, eu providenciei tudo isso enquanto vigiava e guardava o seu sono, a sua família e sua casa. Esperei pelo seu bom dia, mas você se esqueceu, bem você parecia ter tanta pressa que perdoei.

O sol apareceu, as flores deram o seu perfume, a brisa da manhã lhe acompanhou e você nem pensou que eu já havia preparado tudo isso para você. Seus familiares sorriam; seus colegas lhes saudaram, você trabalhou, viajou, realizou negócios, alcançou vitórias, mas... eu sei, você corre tanto... eu perdoei.

Você leu bastante, ouviu muita coisa, viu mais ainda, e não teve tempo de ler ou de ouvir a minha Palavra. Eu quis falar, mas você não parou para ouvir, eu quis até lhe aconselhar, mas você nem pensou nessa possibilidade. Seus olhos, seus pensamentos, seus lábios, seriam melhores, o mal seria menor e o bem seria muito maior em sua vida.

A chuva que caiu a tarde foram minhas lágrimas por sua ingratidão, mas foram também a minha bênção sobre a terra para que não lhe falte o pão e a água.

Você trabalhou, ganhou dinheiro, que não foi mais porque você não me deixou ajudar. Mas uma vez você se esqueceu que eu desejo a sua participação no meu reino, com a sua vida, seu tempo, seus talentos e seu dinheiro também.

Findou o seu dia.

Você voltou para casa. Mandei a lua e as estrelas tornarem a sua noite mais bonita para lembrar-lhe o meu amor por você. Certamente agora você vai dizer um “obrigado e Boa Noite.”

Psiu... está ouvindo? Já dormiu. Que pena!

Boa noite, durma bem, eu fico velando por você.

JESUS

A D / Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 21 de junho de 2016

SABEDORIA

“E Josué, filho de Num, foi cheio do espírito de sabedoria, ” (Dt 34.9)

Alcançando a Sabedoria? (Porém onde se achará a sabedoria, e onde está o lugar da inteligência? (Jó.28.12)

E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada.(Tg.1.5)

“Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento” (Pv.2.6)

Não se ache sábio aos seus próprios olhos, (E, se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber…(1Co.8.2) mas busque a fonte da sabedoria Jesus a palavra de Deus viva não há outro que te faça verdadeiramente sábio.

Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos…(Provérbios 2:7a) para alcançar a verdadeira sabedoria viva a sabedoria (a palavra de Deus) olha só o que está escrito:

“Vedes aqui vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o Senhor meu Deus; para que assim façais no meio da terra a qual ides a herdar. Guardai-os pois, e cumpri-os, porque isso será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos, que ouvirão todos estes estatutos, e dirão: Este grande povo é nação sábia e entendida.” (Dt.4,5-6), ou seja a receita é simples para alcançar a sabedoria: e só pedir a Deus, buscar e viver sua palavra.

SABEDORIA HUMANA DO MUNDO ?
Toda sabedoria fora de Deus é mentira, olhas só o que diz Jeremias: “Como, pois, dizeis: Nós somos sábios, e a lei do Senhor está conosco? Eis que em vão tem trabalhado a falsa pena dos escribas. Os sábios são envergonhados, espantados e presos; eis que rejeitaram a palavra do Senhor; que sabedoria, pois, têm eles?” (Jr.8.8-9)

AS CARACTERÍSTICAS DA SABEDORIA DO MUNDO:
“Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria. Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica.” (Tg.3.13-15)

Lembrei logo dos escribas, fariseus que tinham aspecto de sabedoria, mas por dentro um sentimento maligno contra Jesus. E ainda existe em nossos dias homens assim com aspecto de Sabedoria até reconhecido como conhecedores da palavra de Deus, porém cheios de iniquidade, enganam o povo, mais não a Deus .

A SABEDORIA QUE VEM DE DEUS ?
Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. (Tg.3.17)

Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação; (Ef.1.17)

REFLEXÃO
Se servimos ao Único Deus sábio , e que dá sabedoria aos que o buscam, porque o povo de Deus ainda perece por não o conhecer ?

Porque de fato, nunca buscaram de todo coração, e vão perecendo sem tomar posse do maior tesouro, a sabedoria que Deus nos dá, por isso há muitos sendo enganados, pois não tem discernimento para identificar o que vem e o que não vem de Deus.

Portanto seja a diferença, busque a sabedoria do alto, como o tesouro mais precioso pra tua vida, dedique mais do seu tempo, para estar aos pés do Senhor e verás milagres.

Anderson Gomes

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


segunda-feira, 20 de junho de 2016

O QUE É A ESPADA DO ESPÍRITO?

A frase "espada do Espírito" é encontrada apenas uma vez nas Escrituras, em Efésios 6:17. A espada é parte da armadura espiritual que Paulo diz aos cristãos para colocar a fim de poderem lutar eficazmente contra o mal (Efésios 6:13).

A espada é uma arma tanto ofensiva quanto defensiva usada para se proteger do mal ou para atacar o inimigo e vencê-lo. Era necessário que um soldado tivesse um treinamento rígido sobre o uso correto de sua espada para obter dela o máximo benefício.

Todos os soldados cristãos precisam do mesmo treinamento rígido para saberem como lidar corretamente com a Espada do Espírito, "QUE É A PALAVRA DE DEUS". Já que cada cristão encontra-se em uma batalha espiritual contra as forças satânicas deste mundo, precisamos saber como manusear a Palavra corretamente. Só então ela será uma defesa eficaz contra o mal e uma ofensa valiosa para "destruir fortalezas" do erro e da mentira (2 Coríntios 10:4-5)

A Palavra também é chamada de espada em Hebreus 4:12. Aqui, a Palavra é descrita como viva e eficaz e mais penetrante que uma espada de dois gumes. A espada romana era comumente de dois gumes, tornando-a melhor para perfurar e cortar em ambos os sentidos.

A ideia das Escrituras penetrando significa que a Palavra de Deus atinge o "coração", o centro de ação, e traz à tona os motivos e sentimentos daqueles em quem ela toca.

O PROPÓSITO DA ESPADA DO ESPÍRITO -- A BÍBLIA --é nos fortificar e capacitar a suportar os ataques de Satanás (Salmo 119:11; 119:33-40; 119:99-105).

O Espírito Santo usa o poder da Palavra para salvar almas e dar-lhes força espiritual para serem soldados maduros para o Senhor.

Quanto melhor conhecermos e compreendermos a Palavra de Deus, mais úteis seremos em fazer a vontade de Deus e mais eficazes em enfrentar o inimigo de nossas almas.

Fonte: Got Question

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 19 de junho de 2016

NÃO FALE PALAVRAS TORPES

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem.” Efésios 5.29

É preferível falar errado, não ter uma conjugação verbal perfeita, não ser um erudito com as palavras, do que ser uma alguém que fala muito bem e usa a língua para ferir os outros.

Conheço pessoas que têm uma capacidade enorme de oratória e ao mesmo tempo usam a boca para ferir, para machucar.

Existem coisas que é preferível não falarmos para não ferirmos as pessoas. Precisamos entender que temos que usar a nossa boca para abençoar as pessoas.

A Bíblia diz para refrearmos a língua. Não podemos falar tudo que vem a nossa mente. 99% de problemas com casais estão intimamente ligados com a língua. “Ah, meu marido me chamou de fria” ou “ Minha esposa falou que não presto.”

Nossa vitória começará quando entendermos o valor das palavras. Um dos nomes de Jesus é “A Palavra” – todas as coisas que existem, o Senhor criou através da palavra.

Podemos nos tornar matadores des sonhos, quando usamos a nossa boca para depreciar a conquista dos outros.

Imagine uma situação em que você vai viajar com a família, faz uma oração, pede a proteção de Deus e vai embora. No meio do caminho, um amigo que foi com vocês na viagem, começa a mostrar os caminhos nos quais ele já tinha visto acidentes terríveis. Um clima de opressão tomaria conta do ambiente – porque aquela pessoa usa sua boca para derrubar.

Maldição é maldizer, é praguejar! “Filho não presta, casamento não está com nada…”

Que Provérbios 25.11 seja uma verdade na nossa vida: “Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.”

Quando alguém contar a você um problema, não é para você liberar palavras de desestímulo, de fraqueza, de derrota e sim para liberar palavras de edificação.

Tome cuidado com o que você diz em determinados ambientes. A palavra de bênção anula a palavra de maldição. Mas quem não conhece a Palavra de Deus morre. “Prega a Palavra a tempo e a fora de tempo.” “Examinai as escrituras porque ela é o poder de Deus.

Davi conhecia a Deus e a Sua Palavra, o gigante Golias não conhecia nem um nem outro. Sempre leia a Palavra de Deus, ela o fortalecerá e o instruirá para proferir palavras de vida! Deus tem me dado a graça para discernir as maçãs servidas por Deus e as maçãs servidas por satanás.

Quando Golias veio contra Davi o chamou de verme e disse que o mataria, mas Davi respondeu que ele é quem o mataria e cortaria sua cabeça. Por quê Davi falou isso? Porque ele conhecia o Senhor! Ele tinha intimidade com Deus e conhecia a Sua Palavra.

Nem sempre todas as coisas que profetizo para minha vida acontecem, mas nem por isso Deus deixa de ser Deus! A Palavra de Deus diz: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.” Habacuque 3:17-18

Estamos sujeitos a todo o tipo de mazelas – a chuva cai sobre justos e injustos, mas que da nossa boca satanás não ouça palavras de maldição! Se acontecer algum problema conosco, que não seja porque proferimos maldições, mas porque o Senhor permitiu!

Davi confiava em Deus! Ele sabia que a vitória dele não viria pela força de suas mãos, mas pelo poder do Senhor. O gigante tomou uma pedrada na testa, e ele caiu para frente – Deus derrubou o gigante!

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem.”

Pr. Jorge Linhares

Por Litrazini

Graça e Paz


sábado, 18 de junho de 2016

LOUVOR E MÚSICA DE LOUVOR

O QUE SÃO O LOUVOR E O CÂNTICO DE LOUVOR? 
O louvor é a expressão, a verbalização, a exteriorização, do que pensamos e sentimos acerca do Senhor (Sl 108.1). O comportamento ou o porte — conduta e postura — do adorador revelam o que está dentro de seu coração (At 20.17-24).

O louvor não se limita ao cântico, mas abarca tudo o que há em nós (Sl 103.1,2). “Nosso louvor a Deus é o meio pelo qual expressamos nossa alegria ao Senhor pelo que Ele é e pelo que Ele tem feito” (YOUNGBLOOD, p. 490).

O QUE É O CÂNTICO DE LOUVOR?
A primeira menção a um cântico de louvor a Deus está em Êxodo 15.1: “Então, cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR”, o qual está registrado no Céu para ser entoado oportunamente (Ap 15.3).

O cântico de louvor é um meio de expressar o louvor. É o louvor com música (Sl 149.1; 69.30) e faz parte do culto a Deus, segundo o Novo Testamento (1 Co 14.26; Ef 5.18,19).

Muitos cantam, mas não louvam nem adoram ao Senhor (Am 5.23; Is 29.13). “Cânticos ungidos que envolvam toda a congregação são uma das marcas distintivas da adoração pentecostal” (BRIDGES, p. 589).

Davi foi cantor, compositor, músico, inventor de instrumentos musicais, rei, profeta e um grande promotor, incentivador e preservador do ministério do louvor através da música (1 Cr 15; Ed 3.10; 2 Cr 7.6). Ele liderou um grande coral e uma grande orquestra que tinham três regentes (1 Cr 15.16-24; 25.1-31). O número de componentes chegou a quatro mil levitas (1 Cr 23.25).

Seus regentes eram profetas de Deus: Hemã, Jedutum e Asafe (1 Cr 25.5; 2 Cr 35.15; 29.30). Este é o autor dos Salmos 50, 73 e 83. As letras dos cânticos, então, estavam em Salmos (cf. 95.2; 105.2).

O ministério do louvor com música continua nos tempos neotestamentários para a glória do Senhor (Cl 3.16,17).

Ainda que dois terços do ministério terreno de Jesus tenham sido dedicados ao ensino e à pregação (cf. Mt 4.23; 9.35), Ele também cantou (Mt 26.30). Mas observe que o culto a Deus não consiste apenas de cântico ou números musicais (1 Co 14.26).

É preciso que haja salmos (ministração do louvor), doutrina (ministração da Palavra), bem como revelação, línguas e interpretação (ministrações do Espírito).

Igrejas há em que se canta o tempo todo, ignorando-se que o período de louvor deve ser — também — a preparação para a mensagem da Palavra de Deus (2 Rs 3; 1 Sm 10.5; Sl 146.9).

O ministério do louvor com música continuará sendo exercido no Céu: “o seu louvor permanece para sempre”(Sl 111.10).

O nosso louvor, aqui, é apenas um ensaio para a vida de louvor que teremos na glória celestial (Ap 4; 5; 19).

Ciro Sanches Zibordi

Por Litrazini

Graça e Paz