sábado, 9 de junho de 2018

EVANGELIZAÇÃO


Pedro pregou o seu primeiro sermão e aproximadamente três mil pessoas se converteram. Pouco tempo depois, no Templo, este número subiu para quase cinco mil pessoas, entre elas muitos sacerdotes. 

Depois veio a perseguição e, no término dela, em 313 d.C., com o Edito de Tolerância, havia cerca de dez milhões dos que professavam a fé em Cristo. No ano 1000 d.C., haviam cinquenta milhões de cristãos. No final de 1700 d.C., apesar do esforço missionário ter diminuído, o número para 215 milhões, o que significa um aumento de 165 milhões de pessoas em oitocentos anos. Em 1975 d.C., 

Willian Carey destacou-se ao iniciar as missões modernas, e em 1900 havia 500 milhões de cristãos no mundo. Houve, então um aumento de 285 milhões em cem anos. Na década de 1980 o número aumentou para 1.3 bilhão de pessoas. Em 1990, chegou a 1.8 bilhão. Isto significa que houve um aumento de um bilhão e quinhentos milhões de cristãos apenas no século vinte! Não há conquistas mais significativas do que esta nos anais da história. 

O reino de Cristo espalha-se mais rapidamente, três vezes mais do que a média de crescimento da população.

A evangelização é uma grande ameaça ao diabo; por isso, ele não mede esforços a fim de impedir, desviar e desencorajar todo o esforço para a evangelização. Ele range os dentes, quando alguém se dispõe a falar do amor de Deus a um colega de trabalho ou de escola. 

A Bíblia diz que satanás se oporá ao crescimento da Igreja nos últimos dias, quando usará, com renovada intensidade, as táticas que utilizou no passado.
As pessoas zombam dos cristãos - “Sabeis primeiro que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? Desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação” (2 Pe. 3.3,4). 

O surgimento da iniquidade. “... estas palavras estão fechadas e seladas até o tempo do fim. Muitos serão purificados, e embranquecidos, e provados mas os ímpios procederão impiamente. Nenhum dos ímpios entenderá, mas os sábios entenderão” (Dn. 12.9,10); “Saiba isto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis” (2 Tm. 3.1). 

O surgimento da apostasia. “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos alguns apostarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios” (1Tm. 4.1); “Vede que não vos enganem” (Lc. 21.8); “Acautelai-vos por vós mesmos, para que não aconteça que os vossos corações se sobrecarregam de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e aquele dia vos pegue de surpresa como uma armadilha”(Lc. 21.34). 

O surgimento de guerras e confusão política no mundo. “Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá grandes terremotos, fomos e pestes em vários lugares e acontecimentos terríveis e grandes sinais provenientes do céu” (Lc. 21.10,11). 

O surgimento de falso cristos. “Cuidai para que ninguém vos engane. Muitos virão em meu nome, dizendo: “Sou eu!” e enganarão muitos”. (Mc. 13.5,6).
Nem todos tem o Dom de evangelista, mas todos podem evangelizar. Todo cristão precisa ser uma testemunha de Cristo. O diabo, coloca no coração dos membros das igrejas que a evangelização é de responsabilidade dos pastores e evangelistas, chamados especialmente para este fim, Satanás gosta que pensemos que outra pessoa pode fazer.

Nós, entretanto, devemos ser os melhores comunicadores do Evangelho em todo e qualquer lugar. 

Nossos vizinhos nos conhecem e sabem como vivemos. Os inimigos costuma convencer-nos de que somos inúteis, fracassados e sopra em nossos ouvidos que nosso testemunho é falho e ineficaz. Não temos dúvida quanto a isto: a oposição ao evangelismo aumentará nestes últimos dias

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário