terça-feira, 6 de novembro de 2018

QUEM É CHEIO DO ESPÍRITO SANTO VIVE:

FALANDO ENTRE VÓS. Ef.5.19 - O primeiro sinal da plenitude do Espírito Santo é a comunhão.  É a capacidade de falar uns aos outros em amor. Esse é um paralelo interessante com Atos 2. Segundo o Pr David Alencar em Atos 2 eles falavam línguas estranhas para poder falar uns aos outros, para falar ao coração uns dos outros, eles possuíam línguas e culturas diferentes, porém hoje não precisamos falar línguas estranhas para isso, porém, precisamos aprender a falar ao coração do nosso irmão, ministrar sobre ele a palavra de Deus. A plenitude do Espírito Santo não é tanto uma experiência mística e particular mas sim um relacionamento moral com Deus e com as pessoas ao nosso redor (Stott).

Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração;

ADORANDO DE TODO CORAÇÃO.  Ef.5.19
O Espírito Santo veio para glorificar a Jesus e uma pessoa cheia do Espírito terá uma postura de louvor e adoração. Paulo afirma que uma pessoa cheia do Espírito louvará o Senhor de todo o coração. O louvor aqui não deve ser entendido apenas como música mas toda e qualquer manifestação de louvor.

AGRADECENDO POR TUDO. – Ef.5.20
Stott diz que alguns crentes dão graças a Deus por algumas coisas, mas o cheio do Espírito Santo agradece sempre. A murmuração é um pecado que está ligado a descrença, porém o cheio do Espírito Santo sabe que não mais se pertence e sim pertence a Cristo e sabe que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.

SUJEITANDO POR AMOR DE CRISTO. Ef. 5.21
A submissão é tão importante que o verbo aparece trinta e duas vezes no NT. Parece-nos que a marca registrada do cristão cheio do Espírito Santo é a submissão a Deus e às autoridades constituídas, tudo porque um cristão cheio do Espírito Santo não será levado por esse Espírito a se opor à autoridade levantada pelo mesmo Espírito.

Todo o cristão cheio do Espírito Santo vê a rebelião e insubordinação da mesma forma como Deus vê. Para o Senhor Deus rebelião é igual ao pecado de feitiçaria, rebelião é obra de Satanás, é o inicio do caos.

Porém o principio de Paulo aqui ensinado como evidência da plenitude do Espírito Santo não é a submissão às autoridades e sim a submissão mútua, de uns para com os outros.

Com isso não queremos dizer que devemos nos calar quando um princípio moral ou teológico está em jogo, Paulo deu um destacado exemplo de firmeza diante de Pedro numa confrontação pública e direta em Antioquia. Stott afirma que devemos tomar cuidado para que nossa firmeza aparente não seja uma exibição desagradável de orgulho e rebeldia. O teste é se essa submissão é feita no amor de Cristo. Nossa submissão é a Cristo e devemos ser submissos aos outros até o ponto em que ela não implicar deslealdade a Cristo.

Ronaldo Perini

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário