terça-feira, 14 de novembro de 2017

A ARCA ERA UMA RELÍQUIA?

A REVERÊNCIA À ARCA DÁ SUPORTE À VENERAÇÃO DAS RELÍQUIAS? IISAMUEL 6.7

Uzá não foi ferido por fracassar em termos de veneração à arca, mas por desobediência à lei de Deus, que proibia qualquer pessoa de tocar a arca, exceto o sacerdote (Nm. 4.15; IISm. 6.7).

Mostrar respeito pela arca, na qual a própria presença de Deus, sua santidade e glória eram manifestas, é muito diferente de venerar as relíquias de criaturas humanas.

A arca era um símbolo divinamente designado, e não meras ruínas e adornos humanos. Além disso, a arca era um símbolo especial em uma teocracia única, na qual Deus pessoalmente e de maneira visível (na nuvem de sua glória) habitava entre o seu povo especialmente escolhido, Israel.

Finalmente, mesmo mantendo o lugar especial que a arca possuía, o povo não deveria venerá-la (Êx. 20.4-5), mas deveriam simplesmente obedecer às leis de Deus em relação à sua utilização.

Deus claramente ordenou ao seu povo que não fizesse imagens de escultura, nem se prostrassem diante delas em um ato de devoção religiosa.

Esse é o mesmo erro dos pagãos que “honraram e serviram mais a criatura do que o Criador” (Rm. 1.25).

A Bíblia nos proíbe tanto “fazer” como “prostrar-se” diante de uma “imagem” de qualquer criatura, em um ato de devoção religiosa (Êx. 20.4-5).

Fonte: Resposta Às Seitas, Norman L. Geisler e Ron Rhodes, CPAD, 2000 – Texto compilado e adaptado pelo Pr. Edison Miranda da Silva.

Bíblia Apologética, ICP, 2000.

Por Litrazini

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário