quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

QUEM É D E U S ?


O homem está sempre buscando explicações que provem a existência de Deus, porém não há provas que satisfaçam o incrédulo.

A Bíblia não se preocupa em apresentar “provas” da existência de Deus. Ela simplesmente reconhece a Sua existência, principalmente como “Deus Criador”. Gênesis 1.1 – “No principio criou Deus os céus e a terra”.

Qualquer definição humana para Deus é sempre limitada, pois Ele é infinito e nós todos, finitos.

A origem do nome de Deus ocorreu quando, Deus se apresentou a Moisés, no deserto de Midiã, Ele disse de si mesmo: “Eu sou o que sou” – (Êxodo 3.13 a 15). Isto significa que a Fé Bíblica afirma que Deus existe por si só, Único, Perfeito, Infinito, Imutável e Eterno, Todo poderoso Onisciente e Onipresente. Ele é origem, sustento e fim de todas as coisas.

A Bíblia afirma que Deus é Pai, Filho e Espírito Santo, ao mesmo tempo. Por isso damos o nome de “Trindade”. Apesar desta expressão não estar nas Escrituras, a verdade da Trindade está nela contida, claramente.

A TRINDADE em Mateus 3.16 e 17 que diz: “E sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. Eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. Aparecem aqui as três pessoas da divindade. 1.Jesus = Homem ; 2. Espírito Santo = Pomba; 3. Deus Pai = Voz

Mateus 28.19 – “Portanto, ide e fazei discípulos de todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

Como Paulo abençoava as Igrejas no passado? “A graça do Senhor Jesus Cristo e o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com vós todos” (II Coríntios 13.13)
Leia, ainda, Gênesis 1.1 a 3 com João (Evangelho) 1.1 a 3 e verifique que Deus é o Criador, Jesus Cristo–A Palavra, participava da obra da criação; e o Espírito Santo se movia por cima das águas(Gênesis.1.2)

Podemos ilustrar a Trindade, de forma bem simples usando a figura do homem: corpo, alma e espírito, ou mesmo a água que é encontrada no estado sólido, líquido e gasoso.

A doutrina da criação é baseada na fé e não nas conclusões da razão humana, ou nas provas científicas. A Doutrina não é contra a razão, nem contra a ciência; todavia, em Apocalipse 4.11 lemos: “Digno é o Senhor, de receber glória, e honra, e poder, porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas”.

A FÉ CRISTÃ TEM AFIRMADO QUATRO VERDADES SOBRE DEUS CRIADOR:
1)- QUE DEUS CRIOU O UNIVERSO DO NADA: “Pela Fé entendemos que o universo foi formado pela Palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.”(Hebreus 11.3)

2)- QUE DEUS CRIOU O UNIVERSO EM 6 DIAS“E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã: o dia sexto”(Gênesis 1.31).:

3)- QUE DEUS CRIOU O UNIVERSO PARA A SUA PRÓPRIA GLÓRIA“Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis” (Romanos 1.20).

4)- QUE DEUS CRIOU O UNIVERSO, “Tudo muito bom”: “E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã: o dia sexto”(Gênesis 1.31), outros textos Gênesis 1.10,12,18,21,25.

Lidiomar T. Granatti / Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

SOU COMO PELICANO NO DESERTO


Sou como o pelicano no deserto” (Salmo 102.6a).

Vocês já se sentiram deslocados em algum ambiente?’

Ao meditar no salmo 102 percebi que ele trata exatamente disso. O salmista está deslocado, se sente fora de seu habitat e declara: “sou como o pelicano no deserto” v.6.

O pelicano é encontrado na Europa, Ásia e na África, seu papo serve essencialmente para pescar e conduzir uma quantidade significativa de peixes, sua comida principal. O pelicano é uma ave marítima e não sobreviveria no deserto, pois sua principal fonte de alimento é o mar.

O salmista se compara ao pelicano no deserto e a coruja nas ruínas.

O que leva uma pessoa se comparar a pássaros como estes e em tais condições?

Provavelmente ele estava apresentando seus sofrimentos e transtornos emocionais. Sentia-se separado de Deus, abandonado por Ele, desolado e rejeitado. Embora sondasse o horizonte em busca de ajuda, só conseguia enxergar ruínas e esterilidade. Como a coruja, pássaro solitário, ele se sentia sozinho e sem esperança.

O autor suplica que Deus o ouça, solicita que Deus se incline para ouvi-lo. O que pode fazer com que Deus não nos ouça?

O v.10 pode ser a resposta, ele diz que já esteve muito bem, em posição elevada, mas agora está abatido e inferiorizado.

A natureza humana é em si mesma soberba, auto-suficiente. Quando tudo vai bem é fácil esquecer-se daquele que nos levantou. Quem não conhece história de pessoas que pisaram em outras quando em situação privilegiada.

O orgulho é uma razão que leva Deus não atender nossas orações. Em Tiago 4.6 lemos que Deus está pronto a ajudar os humildes de espírito, não soberbos. Irreverência (Sl.50.21), egoísmo (Tg.4.3), pecado (Is.59.1, 2), incredulidade (1Pe.3.7) são outros motivos que impedem o Senhor de nos ouvir, tornam nossas orações ineficientes.

Na verdade é impossível que Deus não nos ouça, “o que fez o ouvido, acaso, não ouvirá? (Sl.94.9); embora a linguagem bíblica retrata Deus como se estivesse surdo é apenas uma maneira figurada para dizer que o Senhor nem sempre atende nossos pedidos como gostaríamos.

A razão do salmista se sentir deslocado é porque ele se distanciou de Deus pelo pecado. A bíblia diz: Pois são os pecados de vocês que os separam do seu Deus, são as suas maldades que fazem com que ele se esconda de vocês e não atenda as suas orações (Isaías 59.2).

Será que você não está se sentido fora de seu ambiente?

Será que você não percebe que seu lugar é ao lado de Deus?

Revise sua postura, ‘cheguem perto de Deus, e ele chegará perto de vocês. Lavem as mãos, pecadores! Limpem o coração...’ (Tg.4.8). Seu lugar é ao lado de Deus, em Deus há fartura de alimento para sua alma e espírito.

Por favor, leia os textos a seguir em voz alta para que você ouça o próprio Deus:

‘Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede’(João 6:35).‘

Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora’ (João 6:37).

‘Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim’ (João 6:45).

Longe de Deus nos sentiremos como pelicano no deserto, prestes a morrer. Mas, com nossas vidas em suas mãos nos sentiremos seguros como pássaros junto a seu bando.

Com Deus Cantaremos o canto dos vitoriosos e não o lamento dos desolados.

Pr. Luiz Carlos Leite

Por Litrazini
Graça e Paz

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

DESCOBRINDO O SEU PAPEL NA OBRA DO SENHOR


A manifestação do Espírito Santo em nós, nos capacitando com poder de Deus para realizar uma tarefa segundo a sua vontade é designada como dons espirituais, ocorre entre o nosso espírito e o Espírito de Deus. Não podemos confundir dons do Espírito Santo com habilidades naturais. Habilidade é a capacidade natural que cada um de nós tem, está ligada a aptidão; para ser um bom médico cirurgião é necessário aptidão.

Nossas dádivas divinas, ou dons espirituais, não nos são dadas para que as retenhamos conosco. São nossas para que as usemos no sentido de promover o reino de Deus no mundo presente.

Os dons espirituais são concedidos pelo Espírito Santo de Deus, É ele quem decide quem recebe os dons, os distribui como quer. Aquele que não conhece os seus dons, não é porque Deus não lhe deu, é simplesmente porque ainda não os descobriu; Em 1Co.12.4,7 lemos: “Ora, os dons são diversos... mas a manifestação do Espírito é concedida a cada um, visando a um fim proveitoso”

O apóstolo Paulo diz em Ef. 4.12, que o propósito dos dons espirituais é “O aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo”. Se não executarmos nossa tarefa, seremos repreendidos diante do trono de Deus: “Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o bem ou mal que tiver feito por meio do corpo” 2.Co.5.10.

Os dons espirituais são concedidos pelo Espírito gratuitamente a todo membro do corpo de Cristo e para a edificação da igreja: “Servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus Se alguém fala, fale como entregando oráculos de Deus; se alguém ministra, ministre segundo a força que Deus concede; para que em tudo Deus seja glorificado por meio de Jesus Cristo, a quem pertencem a glória e o domínio para todo o sempre. Amém." I Pd 4.10, 11.

Toda afirmações significativa no Novo Testamento sobre os dons, esta relacionada ao Corpo de Cristo e à sua edificação.

Os dons espirituais não são dados apenas para a edificação de cada membro individualmente, mais para o bem de todos. Isto significa que:
1) Deus não nos dá dons como recompensa pela firmeza de caráter ou maturidade espiritual mas somente em virtude da sua graça: “De modo que, tendo diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé”-Rm 12.06.
2) Dons espirituais não são recompensa por nossa fidelidade especial na caminhada da fé. Dons espirituais são distribuídos por Deus de acordo como Ele acha correto
NOSSAS ATITUDES EM RELAÇÃO AOS DONS DO ESPÍRITO SANTO:
A) NÃO SERMOS IGNORANTES como Paulo cita em I Co 12.1: “Ora, a respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes”.
B) NÃO SERMOS NEGLIGENTES, lemos em 1Tm.4.14: “Não negligencies o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbítero”.
C) DESEJÁ-LOS, vemos em I Co 12.31: “Mas procurai com zelo os maiores dons...”
D) REAVIVÁ-LOS conforme II Tm 1.6:”Reaviva o dom de Deus que há em ti”
Podemos receber os dons do Espírito Santo quando
a) Recebendo o Doador dos dons, o Espírito Santo: “E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem” - At 2.4.
b) Como apraz o Espírito Santo: “Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, distribuindo particularmente a cada um como quer”- I Co 12.11.
c) Procurando, com zelo, os melhores dons: “Mas procurai com zelo os maiores dons. Ademais, eu vos mostrarei um caminho sobremodo excelente”- I Co 12.3.
d) Pela imposição de mãos e profecia: “Não negligencies o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbítero”- I Tm 4.14.
Não devemos ter receios de recebermos menos do que a promessa de Deus: “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?”- Lc 11.13.

Se você ainda não descobriu o dom que o Espírito Santo te concedeu, busque o, ele facilitara o seu trabalho na obra do Senhor.

Se você já conhece o dom concedido pelo Espírito Santo do Senhor, administre o com graça, sabedoria, discernimento e temor.

Lidiomar T. Granatti /  Litrazini
Graça e Paz

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

BISTURIS ENFERRUJADOS


Deus pode usar um homem espiritualmente fraco para efetuar uma cura.

Em situação emergencial, o médico pode fazer uma intervenção cirúrgica usando uma caneta ou um bisturi enferrujado.

Na verdade, não somos canais perfeitos nas mãos de Deus. E, todos, somos usados por Deus para abençoar as pessoas e até curá-las.

As pessoas sobre as quais Jesus se referiu - Mt 7.22,23 - são as que passaram da linha vermelha, não se arrependeram de suas transgressões, resistiram até o fim da vida aos apelos do Espírito do Senhor, e, então, na morte, receberam o merecido castigo.

Deus operou milagres através delas; elas profetizaram e expulsaram demônios; foram "bisturis enferrujados'” usados por Deus, mas não vigiaram nem oraram, e caíram em desgraça.

É impossível que a expulsão de demônios, praticada por elas, tenha sido obra de Satanás: "E se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo" (Mt 12.26).

Deus cura a quem ele quer curar. Pode até curar um ímpio e não curar um crente, tudo conforme Seu propósito e soberana vontade.

O sofrimento nem sempre é algo ruim aos olhos de Deus.

É um meio de alcançar graça, de apressar a reconciliação, de se fortalecer em oração, de buscar mais o Senhor, de se distanciar mais do pecado, de buscar mais santidade e perfeição.

Deus castiga e repreende aquela a quem ama. Qualquer tipo de castigo é sofrimento. Uma dor de dente é um sofrimento.

Há vários aspectos a considerar sobre esse tema.

Quando batemos em nosso filho, estamos fazendo-o sofrer.

Que tal o sofrimento de uma nação inteira, por 70 anos vivendo em terras estranhas, numa cultura diferente?

Foi isto que Deus fez com seu povo.

Muitas pessoas foram salvas em meio a intenso sofrimento.

Não é que Deus tenha prazer nisso; é que Ele sabe que é um meio eficaz.

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini
Graça e Paz

domingo, 24 de fevereiro de 2019

EM BUSCA DO CRESCIMENTO ESPIRITUAL


Se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. (1 Coríntios 5.17)

O ponto de partida para o crescimento espiritual é a transformação de vida pelo poder do evangelho. Para isso, é preciso ter arrependimento, fé e conversão.

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham, assim, os tempos do refrigério pela presença do Senhor (Atos 3.19).

Pela graça sois salvos, por meio da fé (Efésios 2.8). A fé é a condição para que você possa chegar a Deus. Quando alguém entrega sua vida a Cristo por arrepender-se dos pecados e crer que Jesus é o Salvador, então se converte aos princípios do evangelho, gerando uma mudança radical, que a Bíblia chama de novo nascimento (João 3.4-6).

Como é que a gente sabe se alguém teve um encontro real com Cristo e foi transformado em nova criatura?
Não é por causa do terno e da gravada nem da Bíblia debaixo do braço; é pela transformação: um novo pensar, um novo sentir e um novo agir. Se a pessoa não mudar a mentalidade, não pode ter seus sentimentos e suas atitudes mudados. Se houver um novo modo de pensar, haverá mudanças de sentimentos. O ódio, a mágoa e a vingança dão lugar ao amor, ao perdão e à bondade. Com a mudança do modo de pensar e de sentir, ocorre a mudança de atitude. Sem isso, não há transformação na vida, porque o evangelho modifica as crenças e os valores do ser humano – isto é o ponto de partida para um crescimento espiritual.

Para que você possa ter um crescimento real, sem anomalias, deve crescer proporcionalmente na graça e no conhecimento (2 Pedro 3.18), usando os meios disponíveis – a oração, a leitura da Palavra, a comunhão com o Corpo de Cristo, a evangelização, as experiências com Deus no dia a dia e a mordomia, o serviço cristão – para aproximar-se de Deus e ser transformado por Ele.

Em Colossenses 3.1-15, vemos algumas etapas do processo de crescimento espiritual. Já no versículo 1, Paulo diz: Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima. Para ressuscitar com Cristo, é necessário morrer para o pecado e para o mundo. Depois, é preciso buscar e pensar nas coisas que são de cima (v.1,2). É assim que é iniciado o processo, pelo que domina a mente. Então, vem as etapas seguintes: fazer morrer os desejos da carne (v. 5) e revestir-se de entranhas de misericórdia, benignidade, humanidade, mansidão, longanimidade (v. 13).

Deus, por intermédio de Seu Espírito, ajuda-nos, mas é a decisão de entregar-se a esse processo é nossa. O cristão precisa despir-se do velho homem e amar com amor genuíno, sacrificial. Ele tem de arrancar defeitos e plantar virtudes divinas no coração. Caso contrário, poderá atrapalhar seu crescimento espiritual. Se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis (Romanos 8.13).

Para que não sejamos meninos inconstantes, levados por todo vento de doutrina, Paulo mostrou a importância de alcançar um padrão elevado na vida espiritual, a unidade da fé, o conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, a medida da estatura completa de Cristo (Efésios 4.13). Este é o último estágio de crescimento do cristão; é alcançar imagem gloriosa de Cristo.

João lembrou: Agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos (1 João 3.2). Chegará o dia em que seremos espiritualmente semelhantes a Cristo e viveremos no céu, num lugar onde não haverá mais pecado, erro, dor, doença, morte, na presença de Deus. Então, veremos Jesus como Ele é.

Vale a pena buscar o crescimento espiritual e participar de todo este processo de amadurecimento cristão, mesmo que haja percalços e pressão do diabo. Seja firme, constante e abundante na obra do Senhor. Almeje ser a cada dia um crente melhor. Se cair, saiba que Deus irá levantá-lo, sustentá-lo e elevá-lo a patamares superiores.

Mas lembre-se de que Deus não nos dá algo porque acha que somos mais bonitos ou mais educados do que outros irmãos. Existem níveis, etapas, que eu e você temos de esforçar-nos para alcançá-los. Vamos, então, crescer para que o nome do Altíssimo seja louvado e engrandecido em nossa vida e por meio dela. É tempo de crescer! Receba esta palavra e que o Senhor o abençoe e o faça prosperar em todas as áreas!

Pr Silas Malafaia

Por Litrazini
Graça e Paz

sábado, 23 de fevereiro de 2019

A TRAGÉDIA NÃO É O FIM


 A Bíblia conta em 2 Samuel 9 a história de Mefibosete. Sua vida foi cheia de tragédias. Quando ele tinha cinco anos, mataram seu avô; no mesmo dia, mataram seu pai. Como se não bastasse, a babá, querendo protegê-lo, o pegou nos braços e saiu correndo para escondê-lo. Ao fazer isto, ela tropeçou e deixou o menino cair no chão. Ele quebrou as duas pernas e nunca mais andou.


Mefibosete foi então escondido. Quem o escondeu pensava estar protegendo-o do novo rei, Davi. Pois pensava que Davi queria matá-lo por ser Mefibosete o herdeiro do trono. Mefibosete, que nascera para ser um príncipe, morar no palácio, e desfrutar de uma vida formidável, vivia escondido numa casa emprestada, que não era sua, solitário e sem comunicação.

No entanto, Davi, o rei, fizera uma aliança com o pai de Mefibosete, Jônatas, e prometera cuidar e proteger todos os seus descendentes. Mefibosete, por pensar que Davi o procurava para o mal, mais se escondia.

Quando Davi o descobriu, mandou um dos seus servos buscá-lo. Ziba foi ao encontro de Mefibosete e o carregou nos braços de volta ao palácio.

Davi restaurou a vida de Mefibosete e lhe devolveu tudo o que ele tinha direito. Mefibosete passou a viver lado a lado com o rei.

Todas as nossas tragédias fazem com que nos escondamos também. Pensamos que o Supremo Rei nos abandonou e ficamos com medo ou raiva, não entendendo porque este Rei amoroso permite que coisas horrendas nos aconteçam.

O grande Rei fez uma aliança com seu filho Jesus. Ele também prometeu cuidar de você. Ele enviou o Espírito Santo para nos achar, buscar e trazer para o seu palácio. Em sua presença todas as nossas dores são curadas, nossos sonhos são realizados, nossas amarguras dissipadas, e nossas lágrimas enxugadas.

Não posso explicar porque tragédias acontecem com gente boa. Alguns dizem que é o destino, não creio; outros dizem que é castigo, mas que mal fez Jesus para morrer na cruz? Ainda outros dizem que estamos sendo purificados.

A verdade é que muitos de nossos sofrimentos não têm explicação plausível.

O que posso afirmar com segurança é que o Rei está a sua procura. Ele quer abraçar-lhe, cuidar de você, realizar seus sonhos, e mudar sua história.

Nenhuma tragédia é final. Tudo pode ser mudado. Quando cremos nisto, quando mantemos a esperança viva, quando não desistimos da vida, quando aceitamos o amor de Deus, temos as forças renovadas.

Como ministrar a outros se nos sentimos feridos?
Do mesmo modo que Jesus salvou o mundo através de suas chagas. Pois se o grão de trigo não morrer fica ele só, mas ao morrer o grão de trigo produz muitos grãos.

Assim podemos consolar os outros com as mesmas consolações com que fomos consolados. O poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza.

Creia, a partir de você uma história de paz, amor, vida, e esperança começa a ser escrita. A tragédia não é o fim.

Dr. Silmar Coelho

Por Litrazini
Graça e Paz

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

FECHANDO AS CORTINAS DA VIDA


Paulo foi o maior pastor, teólogo, missionário e plantador de igrejas da história do cristianismo. Ele plantou igrejas nas províncias da Galácia, Macedônia, Acaia e Ásia Menor. Ele enfrentou açoites, prisões, naufrágios e apedrejamento, mas jamais perdeu a doçura nem deixou de glorificar a Deus no sofrimento.

Em 2 Timóteo 4.6-18, Paulo fala que seu passado foi marcado por combate, perseverança e fidelidade (2Tm 4.7). Ao enfrentar seu presente, afirma que não é Nero que vai lhe matar, mas ele é quem vai se entregar (2Tm 4.6). Ao vislumbrar seu futuro, está seguro de que a recompensa divina já está preparada para ele.

Paulo está no corredor da morte, na ante-sala do martírio. Está fechando as cortinas da vida numa masmorra úmida, fria e insalubre. Não havia mais esperança de liberdade. Deus não o pouparia mais da morte, mas o libertaria através da morte. É nesse contexto que o veterano apóstolo compartilha conosco seus sentimentos.

O QUE PAULO ESTAVA SENTINDO NA PRISÃO, ANTES DO SEU MARTÍRIO?
1. O DRAMA DA SOLIDÃO (2Tm 4.9,11,21).
Paulo não está apenas preso, mas também só. Ele precisa de Deus, mas também de gente ao seu lado. Por isso, roga a Timóteo para vir estar com ele. Pede a Timóteo para trazer Marcos, o mesmo Marcos que ele um dia dispensara. Paulo anseia por comunhão e relacionamento. Deseja ter alguém do seu lado antes de morrer.
Gente precisa de Deus, mas gente também precisa de gente.

2. O DRAMA DO ABANDONO (2Tm 4.10).
Paulo diz que Demas, por ter amado o presente século, o havia abandonado. Aquele que um dia caminhara com ele e fora seu cooperador, agora abandona suas fileiras. Quando mais Paulo precisa de ajuda e companheirismo, Demas o deixa só. Quando mais Paulo está focado no céu, ansiando pela era por vir, Demas ama o presente século e dá as costas para Deus.

3. O DRAMA DA TRAIÇÃO (2Tm 4.14,15).
Paulo enfrenta no final da vida a amarga realidade da traição. Alexandre, o latoeiro causou-lhe muitos males. Os estudiosos afirmam que foi esse indivíduo que delatou o apóstolo Paulo, culminando em sua segunda prisão e consequente martírio. Alexandre não perseguiu apenas o pregador, mas também a pregação. Ele atacou não apenas o mensageiro, mas também a mensagem. Mesmo o maior missionário da igreja cristã, não é poupado de enfrentar, já no final da vida, a dolorosa realidade da traição.

4. O DRAMA DA PRIVAÇÃO (2Tm 4.13).
Paulo foi o maior líder da igreja cristã no primeiro século. Nenhum imperador exerceu tanta influência na história como ele. Mas esse homem chega ao final da vida sem aposentadoria, sem casa para morar nem mesmo roupa para vestir. Ele pede a Timóteo para trazer-lhe seus livros, pergaminhos e até mesmo a capa. O inverno estava chegando e ele não suportaria as baixas temperaturas de Roma enfurnado naquela gélida masmorra. Paulo não tem luxo e está privado até mesmo das coisas essenciais.

5. O DRAMA DA INGRATIDÃO (2Tm 4.16).
O velho apóstolo enfrenta mais um golpe doloroso no final da vida. Na sua primeira defesa, ninguém foi a seu favor, antes todos o abandonaram. Aquele que investira sua vida na vida dos outros, agora quando precisa de uma palavra a seu favor, vê a sala da audiência vazia, pois todos o haviam abandonado. Antes de sentir-se desolado com a ingratidão dos homens, Paulo afirma que Deus o assistiu e o revestiu de forças.

Antes de tombar no cadafalso romano, o veterano apóstolo ergue os olhos aos céus, e diz: “Ao Senhor Jesus seja a glória pelos séculos dos séculos”.

Hernandes Dias Lopes

Por Litrazini
Graça e Paz

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

AINDA HÁ ESPERANÇA!


“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor”.I Co. 13:13

Na cultura brasileira existe um dito popular que diz que 'a esperança é a última que morre'. Na verdade este dito contraria o princípio bíblico ICoríntios 13:13, que nos diz que a esperança não morre, mas permanece para sempre.

É bem verdade que muitas vezes passamos por situações para as quais parece não haver mais esperança... situações onde nos encontramos num “beco sem saída”.

Nessas horas de tribulação, de provação e até mesmo de angústia e desespero, as circunstâncias parecem ser maiores que nós, e sentimo-nos derrotados, fracassados, impotentes e sem esperança.

Foi assim com Jairo, quando recebeu a notícia de que era tarde demais, sua única filha havia morrido, e já não valia a pena Jesus ir até ela (Marcos 5:35).

Foi assim com Marta, quando seu irmão Lázaro adoeceu e morreu quatro dias antes de Jesus chegar a Betânia (João 11:17).

Foi assim com Jó, quando ele perdeu tudo o que tinha – bens, filhos e filhas, saúde, reputação (Jó 1 e 2) – numa sucessão de perdas quando até mesmo sua esposa e seus amigos se voltaram contra ele.

Mas até mesmo nessas situações tão extremas, a guerra não estava perdida. Talvez ao longo da nossa caminhada com Deus, nós percamos algumas batalhas, mas nunca a guerra!

O nosso general é Cristo... é Ele quem peleja por nós e nos dá a vitória. Jesus Cristo - a esperança da glória! É nEle que devemos colocar a nossa esperança e a nossa fé!

Assim como Jairo, Marta e Jó, devemos colocar nossa fé no Senhor e crer que nem tudo está perdido, e que apesar da adversidade das circunstâncias, ainda há esperança.

“Porque há esperança para a árvore, pois mesmo cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus rebentos. Se envelhecer na terra a sua raiz, e no chão morrer o seu tronco, ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como planta nova”(Jó 14:7-9).

Sim, devemos crer que ao cheiro das águas, viverá e dará frutos! Uma pequena fé num Deus grande… firmados na promessa de que 'seremos como árvore plantada junto a corrente de águas que, no devido tempo dá o seu fruto, cuja folhagem não murcha, e tudo quanto fizermos será bem sucedido' (Salmo 1:3).

O Senhor está no controle. Ele tem um plano, e assim como Ele disse a Jairo, hoje Ele diz a você e a mim: "Não tenhas medo, confia em mim". Crer e confiar.

E Jesus ordenou à filha de Jairo que se levantasse, e a menina logo saltou e começou a andar. Ainda há esperança! Marta sabia disso quando disse: “Senhor, se cá estivesses, o meu irmão não teria morrido. Mas eu sei que mesmo agora não é tarde demais, pois tudo o que pedires a Deus ele te dará" (João 11:20).

Há um propósito para todas as coisas, inclusive para as nossas provações. Portanto, “Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus”(Salmo 46:10).

O Senhor quer reverter as adversidades em bênçãos, para nós e para outros.
Quando Jesus soube que Lázaro havia adoecido, Ele disse que sua doença não era para morte, mas para a glória de Deus. Que Ele, o Filho de Deus, receberia glória em resultado daquela enfermidade. Jesus ressuscitou Lázaro e muitos judeus que presenciaram este milagre creram nEle.

Da mesma forma, hoje o Senhor nos convida a declarar que a adversidade pela qual estamos passando não é para morte, mas para a glória de Deus!

Quando Jó analisa sua vida, ele conclui que tudo o que aconteceu com ele contribuiu para que ele tivesse uma maior intimidade com Deus: antes “eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem” (Jó 42:5). E o Senhor restaurou a sorte de Jó e deu-lhe o dobro de tudo o que ele antes possuía.

Portanto, não se dê por vencido, ainda há esperança... logo você entenderá o propósito de Deus para
esta hora.

Ricardo Marques

Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

AS COMPRAS DO CONSUMIDOR ESPIRITUAL


Certo dia, um homem de situação financeira privilegiada, andando pela rua da infelicidade, avista um estabelecimento semelhante a um supermercado. E depois de muita dificuldade para se aproximar do local, atravessa a rua da renúncia, e por fim, chega até ao lugar tão desejado.

O homem fita os seus olhos no suposto supermercado e vê escrito na fachada: Graça. Não conseguindo conter a sua curiosidade, entra naquele ambiente misterioso. No seu coração sente uma paz que nunca havia experimentado antes.

Logo percebe várias gôndolas marcando os corredores, como de qualquer supermercado. Caminhando em direção às gôndolas, observa com muito espanto, as mercadorias expostas naquele local.

Ao procurar um carrinho para colocar os produtos, encontra um homem que o instrui, dizendo: - Se você procura um carrinho, aqui não encontrará. Deve guardar estas coisas no teu coração.

Ele começa a colocar tudo o que necessita no seu coração.
Os produtos que encontra são: cura para todas as doenças, cura interior, alegria, paz, bondade e muito mais; e nota que os produtos que estão nas gôndolas são inumeráveis. De repente, este homem vê um produto que chama muito a sua atenção.

O problema é que não conseguia alcançá-lo, estava exposto na parte mais alta da prateleira. O nome deste produto era Salvação.

Passado algum tempo, inconformado por não poder alcançar o produto que mais lhe agradara, aproxima-se dele um homem e diz: - Não é pela força ou mérito que irá alcançá-lo, mas pela fé e o dom da graça.

O “consumidor espiritual” abraçou estas palavras com a sua fé, e a graça o alcançou. Observa bem a embalagem do produto e fica impressionado com os benefícios que o mesmo iria lhe proporcionar. Muitas maravilhas, dentre elas: alegria, paz, longanimidade, domínio próprio, bondade, felicidade e muitos outros; tudo a seu favor.

Procura a data de validade e não a encontra.
A emoção e a alegria tomam conta, e o homem começa a chorar e sente no seu coração um profundo desejo de adorar, mas não sabe o que. Com as mãos sobre a cabeça diz: - Como poderei pagar por tudo isto?

Seus olhos procuram um caixa ou alguém para perguntar quanto custaria aquilo tudo. Quando menos espera, aproxima-se dele um homem diferente, com uma aparência muito dócil e que possuía asas. Dirige-se gentilmente a ele e diz: - Satisfeito com tudo que tens?

Ele responde: - Tenho? - Nunca conseguirei pagar por tudo isto.

Sorrindo o homem de asas diz a ele: - Tudo isto é teu. O preço já foi pago por alguém. Mas só falta uma coisa para você receber, não só aqui, mas por uma eternidade.
- Mas quem poderia fazer tudo isto por mim. Diga-me o que preciso fazer?
- Precisa saber a senha. E qual é a senha?
- Jesus. Este é o nome daquele que transformou a sua vida e reservou uma eternidade para estar com você.
- Que maravilha! Mas como ele conseguiu pagar?
- Com a sua própria vida.
- Ele sofreu muito?
- Antes de morrer, sofreu dores físicas e morais como outro homem nunca sofreu.
- Não entendo, tanta dor e sofrimento por alguém que não merecia?
- Existe algo que Ele sentiu que é maior do que toda a dor e sofrimento: AMOR            AD.

Esse amor está a minha e a sua disposição, basta reconhecer e declarar o Senhorio de Cristo, pois a Bíblia diz: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.(Romanos 10.9,10)

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.(João 3.16,18)

Por Litrazini
Graça e Paz