terça-feira, 31 de dezembro de 2019

PORQUE A SANTIFICAÇÃO É NECESSÁRIA?


1. PORQUE É A VONTADE DE DEUS PARA SEUS FILHOS – 1Ts.4.3 “Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição”
2. PORQUE SEM SANTIFICAÇÃO NINGUÉM VERÁ A DEUS–“Segui...a santificação;sem a santificação ninguém verá a Deus”Hb12.14
3. PORQUE ATRAVÉS DA SANTIFICAÇÃO ABANDONAMOS O PECADO E AS COISAS QUE ABORRECEM A DEUS - “Mas a prostituição, e toda sorte de impureza ou cobiça, nem sequer se nomeie entre vós, como convém a santos, nem baixeza, nem conversa tola, nem gracejos indecentes, coisas essas que não convêm; mas antes ações de graças.Porque bem sabeis isto: que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus”.Ef. 5.3-5.

COMO ALCANÇAR A SANTIFICAÇÃO
OS FILHOS DE DEUS SÃO SANTIFICADOS MEDIANTE A FÉ - “...a fim de que recebam a remissão dos pecados e sorte entre os santificados pela fé em mim”. At.26.18.
PELA UNIÃO COM CRISTO NA SUA MORTE E RESSURREIÇÃO –“Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus, nosso Senhor” Rm.6.11.
PELO SANGUE DE CRISTO – Forma de santificação eterna, absoluta e posicional. O pecador é transformado de impuro em adorador santo. “Mas se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” 1Jo.1.7
PELA PALAVRA – Santificação externa e prática – Quando dão importância à Palavra arrependendo-se e crendo em Cristo, são purificados pela Palavra “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” Jo.17.17.
PELO PODER REGENERADOR E SANTIFICADOR DO ESPÍRITO SANTO NO NOSSO CORAÇÃO – Santificação interna “...Mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus e pelo Espírito do nosso Deus” ICo.6.11.

Lidiomar T. Granatti /  Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

RAIZ DE AMARGURA


As nossas emoções, desejos, vontades e raciocínios residem na alma, também chamada de mente.

O inimigo sabe que não pode atingir o espírito recriado, então “ele” ataca a alma, as emoções desde o ventre materno até o momento da morte física. Não podendo tocar em nossa salvação, o diabo vai querer impedir a produção dos frutos de uma vida santificada.

Muitos vivem uma vida amarga, falando mal de outras pessoas, criticando a tudo e a todos; outros têm medos, traumas e complexos. Não conseguem crescer em suas vidas materiais e espirituais, impedindo o crescimento dos outros.

Dos corações crescem verdadeiros espinheiros. Cortar apenas os espinhos, ou apenas mudar as circunstâncias, não vai resolver a causa do problema que está no coração. Hebreus 12:15 nos diz: “...tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem”

O problema real está num lugar fora da nossa vista: na raiz, no coração, na alma, e aí ele deve ser tratado. Uma ferida não tratada provocará sofrimento a todo o corpo e quanto mais cedo for tratada, mais facilmente será curada.

Fomos no passado, somos hoje e seremos sempre alvos do “maligno”, não estamos imunes às suas investidas. Mas nos foi providenciado algo grandioso, há um tratamento para nós, vem de Jesus Cristo através do Espírito Santo. O diabo é um vencido e nós somos vitoriosos, em Jesus.

O Senhor Jesus Cristo em sua morte nos proporciona: a salvação espiritual, a cura das emoções (alma) e do nosso corpo. Ninguém sofreu desprezo e injustiças como Jesus sofreu, e foi tudo por nossa causa.

Necessitamos impedir que a raiz de amargura brote e nos perturbe, pois isso acontecendo, muitos serão contaminados. Todo problema não resolvido em seu início, aumenta de volume a cada dia, ficando cada vez mais difícil solucioná-lo. Efésios 4:26 diz exatamente isso: se nos irarmos ou ficarmos nervosos por alguma coisa, não devemos pecar, e nem deixar para o outro dia a solução da questão.

Muitas vezes não conseguimos perdoar as outras pessoas e isso nos leva a grande raiz de amargura, provocando-nos muitos males e até certas enfermidades como reumatismo, doenças da coluna, artrites, artroses, dores, cânceres, etc. Devemos nos perdoar uns aos outros, pois Deus nos perdoou primeiro.

O perdão é uma virtude a ser exercida. Quando oramos a oração do “Pai Nosso” dizemos: “...e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado os nossos devedores...” esse é o perdão a ser exercido.

Não devemos viver pelo que sentimos e sim pela Palavra de Deus. Exercitemos o perdão, o amor e as demais virtudes do fruto do Espírito. Em um coração curado, sem raízes de amargura, Cristo reina exercendo o controle total, e em conseqüência o fruto do Espírito fluirá em abundância, muitos frutos serão colhidos, para o engrandecimento do Reino de Deus. 

Libertemo-nos das algemas de satanás, dos traumas do passado, do presente e do futuro, tomando posse da vitória completa em Jesus Cristo. “Sede pois imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.” Efésios 5: 1 e 2.

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 29 de dezembro de 2019

QUEM QUEBROU A ARAPUCA?


A nossa alma escapou, como um pássaro do laço dos passarinheiros; o laço quebrou-se, e nós escapamos. Salmos 124:7

Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa. Salmos 91:3

Acredito que todos sabem o que é arapuca, mas para quem não sabe é a armadilha feita de pauzinhos para apanhar pássaros.

Segundo a Wikipédia Arapuca (arataca ou urapuca) é um artefacto, de origem guaranis, que consiste numa armadilha, feita de paus, com formato piramidal, e destinada a pegar aves vivas, pequenos mamíferos, ou outros animais de caça.

Através de uma ilustração Deus me revelou algo tremendo na sua palavra para nossa vida.

Ilustração: Moravam num sitio um casal que tinham dois filhos, uma menina e um menino. O menino gostava de caçar passarinhos, e todo dia ele armava uma arapuca em frente ao pomar da sua casa. A menina ao contrario, não gostava que seu irmão prendesse os passarinhos. Toda noite ela dobrava seus joelhos e orava a Deus para seu irmão não pegar nenhum passarinho. Ela orava assim: Papai do céu, não deixe meu irmão pegar nenhum passarinho, mas eu sei que ele não vai pegar nenhum.

Sua mãe estranhou esta oração, que era feita todas as noites pela filha. Um dia sua mãe perguntou a filha: filhinha,porque toda noite você ora a Deus para seu irmão não pegar nenhum passarinho e no final você diz, mas eu sei que ele não vai pegar nenhum passarinho. Sabe o que é mamãe, ele não vai pegar nenhum passarinho porque todo dia eu quebro a arapuca.

É neste ponto que Deus me revelou algo tremendo: Todo dia o diabo arma um laço para nos destruir, para nos tirar de Deus, para nos trazer infelicidade, para destruir nossa família. Eu tenho uma boa noticia para você: Todo dia Deus quebra o laço que foi armado para te destruir. Glória a Deus

Desde quando levantamos até dormir, o diabo esta ao nosso derredor bramando como leão para nos tragar I Pedro 5:8, mas Deus quebra todo laço do passarinheiro, o laço quebrou e nós escapamos.

A bíblia no capitulo (II Reis 6:8-18), nos conta que o rei da Síria, fazia guerra contra Israel. Junto com seus oficiais, traçava planos em como derrotar a Israel. Mas, todas as vezes que os sírios se preparavam para a guerra, Deus revelava a Eliseu quais eram os planos do rei da Síria, desta forma os exércitos de Israel sempre escapavam de qualquer emboscada.

DEUS QUEBRAVA O LAÇO, ANTES DELE ACONTECER.

Você tem uma promessa de Deus para sua vida: nenhuma arma forjada contra ti prosperará Isaias 54:17.

Davi pediu algo para Deus no Salmos 141:9 – Guarda-me dos laços que me armaram, dos laços corrediços dos que praticam a iniquidade.

Não importa os tipos de laços que o inimigo está armando contra você, o que importa é que Deus está quebrando todos eles.

Reginaldo Alves

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 28 de dezembro de 2019

O SANGUE DE JESUS TOCA EM TODOS OS ASPECTOS DA VIDA


O poder do sangue de Cristo realmente não tem fim. Descobrimos isso em um dos sessenta e seis livros da Bíblia. O sangue de Cristo:

DESTRUIU A SATANÁS - “Portanto, visto como os filhos são participantes comuns de carne e sangue, também ele semelhantemente participou das mesmas coisas, para que pela morte derrotasse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o Diabo” (Hb.2.14);

DESTRUIU O PODER DA MORTE – “E livrasse a todos aqueles que, com medo da morte, estavam por toda vida sujeitos à escravidão”. (Hb.2.15);

PURGOU-NOS A CONSCIÊNCIA“Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará das obras mortas a vossa consciência, para servirdes ao Deus vivo?” (Hb.9.14);

PURIFICOU O CÉU - “Era necessário, portanto, que as figuras das coisas que estão no céu fossem purificadas com tais sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes”.  (Hb.9.23);

PROMETE-NOS A PERFEIÇÃO – “Ora, o Deus de paz, que pelo sangue do pacto eterno tornou a trazer dentre os mortos a nosso Senhor Jesus, grande pastor das ovelhas, vos aperfeiçoe em toda boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em nós o que perante ele é agradável, por meio de Jesus Cristo, ao qual seja glória para todo o sempre. Amém”. (Hb.13.20,21);

GARANTE A SEGUNDA VINDA DE CRISTO – “assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”. (Hb.9.28).

Lidiomar T. Granatti / Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

POR QUE PRECISARÍAMOS DE JESUS?


A humanidade não viveu sem o conhecimento de Jesus por cerca de quatro mil anos, até que Ele se manifestasse há cerca de dois mil anos atrás?

Por que precisaríamos de Jesus?

O mundo oriental com suas religiões não cristãs não tem vivido sem Cristo por séculos, e também os povos silvícolas não alcançados pelo Evangelho?

Por que precisaríamos de Jesus?

Não tem havido entre os próprios cristãos testemunhos de vida que são moralmente inferiores ao de muitos não cristãos?

Por que precisaríamos de Jesus?

Todos não estão sujeitos aos mesmos males neste mundo?

Todos não compartilham as mesmas necessidades?

Visto pelo ângulo natural jamais poderemos entender o quanto precisamos de Jesus. O ser humano carece desesperadamente de ser justificado dos seus pecados. Toda pessoa possui um espírito morto em delitos e pecados. E Deus é Deus de vivos e não de mortos. Jesus morreu na cruz carregando sobre Si os nossos pecados.

Somente nEle, pela fé nEle, podemos ser justificados, ou seja, sermos tornados aceitáveis à justiça de Deus, porque Jesus, é o nosso único Sacrifício aceitável, pelo qual todos nossos pecados são perdoados e apagados.

Este Seu sacrifício aconteceu no tempo histórico há dois mil anos, mas no tempo de Deus, possui validade eterna, e pôde alcançar até o primeiro homem criado.

Ora, assim, todos aqueles que procuraram por Deus, ainda que às apalpadelas em suas consciências, buscando fazer o que é justo e agradável, com o fim de O encontrarem em comunhão com seus espíritos, certamente foram salvos pela fé que tiveram, com base no mesmo sacrifício de Jesus Cristo, cuja morte estava tipificada nos sacrifícios de animais exigidos por Deus desde que o primeiro homem pecou, até que Jesus morresse na cruz.

Deus requer que creiamos que somos pecadores e que necessitamos ser cobertos com o Sangue precioso derramado por Seu Filho.

Isto é tido em nossa conta como justiça. Esta fé nos é atribuída como justiça, porque com isto, demonstramos que buscamos ser justos não apenas em relação aos homens, mas também em relação a Deus, que requer isto de nós.

Este é o motivo que ainda que haja pessoas melhores do que cristãos autênticos, é possível que não sejam salvas, porque apesar disso podem não estar sob a cobertura do Sangue de Jesus, por falta de fé; enquanto todos os cristãos foram justificados não pelos seus próprios méritos ou bondade, mas por causa de Jesus em quem eles creram para ser o Seu Salvador e Senhor.

Pr. Silvio Dutra

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

A AUTORIDADE COMPLETA DA FÉ


“…E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda”(At.3.1-6). Nesse primeiro milagre realizado pelos discípulos, foi-nos dada a chav/e para ser usada por todos os crentes ao exercer a autoridade de fé.

Ao ordenar a cura para o homem coxo, Pedro emprega o nome/título completo de nosso Senhor: Jesus Cristo (Messias), o Nazareno. Jesus (Joshua ou Yeshua) era um nome comum entre os judeus e, atualmente, continua sendo em muitas culturas. Mas a declaração de seu nome e título completos, prática notável em Atos, parece uma boa e funcional lição para nós.

Em nossa confissão de fé ou proclamação de poder, confesse sua divindade e seu domínio como o Cristo (Messias); use seu precioso nome, Jesus (Salvador). Invoque-o como Senhor Jesus Cristo, Jesus Cristo, Jesus o Nazareno, sem que haja qualquer exigência legal ou ritual nesse momento. Mas vale a pena lembrar que, assim como oramos em nome de Jesus, nós exercemos toda a autoridade nele – pelo privilégio do poder que ele nos deu em seu nome.

Ao lermos Atos 3.16 = “E, pela fé no seu nome, fez o seu nome fortalecer a este que vedes e conheceis; e a fé que é por ele deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde”. Imediatamente após o derramamento do Espírito no Pentecoste, é declarado: muitos prodígios e sinais foram realizados pelos apóstolos. O Cap. 3 de Atos dá o relato da cura de um homem coxo desde o nascimento, fato bastante conhecido por todos em Jerusalém. Pedro atribuiu a cura não unicamente a poderes humanos, mas a fé em nome de Jesus.

Constatamos que a cura se dá através da fé em nome de Jesus. Na disposição cultural da Bíblia, um nome não se separava da pessoa que a possuía, e o próprio nome de Jesus Cristo “Salvador Ungido”. Portanto, Pedro está dizendo que foi o Messias em sua plenitude que curou o homem. Além disso, o poder do milagre não estava na fé que Pedro tinha, mas na fé que é por ele.

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

FÉ PARA RECEBER O MILAGRE


 “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.”.Rm 10.17

O principio bíblico “a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”, continua em vigor mesmo nos dias em que vivemos e isso não é uma novidade dos nossos dias, pois na época de Paulo as coisas eram assim, os milagres aconteciam e isso era apenas uma consequência da pregação da “Palavra”, pois a igreja existe para pregar o Evangelho até a volta de Jesus.

A igreja, como “coluna e baluarte da verdade” (1 Timóteo 3:15), tem o privilégio e responsabilidade de espalhar o evangelho de Cristo. Fica muito claro, no Novo Testamento, que esta era a alta prioridade na vida de Jesus e de seus seguidores. Se formos verdadeiramente seus discípulos, essa será também nossa prioridade.

 “Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?” Rm.10.14 Nossa função é anunciar o “Evangelho” e com isso despertar a fé de quem nos ouve, para crer e crendo para receber milagres.

Jesus Cristo em seu curto ministério não fez outra coisa, senão pregar, anunciar, mostrar ao homem que ele havia se afastado de Deus e que precisava fazer o caminho de volta, se arrependesse de seus maus caminhos, para que assim suas orações fossem ouvidas e seu clamor fosse ouvido por Deus, revertendo assim o que está escrito em Isaias 59.1-2: “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça.” Quando se mudava esta situação, os milagres aconteciam.

Se observarmos no evangelho de Jesus Cristo, segundo escreveu Mateus, no capítulo 8 nos deparamos com a história de um centurião que vai pedir para Jesus curar seu servo que estava enfermo. Ele veio porque ouviu falar de Jesus, veio crendo, tanto é que Jesus olha nos seus olhos e ao ver que tinha fé para receber o que estava pedindo lhe disse o que está escrito em Mateus 8.13: “Então, disse Jesus ao centurião: Vai-te, e seja feito conforme a tua fé. E, naquela mesma hora, o servo foi curado.”

MAS O QUE É FÉ?
 A bíblia descreve em Hebreus 11:1: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem”. Não creio que possa haver melhor definição para a fé do que nos fornece o escrito da epistola aos Hebreus.

Este não é o único exemplo de Jesus dizendo a seus interlocutores que o milagre estava acontecendo em virtude da sua fé, no capitulo 9 do evangelho escrito por Mateus, vemos dois cegos que de repente começam a seguir Jesus, porque viam nEle a única saída para sua cegueira, eles queriam ser curados e estavam diante do único home que podia faze-lo.

No capitulo 9, versículo 29 nós vamos ver então que Jesus os cura, dizendo exatamente que estavam recebendo a cura porque depositaram nEle a sua fé: “E ele, tocando nos olhos deles, disse: Que seja feito segundo a fé que vocês têm!”.

Quando Paulo começa sua obra missionária, determinado dia ele chega em Listra e começa a pregar a evangelho, diz o texto de Atos 9 que havia naquela localidade um homem paralítico dos pés, aleijado desde o nascimento, que vivia ali sentado e nunca tinha andado. Este ficou ali, olhando Paulo e ouvindo a sua pregação. De repente Paulo para com sua mensagem, olha nos olhos do paralitico e vê o que muitos pregadosres já não veem mais: Atos 14.9-10“ Ele ouvira Paulo falar. Quando Paulo olhou diretamente para ele e viu que o homem tinha fé para ser curado disse em alta voz: “Levante-se! Fique em pé!” Com isso, o homem deu um salto e começou a andar.”

Os milagres acontecem e acontecem até os dias de hoje, pois o Deus que opera é mesmo, mas o que acontece é que hoje, para muitos pregadores o milagre é a prioridade, mas quando colocamos a “pregação da palavra” em primeiro lugar, os milagres acontecem e, acontecem mais constantemente porque quando se ouve a verdadeira “Palavra”, há um despertar da fé e o milagre ocorre!

Os milagres não constituem a base do Evangelho de Cristo João 3.16 “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna.”

A base do Evangelho de Cristo e salvar o perdido do pecado e das garras de Satanás, os milagres são bênçãos resultantes desta salvação e que a acompanham.

A presença de Cristo provoca milagres Mateus 9.20-21 “Nisso uma mulher que havia doze anos vinha sofrendo de hemorragia, chegou por trás dele e tocou na borda do seu manto, pois dizia a si mesma: “Se eu tão somente tocar em seu manto, ficarei curada”.

Fique antenado nas palavras do Mestre, pois onde Ele está os milagres acontecem, se você ouvir as palavras de Jesus e deixar isso despertar a sua fé, os milagres acontecerão na sua vida, não pare, não desista, pois o Deus de milagres há de transformar seu choro em riso. Creia um milagre acontecerá na sua vida.

Presbítero Cido Silva

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

AUTORIDADE DELEGADA


Antes de voltar aos céus, de onde viera, Jesus nos deu ordens para que, no nome dEle continuássemos a fazer a obra que Ele havia começado. “Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas, porque eu vou para o meu Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho” Jo.14.12,13.

A vinda de Jesus foi o raiar de uma nova era para a humanidade. Após sua crucificação e antes de partir para os céus Jesus reúne os seus discípulos e lhes ordena que continuem a sua obra. Para tanto, Ele lhes dá a faculdade de usar o seu nome para fazer o mesmo que ele fazia.

Quando Jesus ressuscitou, Ele venceu o pecado, satanás, a doença, a morte, o inferno e o túmulo, e nos deu direito legal de utilizarmo-nos de seu nome. Jesus deixou conosco seu nome.Temos o direito de usá-lo.

A satanás é ordenado respeitar esse nome que é sobre todo o nome, e todo o seu reino tem de obedecer as nossas ordens, quando dadas no nome de Jesus Cristo. O nome de Jesus significa autoridade. Leia Lucas 10.16 a 20.

Quando Jesus nos deu o direito de usar esse nome, o Pai sabia todo o significado dele. Quando pessoas oprimidas o mencionam em oração, é de agrado do Senhor reconhece-lo. As possibilidades envolvidas nesse nome são além do nosso entendimento.

