terça-feira, 19 de junho de 2018

OS BENEFÍCIOS DO SOFRIMENTO


José, de carruagem pronta, partiu para Gósen para encontrar-se com seu pai Israel. Assim que o viu, correu para abraçá-lo e, abraçado a ele, choro u longamente. (Gênesis 46.29) 

Israel, ou Jacó, não se desesperou, mesmo ao enfrentar muitos problemas. Ele parecia ter sido rejeitado, mas Deus não o abandonara. Ele continuou sendo filho de Deus, que continuou nele de forma oculta e maravilhosa.

Muito depois, quando os acontecimentos haviam se desenvolvido, Jacó viu que seu filho José ainda estava vivo e se tornara um importante líder no Egito. Então Jacó ficou feliz por ter passado por tanto sofrimento.

Ele pensou: “Eu não teria experimentado tanta felicidade se minha família tivesse sido cuidada como eu planejei.

José teria sido apenas um pastor como o restante dos meus filhos. Mas agora ele foi elevado à posição de realeza e salvará muitas pessoas”.

Assim, quando estamos sendo disciplinados e nos sentimos tristes, não devemos lutar contra os nossos problemas. Em vez disso, devemos trazer à lembrança: “Não morrerei; mas vivo ficarei” (Sl 118.17).

Mesmo que o oposto pareça ser verdade, precisamos conseguir dizer: “Sempre que me sinto desamparado, posso colocar a minha confiança em Deus, que é capaz de fazer tudo a partir do nada. Quando estou totalmente devastado, ninguém pode levantar-me novamente da forma como ele pode”.

Quanto mais severo o sofrimento, maiores os benefícios para o santo povo de Deus. Ser testado por meio do sofrimento é um sinal certo da graça e da misericórdia de Deus para com seu povo fiel.

Quando eles se agarram às promessas de Deus, bênçãos inacreditáveis acontecem. Tiago diz: “Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam” (Tg 1.12).

Retirado de Somente a Fé - Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário