sábado, 18 de novembro de 2017

CRISTO DIVIDIDO? QUANDO A UNIDADE ESTÁ EM RISCO

"Pois a respeito de vós, irmãos meus, fui informado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós. Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo; ou, Eu de Apolo; ou Eu sou de Cefas; ou, Eu de Cristo. Será que Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado por amor de vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo? (1Co 1.11-13)

Quando lemos a carta de Paulo aos Coríntios, um dos primeiros problemas verificados são as divisões e partidos presentes naquela igreja. A palavra divisão vem do grego schismata, que significa "rasgões em pano". Paulo nesta carta afirma que a igreja é o corpo de Cristo: "Ora, vós sois corpo de Cristo: e individualmente, membros desse corpo." (I Co 12.27). Por isto pergunta: "...acaso Cristo está dividido?" (I Co 1.13).

OS PARTIDOS EM CORÍNTIOS
"Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros do corpo, embora muitos, formam um só corpo, assim também é Cristo." (I CO 1.12)

Grupo de Paulo - Era o grupo dos gentios (não judeus).
Grupo de Apolo - Judeu cristão de Alexandria (Centro Filosófico). Era um grupo do cristianismo intelectualizado.
Grupo de Cefas - Era o nome judaico de Pedro. Grupo de durões. Legalistas.
Grupo de Cristo - Agiam como se Cristo pertencessem a eles.

APLICAÇÕES
Onde está a cruz de Cristo? (v. 17)
Na cruz foi desfeita toda inimizade (Ef 2.14-16)
Na cruz foi destruída a sabedoria dos sábios (I Co 1.18-25)
Na cruz Deus inverte os valores de força e fraqueza (I Co 1.26-28)
A divisão é evidência de uma igreja carnal  (I Co 3.1-3)
A divisão é um empecilho para a obra (Lc 11.17 e I Co 12.14-17)
A divisão elimina o sentimento de comunhão (Am 3.3, I Jo 4.20 e Mt 5.23-24)

ACASO CRISTO ESTÁ DIVIDIDO?
A resposta é um grande não. Mas como será que a sociedade tem nos visto? Unidos? Divididos?
Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros Jo 13.35. Não há nada de errado com a diversidade na igreja. A diversidade é positiva. A divisão é negativa.

"Porque o corpo não é um só membro mas muitos" (I Co 12.14).

Pr. Eber Jamil

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

COMO POSSO VENCER A TENTAÇÃO?

As Escrituras nos dizem que todos nós enfrentamos tentações. Primeiro Coríntios 10:13 diz: "Não vos sobreveio tentação que não fosse humana." Talvez isso proporcione um pouco de encorajamento porque muitas vezes nos sentimos como se sofrêssemos sozinhos, e que os outros são imunes às tentações.

A Bíblia nos diz que Cristo também foi tentado: "Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado"(Hebreus 4:15).

De onde, então, essas tentações vêm? Primeiro de tudo, elas não vêm de Deus, embora Ele as permita. Tiago 1:13 diz: "Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta."

No primeiro capítulo de Jó, vemos que Deus permitiu que Satanás tentasse Jó, mas com restrições. Satanás está vagueando pela terra como um leão, buscando pessoas para devorar (1 Pedro 5:8). O versículo 9 nos diz para resisti-lo, sabendo que outros cristãos também estão sendo atingindo por seus ataques.

Por essas passagens podemos saber que tentações vêm de Satanás. Vemos em Tiago 1:14 que a tentação pode se originar em nós também. O versículo 14 diz que cada um é "tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz." Deixamo-nos pensar certos pensamentos, ir a lugares que não devemos ir e tomar decisões baseadas em nossos desejos que nos levam à tentação.

COMO, ENTÃO, PODEMOS RESISTIR ÀS TENTAÇÕES?
Primeiro de tudo, temos de voltar ao exemplo de Jesus sendo tentado no deserto por Satanás em Mateus 4:1-11. Cada uma das tentações de Satanás foi recebida com a mesma resposta: "Está escrito", seguida pela Escritura. Se o Filho de Deus usou a Palavra de Deus para, com eficácia, dar um fim às tentações – o que sabemos que funciona porque depois de três tentativas fracassadas, "o Diabo o deixou" (v. 11) -- quanto mais nós precisamos usá-la para resistir às nossas próprias tentações?

Todos os nossos esforços para resistir serão fracos e ineficazes a menos que sejam movidos pelo Espírito Santo através da leitura constante, do estudo e da meditação na Palavra. Desta forma, seremos "transformados pela renovação da vossa mente" (Romanos 12:2). Não há nenhuma outra arma contra a tentação exceto a "espada do Espírito, que é a Palavra de Deus" (Efésios 6:17).

Colossenses 3:2 diz: "Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra." Se as nossas mentes estiverem cheias com os mais recentes programas de TV, música e todo o resto que a cultura tem para oferecer, seremos bombardeados com mensagens e imagens que inevitavelmente levam a paixões pecaminosas.

No entanto, se nossas mentes estiverem cheias com a majestade e santidade de Deus, o amor e a compaixão de Cristo e o brilho de ambos refletido em Sua Palavra perfeita, veremos que o nosso interesse pelas concupiscências do mundo diminuem e desaparecem. No entanto, sem a influência da Palavra em nossas mentes, estamos abertos a qualquer coisa que Satanás atirar em nós. 

Aqui, então, é o único meio para guardar nossos corações e mentes, a fim de manter as fontes de tentação longe de nós. Lembre-se das palavras de Cristo a Seus discípulos no jardim, na noite em que foi traído: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41).

A maioria dos cristãos não iria querer abertamente pular em pecado, mas não podemos resistir cair nele porque a nossa carne não é forte o suficiente para resistir. Nós nos colocamos em situações ou preenchemos nossas mentes com paixões sensuais, e isso nos leva a pecar.

Precisamos renovar o nosso pensamento como nos é dito em Romanos 12:1-2. Não devemos mais pensar como o mundo pensa, ou andar da mesma forma em que o mundo caminha. Provérbios 4:14-15 nos diz: "Não entres na vereda dos perversos, nem sigas pelo caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo." Precisamos evitar o caminho do mundo que nos conduz em tentação porque a nossa carne é fraca. Somos facilmente levados por nossas próprias concupiscências.

Mateus 5:29 tem alguns excelentes conselhos. "Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno." Isso soa grave! O pecado é grave! Jesus não está dizendo que nós literalmente precisamos remover partes do corpo. Cortar o olho é uma medida drástica, e Jesus está nos ensinando que, se necessário, uma medida drástica deve ser tomada para evitar o pecado.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

POR QUE SOFREMOS COM O ESGOTAMENTO?

AS DIFICULDADES DA JORNADA
A Palavra de Deus relata a respeito do povo de Israel.“Então partiram do monte Hor, pelo caminho que vai ao Mar Vermelho, para rodearem a terra de Edom; e a alma do povo impacientou-se por causa do caminho” (Números 21.4). A vida é difícil. A jornada nem sempre é fácil. O caminho é pedregoso e cheio de surpresas nem sempre agradáveis.

É impossível viver sem dificuldades. Toda estrada é sinuosa e perigosa. Mas, mesmo que enfrentemos tempestades, como os navios, não fomos criados para viver ancorado em um porto seguro. Chegar a lugar nenhum não é uma opção para quem almeja viver uma vida vitoriosa.

A DUREZA DA TAREFA
Quando a tarefa parece grande demais, nos sentimos incapazes de realizá-la. “Então disse Judá: Desfalecem as forças dos carregadores, e há muito escombro; não poderemos edificar o muro” (Neemias 4.10). Os grandes construtores de hoje, ao invés de ficarem desanimados com os escombros, eles usam os escombros no alicerce da nova obra ou reciclam os escombros e os vendem. Um dos segredos para não sofrer de esgotamento, é olhar para a totalidade do projeto e não apenas para a rudeza da tarefa do momento. Deus nunca dá uma tarefa sem dar o poder para terminá-la.

A DEMORA DE REALIZAÇÃO DOS DESEJOS.
“O desejo que se adia abate o coração; mas o desejo cumprido é árvore de vida” (Provérbios 13.12). À medida que os nossos sonhos não se realizam, tendemos a desanimar. Já que os desejos não se concretizam, cremos que eles não vêem de Deus, ou que algo está errado conosco. O jeito é renovar a esperança.

PENSAR CONTINUAMENTE NOS PROBLEMAS (Lamentações 3.20).
Quem de forma sistemática e contínua conta repetidamente seus fracassos, acaba esgotado. “Então repeti eu: ‘já pereceu a minha glória, como também a minha esperança no Senhor. Minha alma, continuamente, recorda da minha aflição, do meu pranto e do veneno, e se abate dentro de mim’” (Lamentações 3.18-20).

Quem quer ficar livre o círculo vicioso do esgotamento, não deve viver repetindo seus fracassos. O caminho é usar a experiência adquirida para dar a volta por cima, não permanecer para sempre lembrando ou vivendo a derrota.

A ANSIEDADE
Nada controla mais o ser humano do que a ansiedade. A ansiedade rouba as forças, produzindo  esgotamento tanto físico como espiritual. “A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra” (Provérbios 12.25). Cada vez é maior o número das pessoas ansiosas. Esse não é o caminho do homem-mulher de Deus. “O justo, ainda morrendo, tem esperança” (Provérbios 14.32).

OUVIR DERROTISTAS (Números 32.9).
Não escute pessoas que só têm mensagens negativas. Existem profetas que só tem mensagens de agouro, até mesmo dentro das igrejas. Feche seus ouvidos às más notícias. “Palavras agradáveis são como favo de mel: doce para a alma e medicina para o corpo” (Provérbios 16.24). “Não te associes com o iracundo, nem Andes com o homem colérico, para que não aprendas as suas veredas e, assim, enlaces a tua alma” (Provérbios 22.24-25).

Li uma história que relatava uma corrida de sapos. O objetivo da corrida era subir em uma torre; o sapo que chegasse ao topo em primeiro lugar seria o vencedor. Todos os animais da floresta se reuniram em volta da torre para assistir a corrida. À medida que os sapos iniciaram a corrida, tentando subir na torre, alguns animais pessimistas gritavam impiedosamente: “Desistam! Sapos não sobem em torres. Vocês jamais vão conseguir!”

Como a escala era difícil, com o passar do tempo, os sapos, um após o outro, foram desistindo da corrida. Apenas um sapo pequeno e fracote, tentava, teimosamente, subir, sem se incomodar com os gritos desanimadores da bicharada. Sem desistir, o sapinho, persistiu e terminou a escalada, tornando-se o vencedor. Os bichos ficaram boquiabertos com a extraordinária façanha do sapinho. Um deles, não conformado com o feito do sapinho, perguntou a um velho e sábio “sapão”, que era um dos juizes: “Como pode? Sapos não sobem em torres! Como o sapinho conseguiu subir?” O velho sapo respondeu com cara de sabedoria e um sorriso maroto na enorme boca: “Ele conseguiu porque não ouviu os gritos negativos dos outros bichos. Ele é surdo”.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

A PROVIDÊNCIA DE DEUS

Espero visitá-los [em Roma] de passagem e dar-lhes a oportunidade de me ajudarem em minha viagem para lá [Espanha]. (Romanos 15.24)

Os capítulos 27 e 28 de Atos são importantes porque nos falam da providência de Deus e ilustram a seguinte verdade: “Não há sabedoria alguma, nem discernimento algum, nem plano algum que possa opor-se ao Senhor” (Pv 21.30).

A providência de Deus pode ser constatada nestes capítulos de duas maneiras: ao trazer Paulo a Roma e ao fazê-lo prisioneiro, em uma combinação inesperada de circunstâncias.

Primeiramente, Lucas pretende nos deixar tão admirados quanto ele com o salvo-conduto obtido por Paulo para ir a Roma. Jesus havia dito a ele, em Jerusalém: “Coragem! Assim como você testemunhou a meu respeito em Jerusalém, deverá testemunhar também em Roma” (At 23.11). Contudo, as circunstâncias pareciam indicar que isso seria impossível.

Paulo foi arrastado para a prisão, ameaçado de morte, quase se afogou no Mediterrâneo, quase foi executado pelos soldados e foi picado por uma serpente. Por trás de todos esses incidentes, havia a ação de forças demoníacas (representadas pelo mar bravio) tentando evitar que Paulo realizasse o propósito de Deus, o plano que Deus havia reservado para ele. Mas Deus impediu que o diabo obstruísse seu plano.

A cena é empolgante! Conseguirá Paulo realizar o propósito de Deus? Sim, ele vai conseguir! Mas como? Paulo chegou a Roma como um prisioneiro. Como isso poderia ser compatível com a providência de Deus?

Deus havia dito a Paulo que ele testemunharia em Roma, diante de César (At 27.24), e isso seria impossível, a não ser que Paulo chegasse a Roma como prisioneiro, para ser julgado.

Entretanto, a prisão de Paulo também contribuiu para enriquecer seu testemunho de uma outra forma. Enquanto ele estava na prisão ele escreveu três importantes cartas, Filipenses, Efésios e Colossenses, como um legado à posteridade. Não que ele precisasse passar um tempo na prisão para escrever!

Mas, na providência de Deus, há algo de notável nessas cartas da prisão. Elas expressam de forma mais poderosa que qualquer outro texto o senhorio supremo, soberano, inigualável e incomparável de Jesus Cristo.

A pessoa e a obra de Cristo passam a ter uma dimensão cósmica, pois, através de Cristo, Deus criou e redimiu todas as coisas. Além disso, tendo se humilhado até a cruz, ele foi exaltado por Deus ao mais alto lugar, e Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés.

A experiência de Paulo na prisão ajustou sua perspectiva, ampliou seus horizontes, esclareceu sua visão e enriqueceu seu testemunho.

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 14 de novembro de 2017

A ARCA ERA UMA RELÍQUIA?

A REVERÊNCIA À ARCA DÁ SUPORTE À VENERAÇÃO DAS RELÍQUIAS? IISAMUEL 6.7

Uzá não foi ferido por fracassar em termos de veneração à arca, mas por desobediência à lei de Deus, que proibia qualquer pessoa de tocar a arca, exceto o sacerdote (Nm. 4.15; IISm. 6.7).

Mostrar respeito pela arca, na qual a própria presença de Deus, sua santidade e glória eram manifestas, é muito diferente de venerar as relíquias de criaturas humanas.

A arca era um símbolo divinamente designado, e não meras ruínas e adornos humanos. Além disso, a arca era um símbolo especial em uma teocracia única, na qual Deus pessoalmente e de maneira visível (na nuvem de sua glória) habitava entre o seu povo especialmente escolhido, Israel.

Finalmente, mesmo mantendo o lugar especial que a arca possuía, o povo não deveria venerá-la (Êx. 20.4-5), mas deveriam simplesmente obedecer às leis de Deus em relação à sua utilização.

Deus claramente ordenou ao seu povo que não fizesse imagens de escultura, nem se prostrassem diante delas em um ato de devoção religiosa.

Esse é o mesmo erro dos pagãos que “honraram e serviram mais a criatura do que o Criador” (Rm. 1.25).

A Bíblia nos proíbe tanto “fazer” como “prostrar-se” diante de uma “imagem” de qualquer criatura, em um ato de devoção religiosa (Êx. 20.4-5).

Fonte: Resposta Às Seitas, Norman L. Geisler e Ron Rhodes, CPAD, 2000 – Texto compilado e adaptado pelo Pr. Edison Miranda da Silva.

Bíblia Apologética, ICP, 2000.

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

AS EVIDÊNCIAS DA SALVAÇÃO

Acerca da salvação, existem muitas teorias e linhas de pensamento, entretanto só existe um caminho que conduz o homem a salvação: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.”(João 14:6). Portanto o Cristianismo é um relacionamento todo-suficiente com um Cristo todo-suficiente, sendo que assim como Cristo é absolutamente santo e divino, também nós somos totalmente suficientes nele, pois quando o adoramos em espirito e em verdade, não precisamos de nada além dele.

NOSSA SUFICIÊNCIA EM CRISTO
Contudo alguns querem impor o legalismo e a religiosidade como condição de salvação, mas esquecem de que Cristo já conquistou a nossa salvação na Cruz e para isso basta crer e confiar. Contudo, como crentes em Cristo e estudantes da palavra, devemos buscar cada vez mais o aprimoramento na verdade que é Cristo, para que possamos não apenas crescer em conhecimento, mas também em fé, graça, amor, compreensão, humildade e principalmente nos tornarmos mais quebrantados e cheios do Espírito Santo e assim o adorarmos em espírito e em verdade.

FRUTO DO ESPÍRITO: EXPRESSÃO DO CARÁTER DE CRISTO EM NOSSAS VIDAS
O Espírito Santo efetua no cristão a santificação, inclinando-o para as coisas espirituais (Rm 8:5,8 e 9) e contenda com as coisas da carne, gerando em cada cristão o fruto do Espírito que são expressões do caráter de Cristo em nossas vidas.

A ação do Espírito em favor de cada cristão vai transformando este de glória em glória de valor em valor, fazendo com que cada cristão se torne mais parecido com Jesus, até porque o grande poder do evangelho não é a mudança externa, mas sim a interna, já que a proposta do  evangelho não envolve o legalismo, regras ou dogmas, mas sim o amor, a paz e a justiça, pois a proposta de Jesus vai além do pacotinho da religiosidade, envolvendo a subordinação à vontade de Deus em detrimento da vontade pessoal, ação precedida de arrependimento e eivada de esperança. Todo seguidor de Cristo, deve ficar ciente que será incompreendido por muitos, mas aceito por aqueles que foram alvos da verdade.

ADORAÇÃO COMO ESTILO DE VIDA
Adoração não é apenas um mero conceito, ou um momento de cântico no culto, mas um estilo de vida que desafia os paradigmas impostos pelo legalismo ilógico e pelo dogmatismo árido. Contudo, paradoxalmente do que este ou aquele grupo fala ou defende, devemos nos pautar na Bíblia e ela nos ensina claramente que Cristo riscou a cédula que era contra nós, cravando-a na Cruz (Cl 2:14-21).

Somente em Cristo existe misericórdia, pois no calvário existe completo perdão, salvação e completa vitória. Quando compreendemos a essência de nossa suficiência em Cristo, sabemos que nele, apenas nele temos a nossa vitória, pois nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do entendimento (Cl 1:5)

A MISERICÓRDIA COMO ATO DA GRAÇA DIVINA EM NOSSAS VIDAS
Os escritores bíblicos expressam, o quanto conheciam da misericórdia de Deus apresentando o Senhor como aquele que se compadece, como o pai misericordioso e compassivo (Sl 51 e 103). Como servos de Deus somos desafiados diariamente a usar da mesma misericórdia.“Bem-aventurado os misericordiosos” (Mt 5:14).

Somos discípulos do Senhor porque fomos alcançados um dia pela sua misericórdia: “Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas nos vivificou juntamente com Cristo” (Ef 2:4-5).

O discípulo não perdoou para ser perdoado; mas este deve exercer a prática do perdão porque um dia também foi perdoado, reconhecendo o quanto Deus tem sido misericordioso com ele. Segundo o teólogo alemão Dietrich Bonhoeffer: “O misericordioso empresta a honra própria ao descaído e toma sobre si a sua vergonha, procura a companhia dos publicanos e pecadores, suportando prazerosamente a vergonha de sua companhia”. Assim, que o exercício da misericórdia seja a razão de ser de nossa missão evangelística!

De acordo com os ensinamentos de Cristo, somente quando perco minha vida eu a encontro. Quando me entrego como sacrifício vivo ao Senhor, coloco-me a disposição do meu próximo, sendo que quanto mais eu me aproximo de Cristo, mais exerço minha missão e assim encontro à verdadeira razão de minha existência: O Serviço Cristão.

Referências
– MACARTHUR, John. A Nossa suficiência em Cristo. Editora Fiel. São José dos Campos, 2014.
– MARTINS, Orlando. Diaconia o serviço da mordomia. Editora AD Santos. Curitiba, 2016

Orlando Martins

Por Litrazini

Graça e Paz

domingo, 12 de novembro de 2017

UM VASO DISPONÍVEL

“... Então veio ela, e o fez saber ao homem de Deus; e disse ele: Vai, vende o azeite, e paga a tua dívida; e tu e teus filhos vivei do resto. (2 Reis 4.1-7); Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel. (Atos 9.15)

Aqui nós temos uma viúva cujo marido morreu devendo dinheiro, ela não tem uma fonte de renda e os credores agora estão batendo na porta exigindo pagamento ou vão levar os filhos como escravos.

Olhando para nossa sociedade, podemos ver uma situação semelhante: o mundo está batendo à nossa porta, em um espirito credor ameaçando levar a nossa família para ser escravos… escravos de drogas, álcool, promiscuidade sexual, identidade perdida, destruindo os relacionamentos, levando a ser oprimidos e depressivos, e a única coisa que pode impedir os credores levar os filhos, assim como nessa história da viúva, é óleo.
O profeta pergunta: O que você tem em casa?
Veja bem, o que você tem em sua casa pode trazer o milagre para sua casa ou pode impedi-lo.
O que o óleo representa? (O Espirito Santo) O que você tem em sua casa? Sua casa é lugar da presença de Deus? Um lugar de milagres? Uma atmosfera do sobrenatural?
Ou é um lugar de confusão, brigas, falta de amor.
A mulher falou que tinha apenas uma botija de azeite… Isso é suficiente, é tudo que precisa… Só falta uma coisa… O que faltou? Vasos.

DEUS É O OLEIRO – NÓS SOMOS O VASO
Mas agora, ó Senhor, tu és nosso Pai; nós o barro e tu o nosso oleiro; e todos nós a obra das tuas mãos. Isaias 64.8
O que o vaso representa? (o homem) Quem formou esse vaso? Quem é o oleiro? (Deus)

ÓLEO NÃO É O PROBLEMA – PRECISA DE UM VASO
O que a viúva tinha em casa?  O que ela precisava para receber o milagre? Quando acabou o óleo? (O óleo parou somente quando acabaram os vasos)
Enquanto há um vaso, haverá óleo Deus tem um estoque infinito, nunca está em falta. O problema é que limitamos a ação de Deus em nossas vidas.

O QUE LIMITA O MILAGRE? 
A falta de um vaso, tamanho do vaso ou quantidade de vasos) O que seria um vaso pequeno? (pouco tempo/ pouca fé)
Quanto mais você dá do seu vaso para Deus, mais óleo Ele vai te dar… (At.2.16-18)
Qual é o propósito do homem como um vaso?  (ser cheio do Espirito Santo)
A presença do Espirito Santo em nossas vidas é o que dá valor para nosso “vaso”.Tudo que Deus quer é um vaso…
Se dermos a Ele um vaso, Ele nos dará a Sua unção…

UM VASO ESVAZIADO
O que significa ser um vaso esvaziado?  (é uma remoção das coisas que estão ocupados espaço)
O que precisa esvaziar? (Precisa esvaziar da religiosidade – Mat. 23.23-27 e Tiago 1.26)
Como se esvazia o seu vaso? (crucificar a carne, morrer para si mesmo)
Deus derrama o Seu óleo onde Ele encontra vasos vazios para recebê-lo
O problema são vasos cheios de si mesmos, sujos e cheios de coisas desse mundo, misturando alianças com coisas desse mundo…  Não tem espaço para o óleo…
Se você vier a Ele como um vaso esvaziado, pedir para Ele remover tudo que está tomando espaço, tudo que não é como Ele, os pensamentos, atitudes, palavras e ações, então Ele pode lhe encher com um fluir incansável do Seu óleo, uma fonte sem fim.

UM VASO LIMPO
Que tipo de vaso Deus quer usar? (Deus quer usar vasos de honra) 2 Tim. 2.20-22
Paulo usa a ilustração de uma casa grande que tem vários tipos de vasos. Os vasos de ouro e prata são mantidos limpos e polidos para que possam ser usados para momentos de honra, enquanto os vasos de madeira e barro são usados para momentos de desonra, tipo lixeira.
Qual é a diferença entre o vaso de honra e o vaso de desonra? (Purificado, limpo…)
O que significa um vaso limpo? (1 Tessalonicenses 4.3-4)
Por que o vaso precisa ser limpo? (1 Cor. 6.19)
Deus usa vasos pequenos, vasos simples e até vasos quebrados. Mas Ele não usa vasos sujos.

UM VASO DISPONÍVEL
Em Isaias 6.1-8, Isaias não deu desculpas, não pediu tempo para aprender ou receber um dom ou talento. Ele viu que o Senhor estava procurando um vaso. A única qualificação de Isaias – disponibilidade
A questão não é se há óleo, pois o óleo vai fluir e vai multiplicar, a questão é se há um vaso disponível. Nós somos o corpo de Cristo, somos o vaso.
Os anjos não vêm para pregar um sermão. O Espirito Santo não vai evangelizar, não vai para o campo missionário, não vai plantar igrejas, Mas se Ele achar um vaso, assim Ele vai.
Ele está procurando um vaso que está disposto

UM VASO ESCOLHIDO
O que Deus chama Paulo? Qual foi o propósito de ser um vaso escolhido? (Atos 9.15)
Nós também somos vasos escolhidos, designados para ser usados e enchidos pelo Espirito Santo. Como vasos escolhidos de Deus, somos projetados para ser cheio dEle para a boa obra que Deus já preparou. 2 Tim 2.21; Ef. 2.10

Quando sentir que não é bom suficiente para o chamado, Deus vem para declarar: Se você me entregar o seu corpo, Eu lhe darei meu Poder. Eu derramarei o meu Óleo. Meu Óleo vai fluir em e transbordar do seu vaso. –  2 Cor 4.6-7

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 11 de novembro de 2017

MAUS EXEMPLOS NOS DÃO ESPERANÇA

Cerca de três meses mais tarde, disseram a Judá: “Sua nora Tamar prostituiu-se, e na sua prostituição ficou grávida”. Disse Judá: “Tragam-na para fora e queimem-na viva!”. (Gênesis 38.24) 

O povo de Deus frequentemente cai em pecado. Seus exemplos nos mostram a graça e a misericórdia infinitas de Deus. Ele salva não apenas aqueles que são fiéis e morais, como Abraão, Isaque e Jacó, mas também os que são imorais, como Judá, Tamar, Rúben, Simeão e Levi.

Portanto, nenhum de nós deve confiar na justiça própria quanto à sua moralidade ou sabedoria.

Por outro lado, nenhum de nós deve desistir por causa dos seus pecados.

As Escrituras louvam os exemplos de Abraão, Isaque e Jacó. Ao mesmo tempo, descrevem os piores tipos de pecadores.

Vemos as virtudes das pessoas mais piedosas e os pecados das pessoas mais ímpias – porém, todas elas vêm da mesma família.

Esses maus exemplos nos ensinam sobre arrependimento, fé e perdão de pecados. Nenhum de nós deve se gabar de quão bons nós somos, mas os que têm caído em pecado também não devem desistir.

A Bíblia registra os erros, as fraquezas e os pecados horríveis do povo de Deus.

O propósito disso é erguer e confortar aqueles que estão deprimidos por causa dos seus pecados.

Pecadores precisam ouvir: “Não desista. Deus deseja que você confie nele e creia nas suas promessas. Ele pode perdoá-lo, torná-lo santo e abençoá-lo assim como ele abençoou Judá, Tamar e outros pecadores”.

Deus não deseja que dependamos dos nossos próprios esforços ou nos desesperemos por causa dos nossos pecados. Ele quer que confiemos inteiramente na sua misericórdia e graça.

Não teríamos esperança se Pedro não tivesse negado a Cristo; se os apóstolos não tivessem ofendido Cristo; se Moisés, Arão e Davi não tivessem caído em pecado. Deus deseja confortar pecadores com esses exemplos.

É como se ele estivesse dizendo a cada um de nós: “Se você pecou, dê a volta por cima. A porta da graça está aberta para você”.

Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

FÉ QUE FAZ JESUS VIRAR

“... Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste. Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei.E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal. Logo Jesus, conhecendo que a virtude de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão, e disse: Quem tocou nas minhas vestes?... E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal. Mc 5.22-34

Jairo chegou a Jesus, se prostrou aos pés dele e insistentemente lhe suplica pela cura da sua filha. Jesus foi com ele. Grande multidão o seguia, comprimindo-o.

Aconteceu que certa mulher, que havia doze anos vinha sofrendo de uma hemorragia… Tendo ouvido a fama de Jesus, vindo por trás dEle tocou-lhe a veste. Porque dizia: Se eu apenas lhe tocar as vestes, ficarei curada.

No meio da multidão é comum pessoas tombando com Ele, mas foi o toque dessa mulher que fez Ele parar e virar.

No meio da multidão muita necessidade, mas apenas a mulher é curada.

No meio da multidão tem muitas necessidades, mas não é a necessidade que garante um milagre.

Não é simplesmente apresentar a sua necessidade. Precisa expressar a sua fé, tem que agir, é o desespero de um encontro com Ele, um grito, um louvor, um toque.

O QUE DEUS ESTÁ PROCURANDO?
Deus conhece as necessidades, Ele é o Bom Pastor, nada vai faltar, mas não é a necessidade que Deus está procurando, Ele está procurando a sua fé.

Não existe uma doença/enfermidade/situação que Deus não pode tocar e mudar…
Jesus já conhece a sua necessidade, mas não é sua necessidade que faz Ele parar, É a sua fé.

DE ONDE VEM ESSA FÉ?
É uma fé que vem através de uma revelação de Deus de quem Ele é, Uma revelação do Seu Poder – Mateus 16.16-17.

É a revelação de Deus que te dá poder sobre o inimigo. A revelação traz a manifestação da sua fé

Não podemos andar pelo que estamos vivendo, pela situação, mas pela revelação de Deus – Porque andamos por fé, e não por vista. 2 Cor.5.7

Com a revelação de Deus que traz a manifestação da minha fé, eu posso regozijar mesmo passando por situações difíceis.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

MANIFESTANDO JESUS

“... Respondeu-lhes Jesus: É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem. Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto.”(João 12.20-24)

O que a nossa sociedade mais precisa é ver Jesus nas palavras, nas ações e atitudes de seus discípulos. O padrão do cristianismo é Jesus, porque em Jesus nós vemos Deus como Ele é, e como cada um de nós os seus discípulos deveríamos ser.

O nosso chamado e a nossa vocação é para manifestar Jesus Cristo através de nossas palavras, ações práticas, atitudes, do caráter e de toda a nossa maneira de ser e viver, e assim manifestar o nome, a salvação e a glória do Senhor Jesus em todos os lugares.

AS PESSOAS PRECISAM VER JESUS. (Jo 12. 21).

As pessoas gostam de Jesus, elas estão cansadas de novas placas de igrejas, de religião enganosa,  de fraude, de hipocrisia, de religião sem prática. Elas querem ver Jesus manifesto em nossas palavras, ações e atitudes.

Nós somos chamados não somente para seguir a Jesus, mas também, para manifestá-lo, representá-lo na terra, vivendo uma vida semelhante à dele. (Rm. 8.29).

Como discípulos, temos que refletir diariamente: o amor de Cristo, a graça de Cristo, o caráter de Cristo, a santidade de Cristo, a fé de Cristo, a humildade de Cristo, a bondade de Cristo, a alegria de Cristo, revelar ao mundo o coração de Cristo.

Como discípulos de Jesus, nós somos a única Bíblia que muitas pessoas lerão. Como discípulos, nós somos um com Jesus, por isso, nós podemos manifestá-lo através do nossa vida. (1 Cor. 6.17).

Para que possamos manifestá-lo em nossa sociedade; Jesus garante a sua presença conosco todos os dias. (Mt 28.20).

Para que possamos manifestar Jesus ao mundo, testemunhando com poder, Ele nos dá o Espírito Santo. (Atos 1.8).

Como discípulos nós seguimos os passos de Jesus, Porém, como filhos Ele vem andar conosco (Mt 28.20). Ore diariamente: “Senhor Jesus vem andar comigo!”

O VERDADEIRO DISCÍPULO É UM IMITADOR DE CRISTO. (Mt 10.25).
Nós manifestamos Cristo tendo a mesma atitude dele; Jesus nos deu o exemplo em todas as áreas, depois Ele disse: “Façam como eu fiz.” (João 13.12-17).

O apóstolo Paulo era um imitador de Cristo, alguém que manifestava Cristo, por isso, ele declarou com toda segurança: “Sejam meus imitadores, como eu sou de Cristo”. (1 Cor 11.1).

O que Deus o nosso Pai celeste espera de cada um de nós os seus filhos amados, é que tenhamos a mesma atitude de Cristo Jesus. “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus” (Fp 2.5).

O nosso dever como discípulos é seguir o exemplo e os passos de Jesus. (1 Pe 2.21).Antes de tomar qualquer decisão, antes de fazer qualquer coisa, deveríamos perguntar sempre a nós mesmos: “O que faria Jesus?”

Como discípulos do Senhor, pensar, sentir, falar e agir como Jesus deve ser o nosso maior desejo, o nosso maior dever, o nosso maior desafio, a nossa maior missão. (1 Jo 2.6).

JESUS É O GRÃO DE TRIGO ORIGINAL QUE MORREU POR NÓS PARA QUE SEJAMOS PARECIDOS COM ELE.(Jo 12.24).
Jesus é o grão de trigo original que morreu a nossa morte para nos dar a sua vida. Nós temos a vida eterna que brota da morte e ressurreição do Senhor Jesus.Em Jesus nós vemos Deus como Ele é, e como cada de nós, os seus discípulos, deveríamos ser.

Deus o Pai nos ama tanto, que Ele quer que sejamos simplesmente parecidos com Jesus. (Rm 8.29).

Deus o nosso Pai está formando uma gloriosa família com muitos filhos e filhas semelhantes a Jesus, Ele é o primogênito entre muitos irmãos. É com esta família espiritual que viveremos a eternidade.

NÓS EXISTIMOS COMO IGREJA PARA MANIFESTAR JESUS AO MUNDO.
Disse Jesus: “Quem vê a mim vê o Pai.” Deveria ser assim conosco, quem olhasse para nós deveria ver Jesus manifesto em nossa vida. (Jo 14.8,9) Como discípulos nós somos os representantes legítimos de Jesus, somos continuadores de sua missão e de seu ministério nessa terra. (Jo 17.18; 20.21).

Os discípulos do Novo Testamento eram muito parecidos com Jesus, tão parecidos com Jesus, que Antioquia os discípulos pela primeira vez receberam o apelido de cristãos. (At 11.26).

Viva para manifestar o Senhor Jesus a este mundo.

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz