sábado, 26 de maio de 2018

O VALOR DO TRABALHO DIÁRIO

Quando Jacó viu Raquel, filha de Labão, irmão de sua mãe, e as o velhas de Labão, aproximou-se, removeu a pedra da boca do poço e deu de beber às ovelhas de seu tio Labão. (Gênesis 29.10) 

Como líder do povo de Deus e luz para o mundo, Jacó foi uma pessoa extremamente importante.

Ele tinha a bênção e a promessa de Deus e até mesmo tinha ouvido o Senhor falar com ele. É notável que ele viveu como se não tivesse coisa alguma.

Ele viveu como uma pessoa comum e fez seu trabalho diário, ações para as quais Deus não dá instrução específica alguma em sua Palavra.

Deus não disse a Jacó como ele o ajudaria ou o dirigiria, como as coisas terminariam nem se haveria boa colheita em determinado ano.

De modo semelhante, nós nunca devemos dizer: “Eu não sei o que acontecerá, então nada farei”. Deus nos diz para fazer o melhor que pudermos e deixar o restante para ele.

Ele não prometeu que tudo que fizéssemos teria sucesso. Não precisamos saber o que acontecerá nem como as coisas terminarão.

Devemos simplesmente realizar o trabalho atribuído a nós da melhor maneira possível.

Na Bíblia, ouvimos sobre os atos impressionantes e heroicos dos nossos ancestrais na fé. Juntamente com eles, também ouvimos sobre o trabalho humilde, desagradável e repugnante que tiveram de fazer.

Isso deve nos confortar todas as vezes que nosso trabalho diário tentar nos desanimar. Então, não nos sentiremos deprimidos nem cairemos em desespero, pensando que Deus nos desprezará.

Pelo contrário, devemos entender que todo trabalho é santificado por meio da Palavra de Deus e da nossa fé.

Mas o mundo não vê o trabalho dessa maneira. As pessoas pensam que ler histórias envolvendo personagens bíblicos fazendo tarefas comuns e cotidianas é uma perda de tempo.

Somente os cristãos são capazes de ver e compreender que Deus está trabalhando nessas atividades comuns. Esse trabalho é precioso, não apenas aos nossos olhos, mas também aos olhos de Deus. 

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário