terça-feira, 22 de dezembro de 2020

A PRESSA QUE NÃO ENTENDE O TEMPO DE DEUS

 “Deus não trabalha com a ansiedade” uma vez que se assim fizesse estaria incentivando uma infelicidade constante no homem que passaria a associar sua condição de “sofredor” como a de qualificado para receber alguma bênção.

Deus está sempre presente para nos atender, embora não possamos vê-lo e muitos sequer ouçam a sua voz, principalmente nos momentos de angústia e luta, mas isso não altera seu interesse em nos oferecer o melhor pela fé.

Um problema básico que se coloca entre o pedir e o receber é o “tempo de Deus” que não está calibrado com nossos relógios e nem sempre funciona a nossa maneira.

Pedi e dar-se-vos-a (Mt 7:7);

Tempo de Deus Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. (II Pe 3:8);

Está com o contrito e abatido (Is 57:15);

Quer nosso bem (Jr 29:11)

O modo de nos acertarmos com o “tempo de Deus” é aprender a “esperar”, pois a seu tempo nos recompensará. A seu tempo (I Pe 5:6) “Esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”.

Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos: E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus...” Salmos 40: 1

Estabelecido o entendimento do tempo divino podemos descansar mesmo antes de receber a bênção, e é importante lembrar que certos caminhos que nós escolhemos são alterados por Deus, exatamente para o nosso bem, pois não sabemos sequer pedir de forma apropriada (Rm 8:26).

Sem pressa, sem preocupação, sem ansiedade, sem estresse, sem medo ou pânico. Lançando sobre Ele (I Pe 5:7) Não andeis ansiosos (Lc 12: 22-34) Há caminhos (Pv 14:12) .

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


Nenhum comentário:

Postar um comentário