Ao reclamarmos nossos privilégios e direitos na nova aliança e orarmos em nome de Jesus, parece que o pedido, ou a súplica, passa das nossas mãos para as mãos de Jesus. Ele, então, assume a responsabilidade dessa necessidade, e sabemos que ele disse: “...Pai, graças te dou, por me haveres ouvido. Eu bem sei que sempre me ouves” (Jo.11.41). Isto é, sabemos que o Pai sempre ouve a Jesus, e quando oramos no nome de Jesus, é como se Jesus mesmo orasse. Ele ocupa o nosso lugar. O Pai nos dá a resposta, e nos regozijamos.

Lidiomar T Granatti / Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

PORQUE AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA


"Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres" (Mt 26.39)

Jesus estava disposto ao sacrifício

Jamais poderemos avaliar a profundidade dessa oração de Jesus no Getsêmani. Não que Jesus não quisesse seguir o caminho da morte como Cordeiro de Deus.

Nesse sentido Ele já tinha tomado Sua decisão, que anunciou previamente aos Seus discípulos: "Eis que subimos para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas. Eles o condenarão à morte. E o entregarão aos gentios para ser escarnecido, açoitado e crucificado; mas, ao terceiro dia, ressurgirá" (Mt 20.18-19).

Nessa única frase Jesus predisse de maneira compacta todos os acontecimentos da Paixão e da Páscoa. Através da Sua concordância com a vontade de Deus em seu aspecto mais central, Ele mesmo tornou-se o centro da vontade divina.

A salvação da humanidade tem seu fundamento na concordância de Jesus em caminhar em direção ao Calvário.

Para Ele e o Pai não havia outro caminho para a salvação de pecadores ímpios. Mas esse caminho tinha de ser assim tão penoso e horrível para o amoroso, puro e inocente Filho de Deus?

Gostaríamos de tê-lO poupado desses grandes sofrimentos! Seu discípulo Pedro também pensava assim: "E Pedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo, dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá. Mas Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos homens." (Mt 16.22-23).

Esta passagem mostra de maneira extremamente nítida o abismo, provocado pela queda, entre a forma de pensar humana, afetada pelo pecado, e os desígnios de Deus. A maneira humana de pensar, que ficou sujeita à influência de Satanás, rejeita caminhos de sofrimento.

Temos de aprender a pensar conforme a maneira de Deus, da forma como ensinam as Escrituras.

Foi a vontade de Deus que Seu Filho bebesse até a última gota o amargo cálice do sofrimento, suportasse o maior escárnio e as mais profundas dores físicas e emocionais.

E Jesus concordou com esse caminho, dizendo "Sim, Pai!" Somente esse caminho levava à nossa salvação e à Sua maior glória e plenitude de poder.

Por mais profundamente que uma pessoa tenha caído, se pedir perdão pelos seus pecados, recebê-lo-á.

Jesus não oferece uma graça barata, sem valor, porque conquistou-a com Seu sangue. E qual foi a resposta que Deus, o Pai, deu a Seu Filho quando este orou: "...todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres"? – Nenhuma! Deus se calou nessa hora. Não houve mais resposta.

Essa foi a provação mais forte pela qual Jesus teve de passar: não receber mais resposta de Deus quando mais precisava dela.

Jesus poderia ter desesperado nessa hora; Ele, que sempre foi um com o Pai, que podia dizer: "eu sabia que sempre me ouves" (Jo 11.42).

Deus se calou, e o Filho seguiu pelo caminho do sacrifício mesmo quando a comunicação com o Pai foi interrompida.

Não podemos avaliar o significado mais profundo desse fato. Uma missão assim tão difícil só podia ser confiada ao Filho amado de Deus. E Ele seguiu esse caminho por amor a você e a mim.

Só dessa maneira Deus pôde salvar as pessoas da impiedade delas. Nessa hora, nossa salvação estava em jogo.

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 22 de dezembro de 2019

RAZÕES POR QUE DEVO VIGIAR O QUE DIGO


1ª - MINHA BOCA TRAÇA O CAMINHO POR ONDE ESTOU SEGUINDO – (Tiago 3.3,4) - Onde estará você daqui a cinco, dez anos?

Poderemos falar algo a respeito de uma pessoa, apenas ouvindo a sua conversação, se é triste, alegre, temperamento, etc. Nós moldamos nossas palavras e então, elas nos moldam. Embora a língua seja pequena (como o freio na boca do cavalo), ela é a direção, o sistema de orientação da nossa vida.

Se você não gosta da direção para a qual está voltado, mude as coisas que você vem falando. Tudo o que falamos deve ser para nossa edificação - “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.” Ef. 4.29. Você esta profetizando coisas boas ou ruins para a sua vida?

2- MINHA BOCA PODE DESTRUIR O QUE TENHO (Tiago.3.5 a 8). É necessário apenas um pequeno fósforo para destruir uma floresta. Fico imaginando quantos casamentos têm sido destruídos por palavras descuidadas. Quantas carreiras, reputações, amizades ou até mesmo igrejas têm sido destruídas por mentiras, mexericos e calúnias.

"Paus e pedras podem quebrar os meus ossos, mas eles podem rapidamente serem reconstituídos. Insultos e palavras podem ferir os meus sentimentos e o dano nunca é reparado."(deixam cicatrizes)

3- MINHA BOCA MOSTRA QUEM EU SOU (Tiago 3.9 a 12). Você já descobriu que a sua boca é inconstante. Num minuto, louvamos ao Senhor e no outro, estamos dizendo a alguém que "cale a boca".

A nossa boca revela o que realmente existe dentro de nós. O que quer que exista no poço, vem junto com a água. O que quer que exista na árvore, vem junto com o fruto. Amigos, nosso problema não é apenas a nossa boca. O problema é o nosso coração. "...do que transborda do coração, fala a boca."Mt.12:34; Em Lucas  6.45 vemos: “...porque a boca fala do que está cheio o coração.).Este é um trabalho interno.

A bênção Abraônica  a Isaque em Gn.26.22 a 27 – resume a promessa de Deus de abençoar o seu povo.            

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

sábado, 21 de dezembro de 2019

A ORDEM É ARREPENDIMENTO E A SANTIFICAÇÃO


Jesus está batendo à porta da Igreja de Laodiceia dos nossos tempos, citada no terceiro capítulo de Apocalipse pedindo-lhe que dê acolhida a Ele para que possam cear juntamente. 

Agora, o propósito desta acolhida não tem em vista um apaziguamento entre partes, permanecendo Laodiceia na atual condição em que se encontra. O convite é para o arrependimento, e certamente, antes de cearem, será necessário fazer aquilo que o Senhor lhe ordenou enquanto batia à porta:

“Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te.” – Ap. 3:18-19

Laodiceia, pelo arrependimento, será enriquecida pela santidade decorrente da graça do Senhor, que Ele aqui compara ao ouro refinado pelo fogo (a fé de Laodiceia será purificada e aperfeiçoada pelas tribulações – a compra se refere à sua completa consagração).

Estando assim enriquecida pela graça poderá usar as vestes brancas, inteiramente limpas da justiça de Cristo, e seus olhos serão abertos pelo colírio celestial para poder compreender e discernir a vontade de Deus, por meio da instrução e direção do Espírito Santo.

Laodiceia necessita exatamente disto nestes últimos dias em que a Igreja tem apostatado daquela santificação que é imposta pelo evangelho. Nosso Senhor prescreveu o seu remédio porque fizera adequadamente antes o diagnóstico correto da sua enfermidade:

“Apocalipse 3:17 – pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.”

É tempo de retornar ao Senhor porque Ele está vindo para arrebatar aqueles que tiverem se arrependido e atendido à sua ordem para que santifiquem as suas vidas.

É somente assim que poderemos cear com Ele nas Bodas do Cordeiro, o casamento da Igreja com o Senhor, logo após ao arrebatamento.

Pr. Silvio Dutra

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

A SOLUÇÃO POR FALAR DEMAIS


ADMITIR QUE EU TENHO UM PROBLEMA.

A BÍBLIA NOS DÁ QUATRO SOLUÇÕES:

1- NINGUÉM ESTÁ ISENTO (Nossa herança adâmica). Mentira, mexerico, calúnia e criticismo são tão ruins quanto o assassinato e o adultério.“Quando o tolo fala, ele causa a sua desgraça, pois acaba caindo na armadilha das suas próprias palavras.”Pv.18.7;“Estas seis coisas aborrece o Senhor, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, e língua mentirosa, e mãos que derramam sangue inocente - Pv. 6:16-17. Não tentar racionalizar, reconheçer a gravidade do pecado. Salmos 19.14 = “Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha”

2- PEDIR A AJUDA DE DEUS TODOS OS DIAS  Põe, ó Senhor, um guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios” - Salmos 141.3. Nós não podemos domar nossa língua por nossas próprias forças. Temos que pedir a Deus que coloque uma mordaça na nossa boca e a guarde em todo o tempo. Três ações serão de grande ajuda: Orar, Orar, Orar - Ir à Palavra de Deus. Justificar-nos com alguém.

3- PENSAR ANTES DE FALAR = "Todos deveriam ser rápidos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se". (Tiago 1:19). Em outras palavras, acionar a nossa mente, antes de engrenar a boca! Um ditado de primeira ordem diz: "Retire o algodão dos seus ouvidos e o coloque na sua boca". 

4- TENHA UM NOVO CORAÇÃO - (mudar, direcionar, mudar valores). “Que a sua conversa seja sempre cheia de graça, oportuna, temperada com sal, para que sempre saiba como responder a todos."(Cl. 4:6). Pintar o exterior da bomba não faz a menor diferença se existe veneno no poço. Arrepender-nos com verdadeiro pesar. Falar palavras positivas e de encorajamento. "                      

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz


quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

A SANTÍSSIMA TRINDADE


“No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (Jo 1.1).

“NO PRINCÍPIO” significa antes de todas as coisas criadas. Tal como está em Gênesis 1.1: “No princípio, criou Deus os céus e a terra”.

Antes de todas as coisas criadas, o Verbo já existia (Jo 1.1). “O Filho é ANTES de todas as coisas...” (Cl 1.17). Jesus confirma: “Antes que Abraão existisse, EU SOU” (Jo 8.58). Aqui, Ele usou o mesmo nome de Deus – “Eu sou” -, como está em Êxodo 3.14.

Em João 10.30, Jesus declara: “EU E O PAI SOMOS UM”. Possuem as mesmas qualidades e os mesmos atributos: onipresença, onisciência, onipotência, eternidade e imutabilidade.

Em João 14.9, Ele declara: “QUEM ME VÊ A MIM, VÊ O PAI”. A Bíblia diz que Ele é a imagem visível do Deus invisível (Cl 1.15).

O Filho declarou seu atributo de onipresença ao dizer: “... eis que ESTOU convosco todos os dias...” (Mt 28.19). Declarou sua divindade ao dizer que estava no céu (Jo 3.13); ao dizer ao ladrão na cruz “...hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43).

Após Sua ressurreição, ainda passou 40 dias na terra, mas nunca saiu do céu. Confirmado também quando disse: “...ninguém VEM ao Pai senão por mim” (Jo 14.6). Vejam que Ele não disse “ninguém VAI ao Pai”.

Em Apocalipse 1.8, está dito que Ele é Todo-Poderoso (onipotente), atributo exclusivo da Trindade.

PORTANTO, carece de fundamentação bíblica o ensino que nega a divindade do Filho e do Espírito.

Ninguém conseguirá compreender a Trindade com o uso da lógica humana, onde um mais um mais um são três.

Na Trindade, um mais um mais um totalizam UM.

Quanto ao Espírito, basta dizer da Sua onipresença. Jesus afirmou que o Consolador estaria conosco “para sempre” (Jo 14.16).

O Espírito está em cada crente (1 Co 3.16). Logo, Ele é onipresente, atributo exclusivo da Trindade.

As coisas do Espírito se discernem espiritualmente: “O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente” (1 Co 2.14).

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini

Graça e Paz