quinta-feira, 4 de março de 2021

A NATUREZA DA PALAVRA DE DEUS

 UNIDADE: Escrita num período de 1.500 anos, por aproximadamente 40 autores diferentes, que viveram em épocas diferentes. Por pessoas cultas e simples, porém, ela não se contradiz, havendo uma unidade perfeita.

CONTINUIDADE: Trata das coisas desde a sua origem, com narrativas do passado, presente e futuro.

CIRCULAÇÃO: O livro mais vendido no mundo.

TRADUÇÃO: Já está traduzida para mais de 1.500 línguas e dialetos.

SOBREVIVÊNCIA: Nada a destrói - críticas, queimas, proibições, etc...ela continua sendo a Palavra Viva de Deus (II Tm. 1.24-25).

ATUALIDADE: Antiga, porém, fala para as pessoas que vivem no neste século.

A REVELAÇÃO DA BÍBLIA: Através dela Deus revelou Sua vontade. Revelação quer dizer Deus mostrando-se à humanidade.

A natureza revela Deus (Sl. 19.1-6; Rm. 1.18-20).

Nossa consciência revela Deus (Rm. 2.15), porém, a revelação plena de Deus está em Sua Palavra. Por isso, não precisamos de outras fontes de conhecimento sobre Deus,

A INSPIRAÇÃO DA BÍBLIA: A Bíblia é toda inspirada por Deus. Inspiração significa que Deus orientou as pessoas e fez com que a revelação chegasse até nós (II Tm. 3.16; II Pd. 1.20-21)

ALGUNS OBJETIVOS DA BÍBLIA:

Dar esperança - Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança. (Rm. 15.4)

Educar na justiça - Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; (II Tm. 3.16)

Preservar do erro - Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. (Sl. 119.11)

Sustento na dificuldade - Se a tua lei não fora toda a minha recreação, há muito que pereceria na minha aflição.  (Sl. 119.92)

Ser praticada - Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos. (Sl. 119.4)

Purificar - Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. (Jo. 15.3)

Repreender no erro - Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;  (II Tm. 3.16)

Ensinar princípios (II Tm. 3.16)

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quarta-feira, 3 de março de 2021

A PALAVRA DE DEUS

A Bíblia é a Palavra de Deus, e a "única" regra de fé e prática que devemos nos submeter. Ela nos mostra em quem devemos crer e o que devemos fazer. Ela é a fonte da vida!

A PALAVRA DE DEUS É:

Revelação específica para o homem/mulher - Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.  (II Pe.1.20-21; Hb.1.1-2)

O Evangelho da salvação para a humanidade - O Evangelho da salvação para a humanidade Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. (Rm. 16.25-26; 1.16)

Divinamente inspirada - Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra. (II Tm. 3.16-17)

Poderosa e viva (Hb. 4.12)

O Caminho para prosperidade e vida (Js. 1.8; Pv. 4.20-22)

A PALAVRA DE DEUS É COMO:        

Lâmpada: ela ilumina - Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho. (Sl. 119.105)

Semente: ela cresce - Esta é, pois, a parábola: A semente é a palavra de Deus; (Lc. 8.11)

Fogo: ela devora – “...eis que converterei as minhas palavras na tua boca em fogo, e a este povo em lenha, eles serão consumidos” (Jr. 5.14)

Martelo: ela quebra - Porventura a minha palavra não é como o fogo, diz o Senhor, e como um martelo que esmiúça a pedra?  (Jr. 23.29)

Espada: ela ataca - Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; (Ef. 6.17)

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

terça-feira, 2 de março de 2021

O QUE É UM LAÇO DE ALMA?

“Volta, minha alma, para o teu repouso, pois o Senhor te fez bem” (Sl. 116.7)

Dificuldade de perdoar alguém que te ofendeu, traiu ou decepcionou; ressentimento de marido, de liderança, de amigos; amargura; revolta, sentimento de vingança; medo; insegurança, ciúme; inveja

Esses sentimentos se tornam o carrasco, de quem cai nas suas garras.

Absalão foi destruído, por causa do ressentimento com o pai, sentimento de revolta e vingança, o prenderam a tal ponto, de terminar em sua morte. II Sm 13

A inveja de Saul, fez com que se tornasse inimigo de Davi. I Sm 18:6-9

A rebeldia de Miriã, a tornou leprosa. Nm 12

A fraqueza de caráter de Sansão, o levou a morte. Jz 13

Você precisa descansar, sua alma precisa de repouso, mas enquanto ela estiver na prisão, não terá sossego.

O que fazer então?

Escapar do laço, que o inimigo armou envolvendo seus sentimentos.

Livrar se da prisão e liberar as pessoas, que te mantêm presa, por causa de fatos ocorridos. Quem sabe esse é o motivo da sua aflição, da depressão.

Ore e peça ao ESPÍRITO SANTO, que te revele, se a sua alma, está na prisão e fuja desse cativeiro.

E você poderá dizer: Escapamos, como um pássaro, do laço dos passarinheiros; o laço quebrou-se, e nós escapamos. (Sl.124.7)

O laço desfeito, encantamento quebrado, e você livre e em paz. Em nome de Jesus.”

Pra. Janethi Menezes

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

segunda-feira, 1 de março de 2021

DISCIPLINA NÃO É PUNIÇÃO

Deus nos olha como pessoas justas, porque toda a punição dos nossos pecados recaiu sobre Jesus. Se tivermos que ser punidos pelos nossos pecados, o sacrifício de Jesus foi incompleto e imperfeito. Mas, isso não é verdade!

“Agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus (Rm 8.1).

Disciplina é educação, para o nosso bem.

Deus nos olha como justos quanto à nossa posição, mas quanto à nossa condição, somos injustos. Precisamos aprender a viver de forma justa e por isso ele precisa nos disciplinar.

Disciplinar não é punir, muito embora muitos achem que sim. Disciplinar é ensinar!

O capítulo 12 de Hebreus é o famoso capítulo sobre disciplina, e aqui nós podemos perceber que Deus disciplina seus filhos quando eles tiram os seus olhos de Jesus.

Os capítulos 1 a 11 de Hebreus apresenta Jesus como aquele que é superior a todas as pessoas ou coisas que nós podemos considerar boas para olhar e crer. Ele é superior aos profetas, aos anjos, e a Moisés. Ele é o Sumo Sacerdote perfeito e a oferta perfeita pelo pecado.

O capítulo 11 fala dos heróis da fé que foram vitoriosos porque viveram sem tirar os olhos do Senhor e creram em sua palavra. Estes são mencionados na abertura do capítulo 12: ”Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas [os heróis da fé], livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve...”.

Pelo contexto, o que nos atrapalha e o pecado que nos envolve, aqui mencionados, é a incredulidade, que resulta de termos tirado os nossos olhos de Jesus e de suas instruções. Por isso, o autor completa seu pensamento dizendo: “tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé”.

Deus nos disciplina com amor para o nosso bem. É o que nos diz o texto de Hebreus: “Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor, mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos de sua santidade” (Hb 12.10)

“Como é feliz o homem a quem disciplinas, Senhor, aquele a quem ensinas a tua lei”. (Sl 94.12)

Na verdade, a disciplina de Deus é uma bênção em nossas vidas, pois ela revela o cuidado e o amor que ele tem por nós. Ele deseja que vivamos uma vida santa, pois isso é bom e seguro para nós.

Quando tiramos os olhos de Jesus e começamos a viver como nós achamos melhor, vamos sofrer e Deus quer nos poupar disso.

A disciplina de Deus produz um sofrimento – “Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas de tristeza” (Hb 12.11a) – mas ela é incomparavelmente melhor que o sofrimento causado pela nossa vida de incredulidade. Além disso, o texto diz que “mais tarde, porém, [a disciplina] produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados” (Hb.12.11b).

Alexandre Tempel

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

domingo, 28 de fevereiro de 2021

A ADORAÇÃO E O NOME DE DEUS

INVOCAR O SEU NOME – Há que se Ter completo conhecimento de quem invoca, a conscientização da natureza de quem se busca.

DEUS apareceu a Abraão e nomeou-se como EL SHADAY, isto é, DEUS todo poderoso.

“... e edificou (Abraão) ali um altar ao Senhor, e invocou o nome do Senhor.” (Gn. 12:8)

É possível imaginar que Abraão orasse: “EL-SHADAY (“Deus Todo Poderoso”) ABENÇOA-ME”.

O que invoca o nome do Senhor deve ainda, atentar que:

“O Senhor não desamparará o Seu povo, por causa do Seu grande Nome: Porque aprouve ao Senhor fazer-vos o Seu povo.” (I Sm 12.22).

TEMER O NOME DO SENHOR – As maldições, todos os males registrados na Palavra (Dt. 28) são aqueles que não temem o SEU NOME.

“Se não tiveres o cuidado de guardar todas as palavras desta Lei...Para temeres este Nome glorioso e terrível; O Senhor Teu Deus.” (Dt 25:38).

Ele não admite que o Seu Nome grandioso seja tomado em vão, é sacrilégio.

“O Senhor não terá por inocente o que tomar o Seu Nome em vão.” (Ex 20:7)

Estamos selados com o Seu Nome.

Todo crente carnal, induz os incrédulos a blasfemar ao Nome do Senhor. Que tristeza!

“O Nome do Senhor é blasfemado entre os gentios por causa de vós.” (Rm 2:24).

Porta-se com temor (receio) diante do que tem todo o direito sobre nós, direito de vida, de morte, etc. considerando o seu nome, é manifestação de prudência e é o princípio de uma vida sábia.

“O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; é a ciência do Santo, à prudência.” (Pv 9:10).

“O temor do Senhor é uma fonte de vida.” (Pv 10:27)

“O temor do Senhor prolonga os dias.” (Pv 14:27)

LOUVÁ-LO, GLORIFICÁ-LO – Adorar a Deus implica também em exaltar o Seu Nome.

“Por isso (bênçãos recebidas), Ó Senhor, Te Louvarei entre as gentes, e entoarei louvores ao Teu Nome.” (II Sm, 22:50).

“Todas as nações...virão e se prostrarão perante a Tua face, Senhor, e glorificarão o Teu Nome.” (Sl 86:9)

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sábado, 27 de fevereiro de 2021

TENTAÇÕES E COISAS QUE CORROMPEM

Estejam perfeitamente familiarizados com as tentações e coisas que tendem a corromper, e sejam vigilantes o dia todo contra isso. Vocês devem estar alertas especialmente para as tentações que têm se mostrado mais perigosas e cuja presença ou emprego sejam inevitáveis.

Estejam alertas contra os pecados mestres da incredulidade: a hipocrisia, a auto suficiência, o orgulho, o agradar a carne e o prazer excessivo nas coisas terrenas.

Tenham cuidado para não se deixarem atrair para uma mente mundana, e para os cuidados excessivos, ou desejos cobiçosos pela abastança, sob a pretensão de serem diligentes no trabalho de vocês.

Se tiverem que negociar com outras pessoas, tenham cuidado contra o egoísmo ou qualquer coisa que se assemelhe à injustiça ou falta de amor. Ao lidar com as pessoas, estejam alertas para não usarem de palavras vãs e desocupadas.

Sejam vigilantes também com relação às pessoas que tentam vocês à ira (ou a qualquer tipo de pecado).

Mantenham a modéstia e a clareza, no falar, que as leis da pureza requerem.

Se tiverem que conviver com bajuladores, sejam vigilantes para não se deixarem inchar de orgulho.

Se tiverem de conviver com pessoas que desprezam ou injuriem vocês, resistam contra a impaciência e o orgulho vingativo.

No início estas coisas serão muito difíceis, enquanto o pecado for forte em vocês. Mas tão logo tiverem adquirido profunda compreensão do perigoso veneno de qualquer destes pecados, o coração de vocês irá pronta e facilmente evitá-los.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

O QUE É DESERTO?

Porque algumas vezes nos sentimos vazios: Frios, Deus parece que não nos ouve? Deus está conosco, Jesus prometeu estar conosco todos os dias até a consumação do século, o Espírito Santo faz morada em nós. Portanto a Trindade está sempre conosco. 

No entanto eu posso sentir isto ou não. Posso ver isto ou não. Quando eu não sinto ou não vejo Deus comigo (Deserto), me vem uma sensação de vazio e frieza espiritual. Mas Deus não quer isto, Ele quer que pela fé (Hb 11:1) eu cria que Ele está comigo, e haja abundância de vida mesmo no deserto (Sl 84:6) Jó 35:14.

Deserto é dificuldade de ver e sentir Deus presente, embora Ele sempre esteja (Sl 34:18). Há 3 causas diferente de Deserto: Deus nos faz passar por momentos assim: Se Deus quer trabalhar em nossa fé, e fé é ter convicção de fatos que não se veem, muitas vezes Deus permite que não o sintamos presente para lançarmos mão de fé.

"Ele está aqui, embora não o sinta". Exemplo: Ex 14; 15:22,27; 16:12; 17:1, Dt 8:15 e 16, Mt 4:1, Sl 23:2-4, Jr 17:7 e 8, Mt 14:22-25. Pecados ou voluntários afastamentos de Deus. Este tipo de deserto não é propriamente uma provação mas, consequência de derrota espiritual.

O pecado afasta-os de Deus, e o abandona da oração e da leitura da Bíblia, nos traz também frieza espiritual. II Sm 11; 12:6; Sl 51:11. I Rs 19:4.

Elias era homem de Deus e muito abençoado. Não fora Deus quem o conduzira ao deserto, e nem pecado, mas um problema, uma ameaça o fez entrar em depressão. Elias era um Melancólico. Todos temos um pouco do temperamento melancólico, mas há pessoas marcadamente melancólicas, que constantemente estão em desertos.

COMO AGIR NOS DESERTOS

Usar a fé e não sentidos II Co 5:7, crer que Deus está ali mesmo que não o veja ou o sinta. Manter vida devocional, mesmo que não haja "o calor da sua presença".

Preservar enquanto durar o deserto. O de Jesus durou 40 dias. O dos Judeus 40 anos. O seu durará enquanto você necessitar. Se houver pecado, confesse-o. Se estiver doente vá ao médico. Deixe o Espírito mudar seu temperamento, se for este o seu caso.

COMO AGIR NAS PROVAÇÕES DE MANEIRA GERAL?

Confiar nas promessas.  I Co 1:13, I Pe 1:5, I Pe 4:10, Mt 26:20. Perseverar ao lado do Senhor, descansando - I Pe 5:7. Opondo-se e resistindo ao diabo e às  tentações. I Pe 5:8 e 9, Tg 4:8. Alegrar-se nas bênçãos provenientes das provações I Pe 1:6.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

DEUS ESTÁ DO TEU LADO.

 O maior interessado do seu bem estar, no fortalecimento do seu ser. A pessoa que quer que você reaja favoravelmente e saia de vez desta angustia, desta depressão é o próprio Deus.

Deus o(a) ama. Deus o respeita, e o aceita tal como você é.

Deus não está interessado em nada a não ser o seu bem estar. A sua vida, Ele a tem por mais que preciosa. Ele espera de sua parte que você o receba pela fé em seu coração.

Deus o ama tanto que enviou Jesus, seu filho para morrer em seu lugar. Deus é vida, é amor, é paz, e segurança.

Deus é eternidade, é a verdade que liberta qualquer tipo de depressão, qualquer doença.

Jesus é o mesmo ontem, hoje e eternamente o mesmo.

Deus é onisciente, isto quer dizer que Nele está concentrado todo o conhecimento. Ele é o dono da ciência e conhece a sua necessidade.

Ele sabe o seu nome, o seu endereço. Nada passa desapercebido aos seus olhos.

Deus é também onipresente, isto quer dizer que não existe espaço geográfico que o possa prender.

Deus é Deus, portanto livre para estar em toda parte ao mesmo tempo, em todo lugar. Ele é o principio e o fim. Isto quer dizer que Ele não está longe como muita gente pensa e sim bem perto.

E Deus é também é onipotente ou seja: Ele tem todo o Poder. Ele tem o domínio de tudo e todos. Ninguém, em qualquer época passado, presente ou futuro tem condições de detê-lo em força.

Ele soberano sobre todas as coisas, sobre todas as pessoas. O universo está em suas mãos.

Você não precisa mais viver debaixo do julgo da depressão. O nosso Redentor Vive. Ele se levantará sobre a terra ao nosso favor. Ao teu favor.

Você tem condições de se encontrar com Ele. Na medida que você ansiar pela sua presença, Ele com certeza se manifestará em Glória e desfará toda ação contrária do inimigo que tem assolado, que tem perturbado a sua mente.

Crendo na pessoa de Jesus Cristo, o Filho do Deus Vivo, você pode a partir de agora ficar livre das depressões. Você agora está livre para agir com a sua mente e coração na direção daquele que deve ser tudo em sua vida, ou seja, o nosso Deus.

Posicione-se hoje, agora e saia em nome de Jesus Cristo da depressão.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

PRIORIDADE SUPREMA DO REINO DE DEUS

 É fácil de perceber porque Jesus diz: BUSCAI  PRIMEIRO... se toda a vida humana, tanto no presente como no futuro está determinada pela opção que o individuo faz, a favor ou contra o Reino de Deus, esta determinação de Jesus revela que é uma questão de vida ou morte.

Não há razão para deixar para depois, é urgente, deve ser feito agora.

A verdade é que a pessoa determinada por sua decisão pessoal se viverá ou não no Reino de Deus, não importa a época em que venha de forma visível. Cada um tem que tomar a decisão no tempo que se chama hoje, pois dela depende fundamentalmente a sua salvação (Hb 3.13).

Fica assim claro que Jesus considera como coisa secundária a preocupação com comida, bebida, roupa, etc. estas coisas não podem ocupar a preocupação dos seguidores de Jesus como mais importantes da vida. Embora sejam necessárias.

De uma forma ou de outra, mais a uns, menos a outros, mas a todos distribui o indispensável para a vida.

Quem perde tempo preocupando em demasia com estas coisas, não consegue perceber os desafios que o Reino de Deus faz, e fracassa.

Jesus jamais barateia a entrada no Reino. (ele não faz liquidação). Trata-se de algo a ser alcançado por meio de luta (Mt 11.22), que só se consegue atravessando uma porta estreita e andando por um caminho apertado. (Mt 7.13-14).

A justiça dos que pretendem entrar no Reino de Deus tem que ser superior à dos escribas e fariseus (Mt 5.20), os mais ferrenhos e minuciosos cumpridores dos mandamentos no tempo de Jesus.

Os que se preocupam com as necessidades de cada dia e nisto desperdiçam o seu tempo, ficarão surpresos, quando na vinda do Reino, ao ser-lhes apontado “o fogo eterno preparado para o diabo e seus anjos”, já que nunca socorreram aos que tinham fome, sede, nudez, enfermidades, ou andavam sem ter onde se hospedar os estavam presos (Mt 25.41.46).

Esta é a simples e fundamental razão porque Jesus coloca acima de todas as coisas o com a  preocupação com o Reino de Deus.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

A NATUREZA DO AMOR A DEUS

Jesus não teve a menor hesitação em afirmar que o primeiro, o maior e principal dos mandamentos era este: “Amarás teu Deus...” (Mc 12.30). Para o Senhor era a obediência a este mandamento que dava à fé que ele pregava toda a sua novidade.

É o amor a Deus que cria uma atmosfera nova para a relação entre o ser humano e o criador. Aqui encontramos um novo elemento jamais encontrado em qualquer religião fora da tradição judaico-cristão é que permite a pessoa, um relacionamento de intimidade e de estar à vontade na presença de seu Deus.

Este caráter distintivo da fé cristã se torna mais claro, quando comparado com outras religiões que tem um relacionamento entre o individuo e a divindade, como uma espécie de troca comercial.

A pessoa oferece seu culto a seu deus ou porque precisa receber algum benefício ou então para agradecer o que recebeu, para que seu deus não se ire e retire o benefício.

O cristão é aquele que ama a Deus e, por isso, alegra-se em sua presença e no fazer sua vontade. Não tem que apaziguar um deus iracundo e propenso ao castigo.

Ele o busca porque o ama e tem prazer em encontrar-se com Ele e em manter comunhão com Ele através do Espírito Santo. É evidente que este amor não está preso ou condicionado a benefícios recebidos ou sujeito a flutuações da vida.

O amor a Deus é um sentimento que envolve toda a vida da pessoa.

A descrição que Jesus faz deste amor é até certo ponto a mesma que é feita por Dt 6.5 onde este mandamento se encontra originalmente: é algo que envolve todo coração, toda alma e toda a força.

Isto quer dizer que envolve o sentimento e se prolonga por toda a vida e alcança todas as ações da pessoa. Mas Jesus acrescentou algo que não se encontra no texto original: “todo o teu entendimento”.

Não era algo desvinculado do raciocínio, é um amor consciente de si mesmo, de sua existência, que reflete sobre a sua razão de ser, na natureza e sobre suas consequências na vida de cada dia.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

EM QUEM DEVEMOS CRER?

Crede, diz Jesus. Mas em que? No Evangelho, acrescenta ele. E o que é o Evangelho?

Evangelho é a proclamação de uma notícia. Mas uma notícia adjetiva. É uma notícia boa. Trata-se de uma informação trazida de Deus aos seres humanos.

Deus aceita a todos aqueles que se arrependem visto que é amor em essência.

Assim, o primeiro conteúdo da fé é primeiramente uma afirmativa que se proclama verdadeira.

É preciso que a pessoa aceita essa afirmativa. Não há comprovações científicas. Os judeus buscam sinais. Os gregos querem a sabedoria (ciência). Mas o que prega o Evangelho? Uma afirmativa que precisa ser aceita pela fé.

Deus vem ao mundo para salvar os homens que se arrependem de seus pecados e voltem para ele.

O conteúdo da fé é mais do que simples palavras. Jesus não se contenta que os homens creiam nas suas palavras, mas quer principalmente que creiam nele. Não é meramente simples religião ou filosofia que se proclama.

O imperativo de Jesus é que creiam na sua pessoa, de uma forma tão natural como dizem crer em Deus. Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Jo 14.1.

Assim o Evangelho que Jesus proclama se identifica com ele mesmo. Não tem sentido aceitar as palavras de Jesus ou os seus ensinos sem a aceitação dele mesmo.

Por isso que o Evangelho é revolucionário à mente humana e de difícil aceitação por muitos. “...Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente. (Jo 6.66-69).

Nossa fé tem que ter base no Evangelho e não nas pessoas que pregam o Evangelho, ou na igreja que o ensina.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


domingo, 21 de fevereiro de 2021

ATENTO A VOZ DE DEUS

“...Escutem, escutem-me, e comam o que é bom, e a alma de vocês se deliciará com a mais fina refeição. Deem-me ouvidos e venham a mim; ouçam-me, para que sua alma viva (Is.55.2,3).

O segredo de uma vida abençoada é ter um coração atento que anseie saber o que o Senhor está dizendo.

Pare um instante e pense em quantas bênçãos tantos cristãos deixam de receber; pense na dureza cada vez maior de seu coração. Esse vazio decorre basicamente da recusa de ouvir Deus. O nosso Deus é um Deus comunicativo, mas é preciso que alguém escute o que ele está dizendo.

Jesus escreveu cartas para sete igrejas diferentes no livro de Apocalipse. A condição espiritual de cada um era diferente, e, portanto, as palavras que Cristo dirigiu as essas igrejas eram distintas, pois referiam-se a situações singulares.

Mas vale a pena notar que ele usou a mesma frase ao encerrar todas as sete cartas: “Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap.2,3).

O Espírito Santo ainda tem mensagens vitais para o povo de Deus hoje, mas nosso coração precisa ser sensível e estar atento ao que ele está dizendo.

Deus ainda suplica de diversas formas: “Ouçam-me, para que sua alma viva” (Is.55.3).

Os olhos de Deus estão atentos sobre toda a terra à procura de corações atentos e obedientes, para que ele possa mostrar sua força e poder a nosso favor.

Oremos a Deus, pedindo sua bênção, com o coração puro como o de Samuel, para que quando o Senhor chamar o nosso nome possamos também responder: “Fala pois o teu servo está ouvindo” (Sm.3.10).

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sábado, 20 de fevereiro de 2021

JESUS SE IGUALOU A NÓS

Quando vemos um animal sofrendo, tentamos ajudá-los. Mas como? Não falamos a língua deles, para que eles nos ouvissem precisaríamos ser um deles, aí então poderíamos ajudá-los, pois, falaríamos a mesma língua, trocaríamos o nosso mundo pelo mundo deles.

O amor viaja distâncias... e Cristo viajou da eternidade ilimitada para ser confinado pelo tempo, para tornar-se um de nós. Ele não precisava fazer isso. Poderia ter desistido. Em qualquer ponto do caminho Ele poderia ter dado o basta.

Ao ver o tamanho do ventre, Ele poderia ter parado. Ao ver a mãozinha que teria, a vozinha com que falaria, a fome que a sua barriguinha sentiria, poderia ter parado.

No primeiro golpe de ar frio. A primeira vez que machucasse o joelho, ou assoasse o nariz, ou provasse pão queimado, poderia ter feito a volta e ido embora.

Ao ver o chão empoeirado de sua casa Nazaré. Quando José lhe deu um trabalho a fazer. Quando seus companheiros de escola estavam cochilando durante a leitura de Tora, a sua Tora.

Quando o vizinho tomou o seu nome em vão. Quando o fazendeiro preguiçoso culpou a Deus por sua escassa colheita.

A qualquer momento Jesus poderia ter dito: Chega! Já chega! Vou para casa. Mas Ele não o fez.

Ele não o fez, porque Ele é amor. E o amor... tudo suporta (I Co.13.4-7). Ele suportou a distância. E mais ainda, suportou a oposição. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória (Jo.1.14).

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

O CORAÇÃO REGENERADO.

A solução de Deus para o coração pecaminoso é a regeneração, que tem lugar em todo aquele que se arrepende dos seus pecados, volta-se para Deus, e pela fé aceita a Jesus como seu Salvador e Senhor Pessoal.

A regeneração está ligada ao coração. Aquele que, de todo o coração, se arrepende e confessa que Jesus é Senhor (Rm 10.9), nasce de novo e recebe da parte de Deus um coração novo (Sl 51.10; Ez. 11.19).

No coração daquele que experimenta o nascimento espiritual, Deus cria o desejo de amá-lo e obedecê-lo. Repetidas vezes, Deus realça diante do seu povo a necessidade do amor que provém do coração (Dt 4.29). Tal amor e dedicação a Deus não podem estar separados da obediência à sua lei (Sl 119;34,69,112).

Jesus ensinou que o amor a Deus, de todo o coração, juntamente com o amor ao próximo, resume toda a lei de Deus (Mt 22.37-40).

O amor de todo o coração, é o elemento essencial a uma vida de obediência. Repetidas vezes, o povo de Deus, no passado, procurou substituir o verdadeiro amor do coração pela observação da formalidades religiosas exteriores, (tais como festas, ofertas e sacrifícios; ver Is 1.10-17; Nm 5.21-26).

A observância exterior sem o desejo interior de servir a Deus é hipocrisia, e foi severamente condenada por nosso Senhor (Mt 23-13-28; Lc 21.1-4).

Muitos outros fatos espirituais têm lugar no coração da pessoa regenerada. Ela louva a Deus de todo o coração (Sl 9.1), medita no coração (Sl 19.14), clama a Deus do coração (Sl 84.2), busca a Deus de todo o coração (Sl 119.2,10), oculta a Palavra de Deus no seu coração (Sl 119.11), confia no Senhor de todo o coração (3.5), experimenta o amor de Deus derramado em seu coração (Rm 5.5) e canta a Deus no seu coração (Ef 5.19; Cl 3.16).

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

A OBRA DO ESPÍRITO SANTO EM NÓS

É tarefa do Espírito Santo produzir caráter semelhante ao de Cristo em nós (2Co.3.18) O processo de transformação pelo qual nos tornamos mais semelhantes a Jesus, é chamado santificação; um dos propósitos de nossa vida sobre a terra.

Não podemos reproduzir o caráter de Jesus por nossos próprios esforços. Somente o Espírito Santo tem o poder de realizar as transformações que Deus deseja para nossa vida (Fp.2.13).

As características de Cristo não são produzidas por imitação, mas por habitação. Nós permitimos que Cristo viva através de nós, pois este é o segredo: Cristo vive em nós (Cl.1.27). E como isso acontece na vida real através das escolhas que fazemos.

DEVEMOS COOPERAR COM O TRABALHO DO ESPÍRITO SANTO.

O Espírito Santo libera poder no momento em que damos um passo de fé. A fé libera o poder de Deus. Não devemos esperar sentir-nos poderosos ou confiantes, devemos ir adiante na nossa fraqueza, fazendo a coisa certa mesmo com medos e sentimentos. É assim que cooperamos como o Espírito Santo, e essa é a forma do nosso caráter ser desenvolvido.

A Bíblia compara o crescimento espiritual a uma semente, a uma edificação e a uma criança em crescimento; Sementes devem ser plantadas e cuidadas, edificações devem ser construídas, elas não aparecem simplesmente e, crianças devem comer e se exercitar para crescer.

Embora esforço não tenha nada que ver com salvação, está relacionado com o crescimento espiritual. Pelo menos em oito ocasiões no N.T. recebemos a ordem de nos esforçarmos em nosso crescimento, até nos tornarmos semelhantes a Jesus. (Lc.13.,24; Rm.14.19; Ef.4.3; 2Tm.2.5; Hb.4.11;12.14; 2Pe.1.5;3.14)

Paulo explica em Efésios 4.22-24 os três deveres para nos tornarmos semelhantes a cristo.

Em 1º  lugar, devemos abandonar nossa antiga maneira de agir: ...referente àquela antiga forma de viver tem de ir embora. Está completamente corrompida. Livrem-se dela (Ef.4.22);

Em 2º lugar, devemos mudar nossa forma de pensar: Deixe que o Espírito transforme sua maneira de pensar (Ef.4.23). A Bíblia diz que somos transformados pela renovação de nossa mente (Rm.12.2) de dentro para fora.

Em 3º lugar, precisamos adquirir o caráter de Cristo ao desenvolver hábitos novos e dignos de Deus (Ef.4.24). O Caráter é basicamente a soma dos hábitos.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

A CRUZ

Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus. Aprove a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação ICo.1.18 e 21

O primeiro fato que a cruz de Cristo evidencia é a culpabilidade do homem. Os homens mataram o Santo e Justo, o Messias prometido ao povo judeu, o Salvador do mundo.

Nós também fazemos parte do mundo que deu cabo ao Filho de Deus; não somos melhores que os demais; somos igualmente culpados.

Não foi justamente por nossos pecados que Jesus foi para a cruz?

O segundo e maior fato que a cruz manifesta é o insondável amor de Deus.

Se você alguma vez duvidou do amor de Deus, contemple a cruz por algum momento. Ali verá a Deus entregando a sua justiça “Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?” (R.8.32).

Nossa salvação, assim como sua própria glória, exigia tal sacrifício. Sem derramamento de sangue, não pode haver perdão de pecados “E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão” (Hb.9.22).

O terceiro fato que se vê ali é o amor do próprio Jesus. Ele deu sua vida por homens perdidos. “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós” (IJo.3.16).

A cruz é o único caminho da salvação. E está aberto a todos. Mas somente os que crêem são nele encaminhados. É até possível aproximar-se bastante da cruz e, contudo, permanecer alheio a este tão grande sacrifício.

Além de reconhecer que ele foi motivado por nossa própria culpa, é necessário, mediante a fé, acatá-lo para si – aceitar a Jesus como Salvador pessoal.

Iria você ainda continuar indiferente à cruz?

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

AS BASES DA NOSSA FÉ

São várias as passagens que apontam e descrevem a morte e ressurreição de Jesus. E todos os efeitos da obra de Cristo estão baseados nestes elementos: sua vida, morte e ressurreição.

Tudo o que aconteceu nos anos e séculos posteriores a Cristo têm fundamento único e exclusivo no fato de Cristo ter vivido, morrido, ressuscitado e subido aos céus. O apóstolo Paulo disse sobre isso: 'E ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo'. (1Co 3.11).

Toda essa obra, chamada obra da redenção, é divina. Não há participação humana até esse ponto, senão, apenas após a ressurreição de Cristo.

Tudo o que foi feito para que o homem pudesse ter comunhão com Deus, foi feito pelo próprio Deus.

A Bíblia diz que, por causa do pecado, o homem foi afastado de sua comunhão com o Criador: 'Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus'. (Rm 3.23)

Se fomos afastados da glória, da comunhão e intimidade com o Senhor, é evidente que, em primeira mão, nós nada podemos fazer para que essa comunhão seja reatada. Se o homem pudesse fazer alguma coisa, teria feito antes, e há muito tempo estaríamos unidos. 

Mas, como disse, tudo foi feito por Deus. Ele se interessou por nós primeiramente: 'Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios' (Rm 5.6), e 'estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)' (Ef 2.5). E ainda 'Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna'. (Jo 3.16).

Tudo parte de Deus, tudo tem início nele em nossa direção. Só depois de ele ter efetuado sua obra é que o homem pode entrar em cena.

A partir daí, da morte de Cristo, é que somos chamados a participar dessa obra para ter de volta o acesso àquela glória da qual havíamos sido 'destituídos'.

E a participação humana na obra de Deus, a aceitação ao chamado divino, é a porta de entrada para a salvação que a Bíblia anuncia deste o Antigo Testamento.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz