sábado, 5 de junho de 2021

OS OFÍCIOS DE CRISTO

 CRISTO O PROFETA – O profeta no AT era o representante ou agente de Deus na terra, que revelava sua vontade com relação ao presente e ao futuro.

O testemunho dos profetas dizia que o Messias seria um profeta para iluminar Israel e as nações (Is 42.1; Rm 15.8).

Os Evangelhos também apresentam Jesus da mesma forma, como profeta. (Mc 1.27; 6.4,15; Jo 4.19; 6.14; 9.17).

Como profeta Jesus: Pregou a salvação, anunciou o Reino (Mt 4.17), predisse o futuro (Mt 24-25).

CRISTO O SACERDOTE – Sacerdote no sentido bíblico é uma pessoa divinamente consagrada para representar o homem diante de Deus e para oferecer sacrifícios que assegurarão o favor divino. (Hb 8.3).

No calvário, Cristo o sacerdote, se ofereceu a si mesmo, o sacrifício para assegurar o perdão do homem e sua aceitação diante de Deus. Sua vida anterior a este acontecimento foi uma preparação para sua obra sacerdotal.

O filho eterno participou de nossa natureza (Hb 2.14-16) e de nossas experiências, porque de outra maneira não poderia socorrer a humanidade tentada, sem saber por experiência o que a tentação significava.

Um sacerdote, portanto, deveria ser de natureza humana. Um anjo por exemplo não poderia ser um sacerdote.

CRISTO O REI – De acordo com as profecias do AT., o Messias seria o grande Rei da casa de Davi que governaria Israel e as nações, através do seu reino áureo de: justiça, paz e prosperidade. (Is 11.1-9; Sl 72). Jesus afirmou ser esse Rei.

Na presença de Pilatos ele testificou que nasceu para ser rei; explicou que seu reino não era desse mundo, isto é, não seria um reino fundado por força humana e nem seria governado de acordo com as ideias humanas (Jo 18.36).

Antes de sua morte Jesus predisse sua vinda com poder e majestade para julgar as nações (Mt 25.31).

Mesmo pendurado na cruz, ele parecia com Rei e como Rei falava, de sorte que o ladrão moribundo percebeu este fato e clamou: “Senhor lembre-Te de mim quando entrares no teu reino” (Lc 23.42).

Depois de sua ressurreição Jesus declarou: “É me dado todo poder no céu e na terra” (Mt 28.18).

Depois de sua ascensão foi cercado e entronizado com o Pai. (Ap 3.21; Ef 1.20-22).

Isso significa que diante de Deus, Jesus é Rei. Ele não somente é cabeça da Igreja, mas Senhor de todo o mundo. O Mestre dos homens. A terra é dele e tudo o que nela há. Cristo é o Rei e Senhor de todo o mundo e possuidor de todas as suas riquezas.

“Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber poder, riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor” (Ap. 5.12)

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

Nenhum comentário:

Postar um comentário