quinta-feira, 4 de outubro de 2018

O ESPÍRITO SANTO PRODUZINDO FRUTOS


O fruto  do Espírito é o resultado da operação do Espírito na vida do salvo, o qual,  ligado intimamente á vida de Jesus, produz em sua própria vida aquelas  características preciosas da personalidade e dos sentimentos que haviam em  Jesus (II Co 4.10-11; Jo 15.1-5).

O QUE NÃO É FRUTO DO ESPÍRITO 

NÃO SÃO OBRAS DA CARNE. Obra é aquilo que nós  fazemos e na qual trabalhamos; fruto é algo que nasce da árvore e que brota  dela mesma. A única coisa que a árvore tem que fazer é tomar da terra seu  alimento, receber a água que lhe é necessária e submeter-se a ação do clima e  do meio ambiente que a rodeia. Então, chegando o seu tempo, sairá o fruto. Se  submetermos as nossas vidas á ação divina, haverá frutos, pois o fruto do  Espírito é obra de Deus.

NÃO É A MESMA COISA DOS DONS ESPIRITUAIS. Há  diversidade na distribuição dos dons espirituais, mas não há distribuição  diferentes do fruto do Espírito. As noves diferentes virtudes do fruto devem  ser manifestadas na vida do cristão. Em Rm 12 e I Co 12 a palavra é “dons”,  plural, mas a palavra “fruto” singular, em Gl 5.22. Isto porque o fruto é  produzido como um todo pela obra do Espírito e desse modo deve aparecer na sua  inteireza, na vida do cristão.

O QUE É FRUTO DO  ESPÍRITO 
O fruto do Espírito é um só, constituído por nove virtudes que formam tręs grupos naturais. 

VIRTUDES QUE VISAM APERFEIÇOAR A NOSSA RELAÇÃO COM  DEUS: 
A)- AMOR. É a mais  importante de todas as virtudes, Está mencionada em primeiro lugar, porque  todas as outras manifestações do fruto do Espírito são diferentes expressões de  amor. É o amor altruísta, capas de se entregar pelo objeto amado, semelhante ao  amor de Cristo, que excede todo entendimento (Ef. 3.19); 
B)- GOZO. Este termo significa “alegria nas cousas de Deus”,  independente de qualquer circunstância, boa ou má. Este foi um dos milagres do  Espírito que o próprio Paulo experimentou em At. 16.24-25; 
C)- PAZ. Este termo é decorrente da experiência prometida  em Rm 5.1 e traz um quadruplo benefício: 1) Paz com Deus; 2) Paz interior; 3)  Paz com o próximo; 4) Paz para o próximo.

VIRTUDES QUE VISAM APERFEIÇOAR NOSSA RELAÇÃO COM O  PRÓXIMO. 
A)- LONGANIMIDADE. Esta palavra tem o sentido de firmeza, de ânimo,  perseverança, etc.. 
B)- BENIGNIDADE. O significado real deste fruto é: suavidade,  ternura, benevolência. 
C)- BONDADE. É a capacidade de ser bom pelo Espírito Santo.  Esta característica pertence a Deus (Mc 10.18) mas é um dos frutos do Espírito  que poderá ser produzido pelo cristão.

VIRTUDES QUE VISAM APERFEIÇOAR NOSSAS RELAÇÕES COM  NÓS MESMOS. 
A)- FIDELIDADE. Na parábola dos talentos, Jesus deixou bem claro  que o mais importante não é a quantidade de talentos que alguém tenha recebido,  mas a fidelidade com que eles são aplicados no trabalho do Senhor. 
B)- MANSIDÃO. É o oposto da arrogância, da rebeldia e da violência.  Jesus ensinou que os mansos herdarão a terra (Mt 5.5). 
C)- DOMÍNIO  PRÓPRIO. O  sentido de autocontrole. É a vitória do espírito contra a carne na experiência  do crente.

CARACTERÍSTICAS DO FRUTO DO  ESPÍRITO 
1. REVELA CRESCIMENTO ESPIRITUAL. O fruto quando surge  na árvore é pequeno e leva algum tempo para que esteja pronto para ser colhido.  O fruto do Espírito também não aparece, de início, em plena maturidade na vida  do crente. Ele é o resultado de um processo de  contínuo crescimento  espiritual.

2. AUXILIA O DESEMPENHO DOS DONS  ESPIRITUAIS. Na confecção das vestes sacerdotais teriam que ser obedecidos os  detalhes: “Nas suas bordas farás romãs azul e de púrpura, e de carmezim ao  redor de suas bordas; e campainha de ouro no meio delas ao redor. Uma  campainha, uma romã, outra campainha de ouro outra romã...” (Ex.28.33-34). É  uma figura perfeita representando os frutos (romãs) e os dons (campainhas) do  Espírito.

Notemos bem: frutos primeiro, depois dons. Ordem obedecida também no  Novo Testamento. Número igual também (intercalados) na nossa dispensação: nove  dons e nove frutos. Perfeito equilíbrio para o sacerdote se apresentar diante  do Senhor com frutos e dons simbólicos. O ruído das campainhas ficaria suave e  agradável com as romãs intercaladas.

3. É UMA EXIGÊNCIA DIVINA. “Todo ramo que, estando em  mim, não der fruto. Ele o corta; e todo o que dá fruto, limpa para que produza  mais fruto ainda” (Jo 15.2). O Senhor Jesus em uma ocasião olhou uma figueira e  foi buscar fruto, porém só encontrou folhas e sua sentença foi: “Nunca mais  nasça fruto em ti” (Mt. 21.18-19).

Pela leitura de Jo 15.4-6, entendemos que  ninguém poderá ter uma vida frutífera se não estiver ligado pela fé a Jesus, como a vara está ligada a videira. 

Fonte: Extraido: Explicando as Escrituras

Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário