quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

AS GLÓRIAS DO NOSSO SALVADOR

Toda a história do Antigo Testamento foi uma preparação para a chegada do Messias. Os patriarcas falaram dele. Os profetas apontaram para ele. O cordeiro da páscoa era um símbolo dele. A arca da aliança, símbolo da presença de Deus entre o povo, era uma sombra da realidade que chegou com ele.

Na plenitude dos tempos, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a Nazaré, a fim de transmitir a Maria que ela seria mãe do Salvador. Esse episódio está registrado em Lucas 1.26-38. Destacaremos à luz deste texto três solenes verdades acerca do nosso glorioso Salvador.

EM PRIMEIRO LUGAR, SEU NOME APONTA-O COMO SALVADOR (Lc 1.31).
Jesus é o seu nome humano e esse nome lhe foi dado porque ele salvará o seu povo de seus pecados (Mt 1.21). Jesus é o único nome dado entre os homens pelo qual importa que sejamos salvos (At 4.12).
Ele é o único Mediador entre Deus e os homens (1Tm 2.5). Ele é a porta da salvação e o caminho para Deus. Ele veio para buscar e salvar o perdido. Nele temos copiosa redenção.

Todo aquele que nele crê tem a vida eterna. Por meio dele somos reconciliados com Deus e passamos a ter livre acesso a Deus. Aqueles que viveram na antiga dispensação foram salvos olhando para a frente, para o Messias que havia de vir, ou seja, o Cristo da profecia. Nós, porém, somos salvos olhando para trás, para o Cristo que já veio, o Cristo da história.

Nunca houve nem jamais haverá outro Salvador. Só ele salva. Só nele há perdão e vida eterna.

EM SEGUNDO LUGAR, SUA DIGNIDADE APONTA-O COMO FILHO DO ALTÍSSIMO (1.32).
Jesus foi concebido por obra do Espírito Santo (Lc 1.35). Como homem não teve pai humano e como Deus não teve mãe humana. Ele é o Filho do Altíssimo, o próprio Filho de Deus (Lc 1.35), o Pai da eternidade.

Ele é Deus de Deus, Luz de Luz, co-eterno, co-igual e consubstancial com o Pai. Ele tem os mesmos atributos do Pai e realiza as mesmas obras. Ele é o Verbo eterno, pessoal, divino, criador, autor da vida e luz que ilumina todo homem. Ele se fez carne e habitou entre nós. Sendo Deus, se fez homem; sendo Rei, se fez servo; sendo transcendente, esvaziou-se e nasceu de uma virgem para habitar entre nós cheio de graça e de verdade.

Ele é a exata expressão do ser de Deus. Ele é o resplendor da glória. Nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade. Ninguém jamais viu a Deus. Foi Jesus, como Filho de Deus, que veio nos revelar o Pai em todo o seu fulgor, em toda a sua glória. Quem vê Jesus, vê o Pai, pois ele e o Pai são um.

EM TERCEIRO LUGAR, SUA POSIÇÃO APONTA-O COMO REI CUJO REINO É ETERNO (1.32,33).
Jesus herdou o trono de Davi. Ele reinará para sempre, pois o seu reinado não terá fim. Reinos se levantam e caem, mas o reinado de Cristo é eterno. Reis ascendem ao trono e reis são depostos do trono, mas o reinado de Cristo jamais será abalado e jamais passará. O seu reino não é deste mundo. Não é um reino político e geográfico, com aparato militar. Mas, um reino espiritual.

Ele governa o coração de seus súditos. Ele estabelece seu reino dentro de nós, um reino de justiça, alegria e paz. Agora, está presente entre nós e em nós o seu reino de graça, mas na consumação dos séculos, todos os reinos tornar-se-ão dele. Então, ele estabelecerá o seu reino de glória, quando colocar todos os inimigos debaixo de seus pés. Então, ele entregará o reino ao Deus e Pai, para que este seja tudo em todos.

Quão glorioso é o nosso Redentor. Ele é a nossa esperança e a nossa alegria. Ele é a nossa paz e a nossa herança. Ele é o nosso Salvador e o nosso Senhor. Ele é o nosso Advogado e o nosso Juiz. Ele é verdadeiro Deus e verdadeiro Homem.

Ele é antes do tempo, criador do mundo, sustentador do universo, Salvador de seu povo. Por meio dele vivemos, nos movemos e existimos. A ele tributamos toda honra e glória, agora e pelos séculos sem fim!

Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

ARREPENDIMENTO, A MANCHETE DO EVANGELHO

João Batista foi o precursor de Jesus, para preparar o caminho de sua chegada. Brandindo a espada do Espírito, conclamou o povo a arrepender-se e a produzir frutos de arrependimento. 

Não se trata de arrepender e novamente se arrepender, mas de arrepender e dar frutos de arrependimento. 

Arrependimento significa mudar de mente e de direção. Implica em mudança. Exige transformação. Impõe um novo rumo com novas atitudes. 

Aqueles que permanecem no erro, mesmo que se desmanchem em lágrimas, não dão provas de arrependimento nem demonstram seus frutos. 

Arrependimento é um tema ausente na maioria dos púlpitos contemporâneos. Nossa geração prefere entreter os pecadores a chamá-los ao arrependimento. Prefere mantê-los sorrindo caminhando para a morte, do que levá-los ao choro do arrependimento para a vida. 

O ARREPENDIMENTO EXIGE MUDANÇAS EM TRÊS ÁREAS VITAIS DA VIDA: 

1. A RAZÃO 
Arrependimento significa mudar de mente. O arrependimento verdadeiro é conceitual. Traz uma nova luz para a mente e faz brotar um novo entendimento da vida e dos valores que a governam.

Uma pessoa arrependida compreende que o pecado é maligníssimo. Uma rebelião contra Deus. Portanto, foge não apenas das consequências do pecado, mas, sobretudo, do pecado. Aqueles que se deleitam no pecado e se refestelam nos prazeres da vida, mesmo que derramem lágrimas amargas quando recebem o merecido salário do seu pecado não demonstram um genuíno arrependimento. 

Os frutos do arrependimento só podem ser produzidos por alguém que recebeu a luz da verdade na mente, a convicção do pecado no coração e, consciente e deliberadamente se aparta do pecado como o maior de todos os males.

2. A EMOÇÃO 
Arrependimento significa sentir tristeza segundo Deus pelo pecado. É demonstrar um profundo pesar por ofender a santidade de Deus. É afastar-se do pecado como uma coisa abominável aos olhos daquele que é puro.

A tristeza segundo Deus produz vida e não morte. Conduz o homem pelas veredas da salvação e não pelos abismos da condenação. A tristeza do mundo esmaga, atormenta e mata. A tristeza do mundo produz culpa e remorso, mas não alivia a consciência, porém a tristeza segundo Deus abre a ferida, mas também cura. Convence de pecado, mas também conduz à fonte do perdão.

Arrependimento não é remorso que leva à morte, mas é choro pelo pecado que conduz à vida. Aqueles que se arrependem choram não porque foram flagrados no pecado e agora estão sofrendo as consequências do seu erro, mas choram porque o pecado é mau aos olhos de Deus.

3. A VONTADE 
Arrependimento significa dar meia volta, mudar de direção e adotar um novo comportamento. Não é arrependimento e novamente arrependimento, mas arrependimento e frutos de arrependimento.

Aqueles que verdadeiramente se arrependem não vivem mais na prática do pecado. Não são mais escravos do pecado. Não vivem mais com o pescoço na coleira do diabo. 

Arrependimento significa abandonar o pecado para deleitar-se na santidade. Significa deixar o reino das trevas e ser transportado para o reino da luz. Arrependimento, mais do que sentimento, é atitude. Não é aquilo que falamos apenas, mas aquilo que fazemos. 

Não é discurso diante dos homens, é mudança de vida diante de Deus. Não é um desempenho teatral para impressionar as pessoas, mas um quebrantamento sincero diante de Deus.  Não é rasgar as vestes, mas o coração. 

O ARREPENDIMENTO É A MANCHETE DO EVANGELHO, A PORTA DE ENTRADA NO REINO DE DEUS, UMA EXIGÊNCIA INEGOCIÁVEL PARA A SALVAÇÃO. 

Hernandes Dias Lopes 

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

É NECESSÁRIO

Jesus caminhava da Judéia para a Galiléia, havia outro caminho mais fácil, havia um caminho mais comum, o caminho pelo vale do Jordão era um caminho mais viável para Jesus, porém ele preferiu outro caminho, pois era necessário passar por Samaria (v. 4). Aquele caminho reservava muitos acontecimentos. Por isso era necessário passar por ele. Jesus se cansou, pois era exaustivo o caminho e resolveu se assentar para descansar, pediu aos seus discípulos para buscar comida.

Era necessário Jesus ter cansado, era necessário se assentar ao lado da fonte de água.

Uma mulher se aproxima neste contexto de acontecimentos necessários, Jesus pediu água, a mesma não esperava encontrar alguém naquela hora na fonte, ela não esperava encontrar um judeu, ela não esperava que um judeu falasse com ela, mas tudo isso foi necessário.

O que estamos passando hoje é necessário, as lutas, as dificuldades, as faltas são necessárias, a tristeza às vezes é necessária, perder também em algumas situações é necessário.

A falta de água na casa da samaritana lhe proporcionou encontrar com aquele que é maior do que as fontes de Jacó daqual a mulher esperava tirar a água. A falta de água fez com que ela encontrasse com alguém que lhe oferecia algo além de uma simples água, esse alguém lhe mostrou que existia algo além do simples poço, havia uma fonte inesgotável de vida.

A água sempre simbolizou vida, e a água que Jesus prometera aquela mulher era a água viva, ela não era uma fonte geradora de vida ela era a própria vida.

Jesus falava de Si mesmo, Ele é esta fonte, porém percebemos a dificuldade da mulher entender o que Jesus estava dizendo. Para entender o que Jesus falava era necessário primeiro conhecer o dom de Deus, que é o Amor, já que ela e mais ninguém esperava que um homem ainda mais sendo judeu dialogasse com um samaritano, oamor estava prevalecendo, tudo era necessário.

Os acontecimentos em nossas vidas são necessários para termos uma experiência com Jesus, a falta, as dificuldades financeiras, as provas, os desertos são necessários, mas sempre terá alguém te esperando nesse caminho, alguém que é a própria fonte de vida.
Esta mulher precisou de água e Jesus a aguardava ao lado do poço, se não tivesse faltado água em sua casa ela não encontraria com Jesus, foi necessário ter falta de água.

Muitas coisas em nossas vidas são necessárias, mesmo achando que não são, elas são importantes para o nosso crescimento e para a salvação de nossa família.

/Os discípulos chegam da cidade comalimentos para Jesus, mas quando chegaram se depararam com esta cena: Jesus assentado ao lado do poço de Jacó e a mulher ao seu lado escutando as belas palavras do Mestre.

Eles ficaram sem reação, pois era necessário tudo aquilo. O silêncio deles era necessário.

A fome que Jesus sentiu foi necessária;assim que seus discípulos foram buscar alimento, houve a possibilidade da mulher se achegar ao poço, pois caso ela percebesse que havia vários homens ali, ela não se achegaria para buscar a água, e não iria conhecer a verdadeira fonte de água... Jesus!

Tudo foi necessário.

Pr. Eduardo Santos

Por Litrazini
Graça e Paz


domingo, 28 de janeiro de 2018

PREPARADO PARA SER GRANDE

Nem todo mundo está preparado para ser grande. Muitos ao iniciarem o processo de crescimento são paralisados por não estarem prontos para alcançar esse objetivo. E você?

Deus nos criou para sermos grandes. E ainda hoje ele quer nos abençoar com todas as sortes de bênçãos.

Infelizmente, porém, nem todos estão preparados para ser grande. É comum encontrarmos pessoas vivendo numa grande adversidade. 

Vamos pegar como exemplo a figura de Calebe. Não encontramos muito a respeito dele na Bíblia, mas o que achamos é suficiente para que o tomemos como modelo.

Na divisão da terra que Deus havia prometido ao seu povo, Calebe ficou com o monte Hebrom. Ele pode chegar diante de Josué e reclamar para si aquele monte.

Calebe não veio do nada e pediu algo tão grande assim. Ele passou por um processo. Ele foi liberto da escravidão do Egito.

Depois de receber a promessa da herança da nova terra, ele perseverou 40 anos no deserto, junto com os que não creram, e mais cinco anos na terra prometida. Até que chegou o momento de dizer: este monte é meu por promessa.

Seu coração confiava plenamente no Senhor. Ele semeou esperança e perseverou em sua fé. Deus fez dele um grande homem.

Calebe tinha um coração derramado diante de Deus.

Pr Jorge Linhares.

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 27 de janeiro de 2018

A PARÁBOLA DOS HOMENS SANDUÍCHE

Eu sou a voz do que clama no deserto: “Endireitai o caminho do Senhor”. João 1:23

Os rostos dos três homens estavam sérios quando o prefeito os informou sobre a catástrofe: “As chuvas destruíram a ponte. Durante a noite muitos carros foram para o precipício e caíram no rio”.

- “O que nós podemos fazer?” um deles perguntou.
 “Vocês precisam ficar ao lado da estrada e avisar aos motoristas para não virarem à esquerda. Digam a eles para pegarem a estrada estreita que segue ao lado do rio”.
- “Mas eles dirigem muito rápido! Como podemos avisá-los?”

“Vestindo esses cartazes sanduíches”, o prefeito explicou, pegando três cartazes duplos de madeira unidos de forma a ficarem pendurados nos ombros de uma pessoa.
- “Fiquem nos cruzamentos para que os motoristas possam ver estes cartazes até que eu consiga alguém para consertar a ponte”.

E então os homens foram rapidamente para a curva perigosa e colocaram os cartazes apoiados em seus ombros.
- “Os motoristas deveriam ver a mim primeiro”, falou um deles. Os outros concordaram. O cartaz dele avisava “Ponte Quebrada!” Ele caminhou vários metros antes de virar e ficar em seu posto.

- “Talvez eu devesse ser o segundo, para que os motoristas diminuam a velocidade,” falou o homem cujo cartaz dizia “Diminuam a Velocidade”. “Boa idéia,” concordou o terceiro.
- “Eu ficarei aqui na curva para que as pessoas saiam da estrada larga e entrem na estreita”. Em seu cartaz estava apenas “Peguem a Estrada Certa” e tinha um dedo apontando na direção da estrada segura.

E então os três homens ficaram com seus três cartazes prontos para alertarem os viajantes sobre a ponte quebrada. Conforme os carros se aproximavam, o primeiro homem ficava em pé de modo que os motoristas pudessem ler: “Ponte Quebrada”.

Então o próximo sinalizava para seu cartaz, avisando os carros “Diminuam a Velocidade”. E conforme os motoristas obedeciam, eles então veriam o terceiro cartaz, “Peguem a Estrada Certa”. E, apesar da estrada ser estreita, os carros obedeciam e ficavam seguros. Centenas de vidas foram salvas pelos três homens-sanduíches. Por eles terem feito seus trabalhos, muitas pessoas foram mantidas fora de perigo.

Mas depois de poucas horas eles relaxaram em suas tarefas. O primeiro homem dormiu.
- “Ficarei sentado onde as pessoas possam ver meu cartaz enquanto eu durmo”, ele decidiu. Então ele tirou seu cartaz de seus ombros e o apoiou contra uma pedra. Ele se inclinou no cartaz e dormiu. Enquanto ele dormia, seu braço escorregou sobre o cartaz bloqueando uma das duas palavras. Então ao invés de se ler “Ponte Quebrada”, seu cartaz apenas dizia “Ponte”.

O segundo não ficou cansado, mas ficou orgulhoso. Quanto mais avisava as pessoas, mais importante se sentia. Alguns até paravam no acostamento para agradecê-lo pelo trabalho bem feito.
- “Nós poderíamos ter morrido se você não nos tivesse dito para diminuirmos a velocidade”, eles aplaudiam. “Você está muito certo”, ele pensava consigo mesmo. “Quantas pessoas estariam perdidas se não fosse por mim?”. Agora ele chegou a pensar que ele era tão importante quanto seu cartaz.

Então tirou o cartaz, colocou no chão, e ficou ao lado dele. Quando fez isso, não percebeu que ele, também, estava bloqueando uma palavra de seu aviso. Ele estava na frente da palavra “Velocidade”. Tudo que os motoristas conseguiam ler era a palavra “Diminuam”. Muitos pensaram que ele estava fazendo propaganda de um plano de dieta.

O terceiro homem não estava cansado como o primeiro nem orgulhoso como o segundo. Mas ele estava preocupado com a mensagem de seu cartaz. “Peguem a Estrada Certa”, dizia. Ele ficou inquieto por sua mensagem ser tão inflexível, tão rígida. “Deveria ser dada uma opção para as pessoas. Quem sou eu para dizer a elas qual é a estrada certa e qual é a estrada errada?”.

Então ele decidiu mudar a frase do cartaz. Ele fez um traço na palavra “Peguem” e alterou para “Prefiram”. “Humm”, ele pensou, “ainda está muito estridente. É melhor não moralizar. Então ele fez um traço na palavra “Prefiram” e escreveu “Sugiro”. Ainda não parecia certo, “Pode ser que ofenda as pessoas se elas pensarem que eu esteja sugerindo que sei algo que elas não sabem”.

Então ele pensou e pensou e finalmente fez um traço na palavra “Sugiro” e a trocou por uma frase mais neutra.“Ahh, agora está certo”, ele disse a si mesmo enquanto se afastava e lia as palavras:“Estrada Certa – Uma de Duas Alternativas Igualmente Válidas”.E então, enquanto o primeiro homem dormia, o segundo ficava parado e o terceiro alterava a mensagem, um carro após o outro mergulhava no rio.

Autor: Max Lucado

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

A IMPORTÂNCIA DOS DONS ESPIRITUAIS

Escrever sobre os dons, é tratar de um tema que envolve toda a comunidade cristã, já que, toda a pessoa salva possui pelo menos um dom, no entanto, de acordo com pesquisas do Instituto para o Desenvolvimento Natural da Igreja, com sede na Alemanha, 80% dos cristãos não sabem qual é o seu dom[1]. Essa situação é alarmante, pois os dons são armas espirituais à disposição dos que hão de herdar a vida eterna.

Sendo assim, cada cristão é um membro do corpo místico de Cristo na Terra, por isso deve procurar entender e buscar os dons que foram outorgados pelo Espírito Santo. O pastor Purkiser, da Igreja do Nazareno, tratando do tema, é enfático: “Toda a verdadeira função do corpo de Cristo tem um membro capaz de executá-la, e cada membro tem uma função a executar”[2].

Paradoxalmente, muitos crentes passam anos na igreja sendo imparciais diante desse assunto, ignorando-o e gerando falta de conhecimento bíblico: “A respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes” (1 Co 12.1). Todos nós fomos chamados por Deus para desempenhar uma função no Reino e precisamos ser equipados com os dons necessários para o serviço cristão.

O QUE SÃO OS DONS?
No original grego a palavra Dom é “Charisma” que significa presente, manifestações do Espírito, oferecidos mediante a graça divina por parte de Deus como sendo o doador dos Dons. De acordo com o pastor Russel N.Champlim em sua enciclopédia. “Charisma indica os dons do Espírito, as suas graças, gratuitamente conferidas, para a obra do ministério (I Co 12:4, 9, 28, 30,31). Além disso, enfoca também o dom da graça, que nos traz a salvação’’[3].

TRÊS CLASSES DE DONS
Com esses Dons engrandecemos o reino de Deus, pois através de nossas vidas é manifesta a Glória de Deus; sendo concedidos mediante a graça de Deus. “Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus” (I Pe 4.10).

Graça etimologicamente falando significa Bondade Divina e na palavra podemos encontrar diversas maneiras de Deus expressar a sua graça: “Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil” (I Co 12: 4-7).

Na Bíblia existem muitos dons, divididos em três classes, a saber: Os dons de serviço (Rm 12.6-8), os dons ministeriais (Ef 4:11), os dons do Espírito Santo (I Co 12:8-10) e outros dons encontrados em outros trechos da palavra, pois são manifestações da multiforme graça de Deus[4].

CRESCE-SE NO REINO A PARTIR DO SERVIÇO
O homem é capacitado para o serviço cristão pelo Espírito Santo com dons e talentos (I Co 12:5; I Pe 4:10), que devem ser usados visando o serviço do Reino. Um talento é uma habilidade humana e natural com a qual se nasce ou é adquirida e pode ocorrer nas áreas da: música, oratória, administração e outras.  Já um Dom é um presente divino dado para ser usado no serviço Cristão.

Contudo muitos cristãos não desenvolvem seus dons, pois não valorizam seus talentos, outros ficam angustiados porque não sabem para que Deus os chamou, outros valorizam apenas os dons de poder e resumem os dons espirituais a Línguas, Interpretação Profecia e como não receberam estes carismas consideram-se como crentes sem dons, pois pensam que os seus dons mais interiorizados são apenas talentos naturais. Entretanto a exemplo de Jesus, devemos procurar servir, desenvolvendo nossas aptidões e assim fatalmente descobriremos em qual área da Diaconia o Senhor deseja nos usar.

Segundo o dicionário de Espiritualidade: “O papel do diácono é de ser um animador do serviço, da diaconia da igreja, nas comunidades cristãs locais, sinal e sinônimo do próprio Cristo Senhor, que não veio para ser servido, mas para servir[5]”. Pois quanto mais servimos, mais demonstramos nossa gratidão ao Senhor.

A IMPORTÂNCIA DO FRUTO DO ESPÍRITO COMO PLATAFORMA
Um dos mais importantes pontos doutrinários da obra de Deus é o fruto do Espírito, que são os atributos da pessoa de Cristo em nossa vida. Essa doutrina nos ensina o caminho para a humildade, que é a beleza da santidade. Sem o fruto do Espírito, passamos a desenvolver um cristianismo teórico, sem vida.

Sendo assim, devemos sempre lembrar que o fruto do Espírito é a nossa atitude para com Deus, enquanto o derramamento dos dons consiste na atitude de Deus para com a Igreja. Sobre esse ensino, vale a máxima ensinada por nosso Senhor Jesus Cristo: “Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mt 11.29).

Sendo assim, quando crescemos no conhecimento de Deus, passamos a refletir o Fruto do Espírito que significa expressões do caráter de Cristo em nossas vidas, e assim também iremos crescer espiritualmente, pois o Senhor irá derramar os seus dons sobre as nossas vidas.

Portanto, a verdadeira espiritualidade se manifesta através da piedade e da disciplina que são marcas de uma vida que produz o fruto do espírito que se manifesta no amor (I Co 13.1) e assim, certamente, iremos contribuir com o corpo de Cristo e com a igreja local, por meio de nossos dons pessoais.

Por fim, empreender uma busca sincera para ser cheio do Espírito Santo e receber os dons do alto é uma atitude correta; o apóstolo Paulo nos orienta desta forma: ” Enchei-vos do Espírito “ (Ef 5.18) ”.

[1] SCHWARZ, Cristian. As 3 cores dos seus dons. Curitiba: Editora Evangélica Esperança, 2004.
[2] PURKISER, W.T. Os Dons do Espírito. Campinas: Casa Nazareno de Publicações.
[3] CHAMPLIM, Russel Norma. Enclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. São Paulo: Editora Hagnos, 2006.
[4] MARTINS, Orlando. Um presente de Deus para você. São Paulo: Editora Candeia, 2014.
[5] Stefano de Fiores e Tulio Goffi. Dicionário de Espiritualidade. São Paulo: Editora Paulus, 1993.

Orlando Martins

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

CREIA NO INFINITAMENTE MAIS

“Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós.” (Efésios 3.20)

Deus nos orienta a orar pedindo grandes coisas. (Jeremias 33.3; Salmo 2.8) Deus sempre faz infinitamente mais do que pedimos ou pensamos… (Efésios 3.20) Jesus disse que nós faríamos as obras que Ele fez e outras ainda maiores. (João 14.12) O apóstolo Paulo na cidade de Éfeso… (Atos 19.11). Para que nós possamos fazer infinitamente mais, Deus nos deu o Seu Espírito sem limitações. “Pois aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque ele dá o Espírito sem limitações.” (João 3.34)

O grande prazer de Deus é ver você crescer e atingir o máximo do seu potencial em Cristo, e assim, cumprir o propósito eterno que causou a sua existência. A verdade é que Deus não apenas deseja que você viva extraordinariamente, como também equipou você com talentos naturais, dons espirituais e com o poder do Espírito Santo. (Atos 1.8)

Nunca se esqueça, uma vida notável, impressionante, extraordinária não está restrita a certas pessoas ou a certas profissões.

Não importa o seu berço, quem você foi, quem você é, que profissão você tem, se você é um professor, um homem de negócios, um profissional liberal, uma mãe dona de casa, um atleta, um operário de fabrica, um cabeleireiro, um mecânico, um estudante… Uma vida poderosa em Deus é totalmente possível pelo poder do Cristo ressurreto, através do Espírito Santo que habita em você. (Atos 1.8)

Profetize um ano de céu aberto, de manifestação do céu na terra, de transbordar do Espírito Santo, de milagres extraordinários, de multiplicação de discípulos, de crescimento exponencial em todas as áreas de sua vida, em sua família e na vida da igreja; um ano de conquistas infinitamente maiores.

O milagre está em sua boca! Confessar é possuir!

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

VOCÊS NÃO SÃO DO MUNDO

Se o mundo mau os odeia, lembrem-se de que, antes de tudo, ele odiou a mim. Se vocês vivessem de acordo com a mentalidade do mundo, ele os amaria como se vocês fossem dele. Mas como escolhi vocês para viverem em sintonia com os termos de Deus, não mais nos termos do mundo, o mundo vai odiá-los.

Quando isso acontecer, lembrem-se de que os empregados não recebem um tratamento melhor que os patrões. Se eles me agridem, certamente irão agredi-los também. Se eles fizeram o que eu disse, farão o que vocês disserem. Eles vão fazer tudo isso a vocês por causa do modo com que me trataram, porque não conhecem aquele que me enviou. (João 15.18-21)

Jesus ensina-nos a não esperar popularidade nem aplausos quando lhe servimos.

Os cristãos têm apoio não do mundo, mas do fato de saberem que são escolhidos por Cristo para um serviço difícil.

Como é sua experiência com o mundo? De rejeição?

Deus, tu sabes o quanto quero que todos gostem de mim. Especialmente quando faço o que é bom, quero que me incentivem. Mas isso é infantil; eles não aplaudiram Jesus, por que deveriam me aplaudir enquanto te sigo?

Não preciso da aprovação do mundo, mas de tua bênção. Amém.

Retirado de Um Ano com Jesus [Eugene H. Peterson]. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

O MILAGRE ESTÁ EM SUA BOCA

Confessar é possuir!  Então, fale somente o que é bom, o que edifica, o que constrói, o que abençoa, o que ministra graça.(Efésios 4.29). 

Faça um compromisso consigo mesmo de jamais falar palavras negativas, de morte, de derrota, de fracasso… o diabo só pode agir na sua vida quando você declara palavras que dão legalidade à ação dele…(Pv 18.21)

Muitas pessoas ficam doentes porque declaram a doença; ficam depressivas porque falam e agem como depressivo; pessoas que estão envelhecendo rapidamente porque falam: “estou velho, acabado…”

Há poder em suas palavras, então, tome posse das promessas de Deus, fale das promessas da Palavra de Deus, declare em fé as promessas de Deus, assim, elas tornar-se-ão realidade em sua vida.

O poder de realizar feitos notáveis e viver uma vida extraordinária não está ligado a uma função, mas a uma disposição do coração de confiar no Senhor, de crê e obedecer a Deus e a sua santa palavra. (Jo 7.38; Jo 14.12)

O triste fato é que a igreja limitou a principal estratégia de Satanás a certos comportamentos como: levar a pessoa para o álcool, as drogas, a prostituição, o adultério, os roubos…  na verdade, o que o diabo mais teme é que os discípulos de Jesus descubram quem Deus os chamou para ser, pessoas extraordinárias, com poder, sabedoria, graça, autoridade espiritual e habilidades dadas pelo Espírito Santo para realizar feitos notáveis e incomuns. O apostolo Pedro, curando um coxo de nascença… (Atos 3.1-10).

Em contraste à atual reputação dos cristãos de nosso país; uma das grandes dificuldades que os discípulos da igreja primitiva tiveram foi convencer as pessoas de que eles não eram super-heróis ou deuses. Cornélio ajoelhou-se diante do apostolo Pedro… (Atos 10.25,26).

Os apóstolos Paulo e Barnabé, foram recebidos como se fossem “deuses” na cidade de Listra, o que eles rejeitaram com veemência… (Atos 14.8-15) Paulo, na ilha de Malta, quando uma víbora o picou e não aconteceu nada com ele, os nativos pensaram que ele fosse uma espécie de divindade… (Atos 28.1-6).

Os discípulos de Jesus eram considerados em alta estima pela sociedade da época, o povo lhes tributava grande admiração e respeito. “Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração.” (Atos 5.13) “Porém, não os encontrando, arrastaram Jasom e alguns irmãos perante as autoridades, clamando: Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui.” (Atos 17.6).

Que a nossa geração possa ver o que Deus pode fazer com e através de discípulos completamente consagrados a Jesus, que vivem na dependência do amado Espírito Santo.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

OUSADIA

“Tornou-se-lhe ousado o coração em seguir os caminhos do Senhor, e ainda tirou os altos e os postes ídolos de Judá  II Crônicas 17:6

Atualmente, de todas as ousadias possíveis, talvez a maior seja seguir a Palavra de Deus.  Parece que há um grande espanto quando isso acontece.

Ninguém se espanta mais com a ousadia dos criminosos que estão transformando nossas cidades em praças de guerra, tornando-nos prisioneiros em nossas próprias casas, reféns em nossos próprios carros protegidos por insulfilmes, ou pela blindagem, para aqueles que podem pagar por ela.

Também não há espanto com a ousadia dos céticos que não sabem de onde vieram e nem para onde vão. Certas religiões orientais, por exemplo, acreditam na evolução e ensinam o devoto a atingir o nirvana – que literalmente significa extinção, o fim da insatisfação.  Em outras palavras, crêem que vieram do macaco e estão evoluindo até atingir o nada.  Fantástico projeto de vida. 

A ousadia do tolo nem sequer é percebida num mundo massificado como o nosso. Ninguém atenta para as palavras do salmista: “Diz o tolo em seu coração: não há Deus” – Salmo 14:1.

A ousadia do idólatra não deixa por menos. Diz o idólatra em seu coração: Há Deus, mas prefiro um que eu possa carregar de um lado para o outro, transformar em estátua; ainda que ele não possa se movimentar, falar, sentir, ou responder à minha oração.

O troféu ousadia, porém, vai para o religioso.  O religioso quer matar aquilo que Deus ressuscita.  Os religiosos não se contentaram em planejar a morte de Jesus. Planejaram matar também a Lázaro – que Jesus acabara de ressuscitar – pois através do seu testemunho muitos judeus estavam crendo em Jesus – João 12:9-11.

Se você tem planos de ser ousado neste ano atente para alguns exemplos que poderão encorajá-lo:
· Ouse construir uma arca, como fez Noé, mesmo que você não esteja vendo nenhuma nuvem de chuva no horizonte;
· Ouse obedecer a Palavra de Deus oferecendo o seu Isaque, antes mesmo de ver o cordeiro para o sacrifício enroscado nos arbustos;
· Ouse permanecer de pé, como fizeram os amigos de Daniel, mesmo que os instrumentos estejam tocando as conhecidas músicas do mundo para aqueles que se ajoelham;
· Ouse bater com a vara na rocha, como fez Moisés, mesmo conhecendo o velho ditado que diz que “não se tira água de pedra”;
· Ouse sair para a batalha com apenas 300 homens, como fez Gideão ao obedecer à palavra de Deus.  Ignore a sabedoria militar de que quanto maior o exército, melhor;
· Ouse orar três vezes ao dia ignorando o decreto do rei, como fez Daniel, confiando que não há fome de leão que Deus não possa administrar;
· Ouse ir para Nínive em fez de fugir para Társis.  Poupe o grande peixe de um refluxo gástrico.  Lembre-se de que o antiácido talvez ainda não tenha sido inventado;
· Ouse acolher em paz um ou dois espias.  Quem sabe a sua árvore genealógica não possa ser modificada para melhor;
· Ouse entrar  na presença do rei para salvar o seu povo, como fez Ester.  Provavelmente você foi levantado para um tempo como esse;
· Ouse trazer os recursos para a casa do tesouro, como ordenou Malaquias.  Prove e veja se o devorador resiste por muito tempo;
· Ouse enfrentar o gigante à semelhança de Daví.  Mas não se esqueça de confiar na “pedra” e não na sua capacitação;
· Ouse cortar a cabeça do gigante usando a “espada” em vez de se contentar apenas em deixá-lo “meio tonto”;
· Ouse levantar-se contra o pecado como fez João Batista, mesmo correndo o risco de a sua foto 3x4 não sair tão boa;
· Ouse entregar seus cinco pães e dois peixinhos àquele que depois de alimentar uma multidão ainda faz sobrar doze cestos cheios;
· Ouse esperar o quarto dia para sair do túmulo, como fez Lázaro, mesmo que a sua teologia ensine que ousadia não é coisa para mortos;
· Ouse passar mais tempo diante da palavra de Deus do  que diante da televisão, mesmo que ela não seja tão colorida;
· Ouse orar durante três semanas inteiras como fez Daniel, mesmo achando que o anjo que vem trazendo a resposta teve problemas de “overbooking”;
· Ouse lançar a rede de acordo com a palavra de Jesus, em vez de perder a noite confiando nos seus dotes de pescador;
· Ouse fazer diferença em vez de, apenas, ser diferente.

Oswaldo Chirov

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 21 de janeiro de 2018

SOLUÇÃO PARA AS NECESSIDADES E PRIVAÇÕES

Nos dias em que estamos vivendo de grandes necessidades, de inúmeras provações, de privações, de instabilidade na economia, de incertezas por causa de nossos políticos corruptos é bom lembrar que a maioria do tempo que temos corremos atrás dos problemas e esquecemos que as soluções estão em Deus.

As nossas mentes, o nosso tempo, as nossas energias estão totalmente centradas nas coisas que nos cercam e não em Deus que pode resolvê-las.

De vez de buscarmos a Deus, o seu Reino e a sua Justiça estamos preocupados em acrescentar coisas, valores, preocupações, ansiedades que nada tem a ver com Deus. Quando o procuramos, na realidade o fazemos quando já esgotamos todas as possibilidades humanas e aí desesperados começamos a correr de um lado para outro, de Igreja em Igreja, de campanha em campanha. Fazemos uma corrente aqui, outra ali e vamos nesta lida, de pastor em pastor, de doutrina em doutrina na esperança de ver nossos problemas solucionados.

Agindo desta forma nunca chegaremos a lugar algum. Talvez seja o momento de pararmos de correr para lá e para cá, pois a solução está em nosso Deus.

Deus nesta oportunidade está nos dizendo para parar de correr. Não vale a pena nos estressar. O que Deus nos diz neste momento é simples, ou seja: Precisamos acalmar o nosso coração. Entender que não vale a pena viver a única vida que temos nesta terra com ansiedades, com preocupações.

Deus nos mostra em sua Palavra que não devemos ficar ansiosos por coisa alguma. Não vale a pena ficarmos preocupados e a palavra de Deus nos mostra como agir: Filp. 4:6 – “ Pela oração e pela súplica, com ações de graças sejam vossas petições conhecidas diante do Senhor.”

De vez de ficarmos desesperados, de vez de ficarmos revoltados, desiludidos, magoados, irados contra Deus ou pessoas que nos cercam. É hora de pararmos, é hora de acalmarmos o coração e entender que no momento não devemos ficar ansiosos. Este sim é o momento de orar, é o momento de clamar e fazer conhecido de Deus os nossos reais problemas, as nossas necessidades.

Além de acalmar o coração é importante entender que o dinheiro não vai cair do céu
O apostolo Paulo nos fala claramente que na vida passamos por privações, por necessidades, mas também passamos por momentos de fartura, de abundância. Precisamos aprender a viver com estas duas realidades que se opõem entre si com paciência, com moderação, com resignação, com alegria em Deus.

Agora é importante ir a luta, ficar atento às oportunidades. Elas passam por nossa vida e às vezes não damos conta. O trabalho é importante na vida das pessoas, e muitos, na realidade não querem trabalho, querem emprego. Acomodam-se facilmente, não vão à luta. Outros não estudam, não acham importante o estudo e assim por diante.

O bom é lembrarmos que dinheiro cai do céu, a menos que haja de nossa parte uma sensibilidade de querer mudar esta situação de desconforto temporário e acreditar que Deus nos mostrará um caminho. O que Ele pede somente é que estejamos atentos ao seu sinal, ao seu mover e Ele dirá: “Este é o caminho, andai nele. ”

Pr. Nélson R. Gouvêa

Por Litrazini

Graça e Paz