quarta-feira, 30 de novembro de 2016

POR QUE DEUS PERMITE DESASTRES NATURAIS

Por que Deus permite terremotos, tornados, ciclones, tsunamis, furacões, deslizamentos e outros desastres naturais? 
O tsunami no final de 2004 foi uma tragédia na Ásia, o furacão Katrina em 2005 na região sudeste dos EUA e os deslizamentos de 2006 nas Filipinas fizeram com que muitas pessoas questionassem a bondade de Deus. 

É agoniante quando pessoas se referem a desastres naturais como "atos de Deus" quando nenhum "crédito" é dado a Deus por anos, décadas e até mesmo séculos de clima pacífico. Deus criou o universo e as leis da natureza (Gênesis 1:1). A maioria dos desastres naturais são o resultado dessas leis funcionando. Ciclones, furacões e tornados são resultados de leis do estado atmosférico que são divergentes e colidem. Terremotos são o resultado da estrutura da base da terra se deslocando. Um tsunami é causado por um terremoto debaixo d’água.

A Bíblia proclama que tudo subsiste em Jesus Cristo (Colossenses 1:16-17). Deus pode prevenir desastres naturais? Com certeza! Deus às vezes influencia o clima? Sim, veja Deuteronômio 11:17 e Tiago 5:17. Será que Deus às vezes causa desastres naturais como julgamento contra o pecado? Sim, veja Números 16:30-34. O livro de Apocalipse descreve muitos eventos que com certeza poderiam ser descritos como desastres naturais (Apocalipse capítulos 6,8 e 16). Será que todo desastre natural é uma punição de Deus? Absolutamente não!

Da mesma forma que Deus permite que pessoas más cometam atos de maldade, Deus permite que a terra demonstre as consequências do pecado sobre a Criação. Romanos 8:19-21 diz: “A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.” A Queda da humanidade em pecado afetou tudo, incluindo o universo onde habitamos. Tudo na criação está sujeito à “vaidade” e “corrupção”. O pecado é a causa principal para os desastres naturais, da mesma forma que é a causa principal para a morte, doenças e sofrimento.

Podemos entender por que as catástrofes naturais ocorrem. O que não entendemos é por que Deus permite que ocorram. Por que Deus permitiu que o tsunami matasse mais de 225.000 pessoas na Ásia? Por que Deus permitiu que o furacão Katrina destruísse as casas de centenas de milhares de pessoas? Por um lado, esses eventos abalam a nossa confiança na vida e nos obrigam a pensar sobre a eternidade. 

As igrejas são normalmente preenchidas depois de desastres quando as pessoas percebem quão frágeis suas vidas realmente são e como a vida pode ser tirada em um instante. O que podemos saber é que... Deus é bom! Há tantos milagres surpreendentes que acontecem ao mesmo tempo dos desastres naturais – prevenindo uma quantidade ainda maior de mortes. 

Desastres naturais causam milhares de pessoas a reavaliarem as suas prioridades na vida. Centenas de milhões de dólares em ajuda são enviados para as pessoas que estão sofrendo. Os ministérios Cristãos têm a oportunidade de ajudar, ministrar, aconselhar, orar – e levar pessoas a terem fé em Cristo! Deus pode trazer – e assim o faz – coisas boas dessas terríveis tragédias. E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.’(Romanos 8:28).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 29 de novembro de 2016

IDENTIDADE E POSIÇÃO DO DISCÍPULO DE CRISTO

Quando não conhecíamos a Cristo várias coisas ruins aconteciam conosco. Além disso, não havia vantagem nenhuma em servir a satanás, nem na vida de pecado que levávamos. Nós antes estávamos em trevas (Col 1.13) e mortos espiritualmente (Ef 2.1). 

Estávamos separados das promessas de Deus (Ef 2.12). 

Estávamos destituídos da glória de Deus (Rom 3.23), que é o acesso à própria pessoa de Deus. Sem Deus nem esperança (Ef 2.12). 

Éramos inúteis e maus (Rom 3.12). Vivíamos com medo (Heb 2.15), sujeitos à escravidão do diabo por toda vida, Vivíamos sem identidade, unicamente chamados filhos da ira (Ef 2.3).  

De repente, "somente" por termos decidido seguir a Jesus muita coisa mudou. Muita coisa? Não: tudo!

II Cor 5.17 diz que tudo se fez novo; Deus declarou que somos justos (Rom 5.1); Deus nos colocou assentados com Cristo (EF 2.6). Cristo está assentado em posição de Autoridade, e nós com ele; Recebemos nova identidade 

De mortos passamos a ressuscitados, em posição privilegiada. Com nova identidade, sendo agora filhos de Deus, estamos seguros, ninguém nos arrebata das mãos do Senhor. Agora temos um novo Dono, um novo Senhor, que nos COMPROU (I Co 6.19,20). E é Ele que diz coisas especiais a nosso respeito.

Eu sou o que Deus diz que eu sou. Eu tenho o que Deus diz que eu tenho. Eu posso o que Deus diz que eu posso.

QUEM SOU EU? Você é co-participante da natureza de Deus. Em Efésios 2:1-3 temos a descrição de nossa natureza antes de virmos a Cristo: "...estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência... e éramos por natureza filhos da ira". Antes de nós nos tornarmos crentes, nossa natureza era a do pecado, e o resultado de nosso pecado era a morte (separação de Deus). Nessa situação servíamos a nós mesmos e a Satanás, como conseqüência.

Entretanto, no ato da salvação, Deus mudou a nossa essência; tornando-nos "coparticipantes da natureza divina, livrando-nos da corrupção das paixões que há no mundo" (2 Pedro 1:4). Você não está mais na carne; você está em Cristo. Você possuía uma natureza pecaminosa antes da sua conversão, mas agora é co-participante da divina natureza de Cristo. 

Você não é eterno, nem divino, mas tornou-se unido eternamente à divindade de Cristo. Paulo afirmou isso da seguinte maneira: "outrora éreis trevas, porém agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz" (Efésios 3:8); "E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura" (2 Coríntios 5:17). À face das acusações de Satanás, segundo as quais não somos diferentes, devemos crer no fato de que somos eternamente diferentes em Cristo, e assim, viver em harmonia com nossa crença.

O Novo Testamento refere-se a pessoa que você era antes de receber a Cristo como o "velho homem". Por ocasião de sua salvação, o "velho homem", motivado a viver de modo independente de Deus, caracterizado, portanto, pelo pecado, morreu (Romanos 6:6), e a "nova criatura", motivada pela sua identidade em Cristo, caracterizada pela total dependência de Deus, recebeu vida (Gálatas 2:20).

O "velho homem" precisava morrer, a fim de cortar-se o relacionamento com o pecado que o caracterizava e dominava. O fato de você ser uma nova criatura não significa que você não peque mais (1 João 1:8). Todavia, desde que o "velho homem" foi crucificado e sepultado com Cristo, você não precisa continuar pecando (1 João 2:1). Você peca quando decide agir independentemente de Deus.

Pr.Alessandro Cassiano

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

NÃO DEIXE O MEDO TE AFASTAR DE DEUS

Vendo-se o povo diante dos trovões e dos relâmpagos, e do som da trombeta e do monte fumegando, todos tremeram assustados. Ficaram a distância e disseram a Moisés: “Fala tu mesmo conosco, e ouviremos. Mas que Deus não fale conosco, para que não morramos”. Moisés disse ao povo: “Não tenham medo! Deus veio prová-los, para que o temor de Deus esteja em vocês e os livre de pecar”. Êx 20:18-20

O povo hebreu não estava preparado para ver e ouvir a Deus. Tudo o que conseguiam discernir eram sons de vozes, trovões, relâmpagos e trombetas. Faltou a interpretação destes sons, que não fazia sentido para um povo dominado pela carne. Pensamos pequeno, ouvimos pouco e o nosso tato, assim como os demais sentidos do corpo são limitados.

Por este motivo o nosso espírito, que antes estava morto, foi renascido (Jó 3.16). Na realidade o homem natural não foi capacitado a discernir, corretamente o mundo espiritual. O que vem do alto, pode lhe parecer loucura. No entanto, cabe fazer, aos renascidos, uma advertência muito necessária: Não presuma que você é capaz de entender tudo o que vem de Deus, pois se esta capacidade fosse facilmente alcançada ninguém cometeria erros doutrinários. 

A Bíblia ensina que sem santificação ninguém verá a Deus. Tem muita gente impermeável, ou seja, que entra na água e não se molha. Tem o Espírito Santo dentro de si, mas mergulhou com escafandro, quando deveria ter jogado a velha roupa do velho homem fora. Paulo sabia disso tudo e nos avisou, de que deveríamos nos despojar desta roupa maldita, condenada na Cruz e que nos mantém temerosos e nos leva a conservar uma certa distância de Deus.

Não são os títulos e as vestes sacerdotais que nos darão acesso ao Senhor, mas a nossa santidade pessoal. Jesus disse que onde estiverem dois ou três reunidos em seu nome, ali ele estaria, mas não disse que onde ele estivesse nós estaríamos também. 

Da próxima vez que comparecer à um culto À Deus, não esqueça de você em algum outro lugar, em fantasias sexuais ou em momentos mais eletrizantes. Venha com seu corpo, alma e espirito. 

Há uma possibilidade de entender que o chamado temor do Senhor se refira a algo que procede do Senhor e não da nossa alma. Isto comprovaria a tese de que o temor é um sentimento que induz ao aconchego e não ao afastamento. Vários especialistas em genética estão dizendo que o homem foi programado para crer, e que o ateísmo é uma tendência antinatural.

Moisés disse ao povo: “Não tenham medo! Deus veio prová-los, para que o temor de Deus esteja em vocês e os livre de pecar”.

Em outras palavras: Não tenha o tipo de medo que os afasta de Deus, mas aquele temor que os faz desconfiar, que o único lugar seguro neste mundo é Deus, justamente aquele de quem você se afastou.

Ubirajara Crespo

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 27 de novembro de 2016

SAL NÃO É TEMPERO

Uma das coisas mais chocantes que aprendi na faculdade de gastronomia foi isso: O sal não é um tempero! Eita, mas o que ele é então? Bom, o sal é um realçador de sabor. O que acontece é que quando você coloca sal em um alimento você faz com que o sabor do próprio alimento se torne mais notório! É claro que tem a medida certa, se você colocar muito sal, apenas o sal aparece e o alimento perde toda a graça, dizemos que ele: salga; e aí não fica tão bom assim!

Aposto que você já ouviu dizer que os cristãos são o sal da terra, se não, eis aqui sua oportunidade: “Vocês são o sal da terra” Mateus 5:13. Pronto, podemos prosseguir!

Vamos às análises agora. Primeiro, o sal não é o foco em si do prato, o foco é o alimento, ele apenas realça o sabor do próprio alimento. E é assim que nós devemos ser, o alimento é Jesus, Ele disse: “Eu sou o pão da vida”, nos alimentamos de Sua palavra, de Sua companhia, Ele é o foco! 

Nós cristãos precisamos ser sal no mundo, precisamos ser sal para as pessoas, precisamos realçar Jesus, pra que Ele apareça mais e mais, pra que mais e mais pessoas possam se encantar com Sua presença, assim como os sabores são exponenciados pelo sal, nossa função é exponenciar o amor de Jesus para que mais pessoas sejam atingidas!

E o que falamos que acontece quando a gente coloca sal demais? 
Salga! Perde o sabor, não sentimos mais o alimento, apenas o sal! Pois é exatamente isso com a gente, somos o sal, e devemos aparecer nesse processo numa medida equilibrada, quando colocamos uma quantidade excessiva de nós, deixamos Jesus de lado, ninguém mais consegue sentí-lO, nós salgamos Seu amor e agora tudo não passa de um grande prato salgado e impossível de ser tragado.

Saiba dosar o sal! Deixe Jesus agir em você, Ele sabe a quantidade de sal exata pra se usar, pra deixar cada prato perfeito, pra chef nenhum botar defeito! E quanto mais realçarmos Seu amor ao invés de querer salgar tudo, mais as pessoas poderão enxergar de fato Jesus!

Mariana Mendes

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 26 de novembro de 2016

VOCÊ ESTÁ ABATIDO NA SUA FÉ?

O exílio ou cativeiro babilônico é o termo utilizado para chamar o exílio dos judeus do antigo Reino de Judá para a Babilônio, no período de Nabucodonosor II, sendo descrito pelos profetas do Antigo Testamento, Jeremias, Ezequiel e Daniel.

A primeira deportação iniciou-se em 598 a.C., quando Jerusalém foi sitiada e o jovem Joaquim, Rei de Judá, rendeu-se voluntariamente. O Templo de Jerusalém foi parcialmente saqueado e boa parte da nobreza, dos oficiais militares e dos artífices, inclusive o rei, foram levados para o Exílio em Babilônia. Zedequias, tio do Rei Joaquim, foi então nomeado como rei vassalo por Nabucodonosor II.

Ocorre que, 11 anos depois, em resultado de nova revolta no Reino de Judá, temos a segunda deportação em 587 a.C. e a consequente destruição de Jerusalém e seu Templo.

É neste momento de total desespero que Jeremias, mergulhado nas profundezas de sua alma, escreve em Lamentações 3:21, um dos versículos bíblicos para mim mais instigantes, quando disse: Quero trazer à memória o que me pode dar esperança.

Trazendo isso para os nossos dias, temos vivido tempos maus, onde uma sucessão aparentemente infindável de tragédias e acontecimentos têm deixado muitos atordoados, quando não fraquejados em sua fé, com uma tendência a cair no ceticismo ou viver um cristianismo pautado no cinismo.

Situações como o da tragédia dos refugiados, morrendo ao longo do Mar Mediterrâneo quase todos os dias, com a indiferença de boa parte do mundo. Ou o furacão Matthew que na última semana devastou boa parte do Haiti, passando despercebido pela grande mídia, sem nenhuma comoção como quando mataram os editores do Charlie Hebdo ou da boate GLBT em Orlando. Isso quando várias tragédias pessoas e familiares não se avolumam.

Aí, você começa a se perguntar, se você é daquelas pessoas que realmente se importam na forma como o mundo anda, com coisas do tipo: Qual o propósito disso tudo? Onde estava Deus nestes eventos? O que a minha fé pode dar de resposta a essas tragédias humanas?

E aí, que é essencial, como li recentemente em artigo de Priscila Viégas Duque, que o que não nos deixa sucumbir de vez é lembrar das misericórdias de Deus em nossas vidas, de sabermos quem Ele é em nossa existência.

“As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade” (v. 22). A palavra misericórdia, que em hebraico é “hesed”, pode ser traduzida por “aliança de amor” ou “amor imutável”. Diante de tanta adversidade, parece muitas vezes que não há mais esperança, mas Jeremias lembrou que a “hesed” de Deus ainda permanecia sobre seu povo.

Ademais, a confiança em Deus nos permite aceitar o que estamos vivendo em nossas vidas e o que virá, sendo que essa atitude não é o fatalismo, como vemos em algumas crenças, mas, sim fé. Ficamos em silêncio não porque não há o que dizer, mas porque sabem que Deus nos atenderá a seu tempo e a seu modo.

Somente quando abrimos esse nosso olhar para Deus é que conseguimos ver além das circunstâncias deste mundo. Se não temos essa visão, nossa tendência natural é cair no ceticismo ou não ver sentido nenhum na sucessão de fatos que vão se amontoando dia após dia. 

Leandro Bueno

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

A BÍBLIA, LUZ PARA O NOSSO CAMINHO

Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho… Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo (Salmo 119:105, 162).

Finalmente o remoto vilarejo no alto das montanhas foi conectado à rede elétrica. O trabalho está terminado e um inspetor visita os moradores de diferentes casas para garantir que tudo está em ordem. 

Uma moradora idosa responde sua pergunta sobre se ela está satisfeita: “Sim, claro! Agora eu posso ver melhor para acender a minha lâmpada de óleo”.

Podemos sorrir disso, mas em relação a luz, há muita coisa que é notável. Quantos são os que andam tateando pela escuridão moral deste mundo! 

Eles possuem uma Bíblia, mas nunca a abrem. Eles podem ler um panfleto evangelístico de vez em quando ou uma página de um devocional cristão, mas isso não é suficiente. 

Isso é semelhante a preferir uma lâmpada de óleo que a muito mais brilhante luz elétrica.

Tem havido muitos e longos períodos no decorrer da história quando era proibido a posse de uma Bíblia. 

Quantas vezes os cristãos colocaram suas vidas em risco e viajaram muitos quilômetros para poder ler um dos poucos exemplares restantes! Para estes crentes a Palavra de Deus não era apenas a luz para o seu caminho, mas a fonte de onde tiraram conforto e alegria.

Não vamos deixar as nossas Bíblias na prateleira, como uma lâmpada que permanece apagada no escuro, mas deixemos que a Palavra de Deus ilumine nosso caminho como a luz, para a nossa salvação, a nossa preservação e nossa alegria.

Extraído do Devocional Boa Semente

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

O PODER DO PAI NOSSO

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. (Mateus 6:9-13)

Jesus após um pedido de seus discípulos, deixou uma das orações mais usadas de todos os tempos o Pai Nosso, porém muitas pessoas quando oram essa oração não entendem o poder e a profundidade que existe em meio a essas frases. Gostaria de compartilhar com os irmãos alguns aspectos dessa oração que fazem dela tão poderosa.

PAI NOSSO QUE ESTÁS NOS CÉUS: nessa primeira frase já temos duas realidades que podem mudar a vida de qualquer um que creia. A 1ª é que Jesus nos ensina que agora Deus não é somente o nosso criador mas com a vinda de Jesus Ele se torna nosso Pai, a 2ª é que Deus está acima de todas as coisas no mais alto lugar de onde Ele pode abençoar a vida daqueles que agora são filhos.

SANTIFICADO SEJA O TEU NOME: Jesus agora nos ensina a reconhecer a santidade que há em Deus, Ele é perfeito, Nele não há falhas Nem erro algum Ele é o modelo que devemos seguir.

VENHA O TEU REINO, SEJA FEITO A TUA VONTADE, ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU: Jesus ensina aqui que devemos nos sujeitar a Deus e fazermos a sua vontade, da mesma forma que os anjos no céus não questionam as ordens de Deus, nós também devemos apenas aceitar que Deus sabe o que é melhor para nossas vidas. 

Assim como um rei determina o futuro de seu súditos, da mesma forma devemos confiar a Deus o futuro de nossas vidas, sendo guiados pela Sua Palavra e pelo Seu Espírito, devemos crer de que fato a vontade de Deus é Boa Perfeita e Agradável e nos entregarmos a ela sem medo.

O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DÁ HOJE: Aqui Jesus nos ensina que não devemos nos preocupar com as necessidades desse mundo, pois a cada dia Deus as suprirá. Da mesma forma que no deserto a cada dia Deus derramava a provisão para seu povo, Jesus quer que possamos viver dependentes de Deus, buscando primeiro o Reino de Deus e sua Justiça crendo que todas as demais coisas nos serão acrescentadas.

E PERDOA-NOS AS NOSSAS DÍVIDAS, ASSIM COMO PERDOAMOS OS NOSSOS DEVEDORES; Jesus quer nos ensinar a importância de perdoar para que possamos ser perdoados por Deus. Ele coloca como condição para sermos alcançados pelo perdão de Deus, o fato de permitirmos que aqueles que nos ofenderam alcancem o nosso perdão, pois de outra forma Deus fica impossibilitado de perdoar.

E NÃO NOS CONDUZA A TENTAÇÃO; MAIS LIVRA-NOS DO MAL: Aqui Jesus nos ensina que devemos pedir pela proteção de Deus, em todos os momentos em nossas vidas, pois todo o tempo somos tentados a fazer o que não agrada a Deus. Satanás sabe que se sucumbirmos as tentações desse mundo seremos conduzidos para o mal e dessa forma nos afastaremos de Deus, os dias são maus e se não tivermos firmados na Rocha Eterna certamente não resistiremos, porém se nos sujeitarmos embaixo da poderosa mão de Deus Satanás fugirá de nós.

PORQUE TEU É O REINO, O PODER E A GLÓRIA, PARA SEMPRE, AMÉM: E para finalizar Jesus nos ensina que Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas. Deus reina, é poderoso e glorioso, quando reconhecemos isso e nos entregamos a Ele, somos feitos co-herdeiros em Cristo de toda essa majestade, de todo esse poder e somos imergidos em Sua Glória, e isso não é algo temporário mas eterno.

Quando for orar o Pai Nosso da próxima vez, não o faça como se fosse uma oração qualquer mas creia que quando você a orar, estará trazendo a céus para terra, com essa que é a oração mais completa e poderosa que Jesus poderia nos ensinar.

Wellington Gomes Negreiros

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O CONSOLO VEM DE DEUS

Por que estás abatida, Ó minha alma? E por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei. Ele é a salvação da minha face e Deus meu. Salmo 43: 05.

Porque te abates oh minha alma? Está foi uma pergunta de alguém que conhecia a Deus, de alguém que trazia dentro de si a chama da adoração, cujo coração era sincero diante de Deus, mesmo com todos os percalços existentes durante a sua caminhada, ele tinha um coração segundo o coração de Deus. […] já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração, e já lhe tem ordenado o Senhor, que seja chefe sobre o seu povo. I Samuel 13:14.

Em todo o tempo, Davi expressa uma confiança inabalável em Deus, uma certeza que o livramento viria independente do tempo, ou ocasião; isto fazia dele um referencial da fé, alguém que tocava no coração de Deus por trazer dentro de si um quebrantamento inigualável; através do temor a Deus, ele demonstrava quanto o amava como todas as suas forças. Eu te amarei Senhor de todo coração, ó Senhor, fortaleza minha. Salmo 18:01

Davi não se importava com sua condição de rei, mas, valorizava a verdadeira comunhão com Deus, visível é o laço de intimidade; ele tinha expressa convicção do poder do seu Deus e sabia que, Deus nunca iria falhar, havia um relacionamento de Pai e filho, entre ele e Deus. O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.Salmo 18:02

Porém, houve na vida de Davi momentos terríveis, por causa dos erros cometidos por ele, isto lhe patrocinou momentos de amarguras profundas em sua alma.

Hoje, em nossa vida não é diferente, há circunstâncias em que somos levados a ser encurralados por embaraços que nós mesmos proporcionamos; são situações que nos faz olhar para todos os lados sem saber o que fazer. Elevo meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro? Salmo 121:01

Entretanto, o pior cercado que um homem pode ficar, é o instalado dentro dele, as grandes que trancafiam a alma, cujas hastes são chamadas angústias, amarguras e aflições, provocadas por atitudes e atos próprios, devido as escolhas errôneas.

Todas as algemas impostas em nós, por outrem, temos forças para lutar até livramo-nos delas, pois, o nosso intelecto irá sempre nos informar que aquela situação, é injusta, e algo acende dentro de nós elevando o desejo em sobressair-se e vencer, e isto acontece. Tira a minha alma da prisão, para que louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me fizeste bem. Salmo 142:07

Porém, todo aprisionamento interno, procedente de deslizes nossos, têm proporção elevada, suficiente para nos ferir subitamente, deixando arranhões terríveis; no corpo; na alma, e no espírito, demorado é, o processo da cura, pois, automaticamente, as informações que nosso cérebro recebe é que, aquilo só está acontecendo porque cedemos espaços, logo, tende a permanecer por mais tempo do que o esperando, e, em muitos causos, essas algemas passam ser de resistência infame, tornam-se, grandes muralhas invisíveis, se não tivermos equilíbrio emocional, corremos o risco em permanecer paralisados, estáticos, impedidos de realizar muitas coisas. Cordas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam.Salmo 18:5

A mente humana é uma caixinha coberta por informações coloridas, chamada de pensamentos, se a cor escura dominar, haverá trevas ao redor, e conseqüente, o viver ficará aprisionado em si mesmo.
Do que se queixa o homem, senão dos seus próprios erros? Fato isto é, se não fossem as pedras que nos mesmo ajuntamos durante a nossa caminhada muitas muralhas não se prontificaria em nossa frente. Porque a vida é como chaminé da lareira, só aparece às fumaças quando seu dono acende fogo, e a depender da cor da fumaça é deduzido o que está sendo queimado. Ou seja, se não houvéssemos cometido tantos erros, não estaríamos passando por determinada situações, e muitas situações ainda tem se tornado pior, porque não ouvimos os alertas e conselhos. De que se queixa pois o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados Lamentações 03:39.

Quando não consultamos a Deus antes de tomar as decisões em nossa vida, ficamos propensos a ser pego por laços criados por nós mesmo, solícitos a tropeçar em planos que projetamos; muitos, por não pensar antes de agir, ou então, pensar em se dá bem, em tirar vantagem da situação, se emaranham em redes perigosas, e quando descobre, já é tarde, tornou-se prisioneiro na cela da alma, passou a ser como uma aranha que virou presa das próprias teias. Lança o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá; nunca permitirá que o justo seja abalado Salmo 55:22

Atitudes erradas nos encaminham por veredas tortuosas, decisões precipitadas nos arremessam a vales profundos, conselhos sem está fundamentados em Deus pode nos levar a pagar altos preços. É necessário confiar ao Senhor, tudo que somos, temos, ou planejamos, pois, ainda que venhamos a tropeçar, nosso coração não irar oscilar, pois, traremos dentro de nós a certeza que o socorro virá, ainda que pareça a nós, demorar; saberemos assim como Davi, que as misericórdias do Senhor é a causa de não sermos consumidos. Só ele é a minha rocha e a minha salvação; é minha defesa, não serei grandemente abalado Salmo 62:02

Pra. Elza Carvalho

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 22 de novembro de 2016

VAMOS NOS ESPECIALIZAR EM DEUS

Davi só apareceu esta manhã. Ele parou de cuidar das ovelhas para entregar pão e queijo para os seus irmãos na frente de batalha. Ali é onde Davi ouve Golias desafiando Deus...

Leia as primeiras palavras que ele falou, não só na batalha, mas na Bíblia: “Davi perguntou aos soldados que estavam ao seu lado: ‘O que receberá o homem que matar esse filisteu e salvar a honra de Israel? Quem é esse filisteu incircunciso para desafiar os exércitos do Deus vivo?’” (1 Samuel 17:26).

Davi aparece discutindo sobre Deus. Os soldados não mencionaram nada sobre Ele, os irmãos nunca falaram o seu nome, mas Davi entra em cena e levanta o assunto sobre o Deus vivo...

Ninguém mais discute sobre Deus. Davi não discute sobre ninguém mais a não ser sobre Deus...

Davi vê o que os outros não veem e se recusa a ver o que os outros veem. Todos os olhos, exceto os de Davi, caem sobre o grandão bruto que respira ódio... As pessoas conhecem as suas provocações, as suas exigências, o seu tamanho e as suas escoras. Eles se especializaram em Golias.

Davi se especializa em Deus. Ele vê o gigante, como você pode imaginar; mas ele vê Deus ainda maior. Olhe atentamente para o grito de guerra de Davi: “Você vem contra mim com espada, com lança e com dardos, mas eu vou contra você em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel” (1 Samuel 17:45).

Senhor Deus, prepare-nos para andar no seu caminho. Ensine-nos a vê-lo nas situações que são perigosas e difíceis. Como Davi, quando nós estivermos rodeados por desafios avassaladores, que os nossos pensamentos e as nossas palavras recorram primeiro ao senhor. 

Ao invés de discutirmos sobre os problemas, lembre-nos de discutir sobre o senhor. Que o nosso primeiro pensamento de manhã e o nosso último pensamento à noite estejam centrados no Senhor. 

Ao invés de nos preocuparmos com as impossibilidades, permita que nós nos especializemos no seu grande poder. Quando nós estivermos tentados a olhar para os gigantes nas nossas vidas, nós escolheremos olhar para o senhor, amém.

Exaltado seja o Deus da minha salvação. Salmos 18:46

Andamos por fé, e não por vista. 2 Coríntios 5:7

Max Lucado

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

O SENHORIO DE JESUS CRISTO

Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis.Não há quem faça o bem, não há nem um só. (Rm 3:12). A morte de Jesus é uma parte do evangelho, mas existe mais. Depois da queda, a natureza do homem ficou estragada, podre 

Evangelho pregado hoje - aceite Jesus ... ;  Evangelho do Reino - Jesus, me aceite...
Muitas das pregações dos apóstolos falam da morte Jesus. Mas todas falam da ressurreição. Ela aponta, mostra que Jesus é o MESSIAS, o REI, que veio para ser o Senhor e Dono. Rm 14:9 At 2:38 

- Arrepender (metanóia no original grego) significa mudança de rumo, mudança de atitude interior. Deixo de ser independente. Passo a ser dependente de Deus.

Mensagem de Jesus para os apóstolos: SEGUE-ME! Mc 8:34,35; Lc 14:33
Arrepender não é abandonar alguns pecados. É morrer para a minha vontade para fazer (e não para falar) a vontade do Pai.

O Evangelho do Reino não foi estabelecido para a salvar o homem, mas para agradar a Deus e colocar Jesus como Rei.

A mensagem JESUS É O SENHOR é muito pregada e cantada na igreja hoje, mas não tem muito significado, ou é apenas um desejo, um alvo a ser atingido algum dia.  Quando uma pessoa é salva, ela entra para o reino de Deus e está debaixo do governo de Jesus Cristo. Ela é salva da sua independência para ser dependente de Jesus.

O senhorio de Jesus não é uma opção para ser salvo, é uma condição. - Mt 16:24 - “Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me”. 

Não podemos prometer a vida eterna para alguém que não foi tocado no seu ego (no seu eu) e continua independente de Jesus.  Mc 10:17-22 - “Ora, ao sair para se pôr a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele e lhe perguntou: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? ninguém é bom, senão um que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás; não adulterarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; a ninguém defraudarás; honra a teu pai e a tua mãe. Ele, porém, lhe replicou: Mestre, tudo isso tenho guardado desde a minha juventude. E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Uma coisa te falta; vai vende tudo quanto tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, segue-me. Mas ele, pesaroso desta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitos bens”. Era dono, possuía ... O Deus dele eram suas posses. Seu coração estava nelas. 

Lc 19:1-10 - “Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade. Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico. Este procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão… Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão. Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”.

Era rico, proeminente. Subiu numa árvore para ver. Jesus manda e ele obedece sem questionar nada. Recebeu Jesus com alegria. Ele se despojou de seus bens sem que Jesus tocasse no assunto. Entendeu o que era ter Jesus como Senhor. Deixou de ser independente.

A renúncia é uma condição para se converter. (Ex.: A porta estreita - não existe a porta media) Nem Jesus nem os apóstolos usavam aquela famosa frase: “Quem quer aceitar Jesus como seu salvador ?” e sim: “Negue-se a si mesmo. Renuncie a tudo, inclusive a você”. Eles pregavam uma submissão incondicional a Jesus.. Texto fora do contexto é pretexto

Transcrito Por Litrazini


Graça e Paz

domingo, 20 de novembro de 2016

É HORA DE RECOMEÇAR

Embora no hall dos tipos de tempo apresentados em Eclesiastes 3 não apareça o tempo de recomeçar de forma direta e explícita, sabemos quão necessário ele se faz em momentos específicos de nossa vida.

“Tudo tem seu tempo determinado”, e, talvez, este seja o tempo de recomeçar, de começar do zero, de se levantar para voltar a caminhar com JESUS.

Esqueça, momentaneamente, o tempo de abraçar, de rir, de buscar alguma bênção da parte de DEUS; porque seja o tempo de chorar, de prantear, de ter vergonha das más atitudes e dos maus caminhos; o tempo do desprezo ao pecado; dos prazeres deleitosos, da felicidade estampada na face por ter feito algo bom para o EGO, mas tão nocivo a DEUS.

O tempo para a minha e a sua vida seja, irrevogavelmente, o tempo de chegarmos a DEUS e buscarmos a purificação de nosso coração: “Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações. Senti as vossas misérias e lamentai e chorai; e converta-se o vosso riso em pranto e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e Ele vos exaltará” (Tiago 4:8-10).

As recomendações escritas pelo apóstolo Tiago, na verdade, são do Espírito dAquele que quer nos salvar e não deseja mais nos ver perdidos.

Como temos andado? O que temos feito? DEUS tem verdadeiramente se agradado de nós? São perguntas que precisam ser respondidas na plenitude da sinceridade. É tempo de abandonarmos os pecados e buscarmos a Santa presença de DEUS.

Precisamos abandonar as horas tristes da prostituição, da bebida, da mentira, das exaltações rancorosas e das conversas torpes que tivemos nesses últimos meses ou dias.

A nossa força vem do SENHOR, mas precisamos fazer a nossa parte, que é nos arrependermos, chorarmos, cumprirmos tudo o que foi escrito acima por Tiago. A força, junto com o perdão, virá; e não haverá quem a contenha. E quando nos levantarmos de nossa humilhação, sentiremos a alma e as mãos limpas; a mente em paz e a gloriosa presença do Espírito Santo, porque ELE terá retornado à Sua verdadeira casa, que somos nós, o nosso corpo.

É hora do recomeço, irmãos; tempo de perseverarmos pela nossa santificação. É tempo de nos levantarmos das cinzas amargas que o mundanismo nos proporcionou e cairmos na sinceridade de nossa consciência, assim como fez o filho pródigo da Parábola: “E, caindo em si, disse: Quantos jornaleiros de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; e já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros” (Lucas 15:17-19).

Ou, como fez Davi, no Salmo 51, depois de ter adulterado com Bate-Seba: “Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista; para que sejas justificado quando falares e puro quando julgares. (...) Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação e sustém-me com um espírito voluntário” (Salmo 51:4, 10-12).

O caminho da volta pode ser muito difícil, mas é necessário e inadiável. Não pode ser amanhã ou depois, quando estivermos nos sentindo melhores. É hoje, agora, imediatamente, como um salto que se dá da cama e coloca-nos de joelhos na presença do SENHOR. Daqui para amanhã, satanás lançará outras mentiras, outros convites, outras prisões contra nós. O tempo é agora!

O diabo não é o nosso amigo nem quando ele aparenta ser em determinados momentos. Nosso único e verdadeiro AMIGO é JESUS, que, mesmo ofendido pelos nossos pecados, entristecido pelas obras más que cometemos; quando O procuramos, ELE ali está de braços abertos para nos perdoar e nos ajudar no recomeço. Não existe outro melhor que ELE!

Enquanto satanás nos leva às cadeias dos pecados, que nos tornam felizes e exauridos de muito prazer, DEUS nos leva à liberdade para agradá-LO, para servi-LO, à liberdade da renúncia do nosso EU. Enquanto o caminho final de satanás para nós são as trevas; o de DEUS é o Céu, a Sua morada eterna. É tudo uma questão de escolha. E enquanto satanás mente em nosso ouvido, dizendo que não há mais jeito para a nossa situação, DEUS afirma e garante exatamente o contrário: “Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará e não cessarão os seus renovos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e o seu tronco morrer no pó, ao cheiro das águas brotará e dará ramos como uma planta” (Jó 14:7-9).

Há esperança para todo aquele que hoje se encontra torto, perdido. JESUS endireita quem O deseja de todo o coração. Por isso, largue o pecado, fuja dele imediatamente! Coloque seus olhos em DEUS e nas coisas do Seu Reino. Fuja dos prazeres do mundo porque ele jaz no maligno. É tempo de recomeçar, de ser e fazer diferente; de promover influências santas e não sofrer influências perdidas.

Fernando César

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 19 de novembro de 2016

O DESAFIO DE DEUS

Deus desafia todas as nações para que tragam seus deuses e provem que são poderosos, que faça o que seus adoradores dizem o que eles são. Enquanto eles não conseguem provar, e os deuses se mostram impotentes, Deus diz que vai mostrar quem é e o que faz, trazendo do Norte a Ciro, o homem que ele escolhera para governar os povos. Deus de verdade faz isso, não promete fazer, ou precise que seja carregado por aqueles que o adoram.

Deus faria com que seu povo voltasse das terras para onde foram, coisa que nenhum deus ou nação conseguiu fazer, mas o povo de Deus iria retornar dos lugares onde estava, e assim Deus provaria seu poder. Regocíjate grandemente en el Señor!

Através das metáforas dos animais e das árvores, sete tipos, Deus mostra que iria causar espanto a todas as nações ao redor. Tudo foi resolvido por Deus. Quando eles vissem o povo voltando, grande seria o espanto, pois restauração de Deus em redor.

Esse capítulo tem alguns dos versículos mais lindos, como os versículos 10, 11, e 13, onde Deus diz que vai fazer Israel vencer aos seus inimigos, e com certeza, muitos inimigos de Israel nem existem hoje, como Deus prometera, cumpriu. Entre eles estão os Filisteus, Moabitas, Edomitas, Assírios, etc.

Ele usa uma metáfora interessante no verso 15, que fala de trilho novo, na verdade uma metonímia, que usa a parte pelo todo; trilho aqui é uma máquina usada para preparar a terra para serem plantada nela as sementes. Deus iria renovar a nação, preparar o terreno para Israel de novo florescer, para que vença seus inimigos e Deus seja glorificado.Assim todos saberiam quem era o Deus dessa nação tão desprezada,humilhada.

É a renovação de Deus acontecendo, e ninguém iria impedir que seu povo fosse restaurado, nem os deuses dessas nações, que eram tidos como poderosos, mas na verdade não eram nada diante da grandeza de Deus. Eles não provaram nada, não predisseram o futuro, nem fizeram uma bondade ou maldade, para provarem que estavam vivos, como Baal, Astorete, ou Astarte, ou Vênus, e Milcon, ou Malcon, entre outros, falsos deuses que nada podem fazer. 

Só o eterno IAVÉ triunfaria, como triunfou. Deus desafiou eles para a luta, para provarem quem eles eram de verdade, e Deus mesmo diz que “eles não são nada, menos que nada”, enquanto que ele prova ser o Deus grande.

Essa esperança que nós temos de Deus, aquele que faz em nós o que quer. Que Deus nos guarde de todo mal, e aqueles que lutam contra nós sejam envergonhados, para que nós possamos usufruir das promessas de Deus, a qual não falha, pois Deus é o sustentador de todas as coisas, como diz Paulo no livro de Romanos,capítulo 11, depois de explicar o plano de Deus, que inclui os gentios e Israel: “tudo é por ele e para ele; glória, pois, a ele eternamente”.

Josias Leonardo De Moura

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

A VITÓRIA VIRÁ

E em ti confiarão os que conhecem teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam. Salmo 09:10

Igreja do Senhor Jesus, eu bem sei que muitos estão vivendo situações adversas, muitos dos servos do Senhor, estão sendo verdadeiros heróis diante a tantas lutas, e porque não dizer, mártires da fé; pois, são tantas as perseguições, tantas calúnias, tantas injustiças, vendavais por dentro e por fora. No entanto, mesmo tendo poucas forças, eles não têm negado o bom nome do nosso Deus.

Estes, mesmo com a sua voz embargada, devido a tantas batalhas, continuam a declarar que Deus está no controle. Estes, mesmo que em seu físico estejam se arrastado, tem mantido sua fé alicerçada na rocha que jamais se moverá. Estes, sim, são verdadeiros remanescentes; Fazem parte da Filadélfia que vai morar com Deus. Eu sei as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome. Apocalipse 03:08.

Amados, podem acreditar, por mais que tenhamos intimidade com Deus, é muito pouco, o que sabemos sobre Ele; apesar de todas as maravilhas que lemos em sua palavra, de todos os seus atos e feitos, Deus é muito mais que tudo isso; existe uma fonte de poder sob o domínio deste Deus, que a mente humana não consegue assimilar.

Abrir o mar vermelho, derrubar um gigante com uma pedrinha, fazer o sol reter-se no lugar, fazer águas saírem de uma rocha, fazer cabo de machado flutuar, andar em fornalha de fogo, andar sobre as águas, dormir tranqüilo na cova de leões famintos, fazer descer fogo dos atos céus. Tudo isso foi realizado por homens que estavam debaixo do seu agir; se Deus através de homens cheios de erros e defeitos, fez tudo isto acontecer, o que Deus com as próprias mãos não pode fazer? Eis que isto são apenas orlas dos seus caminhos; e quão pouco é o que temos ouvido dele! Quem, pois, entenderia o trovão do seu poder? Jó 26:14.


Igreja preciosa, nós, não sabemos quem é o nosso Deus, nenhum de nós cremos de fato Neste Deus, pois, tudo que existe foi feito por Ele, tudo que há, foi Ele quem os chamou a existência, o que seria demasiadamente grande para Ele, acaso pode haver alguma coisa que lhe seja impossível? Bem sei eu que tudo podes, e nenhum dos teus pensamentos pode ser impedido, Jó 42:02.

O que falta em nós é fé, lançarmo-nos aos seus cuidados, porque se Ele conhece a quantidade de fio de cabelo que há em nossa cabeça, qual seria a área da nossa vida para Ele não alcançar? O que precisa é haver um laço de intimidade, um laço de dependência, uma ligação mútua, Deus em nós e nós em Deus; porque Ele já está conosco, é seu hálito que nos dá vida, mas será que nós estamos Nele? Se tivermos, basta tão somente, clamarmos a Ele, Ele ouvirá a nossa voz, e virá em nosso favor. Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante sua face. Salmo 18:06

Tantas vezes falamos deste Deus que é tão incomensuravelmente grande, mas temos medo de homens que são pó e cinza, mas porque temos medo ainda? Porque ficamos tão afoitos e ansiosos diante das adversidades, porque os problemas nos fazem sucumbir em aflições? A resposta só pode ser uma, não conhecemos o nosso Deus, caso contrário, relataríamos como fez o salmista. Não terei medo de dez milhares de pessoas que se puserem contra mim ao meu redor. Salmo 03:6

Quando entendermos que Deus é o nosso Pai, e, jamais Ele permitirá que venhamos ser fracassados, derrotados. Mesmo que tudo ao nosso redor mostre ao contrario, nossa fé ressoará como o toque do sino dentro de nós “eu vou vencer” porque não serão as circunstâncias quem determinará a nossa vitoria, mas o Todo Poderoso que conosco está, Nele veremos a vereda da vida, Nele encontraremos a abundancia de alegrias, mesmo que em nossa volta esteja em caos, Nele nós nos regozijaremos, ainda que seja em tempos difíceis. Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há abundancia de alegrias; à tua mão direita há delicias perpetuamente Salmo 16:11. Oh, Glorias!

Não existirão barreiras que conseguirá nos deter, nem para-peito do inimigo conseguirão nos opor, porque o que controla todas as coisas, através da sua palavra, em seu nome, nos fará ser muito mais que um vencedor. Posso todas as coisas naquele que me fortalece. Filipenses 04:13

Muitas vezes, Ele, como no processo de lapidação; nos deixa passar por tormentas, por vendavais, por fornalhas; permite que sejamos lançados em covas; presos em calabouços; acorrentados em prisões humanas; humilhados como réus, mesmo sendo inocentes e injustiçados. Tudo para nos aperfeiçoar de forma que não conseguimos entender, mas depois, Ele nos fará brilhar. Mas ele sabe o meu caminho; prove-me, e sairei como ouro. Jó 23:10.

O servo fiel, não se deixa vencer por acoites do mal, não serão estas coisas que irá informar quem ele é, porque o seu caráter já é de cidadão dos Céus. Em todo o tempo, o verdadeiro adorador busca a Deus, incansavelmente; adora-o na beleza da sua santidade, se derrama em seus pés, e lhe agradece pelas duras provas, certo de que a vitoria já está para chegar. Do preceito de seus lábios nunca me apartei, e as palavras da sua boca prezei mais do que o meu alimento. Jó 23:12.

Porque os esperam no Senhor, estão plantados junto aos ribeiros de águas tranquilas, bebem na fonte cujas águas são para a vida eterna; se alimentam do pão que veio do céu; são como palmeira no deserto, pode até envergar, mas não caem; ele é como um carvalho entre vendavais, não se move de lugar mesmo que haja turbulência. Os que confiam em Deus, ver clarão em plenas trevas; acham saídas mesmo que tudo esteja fechado; ver a cura mesmo que sentenciado, desenganado; tem resposta ainda que todos se calem; encontra provisão enquanto o mundo está em crise. Quem espera em Deus Jamais perde batalhas. Mas alegrem-se todos os que confiam em ti; exultem eternamente, porquanto tu os defendes; e em ti se gloriem os que amam o teu nome Salmo. 05:11. Aleluias!

Você conhece um pouquinho a Deus? Confie então, ele é infalível, busque a sua face, faça menção ao seu nome de Dia e de noite, espere em seu agir, confiantemente, é uma questão horas, a sua vitoria virá! Se formos infiéis, ele permanece fiel: não pode negar-se a si mesmo. II Timóteo 02:13.

Pra. Elza Carvalho

Por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz