sábado, 20 de fevereiro de 2021

JESUS SE IGUALOU A NÓS

Quando vemos um animal sofrendo, tentamos ajudá-los. Mas como? Não falamos a língua deles, para que eles nos ouvissem precisaríamos ser um deles, aí então poderíamos ajudá-los, pois, falaríamos a mesma língua, trocaríamos o nosso mundo pelo mundo deles.

O amor viaja distâncias... e Cristo viajou da eternidade ilimitada para ser confinado pelo tempo, para tornar-se um de nós. Ele não precisava fazer isso. Poderia ter desistido. Em qualquer ponto do caminho Ele poderia ter dado o basta.

Ao ver o tamanho do ventre, Ele poderia ter parado. Ao ver a mãozinha que teria, a vozinha com que falaria, a fome que a sua barriguinha sentiria, poderia ter parado.

No primeiro golpe de ar frio. A primeira vez que machucasse o joelho, ou assoasse o nariz, ou provasse pão queimado, poderia ter feito a volta e ido embora.

Ao ver o chão empoeirado de sua casa Nazaré. Quando José lhe deu um trabalho a fazer. Quando seus companheiros de escola estavam cochilando durante a leitura de Tora, a sua Tora.

Quando o vizinho tomou o seu nome em vão. Quando o fazendeiro preguiçoso culpou a Deus por sua escassa colheita.

A qualquer momento Jesus poderia ter dito: Chega! Já chega! Vou para casa. Mas Ele não o fez.

Ele não o fez, porque Ele é amor. E o amor... tudo suporta (I Co.13.4-7). Ele suportou a distância. E mais ainda, suportou a oposição. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória (Jo.1.14).

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário