quarta-feira, 11 de outubro de 2017

SONHO MISSIONÁRIO

Do nascente ao poente, seja louvado o nome do Senhor! (Sl 113.3.)

O nascente é o ponto do horizonte onde parece que surge o sol e o poente, o ponto do horizonte onde parece que desaparece o sol. Se estivermos virados para o Pólo Norte, o nascente fica à nossa direita e o poente, à nossa esquerda. De um lado está o hemisfério este, leste ou oriental. Do outro está o oeste ou ocidental.

A distância entre o nascente e o poente, entre o levante e o pôr-do-sol, é muito grande! Tão enorme que Deus usa essa distância para nos fazer entender a grandeza da sua graça: “Como o Oriente está longe do Ocidente, assim ele [Deus] afasta para longe de nós as nossas transgressões” (Sl 103.12).

A consciência missionária do salmista não tem medida. Ele não deixa por menos. O seu sonho é que “do nascente ao poente, seja louvado o nome do Senhor!” (Sl 113.3).

Esse sonho nunca passou pela cabeça de Jonas. Para o profeta, o nome do Senhor deveria ser louvado apenas dentro das fronteiras de Israel, de Dã à Berseba, do Mediterrâneo (a oeste) ao Mar Morto (a leste).

O sonho do salmista preenche todas as versões da Grande Comissão.

De acordo com a vontade e a ordem de Jesus, devemos ir pelo mundo todo e pregar o evangelho a todas as criaturas (Mc 16.15).

O Senhor poderia ter usado a linguagem do salmista: “[Sejam] minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra [tanto para o lado do nascente como para o lado do poente, tanto para o lado do Pólo Norte como para o lado do Pólo Sul]” (At 1.8).

O campo missionário é o mundo todo, todas as nações, todas as etnias, todas as línguas, todos os pecadores acima e abaixo da linha do Equador, à esquerda e à direita do meridiano principal (Greenwich). Salve a visão missionária do salmista!

Retirado de Refeições Diárias com o Sabor dos Salmos. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário