terça-feira, 30 de junho de 2020

UM ESPELHO CHAMADO "CRISTÃO"

Portanto, todos nós, com o rosto descoberto, refletimos a glória que vem do Senhor. Essa glória vai ficando cada vez mais brilhante e vai nos tornando cada vez mais parecidos com o Senhor, que é o Espírito.  II Co 3:18

SOMOS ESPELHOS QUE DEUS USA.
Enquanto caminhamos, o mundo ao nosso redor espera ver, em nós, a transformação que só o Espírito Santo faz na vida de um pecador arrependido. Observando um espelho, relembramos alguns cuidados necessários e essenciais para que sejamos usados pelo Senhor, refletindo Sua glória no mundo.

PARA REFLETIR COMO ESPELHO A GLÓRIA DE CRISTO, É PRECISO TER O ROSTO DESCOBERTO
Assim como um espelho deve estar descoberto para refletir a imagem de determinado objeto, nós também necessitamos de que nada se interponha entre nós e o nosso Deus.

O véu que separava o homem de Deus foi rasgado por ocasião da morte de Jesus na cruz. Este gesto, possibilitou que a glória do Senhor rebrilhasse em nossa vida. O acesso que temos à sua presença foi garantido pela morte e ressurreição de Cristo. Vamos desfrutar, portanto, dessa comunhão.

PARA REFLETIR COMO ESPELHO A GLÓRIA DE CRISTO, É PRECISO ESTAR LIMPO
Muitas vezes, a imagem refletida no espelho não é nítida, não tem  brilho. Pequenas manchas internas, ou até mesmo poeira, dificultam a nossa visão. Assim também, os nossos pecados  encobrem o rosto do nosso Deus e as nossas iniqüidades nos  separam do Senhor (Is. 59:2).

Se desejamos refletir a sua glória com todo o brilho e perfeição, busquemos diariamente purificar as nossas vidas, Confessando "os nossos pecados, na certeza de que Ele é fiel e justo para nos perdoar e purificar de toda e qualquer injustiça" (110 1:9).

PARA REFLETIR COMO ESPELHO A GLÓRIA DE CRISTO, É PRECISO ESTAR BEM DIRECIONADO
Mesmo descoberto e limpo, o espelho só é capaz de refletir o objeto para o qual se direciona. O cristão que não está em sintonia com o Senhor, corre o risco de refletir outras imagens.

O que é que as pessoas veem quando olham para você?
Um aventureiro? Um namorador? Um ganancioso? Um inconstante? Uma pessoa não confiável?

O QUE AS PESSOAS PRECISAM VER QUANDO OLHAM PARA VOCÊ?
Um Profeta, Um mensageiro da paz, alguém com quem elas possam se abrir e contar seus segredos; Atitudes equilibradas, sensatas, corretas, confiáveis. Sentimentos, amor, compaixão, piedade.

Uma pessoa boa, longânima, que domina seus instintos e vontades.Fé, confiança, espiritualidade (alguém que elas procuram para pedir oração). Determinação, garra, força de vontade, alguém que não se entrega, não desiste, olha sempre para frente.

Ao direcionar o nosso olhar para o "autor e consumador de nossa fé", passamos a refletir cada vez mais a sua glória, através de nossas vidas.

E assim, de glória em glória, somos transformados e Sua luz se revela em nossa vida; Quanto mais ela brilhar, mais Cristo será visto em nós.

COMO ESPELHO DE CRISTO EU DEVO:
- Reconhecer minhas fraquezas - Sl 139:23 e 24.
- Obedecer ao plano de Deus para minha vida - Sl 40:8.
- Confiar no poder de Deus e não em minhas forças - Filip 4: 13.

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 29 de junho de 2020

DEUS NÃO DESISTE DE AMAR VOCÊ


Mas ide, dizei a seus discípulos, e a Pedro, que ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis, como ele vos disse. Mc 16.7

Deus não abre mão da sua vida. Deus não desiste do direito que tem de ter você. Ele não abdica do seu amor por você. Ele sempre vai ao seu encontro, no seu encalço. Pedro, melhor do que ninguém nos revela esta verdade.

QUEM ERA PEDRO?
Filho de Jonas (Mc 16.17); Casado (1 Co 9.5); Natural de Betsaida; Residia em Cafarnaum, às margens do Mar da Galiléia; Era Pescador; Irmão de André; Um dos discípulos que mais tinha intimidade com Jesus; Assumiu a liderança do grupo apostólico antes e depois do Pentecostes; Recebeu poder para realizar grandes milagres (At 5.15); Primeiro apóstolo a pregar aos gentios. Pedro era um homem de profundas contradições
AS CAUSAS DA QUEDA DE PEDRO 
EXAGERADA CONFIANÇA EM SI MESMO - Mt 26.35: “Disse-lhe Pedro: Ainda que me seja necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei”. Mc 14.31: 
CONSIDEROU-SE MELHOR DO QUE OS OUTROS 
Mc 14.29: “Disse-lhe Pedro: Ainda que todos se escandalizem, eu jamais!” Mt 26.33: “…ainda que venhas a ser tropeço para todos, nunca o serás para mim”.
FOI INCAPAZ DE ORAR E VIGIAR NA HORA CRUCIAL DA VIDA 
Mt 26.40,41: “E, voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Então, nem uma hora pudestes vós vigiar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito na verdade, está pronto, mas a carne é fraca”.
PERDEU O CONTROLE EMOCIONAL 
João 18.10: “Então Simão Pedro puxou da espada que trazia e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita; e o nome do servo era Malco”. Pedro perdeu o controle emocional, o equilíbrio e não discerniu a natureza da batalha que estava travando. Não teve domínio próprio.
SEGUIU A JESUS DE LONGE 
Mt 26.58  “Mas Pedro o seguia de longe…”. Pedro vai fraquejando, vai perdendo seus absolutos. Pedro vai se tornando vulnerável, vai se acovardando.
ASSENTOU NA RODA DOS ESCARNECEDORES 
Lc 22.54,55: “Então, prendendo-o, o levaram e o introduziram na casa do sumo sacerdote. Pedro seguia de longe. E quando acenderam fogo no meio do pátio, e juntos se assentaram, Pedro tomou lugar entre eles”. 
NEGOU A JESUS TRÊS VEZES 
Mt 26.70,72,74: “Pedro negou. Negou outra vez com juramento. Negou a terceira vez praguejando e jurando: Não conheço esse homem”. Ninguém nega Jesus de uma hora para outra. Tem um histórico, um abismo chama outro abismo. Pedro não se lembrou das palavras de Jesus, fez pouco caso delas (Mt 26.75). Pedro caiu, fraquejou e negou: Seu nome; Sua fé; Seu apostolado; Suas convicções; Suas promessas a Jesus.

AS CAUSAS DA RESTAURAÇÃO DE PEDRO 
O OLHAR COMPASSIVO DE JESUS 
Lc 22.60-62: “Mas Pedro insistia: Homem, não compreendo o que dizes. E logo, estando ele ainda a falar, cantou o galo. Então, voltando-se o Senhor, fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje, três vezes me negarás, antes de cantar o galo. Então, Pedro, saindo dali, chorou amargamente”. 
AS LÁGRIMAS DE ARREPENDIMENTO
Mc 14.72: “Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe dissera…e caindo em si, desatou a chorar”. Mt 26.
A PROCURA DE JESUS 
Mc 16.7 – “Ide, dizei aos meus discípulos e a Pedro”. Jesus não desiste de Pedro. Pedro desistiu de ser apóstolo. Mas Jesus não desistiu de Pedro. Pedro disse para os seus colegas: “Eu vou pescar” (Jo 20.3). Eu vou voltar para minha velha vida. Ele exerceu uma liderança negativa. Mas, Jesus não abriu mão de Pedro. Ele também não desiste de amar você.
 A PERGUNTA DE JESUS 
Jo 21.15-17- Em primeiro lugar, Jesus curou Pedro do seu orgulho. Ele perguntou três vezes, pois três vezes Pedro o negou. Da última vez mudou a pergunta. Em segundo lugar, Jesus curou a memória de Pedro. Montando o mesmo cenário da queda. A única exigência que Jesus faz a Pedro para ser discípulo e para pastorear o seu rebanho é amá-lo.
 A RESTAURAÇÃO DE JESUS 
Jo 21.17b – “… apascenta as minhas ovelhas”. Jesus restaurou a mente de Pedro. Jesus restaurou a memória de Pedro. Jesus restaurou os sentimentos de Pedro. Jesus restaurou a vida de Pedro. Jesus restaurou o ministério de Pedro.

Agora, Pedro volta a ser um grande líder. Agora ele ora. Agora ele aguarda o Pentecostes. Agora ele é cheio do Espírito Santo. Agora ele se torna o grande pregador da igreja apostólica.

VOCÊ PODE SER RESTAURADO, POIS JESUS JAMAIS DESISTIU DE VOCÊ!

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 28 de junho de 2020

VIVENDO OS MILAGRES DIÁRIOS

"Jesus fez também muitas outras coisas. Se cada uma delas fosse escrita, penso que nem mesmo no mundo inteiro haveria espaço suficiente para os livros que seriam escritos". (Jo 21: 25)

Essa passagem do Evangelho de João é conhecida na Teologia como uma hipérbole, ou seja, um exagero por parte do autor para dar ênfase ao que representa Jesus Cristo para ele.

Mas parando e analisando vejo que o Apóstolo João não exagerou, reflita comigo, cada novo dia a Palavra de Deus nos diz que a misericórdia do Senhor se renova em nossas vidas, isso é um milagre.

Quando acordamos e abrimos os nossos olhos, mais um milagre, cada respiração nossa é um milagre, cada passo que damos outro milagre, cada palavra que proferimos é um milagre, cada vez que termina um dia e podemos deitar para descansar é milagre do Senhor.

A cada dia somos contemplados com milhares de "pequenos" milagres.

Multiplique isso pelos bilhões de pessoas que vivem e viveram nessa terra e veremos que o Apóstolo João não exagerou, ele na verdade profetizou.

Creia nisso, você é um milagre de Deus, não se deixe abater pelas coisas desse mundo, o Senhor Jesus está cuidando de cada situação de sua vida e jamais permitirá que algo aconteça em sua vida que você não seja capaz de suportar.

Ele disse: "...E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. (Mt 28:20)

Frank Medina

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 27 de junho de 2020

COMO ATRAIR A ATENÇÃO DE DEUS?

Todos nós queremos ter a atenção de Deus e ser abençoados por Ele. Mas será que há algum modo especial de atrairmos Sua atenção para nós?

DAR ATENÇÃO É: Ouvir; estar atento. A Bíblia diz que as mãos do Senhor não estão encolhidas para que não possam abençoar, nem os Seus ouvidos agravados, para que não possam ouvir (Is 59.1).

O QUE ATRAI A ATENÇÃO DE DEUS?

A FIDELIDADE E A INTEGRIDADE
Fidelidade é a característica de quem tem bom caráter, é pura e simplesmente ser fiel e demonstrar respeito por alguém e pelo compromisso assumido com outrem. Portanto, é sinônimo de lealdade. Se queremos atrair a atenção de Deus, devemos escrever a fidelidade na tábua de nosso coração. Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração. E acharás graça e bom entendimento aos olhos de Deus e do homem. (Pv 3.3,4).

A RETIDÃO
Noé chamou a atenção do Senhor por sua retidão: “...Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus!. (Gn 6.9). Essa é a característica de quem segue sem desvios na direção indicada pelo senso de justiça.

A OBEDIÊNCIA
Noé agiu conforme tudo o que Deus lhe mandou; (Gn 6.22). O Senhor tem mais prazer na obediência à Sua Palavra do que no oferecimento de algo em holocausto (1Sm 15.22).  A retidão, o temor ao Senhor e nosso esforço por obedecer a Ele lhe agradam.

A SANTIDADE
Noé atraiu a atenção do Senhor porque andava com Deus (Gn 6.9b). Uma das consequências de caminharmos com o nosso Criador diariamente é a santidade, a qual implica distância do pecado e consagração a Deus.

A FÉ
Outro atrativo para o olhar de Deus em relação a Noé é mencionado em Hb 11.7. Em decorrência de sua fé, Noé e toda a sua família foram salvos do dilúvio. A fé pressupõe confiança absoluta em algo ou alguém a melhor definição está em Hb 11.1.

QUE ATITUDES NOSSAS ATRAEM A ATENÇÃO DE DEUS? SE QUISERMOS ATRAIR A ATENÇÃO DE DEUS, DEVEREMOS:

CULTIVAR O HABITO DE ORAR
Façamos como Daniel, que orava três vezes ao dia (Dn 6.10). Enquanto ele orava, o anjo Gabriel veio entregar-lhe a resposta divina (Dn 9.21). O mesmo aconteceu com Cornélio (At 10.3,4). E lembremos que Paulo nos exortou a orar sem cessar (1 Ts 5.17).

SER GENEROSOS
Bem-aventurado é aquele que atende ao pobre (Sl 41.1a). Nossa doação não pode ser algo mecânico e leviano, e dar o dízimo também não (Ml 3.10-12). Davi, homem segundo o coração de Deus, propôs-se a não ofertar coisas que não custassem nada (1 Cr 2 1.24).

QUEBRANTAR-NOS DIANTE DE DEUS
Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado (Sl 51.17a). Jesus ensinou que aquele que se exalta será humilhado (Mt 23.12); Deus resiste aos soberbos (Tg 4.6). E Pedro recomendou que nos humilhemos sob as potentes mãos de Deus (1 Pe 5.5-7).

ADORAR AO SENHOR
Davi adorou ao Senhor, pois sabia que só Ele é maravilhoso, tudo provém dele, e o homem é totalmente dependente dele (1 Cr 29.11-14). Adorar é reconhecer quem é Deus e prestar-lhe nossa reverência e admiração.

O QUE A ATENÇÃO DE DEUS NOS PROPORCIONA?

A SALVAÇÃO
Meditemos na forma como o Senhor olhou para Noé (Gn 6.5,9b). Devemos atentar para uma grande salvação (Hb 2.2-4).

A REMISSÃO DOS PECADOS E A RECONCILIAÇÃO COM ELE
Abel ofereceu a Deus melhor sacrifício que Caim (Gn 4.4,5). Porém, o melhor dentre todos os sacrifícios foi Jesus, oferta imaculada para remissão de nossos pecados. O plano da salvação aponta para Cristo, a imagem de Deus (Cl 1.15-20). 

A LIBERTAÇÃO DO JUGO DE SATANÁS
Deus está atento aos sofrimentos de Seu povo e pronto a libertá-lo da opressão do inimigo, como fez com Israel no Egito (Êx 2.23-25).

Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. Mas lembre se do que Ele disse no Salmo 101.6: Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que estejam comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá. Sejamos fiéis a Deus, sirvamos-lhe com zelo e sinceridade, a fim de que possamos desfrutar da Sua maravilhosa presença por toda a eternidade! 

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 26 de junho de 2020

COMO SE PODE ACREDITAR NA SALVAÇÃO SOMENTE PELA FÉ

É inteiramente verdade que o único versículo na Bíblia que contém a frase exata "fé somente" parece argumentar contra a salvação pela fé. Tg 2:24 diz: "Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente." No entanto, a rejeição da doutrina da salvação pela fé com base apenas neste versículo tem dois problemas. Primeiro, o contexto de Tiago 2:24 não está argumentando contra a doutrina da salvação pela fé. Em segundo lugar, a Bíblia não precisa conter a frase exata "fé somente" a fim de ensinar claramente a salvação pela fé.

 

Tiago 2:14-26, e especialmente o versículo 24, tem sido objeto de algumas interpretações confusas. A passagem definitivamente parece causar sérios problemas ao conceito da "salvação pela fé". Em primeiro lugar, é preciso esclarecer um equívoco, ou seja, que Tiago quer dizer a mesma coisa com "justificada" em Tg 2:24 que Paulo quer dizer em Rm 3:28.

 

Paulo está usando a palavra justificado com o sentido de "declarado justo por Deus". Paulo está falando da declaração legal de Deus de nós como justos quando a justiça de Cristo é aplicada a nossa conta. Tiago está usando a palavra justificado com o sentido de "ser demonstrado e comprovado."

 

Tg 2:24 pode ser processado desta forma: "Você vê que uma pessoa é considerada justa pelo que faz e não somente pela fé" (grifo nosso). Pode-se dizer também de outra forma: "Então você vê, mostramos que estamos bem com Deus pelo que fazemos, não somente pela fé" (grifo nosso).

 

Toda a passagem de Tg 2:14-26 trata de provar a autenticidade da fé pelo que se faz. Uma experiência genuína de salvação pela fé em Jesus Cristo resultará inevitavelmente em boas obras (Ef 2:10). As obras são a demonstração e prova de fé (Tg 2:18). Uma fé sem obras é inútil (Tg 2:20) e morta (Tg 2:17). Em outras palavras, não é uma verdadeira fé. A salvação é somente pela fé, mas essa fé nunca estará sozinha.

 

Embora Tiago 2:24 seja o único versículo que contenha a frase exata "fé somente", existem muitos outros versículos que, de fato, ensinam a salvação pela fé. Qualquer versículo que atribua a salvação à fé/crença, sem outro requisito mencionado, é uma declaração de que a salvação é somente pela fé.

 

João 3:16 declara que a salvação é dada a "todo que nele crê." At 16:31 proclama: "Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa." Ef 2:8 diz: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus." Veja também Rm 3:28; 4:5; 5:1; Gl 2:16; 3:24; Ef 1:13 e Filip 3:9. Além destes, muitos outros versículos poderiam ser mencionados.

 

Em resumo, Tg 2:24 não argumenta contra a salvação pela fé. Em vez disso, argumenta contra a salvação que está sozinha, uma salvação desprovida de boas obras e obediência à Palavra de Deus.

 

O argumento de Tiago é que demonstramos nossa fé por aquilo que fazemos (Tg 2:18). Independentemente da ausência da frase exata "fé somente", o Novo Testamento definitivamente ensina que a salvação é o produto da graça de Deus em resposta a nossa fé. "Onde, pois, a jactância? Foi de todo excluída. Por que lei? Das obras? Não; pelo contrário, pela lei da fé" (Rm 3:27). Não há outra exigência.

 

Fonte: GotQuestion

 

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


quinta-feira, 25 de junho de 2020

PASTOR LISTA 15 SINAIS PROFÉTICOS DO RETORNO DE JESUS


Enquanto algumas pessoas enxergam todos os acontecimentos como sinais da volta de Jesus Cristo, outras não encaram nada como prenúncio.

O pastor norte-americano Dave Williams observa que os cristãos devem evitar os dois extremos, mas também precisam reconhecer que os sinais são importantes.

“Os sinais servem para manter a ordem e evitar o caos no dia-a-dia, e os sinais proféticos são ainda mais importantes. Eles estão surgindo por toda parte, apontando para o breve retorno de Jesus Cristo. Ou você está pronto, ou você não está. É simples assim”, disse ele ao site Charisma News.

Dave observa que os sinais estão surgindo com rapidez, mas muitos escolhem ignorá-los. “Os sinais podem ser desconfortáveis. De alguma forma, queremos acreditar: ‘talvez ainda tenhamos alguns anos ou décadas antes dessas profecias acontecerem". Mas a evidência nos diz que elas estão sobre nós agora”, ele afirma.

“A geração que vê estes sinais acontecendo simultaneamente e globalmente será parte da geração final e, possivelmente, irá experimentar o esperado retorno de Jesus Cristo. Enquanto os seguidores de Cristo caminharão na esperança, na fé e no grande poder, outros sentirão a angústia dos dias vindouros”, acrescentou o pastor.

O pastor Dave começou seus estudos sobre as profecias bíblicas em novembro de 1971. Em 1978, ele compreendeu e reuniu quais sinais se tornariam mais evidentes nos últimos dias:

1. O foco do mundo estaria no Oriente Médio;
2. A Rússia começaria a se alinhar com as principais nações muçulmanas;
3. Israel estaria cercado por aqueles que estariam inclinados a sua aniquilação;
4. O antissemitismo (preconceito ou hostilidade contra judeus) aumentaria drasticamente;
5. Haveria uma grande decepção religiosa;
6. O caos político aumentaria e uma figura surgiria com soluções plausíveis;
7. Fome extrema ocorreria em diferentes partes do mundo;
8. Haveria guerras e rumores de guerra, especialmente em relação ao Oriente Médio e Israel;
9. Epidemias e pandemias se espalhariam;
10. Terremotos e desastres naturais aumentariam com frequência e intensidade;
11. A tecnologia se desenvolveria de maneira surpreendente;
12. O terrorismo avançaria pelo mundo;
13. Haveria mais ênfase no sexo e no materialismo, e a moral seria retorcida;
14. As traições e os problemas familiares se multiplicariam, gerando resistência às mensagens de Deus;
15. Um genuíno avivamento liderado pelo Espírito Santo surgiria através de um remanescente de cristãos alinhados com o Reino de Deus.

Por Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 24 de junho de 2020

O AGUILHÃO DA MORTE É O PECADO


Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. (1 CO 15.56)

Aguilhão é uma ponta afiada, na extremidade de uma haste, que era usada para estimular, principalmente os bovinos a se movimentarem. No nosso texto o pecado é chamado de aguilhão da morte, porque é pela picada venenosa do pecado que o homem é conduzido de modo doloroso à morte, notadamente a espiritual, pela qual se encontra separado da vida de Deus.

Há então algo ligado com a morte, ainda que dela distinto, mas que lhe pertence, e ainda que seja possível ser separado da mesma, que é infinitamente pior e mais difícil de ser separado, do que a própria morte, de modo que quando é considerado separadamente tem o nome de aguilhão da morte, ou picada da morte, ou ainda amargura da morte, que é o pecado.

Ele é a picada fatal da morte naqueles que não têm qualquer esperança de vida eterna, e portanto de vencerem a morte espiritual à qual todos estão sujeitos, até que sejam livres da mesma pelo poder de Jesus Cristo, e da qual a morte do corpo (física) é a ilustração e comprovação visível da ausência de vida, pela separação entre o corpo e o espírito.

De igual forma, quando nos encontramos separados de Deus, o nosso espírito se encontra morto em delitos em pecados, embora possamos ter ainda o que chamamos de vida natural no corpo e na alma, enquanto nos encontramos neste mundo.

Jesus nos diz na Bíblia: “Aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá.” Isto porque todas as coisas são de Cristo. A morte é sua, igualmente como a vida. E como tudo que é de Cristo é também daqueles que estão unidos a Ele pela fé, tanto a vida espiritual e eterna, e até mesmo a própria morte física passa a ser uma possessão bem-aventurada.

Mas não é assim onde a amargura e a picada permanecem, ou seja, naqueles que não têm a Cristo.

É por estar armada com uma tal picada, que dá à morte o seu poder de ferir, e o desarmamento da mesma no que respeita a isto, é considerado como vitória sobre a morte, embora o vencedor que conquista a vitória morra fisicamente.

Ele é vitorioso na sua morte para o ego e à velha natureza terrena, na sua identificação com Cristo, sobre a morte espiritual, de modo que agora há a vida de Deus em seu espírito para sempre; e quando ele morre quanto ao corpo, ele tem uma vitória definitiva sobre a morte, porque entra naquele estado glorioso de vida celestial e eterna, na presença de Deus, dos anjos e de todos os santos glorificados.

Por isso o apóstolo expressa o triunfo de Cristo e do cristão sobre a morte, dizendo: “Onde está oh morte a tua vitória, onde está oh morte o teu aguilhão?” Onde está esta ponta envenenada, que tu tens para poder ferir e destruir? Ela (o pecado) foi destruída completamente para o crente, por Cristo em sua vitória sobre o pecado na cruz.

A morte física ainda existe, mas ela existe pertencendo a eles, porque estando em Cristo, a morte física não está destinada a lhes fazer mal, por lhes conduzir a um lugar de tormentos eternos, senão a lhes fazer o bem, porque lhes conduzirá a uma eternidade de felicidade e de glória ininterruptas.

O triunfo final e definitivo sobre a morte, quer espiritual ou física, será consumado quando o último eleito se converter a Cristo, e a família dos santos estiver completa na ressurreição geral do último dia, quando os corpos de todos os que morreram em Cristo forem revestidos da imortalidade incorruptível no dia do arrebatamento, para o encontro com Ele entre nuvens.

Então será integralmente cumprida a palavra que está escrita: “Tragada foi a morte pela vitória.” Só então será cantada em coro completo esta canção: “Oh! morte, onde está o teu aguilhão? Oh! sepultura, onde está a tua vitória?”

Assim a vitória completa e geral, relativa ao corpo de cristãos, do primeiro até o último deles, apesar de não ser concluída totalmente até então, já se inicia na conversão de cada um deles, quando o pecado é perdoado, Deus pacificado com o pecador, e o domínio do pecado sobre ele, destruído.

O cristão, portanto, não precisa temer qualquer tipo de morte, seja ela física ou espiritual.
Porque, para aqueles que o aguilhão (pecado) causador de dor e tormento foi destruído por Cristo, já não há razão para tal temor ou dor.

E a morte não pode subsistir onde o pecado não mais reina. Se é o pecado a única causa da existência da morte, é evidente que uma vez removida a causa, elimina-se também o efeito.

Pr Silvio Dutra

Por Litrazini
Graça e Paz



terça-feira, 23 de junho de 2020

APROVEITANDO BEM AS OPORTUNIDADES


Portanto, prestem atenção na sua maneira de viver. Não vivam como os ignorantes, mas como os sábios. Os dias em que vivemos são maus; por isso aproveitem bem todas as oportunidades que vocês têm. Ef 5.15,16

Como discípulos do Senhor Jesus Cristo temos a oportunidade de ser serví-Lo em nossa geração com dedicação, consagração e alegria; dando continuidade a sua missão e ao seu ministério na terra.

Para aproveitar bem cada oportunidade que o Senhor coloca diante de nós, precisamos fazer diariamente esta oração: "Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcançemos coração sábio" (Sl 90.12).

Deus sempre coloca diante de nós grandes oportunidades, a vontade Dele é que possamos aproveitar bem cada uma delas, isso, para o nosso crescimento e para a gloria de Jesus.

1) PESSOAS QUE PERDERAM GRANDES OPORTUNIDADES.
ADÃO E EVA: eles viviam no jardim do Edem, tinham diariamente o privilegio da companhia de Deus... Por causa do pecado da rebelião contra Deus, eles perderam a grande oportunidade de continuar vivendo no jardim do Edém, e, de continuarem sendo discipulados pelo Próprio Deus... (Gn 3.23,24).

O REI SAUL: Foi escolhido por Deus para ser o primeiro rei de Israel, mas devido ao seu pecado de desobediência ao profeta Samuel e a Deus,  ele perdeu a oportunidade de ter o seu reinado confirmado para sempre... (1 Sm 13.8-14; 15. 10,11,22-28).

JUDAS ISCARIOTES: foi chamado por Jesus para ser um dos doze apostolos; teve a oportunidade de andar com Jesus por três anos, porém, no final ele traiu Jesus e perdeu a oportunidade de ser um dos apóstolos do cordeiro  (Mt 26.14-16,47-49; 3-5).

O JOVEM RICO: foi até Jesus com boa intenção, com uma boa pergunta, mas ao ouvir as condições para o discípulado  estabelecidas por Jesus, ele foi embora,  jogou fora a sua oportunidade de Salvação, de servir a Jesus, desapareceu na escuridão da história (Mt 19.16-22).

QUE OPORTUNIDADES VOCÊ PERDEU? O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA RECUPERAR?

2). PESSOAS QUE APROVEITARAM BEM AS OPORTUNIDADES.

JOSÉ DO EGITO, quando se apresentou perante faraó, ele aproveitou a oportunidade que lhe foi oferecida, e tornou-se governador de todo o Egito... (Gn 41.28-44).

DAVI, quando viu o gigante Golias desafiar o exercito de Israel, ele aproveitou a oportunidade, lutou contra o gigante e o venceu; alguns anos depois ele tornou-se rei de Israel... (1 Sm 17. 26,31-50).

ESTER, era uma escrava em país distante, órfã de pai e mãe, porém, quando houve um concurso para escolher a rainha do império ela entendeu que aquela era a oportunidade de sua vida,  candidatou-se, ganhou o concurso e tornou-se rainha do império Medo Persa... (Ester 2.5-9,16,17).

PEDRO, ANDRÉ, TIAGO E JOÃO, quando foram chamados por Jesus, aproveitaram aquela oportunidade; deixaram as redes para trás, seguiram a Jesus, tornaram-se pescadores de homens para Deus,  assim, eles nos deixaram um legado de fé de vida dedicada ao Senhor (Mt 4.18-22)

QUE OPORTUNIDADES VOCÊ APROVEITOU?  ISSO TEM SIDO BENÇÃO PARA VOCÊ, PARA SUA FAMÍLIA E PARA AS PESSOAS?

3). COMO APROVEITAR BEM AS OPORTUNIDADES?
Junte-se a Deus naquilo que Ele já está fazendo... Deixe a sua zona de conforto... Seja sábio no uso do tempo... Ore e vigie o tempo todo; ore sem cessar. Seja corajoso... Arrisque. Faça o que você nunca fez antes. Exemplo: Pedro andando sobre as águas...

Pessoas simples podem fazer algo extraordinário para Deus, quando aproveitam bem as oportunidades...

Se você perder as oportunidades que Deus está te dando, você ouvirá no último dia: "Servo mau e negligente, lançai-o para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes" (Mt 25.26,30).

Se você aproveitar as oportunidades que Deus está te dando, você ouviráno último dia: "Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor" (Mt 25.21,23).

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 22 de junho de 2020

AS ARMAS DE NOSSA MILÍCIA


Jamais teríamos condições de conhecer os ardis do nosso adversário, sua astúcia e forma de combate. Mas Deus sabe como ele trabalha e o que devemos fazer para destruir seus mísseis incendiários.

TODA E QUALQUER ESTRATÉGIA MILITAR para uma guerra, ainda que de pequena dimensão, inclui o conhecimento do poder de fogo do adversário. Disso depende o êxito da empreitada.

Faz-se necessário também conhecer de antemão os pontos fracos e fortes do inimigo. As nações mais poderosas do planeta usam satélites espiões que informam qualquer movimento do adversário. Com isso, avaliam a conveniência de atacar pelos flancos, pela direita, pela esquerda, pelos ares, por terra ou pelas águas.

Se o inimigo possui lançadores de mísseis de longo alcance, urge que essas fortalezas sejam destruídas logo no início do combate. O aparato bélico precisa ser mortífero, com poder de destruição superior ao do inimigo. Assassinos dispostos a matar ou morrer, munidos de AR-15, não podem ser enfrentados com policiais armados com revólveres 38.

A Igreja de Cristo trava uma batalha constante contra o diabo, nosso adversário invisível e poderoso: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1 Pe 5.8). A sobriedade (sóbrio = grego sõphrõn) diz respeito ao autodomínio, equilíbrio, mente sã.

A batalha está deflagrada desde o princípio. Não há como fugir a essa realidade. A partir do momento em que nos alistamos como soldados de Cristo, assumimos a posição de combate e de firme resistência. O adversário “busca a quem possa tragar”.

Os leões, por instinto, possuem uma estratégia para atacar uma manada. Espreitam aquela caça desprevenida, descuidada, menos atenta, mais afastada do rebanho. E atacam com fúria e certeza de sucesso. O diabo busca as presas mais vulneráveis.

Jamais teríamos condições de conhecer os ardis do nosso adversário, sua astúcia e forma de combate. Mas Deus sabe como ele trabalha e o que devemos fazer para destruir seus mísseis incendiários.

“Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo” (Ef 6.11). Ele age com astúcia, isto é, pela força do engano, como hábil enganador. A armadura precisa ser completa: “toda a armadura”. Não apenas uma parte dela. Um soldado não enfrenta um bandido armado apenas com o cassetete, ou apenas com uma arma de fogo. Deve usar a armadura no seu todo, como faziam os antigos soldados romanos. É assim que Deus quer que façamos. O inimigo é perigoso. Não fosse, Deus não nos faria advertência tão cuidadosa.

“Porque não temos que lutar contra carne e sangue; mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes as trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (v.12). A nossa luta não é contra pessoas visíveis. Seria até mais fácil. O conflito espiritual é contra Satanás e uma multidão de espíritos malignos. Estamos engajados nessa luta.

“Porque as armas de nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas” (2 Co 10.4).

A nossa vitória foi obtida na cruz, pelo próprio Cristo, que nos redimiu do domínio do maligno. Porém, trava-se dentro de nós uma luta contra os desejos corruptos, os prazeres ímpios do mundo, as tentações e contra as forças do mal.

Deus nos indica a estratégia que devemos seguir. Precisamos estar com a verdade e a justiça; ter a fé como escudo para apagar “os dardos inflamados do inimigo”; usar a “espada do Espírito, que é a palavra de Deus”, vigiando e orando. (Ef 6.14-18).

Temos nessa relação armas de defesa e de ataque. A espada, simbolizando a Palavra, é arma de ataque e de defesa. No deserto, Satanás usou da palavra para tentar dobrar Jesus. Com a mesma Palavra, Jesus rebateu e o expulsou de sua presença (Mt 4.1-10). Portanto, convém que saibamos manejar bem essa espada. Os soldados conhecem suas armas por dentro e por fora: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2 Tm 2.15).

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini
Graça e Paz