quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

As minhas forças acabaram


E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao SENHOR; também de todas as cidades de Judá vieram para buscar ao SENHOR. Ah! nosso Deus, porventura não os julgarás? Porque em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti. (2Cr. 20.4.12)

É difícil admitir, mas para ser franco com vocês, quando eu percebi a situação terrível em que me encontrava, eu tremi nas bases, o medo se apoderou de mim de tal forma, que eu fiquei literalmente sem chão, sem teto, sem provisão, como um filhote desprotegido diante de uma fera faminta e enraivecida.

Sim, eu estava totalmente vulnerável, e o pavor tomou conta de mim, as ondas se agigantaram, os ventos contrários derrubaram as velas, e com elas, quaisquer esperanças de permanecer vivo. As águas nervosas invadiram nossa embarcação, e eu estava esperando o momento de afundar e ver o fim de tudo, e a situação era ainda pior, porque eu era o capitão, o líder, o ungido de Deus, eu era o esposo, o pai, o chefe, o mestre. Eu era Josafá, o grande rei de Judá, mas, naquele momento, diante de um inimigo tão poderoso e furioso, eu só conseguia ver uma coisa: As minhas forças acabaram.

Em pleno século XXI, estando integrados a uma geração em que admitir fraqueza e medo são sinais de um perdedor, de um fracassado, e admitir que precisa de ajuda é sinal de imaturidade e de dependência, o que será que temos para aprender com Josafá?

É BOM SENTIR MEDO? (v. 4)
Diante das circunstâncias, diante de inimigos poderosos, diante de uma notícia realmente assustadora, Josafá teve medo. Isso mesmo, o rei de Judá teve medo.

Que coisa, um homem ungido por Deus ter medo! O homem escolhido pelo SENHOR dos Exércitos sentir medo! Que feio, hein, Josafá! Você não tem vergonha não? Olha que mau exemplo você deixa!

Meus amados irmãos, aprenda com Josafá uma coisa: É BOM SENTIR MEDO!!! Sabe por quê? Porque sentir medo é uma espécie de sinal de alerta, sentir medo é reconhecer que existe um problema real, um obstáculo difícil a ser ultrapassado, um inimigo furioso e poderoso no seu calcanhar, e que você se encontra numa situação muito crítica. Sim, é bom sentir medo!

QUEM PODERÁ NOS SOCORRER? (v. 4)
Se sua resposta é Chapolim Colorado, você está enganado, filho de Adão! Se você pensa que um amigo ou seu chefe, ou seu pastor, ou um super herói qualquer serão seus protetores, serão seus heróis, uma surpresa desagradável virá com certeza.

Josafá sentiu medo ao ver a grandeza do problema? Sim, deve ter ficado realmente apavorado, mas, em seguida, fez o que um autêntico vencedor de Deus faz: Buscou ao Senhor. Coisa linda né? Ele buscou ao Senhor e convocou todo o povo a fazer o mesmo, suplicando e jejuando, demonstrando publicamente que seu medo era racional e a única ajuda de que precisavam somente Deus poderia dar.

Quero deixar claro que Deus é Quem ajuda, é Quem socorre, é Quem resolve. Ele pode usar um amigo, um líder, um pastor, ou até mesmo um estranho para lhe socorrer, mas lembre-se sempre de buscar ao Senhor, pois é DELE que vem o socorro, independentemente dos instrumentos que Ele venha utilizar!

AS NOSSAS FORÇAS ACABARAM (v. 12)
Mesmo sendo o todo-poderoso rei de Judá, Josafá confessou publicamente a sua fraqueza. Ele não se apresentou como “o cara”, ou como “um deus”. Josafá reconhecia sua insignificância e sua dependência do El Shadai.

Essas palavras me levam a pensar nas de Paulo - “Tudo posso naquEle que me fortalece... quando sou fraco, então é que sou forte... o poder se aperfeiçoa na fraqueza.”. Essa é a postura de um homem realmente forte – reconhece sua fraqueza, e não pensa duas vezes antes de pedir ajuda ao seu Deus.

OLHANDO PARA DEUS (v. 12)
 “... Porém, os nossos olhos estão postos em TI”. Primeiro ele declarou seu medo, depois sua fraqueza, mas o porém dele deixa claro uma coisa: Ele sabia que Deus poderia mudar tudo.

O que Josafá fez diante da adversidade? Olhou para Deus, confiou em Deus, depositou tudo nas mãos de Deus, esperou o socorro de Deus. E não é fácil agir assim!

É mais fácil a gente olhar para as pessoas que, no nosso modo de ver, podem nos ajudar, podem nos socorrer, mas não é nas pessoas, por mais especiais que elas sejam, que devemos depositar nossa fé. É em Deus, o Pai, o Senhor, o Salvador, o Grande El Shadai.

Autoria: Tuta Moraes

Por Litrazini:

Graça e Paz


Nenhum comentário:

Postar um comentário