domingo, 20 de janeiro de 2019

BEM AVENTURADO O HOMEM


Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá. (Sl.1.6)

O Salmo I descreve a verdadeira natureza da bem-aventurança. O salmista vê a pessoa feliz como aquela que prossegue na vida em direção a alvos e propósitos claramente definidos. Seus olhos estão fixo no Senhor e no seu plano: logo, seu viver é venturoso.

Este salmo também é conhecido como “a doutrina das recompensas” Os justos prosperam e são felizes: os ímpios são assediados por conflitos e crises que os levam a destruição. Mostra que conhecer a Deus é o verdadeiro conhecimento, a verdadeira força espiritual e a felicidade humana. Apresenta o resultado que Deus dá do homem justo e piedoso.

O ANDAR DO HOMEM JUSTO (Sl.1.1-2)
O homem piedoso é primeiramente descrito pelas coisas que ele não faz. O crente sincero não pode viver uma vida santa sem renunciar ao mal.

ANDAR NO CONSELHO DOS ÍMPIOS: é dar ouvido a idéias de gente que leva a vida por seus próprios recursos, sem a presença e o poder de Deus, fazendo tudo o que vem a cabeça sem se importar com as conseqüências. Ouvir seus conselhos é fatal.

DETER-SE NOS CAMINHOS DOS PECADORES: é seguir com eles numa direção que nos leva para longe da presença de Deus, modificando nossa maneira de proceder, tornado-nos semelhantes a eles.

NÃO SE ASSENTAR À RODA DOS ESCARNECEDORES: Sãos os piores tipos de ímpios. São arrogantes, orgulhosos, presunçosos, inimigos da paz e da ordem. O assento do escarnecedor pode ser às vezes muito elevado socialmente, mas fica muito perto da porta do inferno. O homem bem-aventurado não freqüenta lugares onde há pessoas que zombam de Deus e de coisas eternas.

É interessante notarmos o progresso do estado de degradação a que é levado o pecador. No início começa a escutar o conselho do ímpio (anda); depois pratica a vida ímpia (detém-se), e finalmente faz parte da roda (se assenta) para ensinar e tentar outros a praticar o pecado.

A FONTE DA NOSSA ALEGRIA
O prazer da pessoa bem-aventurada encontra-se na Lei de Deus. A fonte da nossa alegria deve ser a Palavra de Deus. A leitura constante, regular e diária da Bíblia nos dá segurança do amor, da providência e da Graça de Deus.

 Meditar não significa apenas pensar na Palavra de Deus, mas também lê-la em voz alta em tom suave e cantando, fazendo dela parte da nossa natureza e caráter. Devemos imergir-nos, mergulhar-nos por completo, inundando-nos na verdade da Palavra santa.

Permanecer na Lei é como uma árvore, que pode solver o fluxo ilimitado do rio, que ao lado dele ela cresce. Como resultado: fica estável, tem força, está segura e firme, e sua substância se transforma em frutos, suas folhas não secam, e tudo que fizer prosperará.

O DESTINO DOS ÍMPIOS
O pecador está ao contrário do justo, “são como a palha que o vento espalha”. O ímpio não sobreviverá no dia do juízo. O que é juízo?  Esse juízo se realiza diariamente em nossos pensamentos e ações, mas também é o juízo final. Se escolhermos viver sem o Senhor nesta vida, viveremos separados dela e da bênção do céu na eternidade.

Quando o Senhor reunir os seus, os ímpios não estarão com Ele.  Esta congregação dos justos não é apenas um privilégio para a eternidade, mas também uma comunhão com o povo do Senhor no presente.

O salmo chega ao final com uma comparação ainda mais chocante Porque o Senhor conhece “aprova, guia, se interessa, tem consideração” pelo caminho do justo. Porém, o caminho dos ímpios perecerá, terminará em ruína, pois são caminhos de morte. (Pv 14.12)

Há um antigo ditado que diz: “A eterna vigilância é o preço da liberdade” para nós cristãos, a vigilância é o preço da santidade.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário