sexta-feira, 7 de setembro de 2018

A ENTRADA TRIUNFAL EM JERUSALÉM



Quando se aproximou e viu a cidade, Jesus chorou sobre ela. (Lucas 19.41)

A entrada de Jesus em Jerusalém é registrada pelos quatro evangelistas, embora cada um deles apresente detalhes que outros omitem.

Jesus já havia claramente decidido cumprir o que estava escrito a seu respeito em Zacarias 9. Um futuro rei de Judá entraria em Jerusalém trazendo salvação, não com bravata de valentia, nem sobre um arrogante cavalo de batalha, mas humilde e mansamente montado em um burro. Assim ele “proclamará paz às nações” (Zc 9.10).

Esse acontecimento tem indícios de ter sido pré-arranjado e até mesmo orquestrado. Provavelmente, em uma visita anterior, Jesus havia combinado com amigos em Betânia tomar emprestado um burrinho, que seria liberado mediante a senha “O Mestre precisa dele”.

Então as multidões tomaram parte na encenação, espalhando suas vestes sobre o dorso do animal e nas ruas, festejando animadamente.

Tendo passado pelas vilas de Betânia e de Betfagé, o desfile circundou o monte das Oliveiras e de repente Jerusalém surgiu, com seus pináculos reluzentes e os pátios espaçosos do templo.

Ali, ao que parece, enquanto o volume dos gritos da multidão diminuía, para espanto e constrangimento de todos, Jesus se desfazia em lágrimas.

Em meio a soluços, ele proferiu um lamento profético sobre a cidade, predizendo a sua destruição por ela não ter reconhecido o tempo da visitação de Deus.

É admirável que, no exato instante em que Jesus advertia a cidade sobre o juízo, ele estivesse chorando sobre ela em amor.

O juízo divino é uma realidade solene e aterradora, mas o Deus que julga é o Deus que chora. Ele não quer que nenhuma alma se perca. Quando finalmente o seu juízo cair sobre alguém (como Jesus disse que seria), os olhos de Deus estarão cheios de lágrimas.

E, quando ia chegando, vendo a cidade, chorou sobre ela,Dizendo: Ah! se tu conhecesses também, ao menos neste teu dia, o que à tua paz pertence! Mas agora isto está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti, em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te estreitarão de todos os lados;E te derrubarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, pois que não conheceste o tempo da tua visitação. (Lc. 19.41-44)

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo. [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini
Graça e Paz


Nenhum comentário:

Postar um comentário