domingo, 27 de janeiro de 2019

SOFRIMENTO E CANÇÃO


Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. (Is 53.4)

Para os cristãos é fundamental a importância do salmo 22. no Novo Testamento ele é citado várias vezes, sempre se referindo a Jesus Cristo (Mt 27.46; Mc 15.34; Hb 2.12). Este salmo é conectado a Isaias 53 ao destacar o Messias sofredor. Possui duas partes; a primeira descreve sofrimentos dolorosos (1-21), e a segunda expressa uma esperança triunfante, (Sl.22-31).

SOFRIMENTO DOLOROSOS:
As palavras iniciais deste Salmo, tem sido inscritas de maneira indelável na memória do povo cristão, por estas se constituírem no grito de solidão que Jesus pronunciou na cruz (Mt 27.46; Mc 15.34) Eloi, Eloi lamá sabactâni” Quando a fé do salmista se sentia sitiada pela desesperança, ele dirigia o seu grito a Deus, expressando sofrimento e abandono.

Davi o autor do Salmo 22, nunca passou por semelhante experiência, mas as palavras que ele escreveu profetizavam aquilo que aconteceria ao Messias, descendente de Davi.

Deus as vezes parece que se esconde de seus filhos, sua ajuda parece estar distante, o socorro parece demorar, porém a fé insiste em clamar apesar da aparente indiferença. Este clamor (bramido) sugere um rugido como de um leão, face a aflição em que se grita o sofredor.

no meio de suas provas o salmista recorda momentos felizes da infância. A mão de Deus esteve sobre ele desde o princípio da vida (vs 9-10), e tu nãos vais me abandonar agora. Então o grito do versículo 1 se transforma em  agora em oração de intensa emoção: “não te distancies de mim...”

UMA ESPERANÇA TRIUNFANTE (Sl.22.31):

“A meus irmãos declararei o teu nome” Este versículo se aplica a Cristo em relação com seu povo santificado  (Hb 2.11-12). Assim como a oração do salmista tinha sido pública; também o seu louvor deve ser manifesto diante de todos os homens.

a exortação de adorar a seus irmãos é que temam, louve-no e glorifique a Deus. Alternando o discurso dirigido a Deus, com exortações ao povo, ele  afirma sua intenção de louvar a Deus diante da grande congregação. O texto hebreu declara literalmente”de ti será o meu louvor ”Deus é tanto o objeto como a fonte de louvor do seu povo.

“meus votos pagarei” significa trazer a Deus a oferenda de gratidão que lhe foram prometidas em momentos de conflitos, segundo o procedimento descrito em Levítico capítulo 3. (sacrifícios pacíficos), onde o povo participa no gozo da liberação comendo a carne da vítima do sacrificado.

em sua própria libertação o autor antevê a redenção prevista para toda a humanidade ‘perante ele se prostrarão todas as famílias das nações” (ap 11.15).

A posteridade o servirá ou seja se falará do Senhor nas gerações futuras, eles virão e contarão de sua justiça aos povos que não haviam nascido, “porque foi Ele que o fez” e continua fazendo.

A seriedade do pecado é revelada pelas medidas drásticas que Deus tinha que tomar contra ele. A cruz de Cristo foi a cura caríssima que revela a gravidade do estado de enfermidade espiritual. O Santo veio habitar entre os homens, e eles rejeitaram-no, desprezaram-no, zombaram dele, e pregaram-no na cruz, porém, é também a revelação da misericórdia de Deus.

Cristo não morreu como alguém vencido pela morte; morreu vitorioso contra as forças do malígno, conforme o plano de Deus

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário