domingo, 31 de dezembro de 2017

A SUBMISSÃO BÍBLICA

O QUE É SUBMISSÃO?
Não é mera obediência externa, nem tão pouco quando controlado. Submissão é prestar obediência inteligente a uma autoridade delegada. É exteriorizar um espírito submisso, mesmo quando ninguém está por perto. É renunciar à opinião própria quando se opõe à orientação daqueles que exercem autoridade sobre nós.

“Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus”, “antes a si mesmo se esvaziou”… “a si mesmo se humilhou”, “tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz” (Fp 2 5-8).

UM PRINCÍPIO DE DEUS
“Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocausto e sacrifícios quanto em que se obedeça a sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebeliãoé como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.” 1Sm 15.22-23

Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Por isso quem resiste à potestade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação. Romanos 13.1,2

PRINCÍPIO SATÂNICO
Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Is 14.12-15

DEUS DELEGA AUTORIDADES EM TODAS AS ÁREAS DA VIDA:
Civil: Rm 13.1-3.
Trabalho: Ef 6.5-6; Tt 2.9-10; 1 Tm 6.1-2.
Família: Ef 5.22-24; 6.1-4.
Igreja: 1Co 12.28; Hb 13.17

Todo discípulo do Senhor, onde estiver, procura saber quem é a autoridade, para a ela se submeter.

Pr. João Flávio Martinez 

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 30 de dezembro de 2017

SER GRATO A DEUS FAZ BEM AO CÉREBRO

NEUROLOGISTA DIZ QUE SER GRATO A DEUS FAZ BEM AO CÉREBRO: “PROVOCA MUDANÇAS NO CORPO”

Especialistas garantem: a gratidão é agradável não somente a Deus, mas também à saúde do corpo. Segundo o neurologista David Perlmutter, ser grato a Deus pode fortalecer o cérebro.

“Estou falando da gratidão em termos de ação”, disse ele em entrevista à CBN News. “A expressão de gratidão ultrapassa os nossos pensamentos. Ela se estende para nossas ações do dia a dia”.

“Nós sabemos que quando participamos de ações que estão em torno da gratidão, o que é certamente nossa nobre obrigação, há mudanças químicas no corpo e no cérebro que são boas para nós”, afirmou o Dr. Perlmutter.

O médico prosseguiu explicando: “Temos redução em vários produtos químicos de estresse que são prejudiciais, como o cortisol, e fomentamos o crescimento de certas áreas do cérebro que aumentam a percepção do mundo como um bom lugar”.

Perlmutter explica que quanto menos enxergamos o mundo de forma positiva, mais o cérebro o encara de maneira negativa. “Portanto, é a prática da oração, da expressão de gratidão e do amor no dia a dia que nos envolve e, por fim, tem uma positividade muito autossuficiente. É bom para o nosso cérebro e para a saúde”.

O especialista ainda enfatizou que ser grato pode provocar um impacto positivo nos relacionamentos.

“Ao expressarmos gratidão, mudamos a maneira como vemos o mundo. O mundo parece menos ameaçador. Nos tornamos mais propensos a engajar esses relacionamentos com outras pessoas e sentimos que outras pessoas estão sendo abençoadas”, observa.

Guiame, com Informações de Cbn News

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

CALMA E TRANQUILIDADE

Senhor, o meu coração não é orgulhoso e os meus olhos não são arrogantes. Não me envolvo com coisas grandiosas nem maravilhosas demais para mim. (Sl 131.1.)

Por que nunca estamos satisfeitos? Por que estamos sempre correndo de um lado para outro? Por que estamos sempre agitados?

Uma das principais razões é porque estamos sempre à procura de “coisas grandiosas e maravilhosas demais” para nós (Sl 131.1). Ou atrás de coisas grandes e extraordinárias que estão fora do nosso alcance, ou por causa do desejo incontido de nos fazermos de entendidos em coisas muito difíceis e grandiosas, como registram outras versões das Escrituras.

O salmista pôs um ponto final nessa ambição desmedida: “Acalmei e tranquilizei a minha alma” (Sl 131.2).

Depois de ter investido contra ele mesmo, contra as suas ambições pessoais, contra o seu temperamento, o poeta pode declarar: “Senhor, o meu coração não é orgulhoso, e os meus olhos não são arrogantes” (Sl 131.1). Ele está descrevendo uma experiência pessoal do tipo “eu era mas não sou mais”.

É preciso descobrir o que Deus quer de nós e respeitar os limites impostos por Ele. Ninguém tem todos os dons, que Deus distribui a seu bel-prazer (Rm 12.6-8).

Precisamos aprender a lidar com o sucesso, para que ele, depois de nos embriagar, não nos jogue nas sarjetas da vida (Pv 16.18).

Quando o orgulho toma conta de nós, o desejo pecaminoso de competição toma o lugar do desejo saudável de servir a Deus da melhor maneira possível! 

Retirado de  Refeições Diárias com o Sabor dos Salmos. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz 

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

QUANDO DEUS NOS CHAMA

- A vida de Abraão nos mostra que a vida cristã começa com uma chamada para salvação e prossegue com uma chamada para o serviço no reino.

1. QUANDO DEUS NOS CHAMA ELE ESTABELECE GRANDES MUDANÇAS. Gn 12:1: “Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei”.Ao chamar Abraão Deus estabelece grandes mudanças em sua vida. Primeiro o tira de uma zona de conforto. Ele estava confortavelmente em sua terra, Deus o chama para ir a um lugar totalmente desconhecido. Deus diz: “vai para a terra que te mostrarei…”. Abraão não sabia para onde iria. Tinha apenas uma convicção: Iria com Deus.

- Quem estar disposto a atender a chamada, também precisa estar disposto a fazer algumas mudanças e determinados sacrifícios para realizar a obra de Deus. Mt.16:24: “Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me.”

- Quando Deus chamou Saulo na estrada de Damasco, estabeleceu grandes mudanças em sua vida. O perseguidor dos cristãos, passou a ser perseguido, o grande inimigo da igreja, passa agora a ser seu maior defensor. Quando Deus chama, Ele realiza grandes mudanças.  Precisamos estar preparados para isso.

- Muitos quererem ser crentes, sem mudança. A chamada que Deus faz seja para salvação, ou para realização da sua obra nos leva a mudar. Alguns costumam dizer que não tem uma chamada. Quando falam isso é porque não escutaram o que diz a palavra. Mateus 9:37-38, “…A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos.  Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.”

Portanto, não há falta de serviço no reino de Deus. Todos são chamados para servir.

2. QUANDO DEUS NOS CHAMA, TAMBÉM PROMETE ABENÇOAR AOS QUE O SERVEM - Gn 12:2: “… de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção!” Deus promete abençoar Abraão e engrandece-lo. Mas havia uma condição. Ele teria que servir e obedecer ao Senhor.

Compensa servir a Jesus? Na parábola dos talentos. Os servos fieis recebem a recompensa. Eles ouvem o Senhor dizer: Servo bom e fiel, foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei. Entra no gozo do Senhor.

- Não devemos servir a Deus, pensando apenas nas bênçãos que dEle receberemos. Devemos servir, acima de tudo, com amor. Porém, entendamos que se servimos com amor ao Deus que nos chama, receberemos a recompensa.

Mateus 19:29 “E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor do meu nome, receberá cem vezes tanto e herdará a vida eterna.”

3. QUANDO DEUS NOS CHAMA, ELE ESTENDE SUA PROTEÇÃO - Gênesis 12:3: “Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra.” Quando Deus chama, Ele estende sua proteção sobre a vida daqueles que o servem. Deus diz a Abraão que abençoaria os que o abençoassem e amaldiçoaria os que o amaldiçoassem. Uma das grandes estratégias de Satanás contra aqueles que servem ao Senhor é nos atingir por meio de circunstâncias.

Na biografia do avivalista John Wesley há um exemplo disso: "Wesley fazia muitas viagens arriscadas. E certa vez ele atravessava, a cavalo, uma floresta, levando consigo muito dinheiro que o tinham incumbido de entregar. De repente, foi tomado por uma sensação de grande perigo. Ele desceu de seu cavalo e começou a orar fervorosamente. E nada aconteceu. Os malfeitores fugiram. Anos depois um dos bandidos confessou que pretendia roubar o dinheiro que John Wesley levava. Ele disse que viu quando Wesley desceu do cavalo e se ajoelhou. Então Ele viu ao lado de Wesley um homem de grande estatura totalmente armado. Essa visão amedrontou os bandidos, que desistiram de fazer o mal. Ele mesmo é que contou o fato a Wesley. Como se explicar o caso? Um anjo de Deus assim agiu defendendo Wesley.

Deus é a defesa daqueles que trabalham a seu favor. O salmista declara isso em Salmos 62:2: “Só ele é a minha rocha e a minha salvação; é a minha defesa; não serei grandemente abalado.”

Não há motivos para ficarmos de braços cruzados dentro de uma Igreja sem darmos testemunho, sem falarmos de Cristo para alguém.

Será que podemos negligenciar sua chamada? Será que temos o direito de vivermos como filhos que não estão produzindo frutos. Lembremos daquilo que Jesus nos diz:“Todo ramo que estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda.” (João 15:1-2)

Assim, se estamos em Cristo tenhamos consciência que fomos chamados para produzir cada vez mais frutos.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

PREPARE-SE PARA O MILAGRE

“... Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei. E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal...”(Marcos 5:21 – 34)

Jesus estava a caminho da casa de Jairo e que uma grande multidão o seguia. No meio daquela multidão estava uma mulher enferma há doze anos, que havia gastado todo seu dinheiro com os médicos. Era uma enfermidade incurável para a medicina da época, então ela tomou a decisão de ir até Jesus. Ela é o exemplo de alguém que busca e recebe o milagre.

PARA RECEBER O MILAGRE É PRECISO DE UM DESESPERO SANTO EM SUA ATITUDE.
Aquela mulher possuía um tipo de desespero que Deus está buscando... “Eu preciso aproximar-me de Jesus. Eu preciso vê-lo e tocá-lo.” (Marcos 5:25 – 27). Sua atitude demonstra um desespero santo. Olhando pra Jesus como a única esperança, a única solução.

Nenhum Cristão causará impacto na sociedade até que esteja disposto a aproximar-se de Jesus e tocá-lo.

É preciso entregar tudo a Jesus e renunciar ao cargo de presidente da sua vida. Deixe Deus ser Deus em sua vida. Somente Deus pode pegar nossas derrotas e transformá-las em vitórias, nossas doenças e transformá-las em saúde, nossas perdas e transformá-las em ganhos, nosso fracasso e transformá-los em sucesso, nossa perdição e transformá-las em salvação.

PARA RECEBER O MILAGRE VOCÊ PRECISA AGIR PELA FÉ (Marcos 5:27-28).
Aquela mulher creu que se tocasse em Jesus seria purificada, Ela passou pela multidão, tocou na orla das vestes de Jesus e foi curada, Jesus sempre curou as pessoas que agiram pela fé.

Geralmente falhamos em passar pelos obstáculos, Nós nos preocupamos com o que os outros irão pensar. Acreditamos em nossas dúvidas e duvidamos de nossa fé.

Para receber o milagre você não precisa de uma grande fé, porque você tem um grande Deus, você precisa de uma pequena fé em ação.

PARA RECEBER O MILAGRE VOCÊ PRECISA TOCAR EM JESUS (marcos 5:27)
Muitos estavam próximos de Jesus, mas apenas uma O tocou.
Supere o medo, remova os obstáculos de sua vida. Não focalize os problemas, focalize Jesus, toque n’Ele, Deus está procurando pessoas que tenham coragem de ser diferentes, que não apenas ficam perto de Jesus, mas que O toquem pela fé,

Deus quer nos levar a níveis mais profundos em nosso relacionamento com Ele; Não podemos nos contentar com menos que o melhor de Deus e fazer o melhor para Deus. Se creres verás a glória de Deus

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

POBREZA ESPIRITUAL

Ouçam, meus amados irmãos: Não escolheu Deus os que são pobres aos olhos do mundo para serem ricos em fé e herdarem o Reino que ele prometeu aos que o amam? (Tiago 2.5) 

Ao ler este versículo, você pode se questionar: “O que? Todos os cristãos precisam viver em completa pobreza sem possuir coisa alguma? Nós precisamos nos desfazer de toda a nossa honra, prestígio e poder? Pessoas prósperas (como proprietários de negócios e oficiais do governo) devem vender todas as suas posses e ceder sua autoridade para comprar um pedaço do céu do pobre?”.

A resposta é não. A Bíblia não diz que uma pessoa pode comprar o céu do pobre, mas que ela deve ser contada entre os pobres, sendo espiritualmente pobre. Jesus disse: “Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus” (Mt 5.3).

As pequenas palavras em espírito mostram que a pobreza auto imposta não traz a bênção de Deus. Ter dinheiro, possuir propriedades ou empregar trabalhadores não são ações más por si só. Elas são dádivas de Deus e fazem parte do modo como ele ordenou a nossa sociedade. Ninguém é abençoado simplesmente por ser um mendigo. No versículo acima, Jesus fala sobre ser espiritualmente pobre – ou pobre em espírito.

O mundo não pode continuar funcionando sem dinheiro, respeito às autoridades, propriedades e servos. Um senhor ou príncipe não pode ser pobre e cumprir as suas responsabilidades. Ele precisa ter os recursos necessários para desempenhar as suas tarefas oficiais.

Assim, a ideia de que devemos viver em pobreza é incorreta. O mundo não poderia continuar funcionando se todos fossem pedintes, sem possuir sequer um centavo. Nós não poderíamos sustentar nossas famílias e empregados se não tivéssemos dinheiro algum.

Resumindo, ser financeiramente pobre não é a resposta. Portanto, fique satisfeito com o que Deus der a você, seja pobreza ou prosperidade.

Entretanto, pode ter certeza disto: cada um de nós deve se tornar espiritualmente pobre diante de Deus.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

POR QUE A SALVAÇÃO PELAS OBRAS É O PONTO DE VISTA PREDOMINANTEMENTE?

A resposta simples é que a salvação pelas obras parece correta aos olhos do homem. Um dos desejos básicos do ser humano é o de estar no controle de seu próprio destino, e isso inclui o seu destino eterno.

A salvação pelas obras apela ao seu orgulho e ao seu desejo de estar no controle. Sendo assim, obter a salvação por obras é muito mais atraente que a ideia de ser salvo pela fé. Além disso, o homem tem um sentido inerente de justiça. Até mesmo o ateu mais ardente acredita em algum tipo de justiça e tem um senso de certo e errado, mesmo se não tiver nenhuma base moral para fazer tais julgamentos.

O nosso senso inerente de certo e errado demanda que, se quisermos ser salvos, as nossas "boas obras" têm de mais que compensar por nossas "más obras." Com isso em vista, é natural que o homem crie uma religião que implique algum tipo de salvação pelas obras.

Porque a salvação pelas obras apela à natureza pecaminosa do homem, ela constitui a base de quase todas as religiões, exceto do Cristianismo bíblico. Provérbios 14:12 nos diz que "Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte." A salvação pelas obras parece ser o caminho correto para o homem, e isso explica por que é o ponto de vista predominantemente. Esse é o principal motivo por que o Cristianismo bíblico é tão diferente de todas as outras religiões – ele é a única religião que ensina que a salvação é um dom de Deus e não de obras. "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8-9).

Uma outra razão pela qual a salvação pelas obras é o ponto de vista predominantemente é que o homem natural ou não regenerado não entende completamente a extensão de seu próprio pecado ou da santidade de Deus. O coração do homem é "Enganoso… mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?"(Jeremias 17:9), e Deus é infinitamente santo (Isaías 6:3).

O engano do nosso coração é o que influencia a nossa percepção do alcance desse engano e o que nos impede de ver o nosso verdadeiro estado diante de um Deus cuja santidade também somos incapazes de compreender plenamente. Entretanto, a verdade é que a nossa pecaminosidade e santidade de Deus se combinam para tornar os nossos melhores esforços como "trapos de imundícia" diante de um Deus santo (Isaías 64:6; cf. 6:1-5).

O pensamento de que as boas obras do homem pudesse jamais equilibrar suas más obras é um conceito totalmente anti-bíblico. Não só isso, mas a Bíblia também ensina que o padrão de Deus é nada menos do que 100 por cento de perfeição. Se tropeçarmos em manter sequer uma parte da justa lei de Deus, somos tão culpados como se tivéssemos quebrado todas (Tiago 2:10). Portanto, de maneira nenhuma poderíamos jamais ser salvos se a salvação realmente dependesse de obras.

Uma outra razão por que a salvação pelas obras pode infiltrar denominações que afirmam ser cristãs ou dizem acreditar na Bíblia é que elas não compreendem passagens como Tiago 2:24: "Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente." Quanto interpretado no contexto de toda a passagem (Tiago 2:14-26), torna-se evidente que Tiago não está dizendo que nossas obras nos tornam justos diante de Deus; em vez disso, ele está deixando claro que a verdadeira fé salvadora é demonstrada pelas boas obras.

A pessoa que afirma ser um cristão, mas vive em desobediência intencional a Cristo, tem uma fé falsa ou "morta" e não é salva. Tiago está fazendo um contraste entre dois tipos diferentes de fé – a verdadeira fé que salva e a falsa fé que é morta.

Há simplesmente muitos versículos que ensinam que uma pessoa não é salva por obras para justificar qualquer cristão acreditando no contrário. Tito 3:4-5 é uma de muitas dessas passagens: "Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo." As boas obras não contribuem à salvação, mas sempre serão uma característica de alguém que nasceu de novo. As boas obras não são a causa da salvação, mas sim evidência.

Embora a salvação pelas obras seja o ponto de vista predominantemente, não é um ponto biblicamente exato. A Bíblia contém abundante evidência de salvação pela graça somente, pela fé somente, em Cristo somente (Efésios 2:8-9).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 24 de dezembro de 2017

OS CINCO GRUPOS DE SEGUIDORES DE JESUS

1º GRUPO – O GRUPO FORMADO PELAS MULTIDÕES.
Mt 4.25. – Durante os três anos e meio de ministério, Jesus foi seguido por uma grande multidão. As principais características dos seguidores que formavam as multidões;
- Pessoas que íam porque todos íam, ou seja, pessoas que não tinham qualquer compromisso;
- Pessoas que só O buscavam pelos milagres que fazia – Mt 15.31; Jo 6.2;
- Pessoas interesseiras – Jo 6.26; Jo 6.27;
- Pessoas que não assumiam publicamente que eram seus seguidores – Jo 19.38; Jo 3.1; Jo 3.2;
O Problema é que foi a MULTIDÃO quem pediu a Pilatos – Jo 19.15; Lc 23.18;

2º GRUPO – O GRUPO FORMADO PELOS 70 DISCÍPULOS.
– Dentre aquela grande multidão, O Senhor Jesus destacou a 70 homens para que fossem, de dois em dois, anunciar o Evangelho do Reino;
– Esse grupo é o grupo dos que servem a Jesus. Saem pelas praças, pelas ruas, pelas casas e anunciam o Evangelho da salvação – Lc 10.1;
– Esse grupo é um grupo de pessoas salvas por Jesus, mas, que se alegram apenas por que são usados pelos dons espirituais. Valorizam mais os meios que os fins – Lc 10.17; Lc 10.20;
– Não há nada de errado com esse grupo. Porém, esse pode ser o grupo daqueles que dirão: Mt 7.22; Mt 7.23.

3º GRUPO – O GRUPO FORMADO PELOS 12 APÓSTOLOS.
– Quanto ao grupo anterior, nós nem sabemos quem eram. Mas os membros deste grupo o Senhor os chama por nome. 12 homens a quem o Senhor chamou para formar os líderes de sua obra;
– Este grupo foi privilegiado, tanto por ter seguido de perto a Jesus, quanto por ter contemplado todos os milagres por ele operado;
– Porém, não podemos nos esquecer que no meio destes havia um, o Judas, cujo coração não era reto perante o Senhor e, por isso se enquadrou nas características daquele que foi chamado depois de “O filho da perdição” – Jo 17.12;

4º GRUPO – O GRUPO FORMADO PELOS 3 DISCÍPULOS MAIS PRÓXIMOS A JESUS.
– Dentre os 12 o Senhor tinha predileção por 3, Pedro, Tiago e João. Homens que não se conformaram em apenas seguir e assistir a Jesus, mas quiseram conhece-lo bem mais de perto;
– Foi esse grupo que teve o conhecimento de detalhes dos mistérios do Reino que aos outros não foi revelado;
– Foi esse grupo que teve o privilégio de contemplar a transfiguração de Jesus e conhecer a Moisés e a Elias no Monte Tabor;
– Foi também, esse grupo que foi destacado por Jesus para “pisar o lagar” e entrar com Jesus no suplício, mas que não teve forças e adormeceu – Mt 26.37; Mt 26.40; Is 63.3;

5º GRUPO – O GRUPO REPRESENTADO PELO DISCÍPULO AMADO – JOÃO.
– Mas, Jesus queria mais. Ele quer e procura alguém com quem Ele possa ter um relacionamento mais estreito, mais próximo – Sl 4.3;
– João reclinava-se no peito de Jesus – Jo 13.25; E era chamado de “o discípulo amado” – Jo 21.7;

A QUAL DESSES GRUPOS VOCÊ PERTENCE?

Everson Barbosa

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 23 de dezembro de 2017

INTENSIFICANDO A ORAÇÃO PARA TOMAR DECISÕES IMPORTANTES

Quando estamos em dúvida ou receosos para tomar decisões, às vezes, pedimos conselhos para inúmeras pessoas. E acabamos por nos esquecer de nos aconselhar com a pessoa mais importante: Aquele que nos criou, que domina sobre todas as coisas.

Jesus quando teve que escolher seus discípulos, intensificou seu período de oração. Ele está nos ensinando que, quando vamos tomar decisões, precisamos aumentar o nível de oração, principalmente quando nossas opções vão envolver a vontade das outras pessoas.

Vejamos como o evangelista Lucas nos conta o fato: "Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração a Deus. Depois do amanhecer, chamou seus discípulos, e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos" (Lc 6:12,13). 

Mas cuidado: Intensificar a oração não significa fazer ladainha, pois nosso Senhor nos alerta: "E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios" (Mt 6:6,7). Essa passagem bíblica revela é preciso a objetividade na oração.

O Senhor Jesus revela que a oração é fonte de autoridade espiritual e de poder: "Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em mim, esse também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas; porque eu vou para o Pai; e tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu a farei (Jo 14: 12-14)".

Esse texto deixa claro que Jesus não fazia milagres por ser Deus. As obras maravilhosas que operava as fazia em Sua própria humanidade. Se não fosse assim, não teria dito que qualquer um de Seus seguidores poderia fazer obras igual aquelas que Ele operava, e ainda poderia fazê-las muito maiores.

O Senhor Jesus cumpriu Seu ministério sem lançar mão da Sua divindade.

Não usou sua deidade para se eximir de problemas e dificuldades. Operava maravilhas como homem.

Entretanto, como homem ungido pelo Espírito Santo. Ele leu na sinagoga em Nazaré o que o profeta Isaías vaticinara a Seu próprio respeito: "O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos" (Lc 4.18).

O Espírito Santo está a disposição para ungir o povo de Deus para obra do Senhor. E quanto mais o cristão pede essa unção mais ele a terá. E não há outra forma de pedir esse poder a não ser pela oração. Se quisermos produzir frutos para o reino de Deus precisamos orar.

Quantos pregadores que pregam "bonito", mas sem efeito; quantos cantores demonstram uma técnica excepcional, mas não alteram nada com seu canto no reino espiritual; quantos grupos musicais lindos de se ouvir, mas que não encorajam a alma aflita e muito menos amedronta Satanás. Por que esse fracasso?

A resposta é simples: porque não oram; preocupam-se com a aparência e esquecem da essência; dedicam-se a técnica e abandonam a comunhão; prendem-se ao material e rejeitam o espiritual.

Supliquemos a todo dia como aquele discípulo em Betânia: "Jesus ensina-nos a orar". Com certeza, Ele irá nos atender.                                                                      
Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

À ESPERA DO AMANHECER

Espero pelo Senhor mais do que as sentinelas pela manhã! (Sl 130.6.)

Quando o sol se punha no horizonte, a sentinela assumiu o seu lugar na torre de vigia.

Vieram a primeira vigília (das seis às nove horas) e a segunda vigília (das nove horas à meia-noite).

Lá estava a sentinela alerta, olhando de um lado e de outro, vigiando a propriedade de seu senhor.

Depois veio a terceira vigília (da meia-noite às três da madrugada).

O sono começou a apertar e tornou-se difícil manter os olhos abertos.

Ainda havia mais uma vigília (das três da madrugada às seis horas da manhã) antes de o sol aparecer do lado oposto do horizonte. E a sentinela passou a aguardar ansiosamente o amanhecer.

Até que a aurora rompeu e o guarda pôde deixar o seu posto e ir para casa.

O salmista vale-se desse exemplo para confessar: “Espero pelo Senhor mais do que as sentinelas esperam pela manhã” (Sl 130.6). Ele não diz: “Espero pelo Senhor como as sentinelas esperam pela manhã”.

O anseio do salmista pelo Senhor é maior do que o anseio da sentinela pelo amanhecer.

Esse anseio pelo Senhor é tão natural quanto a sede e a fome.

É uma bênção porque provoca o contrário da apatia religiosa, que é a maior de todas as desgraças humanas.

A força desse anseio pelo Senhor arranca o pecador da anorexia espiritual e da inércia, e leva-o ao encontro de Deus.

O salmista já havia expressado esse apego interior ao Senhor: “Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus” (Sl 42.1).

Embora tamanha espera por Deus possa ser satisfeita aqui e agora, a alma anseia teimosamente por uma aurora muito mais gloriosa, aquela que virá depois da presente noite, que “está quase acabando”, e que antecede o retorno do Senhor (Rm 13.12)!

Retirado de Refeições Diárias com o Sabor dos Salmos. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

O ANSEIO FURIOSO

A palavra “furioso” soa um pouco forte jogada no meio dessa frase... Mas, primeiro, ela não está jogada, está propositalmente encaixada; e, segundo, a intenção é trazer a força da palavra, no entanto o sentido talvez seja diferente do que você tenha pensado. Essa fúria ansiosa, essa fúria incontrolável é o amor de Deus. E em certo ponto ele compara o amor de Deus a um furacão!

Nossa, um furacão? Sim, você leu certo! E talvez a gente pense: um furacão, algo arrasador que passa buscando algo e leva tudo sem deixar nada para trás, apenas sendo furioso e imparável. Porém quando pensamos nisso relacionado ao amor de Deus, a imagem que me vem é de um Deus vindo sem receio, sem hesitação, sem meias palavras, sem medo, Ele vem por mim, pra mim, Ele me quer, ardentemente.

Pode até soar um pouco romântico, mas como descrever o amor de Deus?
O vocabulário da língua portuguesa é rico e extenso, se comparado a tantos outros, contudo em matéria do amor de Deus, sempre irão faltar significados, explicações, a completude da palavra nos vai escapando pelos dedos das mãos e não alcançamos a plenitude de sentido!

Uma relação de amor consiste em termos outro ser para amar! Deus nos cria, nos cria para nos amar e para ser amado, Ele cria essa incrível relação de amor com o ser humano que foi projetado por Ele próprio. Pense na maravilha dessa realidade.

Deus esculpiu você, Ele pensou em cada detalhe que te compõe; hoje, somos um reflexo do pecado e obviamente temos defeitos, mas ainda assim, pense nos seus dons, no que você é capaz de fazer, nas suas habilidades, na complexidade do seu corpo e organismo, pense em como pensar, como se forma seu pensamento? Isso até os estudiosos têm dificuldade de dizer!

Esse Deus te amou tanto que quando nós escolhemos ser maus, Ele nos oferece seu amor incondicional! Ele cria um plano, envia seu único Filho para pagar pelos nossos erros, pagar com sua própria vida. Pai e Filho são um e, portanto, pense, Deus envia seu Filho, mas é Deus que também se doa no nosso lugar!

Você consegue medir esse amor? Consegue descrever esse amor? Consegue encontrar todo o sentido dele? Bom, eu continuo com dificuldade...

O amor de Deus é essa fúria magnífica, querendo se conectar com você, querendo criar um relacionamento com você! “Eis que estou à porta e bato” (Apocalipse 3:20), vamos abrir? Deus me ama, furiosamente, Deus te ama, furiosamente! Deus quer você, Ele quer restaurar sua vida. E não importa o que a gente tem passado, passou ou ainda vai passar aqui na Terra, Ele chora com você, Ele sente sua dor, Ele te ama em toda e qualquer circunstância. Nunca estamos sozinhos, nunca...

E eu tenho uma notícia maravilhosa, a não ser que você rejeite esse amor, esse amor é seu, esse amor te alcança, te envolve e te abraça, “Pois estou convencido de que nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Romanos 8:38-39)

Mariana Mendes

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

A LEI DE PLANTAR E COLHER

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. Gl 6:7,8 - Gn 1:11 - Gn 8:22

ESTA LEI OPERA POSITIVA E NEGATIVAMENTE:
1. Se plantarmos coisas boas colheremos coisas boas;

2. Se plantarmos coisas ruins colheremos coisas ruins;

3. Nós estamos plantando em todo tempo;

4. Tudo o que nós fazemos são sementes;
a. Palavra; Pensamentos; Dinheiro; Atitudes.

5. Iremos colher de acordo com o que plantarmos;

6. Tudo começa com uma semente.

SEMEANDO PARA O MAL
"...o que semeia da carne, da carne colherá a corrupção..."

Plantando para o pecado;

Atitudes de derrota, sementes de medo;

Semeando palavras negativas na mente de seus filhos, ou cônjuges.
Seu filho é uma tela em branco. Você é que faz a pintura!
Seu esposo ou sua esposa é uma tela já pintada.
a. Você é responsável para APAGAR algumas coisas que lá estão e escrever outras em cima.

Muitas pessoas sonham em ter um lar feliz, mas em todo tempo estão semeando amargura, grosserias, ofensas, etc.. Estão semeando o fracasso em seu casamento.
Jó 4:8 "...Os que lavram a iniqüidade e semeiam o mal, isso mesmo colhem..."
Os 8:7 "...Semeia ventos, colhem tormentas..."
Pv 22:8 "...O que semeia a perversidade colhe males..."

SEMEANDO NO ESPÍRITO
"...O que semeia no Espírito, do Espírito colherá a vida eterna..."

SEMEANDO EM NOSSO LAR;
1. Quando plantamos atitudes de compreensão, amor, perdão e bondade, Deus é quem se responsabiliza em dar a colheita.
2. Para você plantar algo em seu marido/esposa pode parecer difícil. Mas OLHE PARA A RECOMPENSA: Você certamente colherá.

SEMEANDO PARA O NOSSO MINISTÉRIO;
1. Consagração, Jejum, oração, tempo com a Palavra, e obediência irrestrita a Deus, SÃO SEMENTES que podemos plantar em nossos ministérios;
2. Não se recebe unção, dons espirituais e revelação da Palavra sem isso!
3. Envolver-se com a obra e com o povo de Deus é também uma semente para colher aceitação ao teu ministério.
a. Há daqueles que querem crescer no ministério, mas não se envolvem com a obra de Deus. Se esquecem que o que abre um ministério é a aceitação (Mt 10:40-44). Os tais colhem o isolamento, e depois culpam os outros.

SEMEANDO PARA A VIDA FINANCEIRA;
1. Deus quer que sejamos prósperos;
2. Mas isto não se opera automaticamente. (Por exemplo: a Salvação);
3. É preciso seguir as leis da prosperidade.
a. Muitos, quando têm um pouquinho de dinheiro na mão, usam tudo;
b. Aprenda esta lição: NÃO COMA SUAS SEMENTES! I Re 17:8-16;

CONSELHOS
A. Plante num bom solo ! (Mc 4:1-20)
B. Entre o semear e colher haverá muitas coisas que poderão destruir a colheita.
C. Persevere plantando coisas boas mesmo nos momentos mais difíceis. Não desista!
D. "...Quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes..." (Sl 126:6)
E. "...Ora, aquele que dá semente ao que semeia, e pão para o alimento, também multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça..."

Anésio Rodrigues

Por Litrazini

Graça e Paz