domingo, 19 de agosto de 2018

O PROCESSO DA RESTAURAÇÃO


A PURIFICAÇÃO

“Tirai-lhe as vestes sujas”.Zc.3.4. Não podemos continuar na presença Deus, fazendo a obra de Deus, com vestes sujas, com vida impura.

Josué não podia purificar a si mesmo. As vestes sujas lhe foram tiradas. Deus é quem nos limpa e nos purifica. Só o sangue de Jesus pode nos lavar. Só Deus pode restaurar a nossa alma, purificar a nossa consciência, o nosso coração, a nossa vida.

“E te vestirei de finos trajes”.
O mesmo Deus que nos purifica é o que nos justifica. Nossa justiça é como trapo de imundícia. A justiça de Cristo em nós é que nos capacita a estarmos no altar. É o ouro cobrindo a madeira de acácia. É a glória de Deus tragando nossa fraqueza. São os méritos de Cristo imputados a nós. É roupa branca, de linho finíssimo nos cobrindo.

A RESTAURAÇÃO DA AUTORIDADE ESPIRITUAL

“Ponham-lhe um turbante limpo sobre a cabeça”.(Zc.3.5)
Deus não apenas apaga as nossas transgressões, mas nos devolve a alegria da salvação e a autoridade espiritual.

O filho pródigo pensou apenas em ser tratado como um escravo, mas o Pai lhe devolveu a posição de filho.

Pedro foi restaurado, depois de negar o seu Senhor, e tornou-se um poderoso pregador do evangelho. O diabo quer manter você de cabeça baixa, envergonhado. Mas Deus restaura plenamente sua vida!

O PERDÃO DOS PECADOS

“Eis que tenho feito que passe de ti a tua iniquidade”. (Zc.3.4)
O pecado nos amarra. O pecado nos deixa desanimados. O pecado nos cansa. O pecado nos desmotiva. O pecado nos faz amargos, críticos, trôpegos, vazios.

O pecado é que impede a igreja de crescer. O pecado é que nos adoece espiritualmente. Deus, contudo, intervém e perdoa. Deus cancela a dívida. Deus apaga as transgressões como névoa. Joga os nossos pecados no profundo dos mares. Ele cobre o nosso pecado com o sangue do seu Filho e dele não mais se lembra.

Davi caiu, reconheceu o seu pecado, pediu perdão e Deus o perdoou.

Pedro negou a Jesus, chorou e Jesus o perdoou.

A mulher pecadora: Vai e não peques mais.

Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário