quarta-feira, 31 de julho de 2019

A FAVELA DA ALMA


Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas. 2 Coríntios 4:18

Sociólogos, economistas, políticos e cientistas sociais têm se preocupado com a trágica realidade das favelas urbanas. Na verdade, elas são o retrato de uma sociedade desigual e excludente.

As favelas urbanas são também a vergonha explícita da nossa iniqüidade social.

Tirar o homem da favela é o grande desafio urbano/humanístico.

É deplorável ver o homem na favela, também é lamentável constatar o crescimento de uma "favela" no coração do homem.

Tirar a favela de dentro do homem é um grande desafio para os terapeutas, teólogos, conselheiros, educadores, em fim, para todos que tem um compromisso com a existência e dignidade humana.

A "favela interior" é o resultado do crescimento de um tipo diferente de pobreza, marcada pela ausência de sentimentos, valores e atitudes nobres, cada vez mais escassos em nossa sociedade materializada.

Esta pobreza interior é denunciadora também de um "lixo interior" que o ser humano permite que vá se acumulando pelas esquinas da alma, ao longo da vida.

Pelo menos, três diferentes tipos de pobreza interior denunciam a existência de uma "favela" dentro de nós. 

Primeiro, é a pobreza de espírito, não tomada aqui como uma virtude ressaltada por Jesus Cristo, no Sermão do Monte mas, como um espírito pobre, cuja pobreza se dá pelo excesso de egoísmo, maldade, mesquinhez, avareza, arrogância e outros sentimentos desta natureza.

Alguém pode ter muito dinheiro, bens ou propriedades, todavia, se possuir um espírito pobre, vive numa grande miséria.

São pessoas desprovidas da verdadeira riqueza, que é a riqueza do "ser", onde os sentimentos, valores e atitudes nobres constituem o maior patrimônio.

Uma segunda pobreza interior que denuncia a "favela" que habita em nós, é a pobreza espiritual. É o coração humano vazio de fé, esperança, enfim, vazio de Deus. A ausência de Deus no ser humano empobrece a sua vida.

A fé é de um valor imensurável e enriquece a existência na medida em que liberta a vida dos limites da matéria, abrindo as cortinas do infinito e do sobrenatural. "Tudo é possível ao que crer".

Por fim, a "favela" que existe dentro do homem é fruto também da pobreza afetiva provocada pela ausência do amor. Quem não ama vive mergulhado numa verdadeira miséria existencial, desprovido de tudo que dignifica e enobrece a vida.

Até a religião sem amor se transforma em fanatismo e radicalismo.

O amor produz a compaixão, o perdão e a solidariedade. O amor enriquece a vida!

Esforçar-se para tirar o homem da favela e tirar do seu caminho o lixo que a sociedade produz é uma tarefa tão nobre quanto urgente.

Todavia, é também urgente e igualmente nobre, o esforço para retirar a "favela" de dentro do homem, e limpar a sua alma do lixo produzido pelos sentimentos mesquinhos e pela ausência de Deus.

A verdadeira riqueza é a presença de Deus em nós.

Estêvam Fernandes Oliveira

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 30 de julho de 2019

ANJOS SEM ASAS


Amizade faz bem: equilibra batimentos do coração, afasta cansaço, depressão, infecções, e doenças cardíacas. Crianças saram depressa, se brincam e convivem com amiguinhos.

Afeto de amigos provoca descarga de interleucina e endorfina, substâncias que fortalecem as defesas do organismo. Conclusão: gente fechada e sem amigos adoece mais fácil.

Separação é sinônimo de doença, indicando que algo não vai bem. Biblicamente, somente os que sofriam de algo contagioso praticavam quarentena. (Levítico 13:46) Mesmo assim, porque não existiam os recursos preventivos ao contágio existentes hoje.

Aprender a se abrir a respeito dos fracassos e sucessos é imprescindível para uma vida saudável. Sem este tipo de honestidade, criamos uma falsa imagem acerca de nós mesmos que produz pressões desnecessárias. Quando encontramos alguém que vê nossas falhas, aceitando-nos tal qual somos, e nos amando apesar dos tropeços, somos muito abençoados.(João 15.15) Ouvir, entender, e permanecer amigo daquele que erra, é da mesma forma indispensável.(Jó 6.14)

Um amigo é uma porta aberta, introduzindo o coração alquebrado a um lugar de refúgio e descanso. O ferido encontra nos braços de um amigo apoio, consolo, e cura. O lugar de maior realização de um homem não é o assento de honra no meio dos poderosos; pois não existe lugar de maior honra do que a aceitação do coração de quem nos ama.(Pv.17.17)

Porto da a minha vida Deus me tem enviado anjos, mas nunca os vi face a face.Todavia, Deus me tem enviado seres maiores do que anjos, e a estes eu encontro frente a frente. Deus me envia amigos.

Por mais que o ser humano revele segurança e força, existem certos momentos que o desejo de desistir é incontrolável. Inúmeras vezes nos vestimos de festa e tentamos ornamentar o rosto com um radiante sorriso. Porém, no interior, um sentimento de perda e impotência escurece com as nuvens pesadas do desânimo o nosso labutar. Nestas horas, o que mais precisamos é de um amigo.

Existem momentos que necessitamos não somente do divino, mas do socorro humano.

No fim de uma reunião na cidade de Malboro, nos Estados Unidos, Gustavo veio ao meu encontro com um sorriso. Estendi-lhe minha mão, a qual ele apertou amigavelmente, a medida que seu rosto era iluminado pela felicidade. Com sinceridade e lágrimas nos olhos, ele disse: “Fui muitíssimo abençoado em sua última visita a Boston”. Encarei seus olhos e indaguei: “De que maneira,através da mensagem?” “Não”, respondeu ele enfático. “Quando cantei ou toquei?” Insisti. Novamente a resposta foi negativa.

“Como afinal você foi abençoado?” Perguntei curioso. Sua voz, embargada e cheia de gratidão revelou: “Ao terminar a mensagem, o senhor desceu da plataforma, atravessou o corredor, e se dirigiu ao hall de entrada. Eu era a última pessoa; estava quase na saída, de pé, ao lado da porta. Quando o senhor ia passando por mim, parou, me olhou, caminhou em minha direção, me abraçou, e me deu um beijo no rosto. Nem meu pai nunca me beijou. Aquele foi o dia mais abençoado da minha vida!”.

Um gesto de amor e lealdade fortalece muito além das palavras. Um amigo compartilha sonhos e problemas; ele está ao nosso lado, ouvindo, encorajando, e entendendo. Deus precisa da compaixão de um amigo. 
A compaixão o faz enxergar o sofrimento do próximo; ela o leva a perguntar, “como vai você?” Ao mesmo tempo, a compaixão o faz parar, permanecer ao lado do ferido, e esperar a resposta. A compaixão é a mãe de todos os milagres. Ela constrói seu lar no coração de um amigo.

Outra característica da amizade é a franqueza. Ela faz o ser humano dizer ou ouvir qualquer coisa sem rodeios ou melindres; dá o poder de olhar no fundo dos olhos e repreender sem magoar (Pv.27.6).

Nas vitórias ou mancadas, o riso de um amigo se solta na gargalhada feliz ou brincalhona. Nos fracassos e tristezas, mesmo os amigos altos, fortes, e másculos, ficam ternos e choram em simpatia e emoção.(Pv.27.9)Amigos estão sempre prontos a perdoar, pois só através do perdão a amizade é renovada.(Pv.17.9

Terrível coisa é quando já não mais se pode falar o que vem a mente espontaneamente. A amizade que mede palavras, medrosa das reações e críticas do outro, ou mascarada pelo sorriso amarelo, certamente está se deteriorando.(2Reis 10.15) Neste caso, ela precisa ser revista. Faz-se necessário um confronto, um tête-à-tête aberto, sincero, e restaurador.(Mt. 18.15)

Ser irmão não basta, é preciso ser amigo. Ninguém tem amigos deste quilate, a não ser que ele mesmo seja um amigo assim. Somente aqueles que são amigos de verdade encontram de verdade amigos.

Um bom amigo é um tesouro que não tem preço. Quando Deus nos dá um amigo, ele nos presenteia com um companheiro para toda a vida. De fato, nas horas cruciais, Deus geralmente nos envia anjos sem asas; Deus nos envia amigos.(Hb.13.2)

Dr. Silmar Coelho

Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 29 de julho de 2019

ORE PRIMEIRO, ORE SEMPRE


Quando Deus decidiu destruir os israelitas por causa do bezerro de ouro, “Moisés suplicou ao Senhor, o seu Deus, clamando: ‘Ó Senhor, por que se acenderia a tua ira contra o teu povo, que tiraste do Egito com grande poder e forte mão? Por que diriam os egípcios: ‘Foi com intenção maligna que ele os libertou’... Lembra-te dos teus servos Abraão, Isaque e Israel, aos quais juraste por ti mesmo’” (Êx. 32.11-13). 

Moisés no Monte Sinai não está calmo e quieto, com as mãos unidas e uma expressão serena. Em um minuto ele está sobre seu rosto e no minuto seguinte está diante de Deus. Ele está ajoelhado, apontando seu dedo, levantando suas mãos. Derramando lágrimas. Rasgando seu manto. Lutando como Jacó em Jaboque pelas vidas do seu povo. E Deus o ouviu! “E sucedeu que o Senhor arrependeu-se do mal que ameaçara trazer sobre o povo” (Êx. 32.14). 

Nossas orações impetuosas mexem com o coração de Deus. “A oração de um justo é poderosa e eficaz” (Tg. 5.16). A oração não muda a natureza de Deus; quem ele é nunca será alterado.

A oração, entretanto, impacta o correr da história. Deus conectou o mundo com força, mas ele nos convida a ligar o interruptor. 

A maioria de nós luta com a oração. Nós nos esquecemos de orar e, quando lembramos, oramos com pressa e com palavras vazias. Nossas mentes se desviam; nossos pensamentos se dispersam como uma ninhada de codornizes. Por que isto?

A oração requer um esforço mínimo. Nenhum local é determinado. Nenhuma roupa específica é necessária. Nenhum título ou cargo é estipulado. Mesmo assim você acharia que estamos lutando com um porco engraxado. 

Falando em porcos, Satanás procura interromper as nossas orações. Nossa batalha com a oração não é inteiramente nossa culpa. O diabo conhece as histórias; ele testemunhou o anjo na cela de Pedro e a restauração em Jerusalém. Ele sabe o que acontece quando oramos. “As armas com as quais lutamos são poderosas em Deus para destruir fortalezas” (2Co. 10.4). 

Satanás não fica preocupado quando o Max escreve livros ou prepara sermões, mas seus joelhos salientes tremem quando o Max ora. Satanás não gagueja ou tropeça quando você atravessa as portas da igreja ou participa das reuniões ministeriais. Os demônios não se agitam quando você lê esta mensagem. Mas as paredes do inferno se abalam quando uma pessoa com um coração sincero e uma confissão fiel diz, “Ah, Deus, grandioso és tu”. 

Satanás nos afasta da oração. Ele tenta se posicionar entre nós e Deus. Mas ele corre como um cachorro assustado quando nós avançamos. Então vamos. 

Vamos orar, primeiro. Viajando para ajudar os famintos? Certifique-se de banhar a sua missão em oração.

Trabalhando para desatar os nós da injustiça? Ore.

Cansado de um mundo de racismo e divisão? Deus também. E ele amaria falar com você sobre isso. 
Vamos orar, sempre. Deus nos chamou para pregar sem cessar? Ou ensinar sem cessar? Ou ter reuniões ministeriais sem cessar? Ou cantar sem cessar? Não, mas ele nos chamou para “orar sem cessar” (1 Ts.5.17). 

Jesus declarou: Minha casa será chamada casa de estudo? Comunhão? Música? Uma casa de exposição? Uma casa de atividades? Não, mas ele disse, “Minha casa será chamada casa de oração” (Mc.11.17). 

Nenhuma outra atividade espiritual garante tais resultados. “Se dois de vocês concordarem na terra em qualquer assunto sobre o qual pedirem, isso lhes será feito por meu Pai que está nos céus” (Mt. 18.19). Ele é movido pelo coração humilde e devoto. 

“Continuem firmes na oração, sempre alertas ao orarem e dando graças a Deus. Orem também por nós a fim de que Deus nos dê uma boa oportunidade para anunciar a sua mensagem, que trata do segredo de Cristo” (Colossenses 4.2-3). 

Autor: Max Lucado

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 28 de julho de 2019

NENHUM FRACASSO É DEFINITIVO


Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece(Filipenses 4:13).

Phillips Brooks se tornou um professor na Escola Latina de Boston, Um cargo para o qual ele parecia perfeitamente qualificado. Ele permaneceu ali apenas alguns poucos meses.

O diretor comentou que Phillips "não mostrava qualquer evidência de um professor bem sucedido" e disse ainda que nunca conheceu alguém que falhasse como professor e que tivesse sucesso em outra ocupação. Aquele fracasso aconteceu  quando Phillips tinha pouco mais de 20 anos de idade.

Phillips Brooks, porém, superou aquele fracasso e se tornou um dos maiores pregadores da história americana.

Nenhum fracasso é definitivo.

Quando Cristo é o Senhor de nossas vidas, temos a plena convicção de que as quedas do caminho são apenas um ponto de partida para um novo recomeço.
Não pode existir, no dicionário espiritual do filho de Deus, palavras como "eu não posso", "eu não conseguirei", "não há solução para mim", "o melhor é desistir" e outras semelhantes. 

Podemos cair e levantar, podemos fracassar e recomeçar, podemos ouvir um sim ou um não, podemos encontrar desertos ou campos verdes, podemos enfrentar tempestades ou desfrutar de uma bela tarde ensolarada.Podemos tudo e, em tudo, sempre seremos vencedores.

Se eu erro hoje, com Cristo acertarei amanhã.

Se eu estou desanimado hoje, amanhã, com Cristo, estarei perfeitamente motivado.

Se hoje eu tenho vontade de murmurar, não o farei, porque amanhã, Cristo me fortalecerá e eu estarei glorificando o Seu nome.

Se o fracasso me visita no dia de hoje, amanhã ele já terá sido esquecido e as conquistas me
cercarão.

Se você não atingiu ainda seus objetivos, confie, sorria, logo estará cantando e louvando a Deus por grandes vitórias e por uma vida de plena felicidade.

Robson Luiz de Oliveira

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 27 de julho de 2019

BASES BÍBLICAS DO BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO


João Batista falou que Jesus batizaria com o Espírito Santo, Mt 3.11: “...Ele vos batizará no Espírito Santo, e em fogo”. O próprio Jesus fez esta promessa, Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias. Atos 1:5; Esta foi a experiência dos apóstolos: At 2.1-4; Pedro disse que esta promessa era para todos os chamados por Deus: At 2.38.

Alguns dizem que esta experiência foi só para o tempo dos apóstolos, que hoje Deus não age mais assim. Mas isto não está escrito em nenhum lugar da Bíblia.

O Espírito Santo é que dá poder. É o "motor" da igreja. Se Deus nos tirasse o motor a igreja ficaria parada. A verdade é que a promessa é para todos os chamados de Deus, como a própria Palavra de Deus afirma em At. 2.38.

A Bíblia relata que após a ascensão de Cristo os discípulos se reuniam regularmente para orar, contando certa vez uma destas reuniões com a presença de cerca de cento e vinte discípulos: At.1.12-15. Sabemos que estavam todos ali na hora em que o Espírito Santo desceu: At.2.1, portanto foram pelo menos cento e vinte pessoas que receberam o batismo no Espírito Santo naquela ocasião.

O próprio apóstolo Pedro explicou o que ocorreu, declarando tratar-se do cumprimento da profecia joelina: “O que, de fato, está acontecendo é o que o profeta Joel disse: (...) Pois Jesus foi levado para sentar-se ao lado direito de Deus, o seu Pai, o qual lhe deu o Espírito Santo, como havia prometido. E Jesus derramou sobre nós esse Espírito, conforme vocês estão vendo e ouvindo agora.”:At 2.16,33

Após este evento, os apóstolos zelavam para que todos os novos convertidos também recebessem o Espírito Santo, orando e impondo as mãos sobre eles: “Os apóstolos, que estavam em Jerusalém, ficaram sabendo que o povo de Samaria também havia recebido a palavra de Deus e por isso mandaram Pedro e João para lá. Quando os dois chegaram, oraram para que a gente de Samaria recebesse o Espírito Santo, pois o Espírito ainda não tinha descido sobre nenhum deles. Eles apenas haviam sido batizados em nome do Senhor Jesus. Aí Pedro e João impuseram as mãos sobre eles, e assim eles receberam o Espírito Santo.”: At 8.14-17.

“Enquanto Apolo estava na cidade de Corinto, Paulo viajou pelo interior da província da Ásia e chegou a Éfeso. Ali encontrou alguns cristãos e perguntou:

– Quando vocês creram, vocês receberam o Espírito Santo? Eles responderam:

– Nós nem mesmo sabíamos que existe o Espírito Santo.(...) 

Aí Paulo impôs as mãos sobre eles, e o Espírito Santo veio sobre eles. Então começaram a falar em línguas estranhas e a anunciar também a mensagem de Deus. Esses homens eram mais ou menos uns doze.” At.19.1-7

Vemos que o batismo no Espírito Santo sempre era ministrado a grupos inteiros de pessoas.

Quando sabiam que havia uma nova comunidade de cristãos, os apóstolos se preocupavam de que estes se tornassem vasos cheios, pessoas completas espiritualmente. O único caso em que apenas uma pessoa foi batizada sozinha no Espírito foi a conversão do apóstolo Paulo: At.9.17.

Muitos afirmam que o novo nascimento e o batismo no Espírito Santo são inseparáveis, isto é, que ao nascer de novo a pessoa já recebe automaticamente a plenitude do Espírito. Porém, ao nascermos de novo nós nos tornamos templo do Espírito Santo, ou seja, Ele passa a residir em nós, 1Co 3.16 diz: “Não sabeis vós que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?” Todo o salvo em Cristo já possui o Espírito de Deus em si, como diz Rm 8.11: “E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo Jesus há de vivificar também os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita”.

Contudo, isso não significa que ele esteja “cheio” do Espírito. A palavra “batizar” significa: “ato de mergulhar ou submergir alguém em um líquido.” Ou seja, o batismo no Espírito Santo não significa apenas possuir o Espírito dentro de nós, mas também estarmos totalmente envolvidos e mergulhados n’Ele.

Se assim fosse, como Paulo perguntaria aos Efésios se receberam o Espírito Santo quando creram?

E como explicar o fato dos samaritanos já batizados no nome de Jesus não terem recebido o Espírito Santo?

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 26 de julho de 2019

NUNCA ERRA!!!


Há muito tempo atrás, havia um rei que não acreditava na bondade de DEUS, tinha um servo que em todas as situações lhe dizia: Meu rei, não desanime porque tudo que Deus faz é perfeito, Ele não erra!

Um dia eles saíram para caçar e uma fera atacou o rei. O seu servo conseguiu matar o animal, mas não pôde evitar que sua majestade perdesse um dedo da mão.

Furioso e sem mostrar gratidão por ter sido salvo, o nobre disse: Deus é bom??? Se Ele fosse bom eu não teria sido atacado por esta fera e perdido o meu dedo.

O servo apenas respondeu: Meu Rei, apesar de todas essas coisas, só posso dizer-lhe que Deus é bom; e ele sabe o porquê de todas as coisas.

O que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra!

Indignado com a resposta, o rei mandou prender o seu servo. Tempos depois, saiu para uma outra caçada e foi capturado por selvagens que faziam sacrifícios humanos.

Já no altar, prontos para sacrificar o nobre, os selvagens perceberam que a vítima não tinha um dos dedos e soltaram-no: ele não era perfeito para ser oferecido aos deuses.

Ao voltar para o palácio, mandou soltar o seu servo e recebeu-o muito afetuosamente. Meu caro, Deus foi realmente bom comigo! Escapei de ser sacrificado pelos selvagens, justamente por não ter um dedo! Mas tenho uma dúvida: Se Deus é tão bom, por que permitiu que você, que tanto o defende, fosse preso?

Meu rei, se eu tivesse ido com o senhor nessa caçada, teria sido sacrificado em seu lugar, pois não me falta dedo algum.

Por isso, lembre-se: Tudo o que Deus faz é perfeito. 

Autor Desconhecido / transcrito por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 25 de julho de 2019

EXPONDO A HIPOCRISIA


Uma breve análise da palavra hipocrisia faz-se necessária. No grego, a palavra que Jesus usou para descrever os fariseus e seus colegas religiosos foi hupokrites. No original o termo grego literalmente significa "aquele que responde", como um orador ou uma pessoa recitando um poema faria.

O teatro era uma característica importante da cultura grega dos dias de Jesus. A idéia que a palavra nos dá é de um ator grego interpretando diferentes papéis no palco. Ele se fantasiava usando várias máscaras, que ele mudava nos bastidores para divertir a platéia. Ele vinha da coxia usando uma máscara com um sorriso e contava piadas. A multidão ria ruidosamente do seu monólogo humorístico, assistindo ao ator correr para fora do palco para trocar a sua máscara sorridente por outra séria de expressão trágica.

Com isso o ator voltava recitando falas de pensamentos solenes e de tristeza e, num sentido, respondia à platéia. Não é surpresa que o ator fosse chamado de "hipócrita".

Com o tempo, o termo tomou uma conotação mais negativa e acabou sendo usado por Jesus para expor o fingimento de "duas caras" dos fariseus.

Aquele tipo de fingimento de ser o que não é condenado com veemência na Bíblia. Sempre que o nosso Deus aborda a falsa piedade, a falta de autenticidade, a dissimulação ou a duplicidade de caráter, Ele condena o fingimento.

O Senhor condenou abertamente a hipocrisia em seu povo através do antigo profeta hebreu, Isaías.

Visto que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas o seu coração está longe de mim e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu, continuarei a fazer obra maravilhosa no meio deste povo; sim, obra maravilhosa e um portento; de maneira que a sabedoria dos seus sábios perecerá, e a prudência dos seus prudentes se esconderá. (Isaías 29:13-14.)

Pouca coisa mudou em milhares de anos desde que essas palavras foram proferidas. Tenho raiva daquilo que parece ser uma interminável demonstração de hipocrisia na religião organizada de hoje. E, francamente, não culpo os incrédulos de fugirem das falsidades religiosas.
Nada melhor do que a autenticidade para desarmar uma pessoa sem Cristo. Por outro lado, nada causa mais dano à causa de Cristo do que atitudes, palavras e ações hipócritas de pessoas que se chamam cristãos.

A região americana da Nova Inglaterra produziu alguns dos pregadores mais poderosos que essa nação já conheceu. Os servos mais piedosos de Jesus Cristo foram criados e treinados em instituições como Harvard, Yale, Princeton e Dartmouth. Essas instituições já se posicionaram com firmeza contra a onda de secularismo e humanismo da cultura emergente.

Agora, muitas igrejas e comunidades que se formaram ao redor dessas universidades, assim como os seminários que elas patrocinam, estão em decadência religiosa - relíquias espiritualmente ocas de uma era passada.

Na Europa acontece o mesmo. As catedrais mais magníficas da Europa que pulsavam com a pregação fiel e poderosa do evangelho estão virtualmente vazias - símbolos solenes de uma cultura espiritualmente corroída.

O que podemos encontrar no coração dessa morte espiritual? A hipocrisia. Eram pessoas que louvavam a Deus com lábios, mas cujo coração estava longe dele. Pouco a pouco as pessoas começaram a sair da igreja para flertarem com o mundo. Os alunos ficaram em silêncio. O evangelho ficou mudo.

Não é de se admirar que o apóstolo Paulo escreveu aos cristãos em Roma com grande fervor e os exortou a "amar sem hipocrisia" (Romanos 12:9). Ele queria que as ações fossem coerentes com as palavras. Ele desejava que as capas falsas do exterior religioso fossem jogadas fora e trocadas por uma fé autêntica, vibrante e viva.

Pedro caiu na armadilha da hipocrisia, como você deve se lembrar. Embora ele pregasse que todos os cristãos, tanto judeus quanto gentios, fossem um em Cristo, sua conduta enquanto pregava na Antioquia não combinava com as suas palavras. Ele tinha duas máscaras - ele era um hupokrítes - e Paulo o expôs com uma exortação contundente (Gaiatas 2:11-14).
A questão é esta: tenha a certeza de que seu amor é autêntico. Não seja falso. Deixe sempre claro o que quer dizer e seja sério no que diz. E quando estiver em um grupo, diga as mesmas coisas que disse quando estava no grupo anterior.

Sempre tenha a certeza de que a sua vida se encaixa no que você diz que crê. Quando não, admita. Seja corajoso e diga a verdade!

Certa vez perguntaram a Mark Twain: "Qual a diferença entre um mentiroso e uma pessoa que diz a verdade?" De modo sábio, ele respondeu: "Muito simples. Um mentiroso precisa de uma memória melhor". Uma das minhas expressões favoritas foi criada por um pastor do interior: "Seja quem você é, porque se você não for quem é, você é quem não é."

A hipocrisia acontece quando mascaramos a carnalidade por trás das palavras religiosas. Isso é ser falso.

Quando estivermos lutando contra a dificuldade da hipocrisia, precisamos ouvir o que Jesus disse a esse respeito e permitir que Ele defina a maneira que devemos nos conduzir diariamente. Há muito em jogo para ficarmos entrando e saindo do palco, trocando máscaras. Está na hora de baixar as cortinas e terminar a encenação.

Extraído do livro Rompendo Dificuldades de autoria de Charles R. Swindoll / Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 24 de julho de 2019

ALGUÉM SE INTERESSA POR VOCÊ


Este alguém conhece as circunstâncias atuais de sua vida. Conhece até seus pensamentos.

Este alguém lhe chama "Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei".(Mateus 11.28). 

Verdadeiro descanso dos problemas da vida é o que Jesus Cristo lhe oferece. Libertação do temor e das culpas, das preocupações e frustrações, da solidão e das decepções!

Se estas lutando contra as pressões da vida, Ele promete ajudar a levar sua carga: "Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve".(Mateus 11.29,30).

Se estas buscando paz para a sua mente e para a sua alma. Ele oferece a paz: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize".(João 14.27).

Sim, Jesus Cristo se interessa por você. Ele, Deus Filho, se fez homem para lhe redimir das conseqüências do pecado.

Nos seus trinta e três anos sobre a terra, ele sofreu a rejeição, o maltrato e a crueldade. Suportou a fome, a sede e a dor. E, sobretudo, ele morreu na cruz do calvário para cumprir o plano da salvação de Deus Pai: "Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados".(Isaías 53.5).
Quando Cristo ressurgiu, triunfou sobre o pecado e a morte, prometendo a todos os que o receberem: "Porque eu vivo, vós também vivereis". (João 14.19).

Esteja certo de que neste exato momento Ele se interessa por você, e deseja satisfazer-lhe todas as necessidades.

O Salvador ressuscitado é Deus e homem ao mesmo tempo: como homem ele pode compreender todas suas necessidades; como Deus, ele pode libertá-lo.

Jesus Cristo, por ser o Filho de Deus ressuscitado, pode perdoar os seus pecados e lhe dar uma vida nova e eterna: "Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo".(Rm. 10.9).

Cristo compreende os nossos sentimentos e as nossas necessidades, porque ele viveu como homem sobre a terra.

Ele lhe oferece paz interior e fortaleza através do seu Santo Espírito.

Ele lhe oferece ânimo e um bom convívio por intermédio do seu povo.

Ele lhe revela uma maneira nova de viver em harmonia com Deus e os homens através de sua Palavra, a Bíblia.
E, sobretudo, ele está à destra do Pai intercedendo por todos aqueles que colocam sua confiança nele: "Cheguemo-nos, pois, com confiança ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno". (Hebreus 4.16).

Venha hoje a Jesus Cristo. Receba-o como Salvador e amigo. 

Só assim você poderá conhecer esta verdade, este poder e esta compaixão que há na pessoa gloriosa de Nosso Senhor Jesus Cristo!

Transcrito por Litrazini (AD)
Graça e Paz

terça-feira, 23 de julho de 2019

O DOM DE ENGANAR O POVO


Satanás, como lhe é bem corriqueiro, tem o hábito de distorcer a Sagrada Escritura com o intuito de enganar o povo, para que o mesmo lhe cumpra os propósitos egoístas e orgulhosos.

Pois bem, é preciso tomar bastante cuidado com alterações e modificações, pois no texto de Jó encontramos que no momento em que satanás agiu contra Jó, o fez dando a impressão que era Deus agindo, pois o servo de Jó ao lhe trazer a notícia diz que “Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e os servos, e os consumiu, e só eu escapei para trazer-te a nova” (Jo 1:16).

No momento em que Satanás tenta Jesus Cristo no deserto também usa a Palavra, e no Éden, ao conversar com Eva, ele utilizou a mesma tática.

Ao atentarmos para esses detalhes, perceberemos que o Inimigo tem o hábito de usar a Escritura de forma distorcida, e gosta de agir imitando Deus, para que o povo culpe a Deus sempre e sempre.

Com isso podemos entender que o propósito de Deus é abençoar o povo e o de satanás é enganar, escravizar e destruir, e as armas que ele usa para isso são: a Escritura distorcida e sinais visuais enganadores.
Esteja sempre atento para supostos sinais que surgem, pois pode ser que os mesmos não sejam de Deus, e observe com bastante atenção tudo aquilo que lhe é ensinado, pois podes estar recebendo um ensino falso.

Os grandes enganadores são sempre carismáticos, simpáticos e têm o hábito de lhes fazer favores para lhes deixar devedores. Essa dívida pode lhe custar um preço bastante alto no futuro. Talvez, alto demais.

Observe que muitas vezes, as descrições do maligno na Bíblia vêm acompanhadas de uma ação que fez com que o povo lhe admirasse e se tornasse escravo de seus feitos.

Em Apocalipse ele é apresentado como aquele que traz a solução dos problemas do mundo, e em Tessalonissenses ele é descrito com aquele que trará uma suposta paz e uma falsa segurança para a sociedade.

Vivemos dias nos quais o mistério da iniquidade já opera, ou seja, o espírito do anti cristo já está presente. Observe bem o espírito, e não o próprio anti-cristo.

O sentimento do pecado com suas artimanhas, armadilhas e estratégias já está presente, e muitos são aqueles que tem copiado o modo de agir do inimigo, tornando o povo escravo de seus favores e benefícios.
Por último, atente para a observação bíblica sobre o verdadeiro amor: “Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita” (Mt 6:3). 

Portanto, aquele que ajuda verdadeiramente de uma forma bíblica não cobra o favor de volta. Na verdade, ajuda sem interesse, e não cobra de volta. Diferentemente de Satanás.

“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros” (Rm 13:8)

Robson T. Fernandes

Por Litrazini
Graça e Paz