domingo, 7 de janeiro de 2018

SE ...

O “se”, para o caso que desejo analisar, é conjunção condicional. É o mesmo que “no caso de”, “dada a circunstância de que”, “desde que”, “se por acaso”, “se porventura”.

Em várias oportunidades Deus estabelece condições ao seu povo. Se o povo atender a determinadas condições, receberá bênçãos divinas. No concerto com os israelitas, Deus assegurou:

“Agora, pois, se diligentemente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu concerto, então, sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos; porque toda a terra é minha” (Ex 19.5; v. 23.22).

“Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição: a bênção, quando [se] ouvirdes os mandamentos do Senhor, vosso Deus, que hoje vos mando; porém a maldição, se não ouvirdes os mandamentos do Senhor…” (Dt 11.26-28).

“Se o meu povo, que se chama pelo meu). Aqui que não se trata de fazer uma coisa ou outra, mas uma coisa e outra, isto é, humilhar-se, orar, buscar a Sua face e se converter de seus maus caminhos (v.Pv 28.13). E mais:

Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor…” (Jo 15.10). “Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei”; “se me amardes, guardareis os meus mandamentos” (Jo 14.15-16).

“A oração em nome de Cristo abrange pelo menos duas coisas:
(1) orar em harmonia com sua pessoa, caráter e vontade:
(2) orar com fé em Cristo, na sua autoridade e com o fim de glorificar tanto o Pai como o Filho (At 3.16). Orar realmente em nome de Jesus equivale a dizer que ele ouvirá qualquer oração como Ele mesmo oraria. Não há limite para o poder da oração quando ela é dirigida a Jesus ou ao Pai com fé e conforme a sua vontade” (Bíblia de Estudo Pentecostal).

“Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos” (Jo 8.31). A confiança dos discípulos não deveria ser baseada numa fé ou experiências passadas. A certeza da salvação dá-se quando o crente permanece na “minha palavra”. Aquele que prega outro evangelho não pode ser considerado discípulo de Cristo. “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai: que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos”(Jo 15.7-8).

“Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Rm 10.9). À especial atenção de alguns grupos religiosos: “Quem nega a ressurreição corporal de Jesus não tem direito legítimo de dizer que é cristão; continua um incrédulo, uma vez que a morte e a ressurreição de Cristo é o evento central na salvação” (Bíblia de Estudo Pentecostal).

“Se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados” (Jo 8.24). “Eu sou” diz respeito à eternidade do Filho. Quem não crê que o Senhor Jesus é o Verbo encarnado (Jo 1.1,2,3,14) será lançado no Lago de Fogo e Enxofre.

“A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome”. Ou seja, se crerem (Jo 1.12). Assim, a condicionante está implícita em muitos casos.

Portanto, no caminho para o céu não existem atalhos. Existe um único caminho: Jesus Cristo, o Caminho, a Verdade e a Vida. “Se creres, verás a glória de Deus” (Jo 11.40).

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini


Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário