sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A VISÃO DO PROFETA E O CHAMADO AO ARREPENDIMENTO

“... E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniquidade foi tirada, e expiado o teu pecado. Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim” (Isaías 6:4-8)

Muitas pessoas desejam serem usadas por Deus e fazer a sua obra. E não são poucos aqueles que anseiam serem vasos de honras nas mãos do Altíssimo. O profeta Isaías era um desses que na sua época foi chamado por Deus para levar a mensagem celestial a seu povo. Conta as Escrituras que no ano da morte do Rei de Judá, Uzias, o profeta Isaías vê o Senhor assentado em um alto e sublime trono. As orlas de Suas vestes cobriam aquele lugar, o Templo do Senhor. Isaías viu anjos que voavam e que cobriam do alto a baixo a presença do Senhor.

QUE PRIVILÉGIO TEVE AQUELE PROFETA?
O chamado de Isaías iniciou-se diante de uma visão tremenda da glória de Deus. A imagem do Senhor Todo Poderoso, Exaltado na Sua própria Glória que nem uma imagem em HD poderia definir. O som de anjos , como um coral dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor colocariam muitas vozes desse nosso mundo “ no chinelo”. Nem um som potente , nem um efeito Double Surround poderia equalizar as vozes dos seres celestiais louvando a Deus nas alturas.

O chamado do profeta exigia vida santa
Porém o que muitas pessoas não entendem, principalmente dessa nova geração era que o chamado profético não era tido como Status, como muitas as tem hoje. O chamado profético exigia acima de tudo uma vida santa.

Hoje muitos se intitulam “profetas de Deus”, “vasos escolhidos do Senhor”, mas poucos estão dispostos a renunciar tudo pelo chamado de Deus. Poucos estão dispostos a serem purificados no seu modo de pensar, de agir ou falar.

Pouco se fala da família de Isaías a não ser que era filho de Amoz. Pela citação de seu pai se entende que ele era importante, bem como se vê também a relação que tinha com as pessoas de poder daquela época. Isaías conhecia aqueles que governavam sua nação, bem como, aqueles que religiosamente comandavam o culto a Deus. E era justamente a esses que foi endereçada a sua mensagem.

A GLÓRIA DE DEUS MOSTRA NOSSA FRAGILIDADE
Diz as Escrituras que quando viu a Glória de Deus , ele viu sua fragilidade e pequenez , dizendo:
“Ai de mim, estou perdido, pois sou um homem de lábios impuros e vivo no meio de um povo de impuros lábios”. E os meus olhos viram o Rei , o Senhor dos Exércitos. (Is 6:5).

Queridos, aquele “ai” significava na cultura hebreia um sentido de condenação e de juízo.
Jesus mesmo proferiu os seus “ais”. (Mt 23: 13-39). E este temor envolvia as pessoas diante da presença de Deus, que não podiam vê-lo , senão morreriam. (Ex 19:21; Jz 6:22-23; 13:22).

Na verdade quem Isaías viu foi aquele que iria anunciar a sua mensagem, ou seja, o ungido de Deus, o Messias de Israel, chamado Cristo. O mesmo que Daniel viu em visão no rio Tigre e João na ilha de Patmos (Dn 10:5-6; Ap 1:13-15). A visão era de Jesus , o Rei da glória.

Muitas pessoas dizem “conhecer Deus” e seguir conforme seus mandamentos, mas quando o Senhor exige algo deles, são como o jovem rico, ou seja, fogem da sua presença.(Mc 10:21). Outras pessoas dizem que “andam com Deus” , mas não querem entregar a Deus seu desejos pecaminosos mais profundos. Não querem dar ao Senhor “seus pecados de estimação” que há tempos vem ocupando um espaço no coração que era para ser “totalmente de Deus”.Deus não pode muitas vezes trabalhar em muitas vidas, porque em muitas corações Ele não encontra lugar de arrependimento

Diz a palavra de Deus que logo que o profeta confessou sua fraqueza, um anjo serafim voou para ele, com uma brasa viva, que tirara do altar. (Isaías 6:6) E com essa brasa tocou a sua boca e disse:Eis que ela te tocou os teus lábios, e as tua iniquidade foi tirado e perdoado o teu pecado.(Is 6:7)

A palavra do Senhor diz: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.” (Provérbios 28 : 13).

O profeta Isaías não encobriu seu pecado, ele confessou-o e por isso teve seu pecado perdoado. Aquele anjo estava trazendo a “brasa purificadora” que vinha direta do Altar do Senhor.

De nada adianta sermos considerados profetas pelos homens ,se diante Dele e da Sua Santa presença continuamos a ser transgressores.Foi após ter sido tocado e perdoado por Deus que ouve-se a voz de Deus dizendo: A quem enviarei e quem há de vir por nós ? (Isaías 6:8).E com a certeza de quem 1+1 é 2, o profeta respondeu:“Eis me aqui, envia-me a mim” (Is 6:8) Sabe, com isso entendemos que quando ”verdadeiramente” somos perdoados e tocados pelo Senhor estamos de fato prontos para toda boa obra.

Em um outro exemplo podemos citar o rei Davi: O salmista Davi quando confessou seu pecado diante de Deus nos Salmos 51 declarou: Pequei contra ti, contra ti, somente e fiz o que era mal perante os teus olhos. (Sl 51:4). Mas o diferencial dele foi que Davi pediu a Deus que o Senhor purificasse seu coração para que pudesse ser limpo. Davi reconheceu que precisava ser livre dos “crimes de sangue” e que nada adiantaria se o Senhor não o purificasse. (Sl 51:14).Também pediu que o Senhor criasse nele um coração puro (Sl 51:7;10).

Palavras essas ditas também nos salmos 24:4 que diz que os que receberão a benção do Senhor e a justiça do seu Deus serão aqueles que são limpos de mão e puro de coração(Sl 24:4-5). Só após ter confessado e pedido a Deus mudança, que Davi pode dizer: Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos e os pecadores ser converterão a ti (Sl 51:13)

Tendo esses exemplos de Davi e nesse texto de Isaías podemos concluir vários aspectos:
1) Que é necessário confessar a Deus e não encobrir nossos erros para que possamos fazer a obra de Deus da melhor maneira.
2) Aprendemos que quando “verdadeiramente” temos uma visão de Deus, não há como continuarmos da mesma maneira.
3) Entendemos que Devemos teme-lo. Não podemos servir ao Senhor de qualquer jeito.

Isaías entendeu que não poderia falar ousadamente e sem restrições da parte de Deus se algo não fosse removido da sua vida? E a pergunta que fica para sua meditação é? O que é ainda é preciso para ser removido em sua vida?

Anderson Cassio de Oliveira

Por Litrazini

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário