sexta-feira, 31 de maio de 2019

UM CORAÇÃO EMBRIAGADO DE DEUS


É um dia verdadeiramente maravilhoso quando deixamos de trabalhar para Deus e começamos a trabalhar com Deus. (Vá em frente, leia a frase de novo).

Durante anos eu vi Deus como um Gerente de Empresa compassivo, e meu papel como um vendedor leal. Ele tinha sua oficina, e eu tinha meu território.

Podia ficar em contato com Ele quantas vezes quisesse. Ele sempre estava ao alcance do telefone ou do fax. Me animava, me respaldava e me sustentava, porém nunca me acompanhava. Pelo menos não achava que iria comigo. Então li 2 Coríntios 6:1: nós somos "colaboradores seus".

Colaboradores? Deus e eu trabalhando juntos? Imagine a mudança de paradigma que isto produz.

Em vez de apresentar relatórios a Deus, trabalhamos com Deus. Em vez de reportar a Ele e depois sair, nos apresentamos a Ele e depois o seguimos.

Sempre estamos na presença de Deus. Nunca deixamos a igreja. Nunca há um momento que não seja sagrado! Sua presença jamais diminui! Nossa noção de sua presença pode vacilar, mas a realidade de sua presença jamais muda.

Isto me leva a uma grande pergunta: Se Deus está perpetuamente presente, é possível desfrutar de comunhão inacabável com Ele?

Que tal se a nossa comunhão diária jamais cessar? Seria possível viver, minuto após minuto, na presença de Deus? É possível tal intimidade? Um homem que lutou com estas indagações escreveu:

Podemos ter contato com Deus o tempo todo? Todo o tempo que estamos acordados, dormir em seus braços, e acordar em sua presença? Podemos consegui-lo? Podemos fazer sua vontade o tempo todo? Podemos pensar seus pensamentos todo o tempo?

...Posso pôr o Senhor de novo em minha mente a cada poucos segundos para que Deus esteja sempre em minha mente? Escolho fazer do resto de minha vida uma experiência para responder a esta pergunta.

Estas palavras estão no diário de Frank Laubach. Ele nasceu nos Estados Unidos em 1884, e foi missionário para os analfabetos, os quais ensinava a ler para que pudessem conhecer a beleza das Escrituras. O que me fascina nesse homem, contudo, não é seu ensino. O que me fascina é sua forma de escutar. Insatisfeito com sua vida espiritual, aos quarenta e cinco anos Laubach resolveu viver "em contínua conversação íntima com Deus e em perfeita resposta a sua vontade"

Escreveu em seu diário um histórico de sua experiência, que começou o 30 de janeiro de 1930. as palavras de Laubach me inspiraram tanto que inclui aqui vários fragmentos. Ao lê-las, leve em conta que não foram escritas por um monge num monastério, mas por um instrutor muito ocupado e dedicado. Quando morreu em 1970, Laubach e suas técnicas de educação eram conhecidas em quase todos os continentes. Era amplamente respeitado, e tinha viajado muito. Contudo, o desejo de seu coração não era o reconhecimento, mas a comunhão ininterrupta com o Pai.

Podemos ter contato com Deus o tempo todo? Todo o tempo acordados, dormir em seu braços e acordar em sua presença? Podemos conseguir isso?

É realista esta meta? Está ao alcance? Você acha que a idéia de constante comunhão com Deus é um tanto fanática, até extrema?

Seja qual for a sua opinião a respeito da aventura de Launach, você tem que concordar com sua observação de que Jesus desfrutava de comunhão ininterrupta com Deus.

Se vamos ser como Jesus, você e eu nos esforçaremos por fazer o mesmo.

Extraído do Livro Simplesmente Como Jesus de Max Lucado / Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 30 de maio de 2019

AS PROVAÇÕES PRODUZEM CRESCIMENTO


"Depois de uma vitória tem uma provação e depois de uma provação tem uma vitória." Êxodo 15.22-27.

A Palavra de Deus nos diz que Israel tinha experimentado uma grande vitória. Eles foram libertos do Egito e saíram do julgo da escravidão de 400 anos. Acontece que geralmente depois de uma grande vitória há uma prova e sempre depois de uma grande prova há uma promoção. 

O povo de Israel viveu 400 anos sem poder sonhar, sem poder sorrir, construindo casas para os outros, sem ser dono de nada, trabalhando debaixo do chicote, sem salário, sem sonhos. 

Foram 10 gerações debaixo desse julgo e Deus os tirou do Egito. Antes da primeira prova, os israelitas andaram três dias no deserto, porque Deus precisava prová-los.

Muitas pessoas fumavam, bebiam, se prostituíam, eram malandras, até o dia em que aceitaram a Cristo e foram livres da escravidão iniciando a caminhada no deserto.

As prioridades de quem tem um encontro com o Senhor são diferentes. A desonestidade, a mentira, a malicia já não causam prazer para aquele que O aceita como Senhor e Salvador. Os valores são outros. 

O povo de Israel saiu da escravidão e caminhou no deserto antes de chegar a Canaã. E qual a maior necessidade de uma pessoa no deserto? Água. (A nação de Israel não tem petróleo, mas tem água. O rio Jordão nasce em Israel e deságua dentro do mar morto.)

Os Israelitas acharam uma fonte de água, só que as águas eram amargas. A Bíblia diz que aquelas águas eram amargas porque Deus queria prová-los.

As provas que Deus eventualmente aplica às nossas vidas têm um objetivo. O Senhor provou o povo, porque queria ensiná-los a reagir diante de uma adversidade. 

Quando passamos pela prova nos tornamos instrumentos muito melhores e para servirmos ao Senhor precisamos ser pessoas maduras. Só há uma maneira de Deus nos dá crescimento e ele vem através da prova. 

Não somos soldadinhos de água e sal. Não podemos ser inconstantes, (Tg1) "Não pense o homem inconstante que receberá de Deus alguma responsabilidade." Seja fiel diante das provas, porque aquele que é fiel no pouco, Deus o coloca sobre o muito. 

Diante da prova, o povo murmurou e iniciou-se uma trajetória de pecado, de pessoas rebeldes, oprimidas que não reconheciam os milagres. 

Deus queria que o povo aprendesse uma faceta do seu caráter que é a PROVISÃO. Bastava o povo orar, clamar ao Senhor, e reconhecer que Ele lhes daria livramento. Assim também é conosco, precisamos falar menos com os outros e falar mais com Deus.

O Senhor tem grandes coisas para as nossas vidas e precisamos identificar as lições das provas que Ele permite que passemos.

O tempo todo passamos por provas. É vizinho que dá problema, é colega de trabalho, pessoas inconvenientes... Todo dia tem prova, mas a cada dia nos tornamos pessoas melhores, nos tornamos gigantes. 

“Se ouvires a voz do Senhor teu Deus... nenhuma enfermidade trarei sobre vocês, pois sou o Senhor que te sara.” Ex 15.26. 

O propósito daquela água amarga era mostrar ao povo que Deus era o Deus que transformava a amargura em doçura. Nenhum dos milagres que o Senhor realizou no meio deles ao libertá-los do Egito foi suficiente para que Eles reconhecessem que Deus era poderoso para livrá-los daquela situação.

“Depois chegaram a Elim, onde havia 12 fontes de água e setenta palmeiras; e acamparam junto àquelas águas.”Ex 15.27.

O mesmo Deus que cuidou de nós no passado é o mesmo Deus que nos ajuda hoje. O Senhor queria dar ao povo 12 fontes de água e o povo desanimou por causa de uma fonte. 

Às vezes o que o Senhor tem para a nossa vida é muito maior do que o que estamos vivendo no presente e geralmente queremos recuar. 

As águas amargas são simplesmente uma prova para chegar às doze fontes. Não permita que as provações o impeçam de ter a visão das 12 fontes e das 70 palmeiras.

Não murmure, não volte atrás. “Esperei com paciência no Senhor.” O Senhor trará o livramento para sua vida e você crescerá através dessa provação. 

Pr. Jorge Linhares

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 29 de maio de 2019

OUSADIA DO SENHOR NO CAMINHO DE CASA


Porque Deus não nos deu o espírito de covardia, mas de fortaleza, de amor, e de moderação. (2Tm.1.7) 

Exerça o chamado de Deus para a sua vida 

Não temas, o Senhor é contigo por onde quer que andares 

Porém o SENHOR lhe disse: Paz seja contigo; não temas; não morrerás(Juízes 6.23) 

E disse o Senhor em visão a Paulo: Não temas, mas fala, e não te cales; (Atos 18.9) 

Porque eu, o SENHOR teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo (Isaias 41.13) 

Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o SENHOR. (Jr. 1.8)

Você sabia que a expressão não temas ocorre 365 vezes na Bíblia, uma para cada dia do ano? 

Deus te deu autoridade para em seu nome pisar serpentes, escorpiões, expulsar demônios, curar enfermos; portanto, coloque em prática essa ordenança, exercendo a autoridade delegada para ti no poder do Nome que é sobre todo nome, do Nome a que todo joelho se dobrará, Nome que toda boca confessará que só o Senhor é Deus, Jesus Cristo, o Único e Suficiente Senhor e Salvador. 

Torre forte é o nome do Senhor, à qual o justo se acolhe e está seguro. (Pv 18.10). O nome de Deus não significa apenas aquilo que ele é, mas também o que deseja ser para nós. 

Ele nos dá esse poder para que o mundo creia pelas nossas obras que Deus é O Senhor, que Ele é real, verdadeiro, não apenas parte da nossa imaginação; Afinal, na concepção natural, contra fatos não há argumentos, contra os sinais e prodígios que Deus realiza através de nós e em nós, não há argumentos. 

Não leve mais rasteiras, não permita que Satanás tripudie e envergonhe você e o Nome do Senhor.

Dê um basta! 

Feche a porta na cara do diabo e, aproprie-se do melhor de Deus para sua vida 

Tenha sempre em mente que o maior milagre é passar a vida vendo a Presença do Senhor, Nosso Pai Celestial, que nos dá de presente a salvação, o direito de passar a eternidade na Jerusalém Celestial e, enfim terminar a peregrinação nesse mundo, chegar em casa e, lá permanecer por toda a eternidade. 

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 28 de maio de 2019

AUTORIDADE ESPIRITUAL


Toda autoridade que existe foi instituída pelo próprio Deus. Portanto, quando desonramos as autoridades, estamos desonrando a Deus. Quando pecamos contra uma autoridade, pecamos contra Deus, e quando isto ocorre consciente ou inconscientemente, a Bíblia diz: “Por isso quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação”.

AS AUTORIDADES SÃO INSTITUÍDAS POR DEUS:

Mundo: “Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as que existem foram ordenadas por Deus”: Rm13.1.

“Sujeitai-vos a toda autoridade humana por amor do Senhor, quer ao rei, como soberano, quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores, e para louvor dos que fazem o bem”: I Pe.2.13,14.

Deus é a fonte de toda a autoridade no universo. Considerando que todas as autoridades governantes foram por ele instituídas, então toda a autoridade é delegada por ele e representa a sua autoridade. O próprio Deus estabeleceu este sistema de autoridade a fim de se manifestar.

FAMÍLIA: “Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos”: Ef.5.22-24.

Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra”: Ef.6.1 a 3.

Deus estabelece sua autoridade no lar, mas muitos dos seus filhos não prestam suficiente atenção a este setor da família. As epístolas de Efésios e colossenses mencionam a sujeição no lar, pois sem ela será difícil servir a Deus. As cartas de ITm. e Tito falam do problema familiar como algo que poderia afetar o trabalho. A 1ª carta de Pedro considera a rebeldia contra a autoridade familiar como rebeldia contra o reino. Quando os membros de uma família entendem a autoridade dificuldades no lar desaparecem.

IGREJA: “Ora, rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós, presidem sobre vós no Senhor e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós”: 1Ts.5.12,13).

“Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei pois, os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? De modo nenhum. Ou não sabeis que o que se une à meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque, como foi dito, os dois serão uma só carne”: I Co. 6.15,16.

Deus estabeleceu autoridades na igreja tais como os pastores que presidem bem e os que se afadigam na palavra e no ensino.

Todos aqueles que são insubordinados às autoridades indiretas de Deus não estão sujeitos à autoridade direta de Deus.

A quebra do princípio da obediência à autoridade atrai maldição sobre a pessoa.
“Porque a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação é como a iniqüidade de idolatria. Porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou, a ti, para que não sejas rei”: 1Sm.15.23.

A OBEDIÊNCIA AO PRINCÍPIO DA AUTORIDADE ATRAI A BÊNÇÃO SOBRE AS PESSOAS

A medida da obediência

Quando a autoridade delegada (homens que representam a autoridade de Deus) e a autoridade direta (o próprio Deus) entram em conflito, a pessoa pode prestar submissão mas, não obediência à autoridade delegada como:

a)- A obediência está relacionada com a conduta: é relativa. A submissão relaciona-se com a atitude do coração: é absoluta.

b)- Só Deus recebe obediência irrestrita sem medida; qualquer pessoa abaixo de Deus só pode receber obediência restrita.

c)- Se a autoridade delegada emitir uma ordem claramente em contradição com a ordem de Deus, deverá receber submissão, mas não obediência. Temos que nos submeter à pessoa que recebeu autoridade delegada de Deus, mas devemos desobedecer a ordem que ofende a Deus.
Não existe ninguém apto a ser autoridade delegada por Deus se ele mesmo não aprender primeiro como sujeitar-se à autoridade. Ninguém pode saber como exercer autoridade até que sua própria rebeldia tenha sido resolvida.

Estar em posição de autoridade exige restrição; é preciso santificar-se. Outros podem, mas você não pode. Você tem de obedecer ao Espírito do Senhor conforme ele ensina dentro de você. Se não nos santificarmos como nosso Senhor, não estaremos qualificados para ficar em posição de autoridade.

A autoridade tem seus fundamentos na santificação. Sem santificação não pode haver autoridade. Quanto mais alta a autoridade maior a separação. Deus é a autoridade máxima. Vamos aprender a nos santificar de coisas impuras e comuns.

Baseado no livro Autoridade espiritual – editora vida / Por Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 27 de maio de 2019

JESUS CRISTO, O ADVOGADO DOS PECADORES


“Não há melhor advogado, não há melhor defensor, não existe outro, ninguém jamais possuiu ou possuirá suas qualidades…”

“Filhinhos meus, estas cousas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo”. (Bíblia Sagrada, I João 2:1).

Somos tendentes ao pecado, herdeiros de uma natureza que procura levar-nos à práticas pecaminosas. E por mais que procuremos evitar, por mais que procuremos manter nossa integridade espiritual, por mais que procuremos evitar o pecado, cometemos deslizes, cometemos falhas, caímos em fraquezas e pecamos.

O que fazermos quando isto acontece? Qual a melhor atitude? Será que Deus pode me perdoar a todo instante? Há alguém que se importe comigo? Há alguém que me represente, que me defenda, que interceda por mim?

O texto bíblico acima deixa claro que sim. Há sim alguém que intercede por mim. Há sim alguém que me representa diante de Deus. Tenho um advogado. Segundo o texto bíblico de 1Timóteo 2.5, encontramos mais uma vez esta pessoa intercessora, este mediador, este advogado: “Porquanto há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem.”

Por mais que em algum momento procuremos encaixar entre nós e Deus outros mediadores, outras formas de ter nossos pecados perdoados, outras formas de obtenção do perdão divinal, a Bíblia é clara, não há outro mediador, não há outro advogado, não há outra forma. É somente por Ele, somente através d’Ele, Jesus Cristo.

Um bom advogado deve no mínimo conhecer da Lei. Será que meu advogado junto a Deus conhece da Lei? Nosso advogado, não só conhece da Lei, não estudou a Lei, mas sua palavra é a própria Lei, a Lei imutável, como diriam os romanos a lex aeterna scripta in hominis corde.

Ele mesmo confirma que sua palavra é a Lei quando diz que tudo pode passar, tudo pode se modificar, tudo pode se alterar, pode passar céus e terra, mas suas palavras permanecem para sempre (Mateus 24:35). É a verdadeira Lei, a Lei verdadeiramente justa, a Lei eterna, a Lei imutável, inalterável.

Nosso advogado, como filho do próprio Deus, como portador das mesmas características do Pai, é o mesmo que apresenta-se como aquele que nada deixa faltar, a nós seus clientes, que nos provê de alimento, que refrigera nossa alma, que nos guia por caminhos tranqüilos. (Salmo 23)

Nosso advogado, é aquele sob cujos cuidados podemos descansar, é nosso refúgio e fortaleza, nos socorre nos momentos de angústia, nos protege a ponto de mil serem feridos ao nosso lado e dez mil à nossa destra mas nós não somos atingidos, ainda que comamos coisa mortífera mal algum se nos faz, pisamos serpentes e leões e nenhum dano nos ocorre, pois Ele está conosco em todo tempo e nos protege. (Salmo 91)

Nosso advogado, ainda que não tenha nossa culpa, supera quaisquer outros quando toma sobre si as nossas dores e enfermidades, leva sobre si nossos erros e maldições, assume nossas culpas e erros como se seus fossem para que possamos ser livres. (Isaias 53)

Quando buscamos saber a verdade, nosso advogado nos diz: “Eu sou a verdade”. Quando buscamos um norte, uma orientação, um caminho, Ele nos diz: “Eu sou o caminho”. Quando queremos saber o que será do nosso porvir, o que será do nosso futuro, nosso amanhã, Ele diz: “Eu sou a vida eterna para ti”. (João 14:06).

E, por fim, certos de que possuímos o melhor advogado, queremos saber qual o resultado, o que receberemos com nossa causa ganha, surge nosso advogado dizendo: – Ao que vencer… darei de comer do fruto da árvore da vida(Apocalipse 2:7); – não receberá o dano da morte (2:11);dar-lhe-ei de comer do maná escondido e lhe darei uma pedrinha branca escrito um novo nome (2:17); dar-lhe-ei poder sobre as nações (2:26); dar-lhe-ei vestes brancas e escreverei seu nome no livro da vida, ainda falarei da seu nome diante de Deus e dos anjos (3:05) concederei que reine comigo para sempre (3:21).

Não há melhor advogado, não há melhor defensor, não existe outro, ninguém jamais possuiu ou possuirá suas qualidades, mas como tê-lo como meu advogado, como entregar-lhe minha causa ?

Necessário se faz que assinemos a procuração, confessemos nossos pecados e falhas diante de nosso advogado, contemos para Ele nossos problemas, entreguemos para Ele nossa causa, deixemos que Ele nos oriente, nos dirija, nos cuide, nos proteja. Mas como?

O salmista, no Salmo Bíblico de número 37, no verso de número 05 nos ensina e nos mostra como termos este advogado dizendo: Entrega teu caminho ao Senhor, confia n’Ele, e o mais Ele tudo fará

Ele está pronto a patrocinar nossa causa, está pronto a vencer esta causa por nós, está pronto para nos fazer mais puros que a neve, está pronto para nos fazer santos, basta que entreguemos a Ele nossas vidas.

Entreguemos nossas vidas a Jesus orando, em coração contrito, e pedindo que nos tome em suas mãos, que tome nossas vidas sob sua direção, e confessando que sozinhos não podemos realmente fazer nada.

Só com Ele podemos ser vitoriosos, só com Ele podemos ser felizes, só com Ele podemos vencer nossos pecados e imperfeições. Com Ele somos então mais que vencedores.

Carlos E. N. Lourenço

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 26 de maio de 2019

BÊNÇÃOS NÃO SE JOGAM FORA!


Antes de sermos capazes de pedir a bênção de Deus com total confiança, precisamos de uma compreensão clara do que esta palavra significa. Ouvimos as palavras “bênção” e “abençoar” em todos os púlpitos.

Pedimos que Deus abençoe os missionários, as crianças e a comida que estamos prestes a comer. É costume de alguns pedirem “bênção” dos pais ou avós.

Não é à toa que o significado da palavra “bênção” tenha se transformado em algo tão vago e inócuo quanto a expressão “bom dia”.

Não é de admirar que os cristãos de hoje não estejam à busca de bênçãos – não sabem o que significa!

Abençoar no sentido bíblico significa pedir ou conceder um favor sobrenatural.

Ao clamarmos pela bênção de Deus, não estamos pedindo aquilo que poderíamos conseguir pelo nosso próprio esforço. Estamos clamando pela maravilhosa e ilimitada bondade, que apenas Deus tem de conhecer e de nos conceder. 

É a este tipo de riqueza que o escritor de provérbios se refere: “A bênção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristezas e preocupações” (Pv 10:22).

Observe um aspecto fundamental no pedido de Jabez: ele deixou inteiramente nas mãos de Deus a natureza da bênção, onde, quando e como ela seria dada a Jabez.

Este tipo de confiança radical nas boas intenções de Deus para conosco não tem nada em comum com a “doutrina da prosperidade”. Ela prega que você deve pedir a Deus uma Mercedes, um salário milionário ou algum outro sinal exterior que possa significar que você encontrou um meio de fazer seu pé de meia através de uma conexão especial com Deus. Ao contrário, a bênção de Jabez é muito definida: Pede a Deus que ele nos dê exatamente que aquilo que Ele tem reservado para nós.

Quando buscamos a bênção de Deus como valor máximo para nossa vida, estamos nos jogando de corpo inteiro no rio da vontade de Deus, de seu poder e de seu propósito para nós.

Todas as demais necessidades se tornam secundárias diante daquilo que realmente queremos: ficar totalmente imersos naquilo que Deus está tentando fazer em nós, através de nós e ao nosso redor, para a Sua glória.

Permita-me falar-lhe de um legítimo subproduto da busca sincera pela bênção de Deus: a sua vida será marcada por milagres.

Como posso saber?

Porque Deus nos promete, e tenho visto estas coisas acontecerem em minha própria vida! 

Extraído do livro A Oração de Jabez de autoria de Bruce H. Wilkinson / Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 25 de maio de 2019

OS CAMINHOS DE DEUS

Deus não está buscando uma forma exterior de santidade; Ele quer ver uma mudança de coração…

"Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus " (Is 40:3 - grifo do autor).

O caminho de Deus passa pelo meio do deserto e é no ermo que seu caminho é preparado. É a estrada ou rodovia que leva à vida de exaltação; por esse caminho, descobrimos como Deus vive e pensa.

"Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos" (Is 55:8, 9 - grifo do autor).

Poucos andaram por essa estrada, no entanto, muitos estão sendo preparados por Deus para que andem nela. É isso o que diz Isaías 35:6, 8:

"... pois águas arrebentarão no deserto, e ribeiros no ermo. E ali haverá bom caminho, caminho que se chamará o Caminho Santo... " (grifos do autor).
E no deserto que o caminho do Senhor é preparado. Seu nome: Caminho Santo!

Uma das definições de santidade é "pureza de vida". Jesus disse: "Bem-aventurados os limpos de coração..." (Mt 5:8 - grifo do autor). O caminho ou método para uma vida de santidade plena é o coração puro.

O Senhor não retornará para uma Igreja impura e sem santidade. Ele virá ao encontro de uma Igreja sem manchas, rugas ou qualquer outra impureza. Muitos querem santificar-se observando regras e costumes e fracassam na vida cristã. São como os judeus dos dias de Jesus que queriam receber a salvação guardando a lei e os costumes.

Muitas pessoas acham que ter santidade é viver segundo regras tangíveis, tais como: não usar maquilhagem nem este ou aquele tipo de vestimenta, não ver televisão, etc. São tentativas feitas no sentido de obter santidade interior. Mas Deus não está à procura de formas exteriores de santidade; Ele quer um coração recto e justo diante dele. Jesus disse em Mateus 23:26: "... limpa primeiro o interior do copo (o coração), para que também o seu exterior fique limpo".

Se o seu coração é puro, você não quererá se vestir de forma indecente. Uma mulher pode usar vestido longo e mesmo assim mostrar uma atitude sensual; enquanto outra veste calças compridas e tem um coração puro.

Um homem pode gloriar-se de nunca haver se divorciado, mas tem o coração cheio de lascívia e desejos sexuais por outras mulheres. Isso é santidade?

Se seu coração é puro, um aparelho de Tv em sua casa não o levará a olhar programas de baixo nível que não edifiquem sua vida. Alguns afirmam que é mundanismo ter um aparelho de Tv em casa. Um móvel ou um aparelho eletrônico não pode determinar se uma pessoa é crente ou mundana. Você pode não ter aparelho de Tv em casa e continuar pecando em seu coração. Se você é limpo de coração, desejará apenas o que Deus deseja!

O deserto é crucial na vida de todo crente, pois é ali que Deus purifica os motivos e intenções do coração. Deus está neste momento preparando o nosso coração para o retorno de seu Filho.

Extraído do Livro Vitória no Deserto de autoria de John Bevere / Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 24 de maio de 2019

DEUS CONVOCA SEU POVO PARA POR A CASA EM ORDEM


Vivemos tempos difíceis, um tempo em que Deus está separando um povo; Um tempo em que podemos afirmar com toda segurança o verso bíblico de 1Corintios 10.12 que diz: Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia! 

Jesus está às portas e, mais do que nunca se faz necessário rever nossos conceitos, rever nossos valores, pois no transporte para a Jerusalém Celestial o lugar é individual e sem espaço para caronas. Daí nada mais oportuno do que rever algumas convocações que Deus fez a seu povo para por a casa em ordem enquanto é tempo. 

NOÉ, ORDENA SUA CASA 
“Pela fé Noé divinamente instruído acerca dos acontecimentos que ainda não se viam e sendo tementes a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé.” (Hebreus 11:7) 

ABRAÃO ORDENA A SEUS FILHOS 
“Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do Senhor, e pratiquem a justiça e o juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito.” (Gên. 18:19)

“... Eu sou o DEUS TODO PODEROSO; Anda na minha presença, e sê perfeito.”(Gênesis 17:1)

JOSUÉ EXORTA O POVO E FAZ A ESCOLHA 
“Porém, se vos parece mal servir ao Senhor, ESCOLHEI HOJE A QUE SIRVAIS... EU E MINHA CASA SERVIREMOS AO SENHOR.” (Josué 24:15) 

DAVI DÁ O MODELO DIVINO PARA SALOMÃO
“Tu, meu filho Salomão, conhece o Deus de teu pai, e serve-o de coração íntegro e alma voluntária; porque o Senhor esquadrinha todos os corações, e penetra todos os desígnios do pensamento. Se O buscares, Ele deixará achar-se por ti, se O deixares, Ele te rejeitará para sempre.” (I Crônicas 28:9) 

“Filho meu, guarda o mandamento de teu pai, e não deixes a instrução de tua mãe. Ata-os perpetuamente ao teu coração, pendura-os ao teu pescoço. Quando caminhares, isso te guiará, quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo. Porque o mandamento é lâmpada e a instrução luz, e as repreensões da disciplina são o caminho da vida.” (Pv. 6:20-23) 

JACÓ 
“Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: “Lançai fora os deuses estranhos que há no vosso meio, PURIFICAI-VOS, E MUDAI AS VOSSAS VESTES.” (Gênesis 35:2)
Josias 
“E também os adivinhos e os feiticeiros, e os serafins, e os ídolos, e todas as abominações que se viam na terra de Judá e em Jerusalém, os extirpou Josias, para confirmar as palavras da lei, que estavam escritas no livro que o sacerdote Hilquias achara na casa do Senhor. II (Reis 23:24) 

Veja a advertência do próprio Deus em Mateus 24.37-46 em diante: 
Como foi nos dias de Noé, assim também será na vinda do Filho do homem. Pois nos dias anteriores ao dilúvio, o povo vivia comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca; e eles nada perceberam, até que veio o dilúvio e os levou a todos. Assim acontecerá na vinda do Filho do homem. 

Dois homens estarão no campo: um será levado e o outro deixado. Duas mulheres estarão trabalhando num moinho: uma será levada e a outra deixada. "Portanto, vigiem, porque vocês não sabem em que dia virá o seu Senhor. Mas entendam isto: se o dono da casa soubesse a que hora da noite o ladrão viria, ele ficaria de guarda e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. Assim, também vocês precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam. "Quem é, pois, o servo fiel e sensato, a quem seu senhor encarrega dos de sua casa para lhes dar alimento no tempo devido? 

Feliz o servo a quem seu Senhor encontrar fazendo assim quando voltar. 

Qualquer semelhança não é mera coincidência! 

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz