sábado, 30 de setembro de 2017

ESPÍRITO, ALMA, E CORPO

O homem foi criado por Deus como um ser tripartido. Nossa constituição é esta: espírito, alma e corpo. As Escrituras, ao mencionarem estas três partes distintas, referem-se a elas como se tratando do nosso ser inteiro, da nossa plenitude.

“E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5.23)

Atente para o termo “completamente”. Para o escritor a santificação completa é a conservação irrepreensível das três partes. Mas as Escrituras fazem clara distinção entre espírito e alma; de fato, ambos compõem aquilo que chamamos de “homem interior” (2 Co 4.16), mas são distintos entre si; há um versículo que traz mais luz acerca desta diferença, e convém observá-lo:

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”. (Hb 4.12)

Nosso texto diz que a Palavra penetra até a DIVISÃO de alma e espírito; logo, há divisão entre um e outro; não são a mesma coisa. Contudo, apesar desta divisão, parece-nos que os dois estão bem próximos, juntos. Tanto, que só a Palavra de Deus, como espada afiada que é, pode separa-los. Na prática diária da vida cristã, a maioria dos crentes sabe muito bem quão difícil é separar o que é alma do que é espírito, mas que são distintos, são! Isto é inegável.

Lemos na Bíblia que o novo-nascimento é o nascer do espírito (Jo 3.6). Isto é algo que se dá instantaneamente. Contudo, escrevendo à pessoas que já haviam experimentado a salvação de Deus em seu espírito (Tg 1.18 e 1 Pe 1.3), Tiago e Pedro falaram da “salvação da alma” como algo que acontece posteriormente ao novo-nascimento do espírito (Tg 1.21 e 1 Pe 1.19).

Portanto, assim como a salvação da alma acontece como um processo de restauração pela Palavra de Deus, a regeneração do espírito acontece instantaneamente na ocasião do novo-nascimento. Se o espírito e a alma fossem uma coisa só, certamente não haveria esta distinção na forma como a redenção de Cristo alcança cada um.

Luciano Subirá

Por Litrazini

Graça e Paz

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

MANEIRAS DE VENCER CILADAS DO DIABO ATRAVÉS DA MEMORIZAÇÃO DA BÍBLIA

A jornada cristã é feita de muitas batalhas. A luta se faz contra nossas próprias concupiscências, mas também contra o diabo, que se vale de nossas fraquezas para nos impor tropeços. Diante disso, a melhor maneira de vencer o diabo é memorizar a mensagem da Bíblia.

Memorizar as Escrituras torna a meditação possível. Nas vezes em que você não pode ler a Bíblia, a meditação é o caminho para uma compreensão mais profunda, se você vai meditar sobre a lei do Senhor dia e noite, você precisa ter algo em sua cabeça.

Nos Salmos 119:11, o autor diz: “Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti”. manter na memória as palavras das Escrituras transforma nossa visão sobre o mundo.

Quando medito sempre nas Escrituras, isso muda minha mente de acordo com o ponto de vista de Deus em relação a tudo, Memorizar as Escrituras torna a Palavra de Deus mais fácil de alcançar para vencer a tentação do pecado. Porque as advertências e as promessas de Deus são a maneira como obtemos conquistas sobre as enganosas mentiras do diabo.

É o ato de “memorizar as Escrituras” que “permite vencer o Diabo, batendo em sua cara com uma força na qual ele não pode resistir,

Com o que você está batendo nele? Ele é milhões de vezes mais forte que você. Ele odeia você, seu casamento e sua família, a Igreja e Deus. Como alguém atravessa este mundo governado pelo diabo sem uma espada nas mãos?.

Manter as Escrituras em mente é uma maneira de fortalecer a fé, pois a Bíblia ensina – a respeito da fé – que a capacidade de crer vem pelo ouvir a Palavra de Deus e essa prática ajuda a encontrar e vencer as falhas pessoais.

John Piper

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

A VINDA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO

QUEM É O ESPÍRITO SANTO?
O Espírito Santo é uma pessoa e, juntamente com o Pai e com o Filho, faz parte da Trindade Divina. É considerado uma pessoa porque exerce atributos de personalidade.

POSSUI SENTIMENTOS – entristece-se, chora, geme, sente ciúmes (Romanos 8.28; Efésios 4.30);

TEM VONTADE PRÓPRIA – dispensa os dons espirituais (1 Coríntios 12.11);

São atribuídas a ele atividades pessoais: revela, ensina, clama, intercede, fala, ordena, testifica (2 Pedro 1.21; João 14.26; 15.26).

ALGUNS NOMES DADOS AO ESPÍRITO SANTO
Espírito de Deus.
Espírito de Cristo
Consolador
Espírito Santo da Promessa
Espírito da Verdade.
Espírito da Graça
Espírito de Adoção

PRINCIPAIS SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO
FOGO – Significa limpeza, purificação. O fogo aquece e também Ilumina (Mateus 3.11; Atos 2.3).
VENTO – Simboliza a obra regeneradora e sua misteriosa atuação (João 3.8).
ÁGUA – É a fonte de água viva que lava, limpa, refresca, sacia a sede espiritual e faz frutificar (João 7.38,39).
SELO – O Espírito Santo é como um selo, isto é, uma marca posta no crente para o dia da redenção. Essa marca é que assegura e garante o direito de posse da herança celestial (2 Timóteo 2.19).
AZEITE – É o símbolo da unção – torna o crente útil, operando vida, beleza e transformação.
POMBA – Significa brandura, paz, amabilidade. É isso que o Espírito Santo transmite ao pecador quando se chega a Jesus. Ele se apresenta para confirmar a presença de Jesus em nossa vida (Mateus 3.16).

A Igreja Cristã começa efetivamente com as descida do Espírito Santo. Isso aconteceu no Dia de Pentecostes (50 dias após a Páscoa). Isso está registrado em...

Atos 2.1-13 – Chegando o dia de pentecostes, estavam todos reunidos num só lugar. 2 De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. 3 E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. 4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava...12 Atônitos e perplexos, todos perguntavam uns aos outros: “ Que significa isso?”. 13 Alguns, todavia, zombavam deles e diziam: “Eles beberam vinho demais”.

PARA SER CHEIO DO ESPÍRITO SANTO
OBEDEÇA
Jesus ordenou que todos permanecessem em Jerusalém (Atos 1). Muitos querem o poder do Espírito, mas não querem as mudanças e sacrifícios que esse poder impõe.

CONGREGUE
Estavam todos juntos, congregados como igreja. A descida do Espírito acabou com a separação que aconteceu em Babel.

CREIA
A manifestação do Espírito é sobrenatural. Sem unção podemos fazer muita coisa religiosa, mas não produziremos frutos espirituais. Frutos espirituais dependem de unção, ou seja, da presença sobrenatural do Espírito.

COOPERE
Cerca de 16 nações estavam representadas ali. Deus mostrava a sua multiforme graça. Deus deseja unidade na diversidade. Precisamos vencer barreiras étnicas, raciais, culturais, econômicas, linguísticas, etc. Nenhuma igreja alcança uma cidade sozinha. Precisamos unir o povo de Deus.

RESISTA
Mesmo diante daquele mover de Deus, muitos não creram. Alguns até mesmo criticaram e acusaram.

Charles Swindoll escreveu: “Uma coisa é tornar-se cristão. Outra é tornar-se um cristão cheio do Espírito. A tragédia é que muitos são os convertidos, mas poucos são os cheios do Espírito. Quando isso acontece, a pessoa perde o melhor que Deus tem para oferecer na terra”.

Receba esta promessa de Jesus: “Eu rogarei ao Pai; e Ele vos dará outro Consolador para que fique convosco para sempre. Jo 14.16

Ricardo Aurino

Por Litrazini

Graça e Paz

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

SANTUÁRIO DE DEUS

Somos santuário de Deus, como diz o Novo Testamento: “Não sabeis vós que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1 Co 3.16)

No passado, Deus ordenou que lhe construíssem um santuário com detalhes que Ele mesmo havia dado, e sob a direção de Moisés, o povo de Israel o fez. Mais tarde, Salomão construiu um magnífico templo em lugar da tenda do tabernáculo. Mas quando o povo israelita foi levado em cativeiro para a Babilônia, o templo foi demolido e queimado, e somente depois de regresso da nação nos dias de Esdras e Neemias é que foi reconstruído.

Nas três vezes, seguiu-se a direção inicial que o Senhor havia dado a Moisés, e a Casa do Senhor sempre teve três ambientes distintos onde os sacerdotes serviam: o Santo dos Santos, o Lugar Santo, e o Átrio Exterior. Logo, podemos dizer que o santuário sempre foi tripartido.

No Novo Testamento vemos uma nova ênfase quanto ao santuário de Deus, e ela já não tem mais nada a ver com os templos construídos. Na sua última pregação, Estevão declarou: “Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens…” (At 7.48), e antes de tornar-se o primeiro mártir da Igreja, depositou esta mensagem no coração de seu perseguidor, que mais tarde viria a escrever que o santuário de Deus somos nós!

A Igreja em seu início compreendia isto. Quando Jesus bradou na cruz “está consumado!”, o véu do templo se rasgou de alto a baixo. A partir deste momento a presença de Deus deixou de estar restrita ao templo e o Pai veio fazer morada em nós, os nascidos de novo.

E como santuário de Deus, também somos tripartidos, à semelhança dos santuários do Velho Testamento que eram figura do santuário da Nova Aliança em Jesus. Cada uma das três partes do santuário corresponde às nossas três partes: espírito, alma e corpo.

Olhando o tabernáculo pelo lado de fora, via-se apenas dois ambientes: a parte coberta e a parte descoberta, sendo que a parte coberta era a tenda da revelação e a parte descoberta o átrio exterior. Mas ao entrar na tenda, percebia-se que havia ali dentro dois ambientes totalmente distintos e separados por um véu: o Santo Lugar e o Santo dos Santos (Hb 9.1-3).

Ou seja, olhando apenas de modo superficial, parecia um só ambiente, mas num exame cuidadoso apareciam claramente os dois ambientes. De forma semelhante, ao observar superficialmente o santuário de Deus hoje (que somos nós), reconhecemos apenas duas partes: o homem interior e o homem exterior. Mas um exame das Escrituras (e no nosso próprio íntimo) revelará que a “tenda” do homem interior se subdivide em outras duas partes, separadas apenas por um véu. O homem interior é composto de espírito e alma!

O espírito corresponde ao Santo dos Santos, o lugar mais íntimo, onde se encontrava a presença de Deus e também onde Ele falava. A alma corresponde ao Lugar Santo, e o corpo ao Pátio, ou Átrio Exterior.

A importância de examinarmos estas figuras é compreender que assim como o Santo dos Santos era o lugar mais importante do tabernáculo, assim também o nosso espírito é hoje o lugar “mais importante” do santuário que somos nós!

Precisamos tomar consciência do valor do nosso espírito na vida cristã.

Luciano Subirá

Por Litrazini

Graça e Paz

terça-feira, 26 de setembro de 2017

A CENTRALIDADE DA CRUZ

Porque, quando estive com vocês, resolvi esquecer tudo, a não ser Jesus Cristo e principalmente a sua morte na cruz. (1 Coríntios 2.2, NTLH)

Qualquer pessoa que estude o cristianismo pela primeira vez logo ficará impressionada com sua ênfase na morte de Jesus e, como já vimos, particularmente com o espaço desproporcional que os evangelistas dedicam à sua última semana de vida. Os autores dos Evangelhos haviam aprendido essa ênfase com o próprio Jesus.

Em três ocasiões distintas e solenes Jesus predisse sua morte dizendo: “Era necessário que o Filho do Homem sofresse muitas coisas… e… fosse morto” (Mc 8.31). Era necessário que isso acontecesse — ele insistiu — porque havia sido predito nas Escrituras do Antigo Testamento.

Jesus também se referiu à sua morte como a sua “hora”, a hora para a qual ele viera ao mundo. No começo, ele repetiu que ela ainda “não havia chegado”, mas finalmente pôde dizer que “sua hora chegara”.

Talvez o mais impressionante de tudo isso seja o fato de Jesus ter determinado, de modo deliberado, como gostaria de ser lembrado.

Ele instruiu seus discípulos a tomar, partir e comer o pão em memória de seu corpo, que seria partido por eles, e a tomar, derramar e beber o vinho em memória de seu sangue, que seria derramado em favor deles. A morte era representada por ambos os elementos. Nenhum simbolismo poderia ser mais claro.

COMO ELE QUERIA SER LEMBRADO?

Não por seu exemplo ou seu ensino, não por suas palavras ou obras, nem mesmo por seu corpo vivo ou pelo sangue que corria em suas veias, mas por seu corpo entregue e seu sangue derramado no sacrifício da cruz.

Assim, a igreja acertou na escolha do símbolo do cristianismo. Ela poderia ter escolhido qualquer outra entre muitas opções — por exemplo, a manjedoura, simbolizando a encarnação; a carpintaria, que comunica a dignidade do trabalho manual; ou a toalha, símbolo do serviço humilde. No entanto esses símbolos foram ignorados em favor da cruz.

A escolha da cruz como o símbolo supremo do cristianismo foi totalmente extraordinária porque na cultura greco-romana a cruz era objeto de vergonha.

Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã. Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, E aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Onde está o sábio? Onde está o escriba? Onde está o inquiridor deste século? Porventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. 1 Coríntios 1.17-25 

Retirado de A Bíblia Toda, o Ano Todo  [John Stott]. Editora Ultimato.

Por Litrazini

Graça e Paz

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

O QUE FAZ UMA FAMÍLIA SER SAUDÁVEL?


 APRECIAÇÃO MÚTUA.

Famílias estáveis e saudáveis cultivam a apreciação entre os seus membros. Então, o segredo para cultivar uma saúde familiar é elogiar sempre. Nunca perder uma oportunidade para elogiar e enaltecer o cônjuge, os filhos, irmãos e pais. “O princípio mais profundo natureza humana é o anelo de ser apreciado”, escreveu William James.

CAPACIDADE PARA RESOLVEREM JUNTOS OS CONFLITOS.
Os conflitos, em qualquer relação humana, são inevitáveis. A grande questão é saber identificar e resolvê-los de uma maneira em que todos saiam vencedores. Muitas vezes, famílias se tornam frágeis e problemáticas porque na resolução de um conflito, há perdedores e vencedores.

COMUNICAÇÃO ABERTA.
Numa família saudável a comunicação é valorizada. Os assuntos são conversados sem tabus, os sentimentos são externados sem rancor. Não há acusações ou críticas. Os cônjuges sentem liberdades para exporem suas idéias e sentimentos. Pais conversam com os filhos sobre temas importantes.

COMPROMISSO MÚTUO.
Numa família saudável, há um forte sentimento de compromisso entre os seus membros. Os cônjuges sentem-se compromissados pelo bem-estar e crescimento um do outro. Os pais sentem-se compromissados com crescimento integral dos filhos e assim por diante.

DEDICAÇÃO DE TEMPO.
Famílias saudáveis e competentes investem tempo e energia na construção e manutenção de um relacionamento construtivo. Os cônjuges conversam mais entre si, os pais brincam mais com os filhos, há mais caminhadas de mãos dadas. Há quantidade e qualidade de dedicação de tempo.

COMPARTILHAMENTO DE TRADIÇÕES.
Famílias saudáveis valorizam os almoços à mesa, as férias são momentos inesquecíveis, os aniversários, mesmo com simplicidade, são comemorados, os dias festivos são lembrados e vividos intensamente, a participação nos cultos torna-se importante. “Essas tradições, pequenas e grandes, são o que estreita os nossos laços, nos renova e nos dá uma identidade enquanto família”, diz Stephen R. Covey.

COMPARTILHAM A FÉ COMUM.
Sabemos que quando Deus se torna o fundamento de uma família, esta passa a ter totais condições de ser feliz e saudável. “A família foi constituída pelo próprio Deus e deve tê-lo como fator central”, afirma o Dr. Merval Rosa.

Que cada um de nós sejamos responsáveis pelo cultivo dessas atitudes em nossas famílias. Fazendo isso, estaremos construindo, no novo milênio, famílias que sejam esteio e colunas da sociedade.

Gilson Bifano

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 24 de setembro de 2017

O ESPÍRITO SANTO EM RELAÇÃO AOS CRISTÃOS

O ESPÍRITO SANTO REGENERA
E a minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder;(1Co.2.4) Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. (1Co.3.6). Assim como Jesus foi gerado pelo Espírito Santo, semelhantemente todo homem, para que se torne filho de Deus, precisa ser gerado pelo Espírito Santo. Jo 3 : 3 – 6/ Tt 3 : 5/ Jo 6 : 63/ I Pd 1 : 23/ Ef 5 : 25,26.

ELE BATIZA NO CORPO DE CRISTO
E João testificou, dizendo: Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele. E eu não o conhecia, mas o que me mandou a batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer o Espírito, e sobre ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito Santo. E eu vi, e tenho testificado que este é o Filho de Deus. (Jo 1 : 32 – 34)  I Cort 12.12 – 13/ At 1.5

O batismo do Espírito Santo é aquele ato que tem lugar por ocasião da conversão(Jo 3.5-7/ Rm 8.9), mediante o qual a pessoa se torna membro do corpo de Cristo (II Cor 5.17/ Ef 1.13-14).

Essa obra tem sido realizado na vida de cada cristão, embora nem sempre seja reconhecida. O batismo do Espírito Santo não é algo a ser conquistado pelo cristão após a regeneração; antes, já foi obtido por ocasião da regeneração( I Cor 3.16). O batismo do Espíorito Santo teve início no dia de Pentecoste (At 2.1-3), mas se estende através dos séculos e prosseguirá até que o último membro tenha sido acrescentado à igreja.(Ef 4.4)

ELE HABITA NO CRISTÃ0
Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele.(Rm.8.9); I Cor 6.15-19/ 3.16

ELE SELA
Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa; O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. (Ef 1.13,14/ 4.30)

ELE PROPORCIONA SEGURANÇA
Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.(Rm. 8.14,16) I Co.1.22

ELE FORTALECE
Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior. (Ef 3.16)

ELE ENCHE O CRISTÃO
E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração;Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo (Ef 5.18-20) At.4.8,31 / 2.4/ 6:3/ 7.54-5 5/ 9.17,20 / 13.9-10,52 / Lc 1.15,41,67-68 / 4.1/ Jo 7.38-39

ELE LIBERTA/ GUIA/ ORIENTA EM SEGURANÇA
E levantou-se, e foi; e eis que um homem etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, o qual era superintendente de todos os seus tesouros, e tinha ido a Jerusalém para adoração, Regressava e, assentado no seu carro, lia o profeta Isaías.E disse o Espírito a Filipe: Chega-te, e ajunta-te a esse carro.(At 8.27-29)

ELE EQUIPA PARA O TRABALHO (Ilumina/Instrui/Capacita)
Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras que a sabedoria humana ensina, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. (I Co.2.12 –14) Sl 36.9 / Jo 16.13-14 / I Co.12.11 / I tm 1.5

ELE PRODUZ FRUTO DA GRAÇA CRISTÃ
Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.(Gl 5.22-23) Rm 14.17/ 15.13 / 5.5 / Gl 2.20

ELE POSSIBILITA TODAS AS FORMAS DE COMUNHÃO COM DEUS (Oração/Adoração e louvor/Agradecimentos)
Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo (Judas 20) Ef 6.18 / Rm 8.26-27/ Fl 3.3 / At 2.11 / Ef 5.18-20

ELE VIVIFICA O CORPO DO CRENTE
E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. (Rm 8.11,13)

Lidiomar T. Granatti

Por Litrazini

Graça e Paz

sábado, 23 de setembro de 2017

CURA INTEGRAL

“... E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim. E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho. (Mc 10:46-52)

É maravilhoso como Deus cura a alma, o espírito e o corpo das pessoas que se abrem pra Ele.

DEUS QUER NOS CURAR DE FORMA INTEGRAL(Espírito, Alma e Corpo).
Nossas enfermidades "espirituais e emocionais" podem nos colocar à beira do caminho como um mendigo.

Quando a cura deste homem começou? Quando ele ouviu falar que "Jesus Passava". E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.  (Mc. 10:47)
Jesus sempre está passando, porém, as pessoas, muitas vezes, não percebem porque estão envolvidas demais, distraídas etc.

MUITAS OPORTUNIDADES SÃO ÚNICAS.
Clamou, foi persistente. Não brincou com a oportunidade. Oportunidade é parte indispensável do sucesso.

PARA ALCANÇAR OBJETIVOS ELEVADOS EM DEUS, É PRECISO VENCER OBSTÁCULOS E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim.(Mc. 10:48)
Obstáculos internos: Medo, complexo, pessimismo, conformismo, etc.
Obstáculos externos: Forças espirituais que lutam para nos impedir de alcançar, pessoas que não querem ver nosso triunfo.
Os campeões sempre superam os obstáculos.

NÃO IMPORTA ONDE E COMO O HOMEM ESTEJA, DEUS SE IMPORTA (Mc. 10:49).
E Jesus, parando, disse que o chamassem.
Jesus parou. Jesus viu a imagem de Deus no homem.Jesus se importou com aquele homem.

QUERER É O PRIMEIRO PASSO PARA A SOLUÇÃO DO PROBLEMA (Mc. 10:51).
Levanta-te, que ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça?
Muitos precisam, mas não querem. Deus não empurra a porta, Ele espera que você abra. Não basta precisar, é necessário "querer". Por que muitos precisam, mas não querem?
Ser curado da cegueira implica em mudanças, e não são todos que desejam assumir responsabilidades.

JESUS O CUROU ESPIRITUALMENTE (Mc. 10:52).
Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho
Este homem foi curado, restaurado integralmente. Seu espírito (Salvação), sua alma (ganhou senso de valor próprio) e, seu corpo (passou a enxergar). Deixou de ser o lixo da sociedade. Ganhou um ideal para o qual viver.

Transcrito por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

É ERRADO TER FOTOS DE JESUS?

Quando Deus deu a sua Lei para a humanidade, Ele começou com uma declaração de quem é: "Eu sou o SENHOR, teu Deus, que te tirei da terra do Egito" (Êxodo 20:2) com um aviso de que não era para Israel ter outro Deus senão Ele.

Logo em seguida Deus os proibiu de fazer qualquer imagem de qualquer coisa "nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra" (Êxodo 20:4) com o propósito de adorar ou diante da qual se curvar.

A coisa fascinante sobre a história do povo judeu é que desobedeceram a esse mandamento mais do que a qualquer outro. Eles repetidamente fizeram ídolos para representar deuses e adorar; começando com a criação do bezerro de ouro durante o exato momento em que Deus estava dando os Dez Mandamentos a Moisés (Êxodo 32)! A adoração de ídolos não só afastou os israelitas do Deus vivo e verdadeiro, mas também abriu a porta a todos os tipos de outros pecados, inclusive a prostituição no templo, orgias e até mesmo o sacrifício de crianças.

Claro que ter um simples retrato de Jesus pendurado em uma casa ou igreja não significa que as pessoas estejam praticando idolatria. É possível que um retrato de Jesus ou um crucifixo possa se tornar um objeto de adoração, e nesse caso o adorador é o culpado. Mas não há nada no Novo Testamento que proíba especificamente um cristão de ter uma imagem de Jesus.

Tal imagem poderia muito bem ser um lembrete para orar, se focar no Senhor ou seguir os passos de Cristo. No entanto, os crentes devem saber que o Senhor não pode ser reduzido a uma imagem bidimensional e que a oração ou adoração não deve ser oferecida a uma imagem.

Um retrato nunca será uma imagem completa de Deus, nem poderá exibir a sua glória, e nunca deve ser um substituto para a forma como enxergamos a Deus ou aprofundamos o nosso conhecimento dEle. E, claro, até mesmo a mais bela representação de Jesus Cristo é nada mais que que a concepção de um artista de como o Senhor se parecia.

Na verdade, não sabemos como Jesus se parecia. Se fosse importante que soubéssemos os detalhes de sua aparência física, Mateus, Pedro e João certamente nos teriam dado uma descrição precisa, assim como teriam feito os próprios irmãos de Jesus, Tiago e Judas. No entanto, esses escritores do Novo Testamento não oferecem detalhes sobre os atributos físicos de Jesus. Somos deixados à nossa imaginação.

Nós certamente não precisamos de uma imagem que mostre a natureza de nosso Senhor e Salvador. Só temos que olhar para a Sua criação, como somos lembrados no Salmo 19:1-2: "Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite." Além disso, a nossa própria existência como os remidos do Senhor, santificados e justificados pelo seu sangue derramado na cruz, deve nos fazer tê-lo sempre diante de nós.

A Bíblia, a própria Palavra de Deus, também está repleta de descrições não-físicas de Cristo que captam a nossa imaginação e emocionam as nossas almas. Ele é a luz do mundo (João 1:5); o pão da vida (João 6:32-33); a água viva que sacia a sede de nossas almas (João 4:14); o sumo sacerdote que intercede por nós junto ao Pai (Hebreus 2:17); o bom pastor que dá a vida por suas ovelhas (João 10:11, 14); o imaculado Cordeiro de Deus (Apocalipse 13: 8); o autor e consumador da nossa fé (Hebreus 12:2); o caminho, a verdade, a vida (João 14:6); e a própria imagem do Deus invisível (Colossenses 1:15). Tal Salvador é mais bonito para nós do que qualquer pedaço de papel pendurado na parede.

Em seu livro Gold Cord, a missionária Amy Carmichael fala de Preena, uma jovem índia que se converteu e viveu no seu orfanato. Preena nunca tinha visto uma imagem de Jesus; em vez disso, a senhorita Carmichael orou para que o Espírito Santo revelasse Jesus a cada uma das meninas, "pois quem, senão o Divino, pode revelar o Divino?" Um dia, Preena recebeu um pacote de um outro país. Ela abriu-o ansiosamente e tirou uma foto de Jesus. Preena inocentemente perguntou quem era, e quando lhe foi dito que era Jesus, ela explodiu em lágrimas. Perguntaram-lhe: "O que há de errado? Por que você está chorando?" A resposta da pequena Preena diz tudo: "Eu achei que ele era muito mais bonito do que aquilo" (página 151).

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

Graça e Paz

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

VENCENDO OS DESERTOS DA VIDA

Nós somos a Igreja e saímos do mundo, que é o Egito e caminhamos pelo deserto da vida. O que Israel enfrentou no deserto, nós também enfrentamos em nossa trajetória de vida rumo ao céu. O deserto é o lugar da ação de Deus na vida do Seu povo.

TRAJETÓRIA É: Uma linha descrita por um ponto material em movimento, percurso, direcionamento, caminho, via. 

ALGUNS OBSTÁCULOS QUE ISRAEL ENFRENTOU AO ATRAVESSAR O DESERTO, E QUE SE IDENTIFICAM COM A NOSSA VIDA ESPIRITUAL: 
A SEQUIDÃO - O homem sem Deus está espiritualmente seco (Lucas 11.24,25). 
OS INIMIGOS - Geralmente, no deserto encontramos o nosso inimigo espiritual (Mateus 4.1). 
A SOLIDÃO - Muitas vezes nos sentimos sós no deserto desta vida (Salmo 102.1,2). 
O CONTRASTE ATMOSFÉRICO - Durante o dia, no deserto faz 45 graus e, à noite, zero grau. A nossa vida também é variável. Algumas vezes estamos alegres, e outras vezes tristes (Pv 14.13)
A MORTE - Se desobedecermos à Palavra de Deus, certamente morreremos eternamente (Deuteronômio 30.15-17). 
TERRENO INVARIÁVEL - Ainda que andemos muitos quilômetros pelo deserto, temos a sensação de que não saímos do lugar, porque o aspecto do lugar continua o mesmo. A vida do homem sem Deus se parece com o deserto. Nada muda (Salmo 103.15,16). 

A DIREÇÃO DE DEUS ESTÁ ALICERÇADA SOBRE QUATRO FUNDAMENTOS: 
De acordo com Êxodo 13.21,22, podemos afirmar que a direção de Deus é: 
VISTA - O povo de Israel via a nuvem e a coluna de fogo. 
PERCEBIDA - O povo de Israel percebia a presença da nuvem e da coluna de fogo. 
ENTENDIDA - O povo de Israel entendia que tudo isto representava a direção de Deus. 
SENTIDA -  O povo de Israel sentia que a coluna de fogo aquecia de noite e a coluna de nuvem refrescava o calor durante o dia.

COMO O ISRAEL DE DEUS, PODEMOS CONTAR COM A DIREÇÃO DE DEUS. ALGUNS CAMINHOS POR ONDE DEUS NOS CONDUZ: 
ELE NOS CONDUZ POR MUITOS CAMINHOS QUE MUITAS VEZES NÃO ENTENDEMOS 
Israel parou de frente para o mar e estava sendo perseguido por Faraó. O povo não entendeu porque estava passando por aquela situação. Deus também faz isso conosco. 

ELE NOS CONDUZ POR UM CAMINHO QUE OS OUTROS NÃO ENTENDEM 
Faraó não entendia os caminhos de Deus para Israel. Ele pensava que este povo estava perdido no deserto (Êxodo 14.3). Os Ímpios também não entendem o caminho que trilhamos para a salvação. 

ELE NOS CONDUZ POR UM CAMINHO QUE NÃO IMAGINAMOS
O povo de Israel não imaginava que poderia passar pelo meio do mar. Deus também abre caminho para que passemos pelo meio das circunstâncias.

ELE NOS CONDUZ POR UM CAMINHO MAIS LONGO 
Deus fez o povo de Israel rodear por um caminho mais longo. Os israelitas eram escravos e não tinham experiência de guerra. Às vezes, Deus nos faz rodear em torno dos nossos objetivos  porque ainda não é tempo de realizar os nossos sonhos. 

ELE NOS CONDUZ POR UM CAMINHO SEGURO
Isto porque Deus nos faz habitar em segurança (Salmo 4.8).

ELE NOS CONDUZ POR UM CAMINHO CERTO 
Vamos chegar ao objetivo que Deus quer para as nossas vidas por meio do novo e vivo caminho que Ele mesmo nos preparou (Hebreus 10.20). 

ISRAEL PÔDE CONTAR COM A PROTEÇÃO DO SENHOR 
No deserto faz zero grau à noite, e, de dia, 45 graus. No deserto há serpentes venenosas. Mas Deus enviou uma coluna de nuvem de dia e urna coluna de fogo à noite. O crente não deve temer as perseguições do inimigo (Tiago 4.7). 

COMO O ISRAEL DE DEUS, PODEMOS CONTAR COM O SUSTENTO DO SENHOR. DEUS: 

MANDOU O MANA PARA ISRAEL DURANTE OS 40 ANOS NO DESERTO 
Podemos contar com o sustento de Deus na área material, pois todos nós esperamos dEle o nosso sustento (Salmo 104.27- 29). 
FEZ JORRAR ÁGUA DA ROCHA PARA SACIAR A SEDE DO SEU POVO
Deus também nos sustenta emocionalmente (2 Coríntios 1.3,4; 7.5,6). 

PROTEGEU O SEU POVO COM UMA COLUNA DE NUVEM DE DIA, E UMA COLUNA DE FOGO À NOITE.

Todos esperamos o sustento de Deus no tempo oportuno (Salmo 104.27,28). Deus também nos sustenta espiritualmente (Mateus 4.4).

COMO O ISRAEL DE DEUS, PODEMOS CONTAR COM OS MILAGRES DE DEUS 
Os milagres estão sustentados sobre quatro pilares: 
O MILAGRE É ESPANTOSO 
São fatos extraordinários. Por exemplo: a abertura do mar Vermelho
O MILAGRE É INCOMUM 
São fatos que não acontecem a todo momento. Por exemplo: o maná que caía do céu
O MILAGRE É UMA EXPERIÊNCIA INÉDITA 
São fatos nunca vistos. Por exemplo: o povo caminhar pelo meio do mar
O MILAGRE É INEXPLICÁVEL 
São fatos que não podem ser explicados racionalmente. Por exemplo: as muralhas de água de ambos os lados (Êxodo 14.22b). 

O QUE É MILAGRE 
Não confundamos cura divina com milagre, se bem que têm havido curas em circunstâncias tão adversas que alcançam a dimensão do milagre. Podemos ser afetados por algum tipo de problema físico que o médico pode operar-nos e sermos curados, ou também podemos ser curados por Jesus. Porém, milagres somente o Senhor poderá fazer.

COMO O ISRAEL DE DEUS, PODEMOS CONTAR COM A REVELAÇÃO DE DEUS 
ELE REVELOU AO SEU POVO: 
A LEI (ÊXODO 34.1-4); O TABERNÁCULO (ÊXODO 25.1-9). 
ELE NOS REVELA A SUA VONTADE: 
Por meio de sonhos (Mateus 2.22);  Por meio de visões (Atos 9.11,12; 2 Coríntios 12.1); Por meio de profecias (Atos 21.10,11). 

COMO O ISRAEL DE DEUS, PODEMOS CONTAR COM A VITÓRIA DE DEUS 

Enquanto andou na presença de Deus, Israel foi vitorioso. Entre tantos outros inimigos, o povo de Deus venceu: 

Os egípcios (Êxodo 14.30); Os cananeus (7osué 10.40; 11.11,12); Jericó, Ai, e mais cinco reis (Êxodo 10.1 -21). 

Assim como deu vitória a Israel, Deus também dá vitória à Igreja de Cristo sobre os problemas em todas as áreas de sua vida.

A salvação compreende três estágios: livrarmo-nos do Egito, caminharmos vigilantes no deserto e chegarmos a Canaã. No céu, veremos Jesus como Ele é.

Se quisermos fazer do deserto a nossa morada, a nossa trajetória será de murmuração, derrotas e de morte. Se o nosso coração estiver no Egito, nunca chegaremos a Canaã. Porém, se o nosso coração estiver firmado nas promessas de Deus, não terá deserto que nos paralise

Transcrito Por Litrazini

Graça e Paz