sábado, 3 de fevereiro de 2018

O PODER DE DEUS

Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; e a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva Lucas 4:25-26

É graça de fato! O profeta de Deus foi enviado a Sidom, de onde tinha vindo a perversa rainha Jezabel.

Por que Deus enviou Seu profeta para um lugar tão perigoso cujo povo era um inimigo pervertido de Deus?

A resposta é que o sábio e onipotente Deus, que impediu a chuva, é ao mesmo tempo o Deus de toda a graça.

Ele disse a Elias para ir morar ali, e que Ele tinha ordenado uma mulher viúva para sustentá-lo. O profeta obedeceu sem perguntar se ela era rica ou pobre, porque sua confiança não estava na viúva, mas em Seu amado Criador.

Quando ele chegou ao portão da cidade viu a mulher. Ela estava em extrema pobreza. Mas sua fé não vacilou, pois ela estava em Deus e não nos meios que Ele usa.


Elias estava com sede e faminto, e pediu a ela um pouco de água para beber e por um pão. Então, a pobre viúva contou a ele sobre seu estado desesperador. Ela e seu filho estavam a ponto de morrer.

Elias então declarou a maravilhosa graça de Deus e lhe disse: Não temas. Esta história está em 1 Reis 17 e é linda e cheia de lições preciosas.

O Deus de toda graça continua fazendo o mesmo hoje, numa escala bem maior. Ele ainda envia Seus servos a países não menos perversos que Sidom.

Cristo enviou Seus apóstolos para os culpados e assassinos em Jerusalém, para a Judeia e Samaria, e para os lugares mais distantes da terra.

O espaço não nos permite falar de homens como: Hudson Taylor, William Carey, Robert Moffat e David Livingstone.

E Ele ainda está enviando Seus servos para o Oriente Médio, para o Oriente, o Norte da África e outros lugares perigosos. Por que? Porque Ele, o Deus de toda graça, deseja que todos sejam salvos.

Extraído do Devocional Diário Boa Semente

Por Litrazini

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário