quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

CONSERVANDO A CHAMA DO AVIVAMENTO

Muitas pessoas foram batizadas com o Espírito Santo. Vieram dias maravilhosos, foram usadas por Deus, mas depois esfriaram na fé e se esqueceram da gloriosa experiência que tiveram. Mas, para conservar uma vida renovada, cheia da graça divina, é preciso:

LEITURA BÍBLICA: Estabilidade na vida espiritual é resultado de um conhecimento profundo da Palavra. “Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido”, Js 1: 8.

Lendo a Bíblia diariamente, meditando e fazendo o que nela está escrito é possível ao servo de Deus conservar uma vida espiritual abundante. Assim não é preciso ficar na dependência de visões, de profecias. Essas manifestações irão apenas confirmar o que já está na Palavra.

ORAÇÃO. Os cristãos primitivos estavam sempre cheios do Espírito e renovados porque viviam em oração, At 4: 31. É triste ver como muitas igrejas estão perdendo o calor em suas mensagens porque o fervor da oração está desaparecendo.

Renovação espiritual e avivamento são experiências que devem ser vividas diariamente. Para tanto, o cristão precisa, a cada dia, intensificar sua vida de oração, Mt 14: 23; Lc 5: 16 e 6: 12. O próprio Jesus orou muito durante seu ministério.

Muitos cristãos estão se vendo confusos porque os bens materiais têm tomado o tempo da oração. Oração é questão de disciplina pessoal. Procure reservar alguns minutos, todos os dias, para estar na presença do Senhor.

VIDA HUMILDE. O orgulho tem levado muitos cristãos ao fracasso. A vida abundante, cheia do Espírito, não é para que se ache melhor que os outros. O enchimento com o Espírito Santo deve levar a pessoa ao trabalho pelo próximo, à edificação da igreja: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas...”, At 1: 8.

SANTIFICAÇÃO. O apóstolo Paulo recomendou aos cristãos: “E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção”, Ef 4: 30. Davi, ao pecar, temeu que o Espírito do Senhor fosse retirado de sua vida, Sl 51: 11. Por isso, se quisermos cultivar o avivamento, temos de alegrar o Espírito de Deus para que Ele atue em nós com muito poder.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

DEUS E O LIVRE ARBÍTRIO DO HOMEM

DEUS É O SABEDOR DE TUDO POR ESSÊNCIA:

“Senhor, tu me sondas e me conhece” (Sl. 139.1). “Eu anunciei , e Eu salvei, e Eu o fiz ouvir, e deus estranho não houve, pois vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor; Eu sou Deus”. (Is. 43.12)

“Lembrai-vos das coisas passadas desde a antigüidade; que Eu sou Deus, e não há outro Deus, não há outro semelhante a mim... Desde agora te faço ouvir coisas novas e ocultas, e que nunca conheceste. Agora são criadas, e não de há muito, e antes deste dia não a ouviste, para que porventura não digas: Eis que eu já as sabia”. (Is. 48.5 a 7); “Eu vo-lo disse agora antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis”, (Jo. 14.29);         

Deus, sabedor da queda do homem em pecado, já havia providenciado, desde a eternidade, a redenção por meio do seu Filho, o Cordeiro redentor

“E adotaram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo”. (Ap. 13.8); mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, “o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós” (1 Pe.1.20) 

Por sua presciência (Conhecimento de antemão), Deus já tinha visto também os que iriam aceitar o sacrifício vicário e expiatório de Cristo. “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fossemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade”.  (Ef. 1.4,5).

A ONISCIÊNCIA DE DEUS NÃO TIRA DO HOMEM O SEU LIVRE ARBÍTRIO.

Na sua presciência, Deus sabia que Jeremias seria profeta e o escolheu mesmo antes de nascer: “Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísse da madre, te santifiquei; às nações te dei por profeta” (Jr. 1.5).

DEUS TEM CONHECIMENTO ILIMITADO E ANTECIPADO (ONISCIÊNCIA E PRESCIÊNCIA)

“Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conforme à imagem do de seu Filho, a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos, E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou”. (Rm. 8.29,30) – pode revelar as coisas que ainda vão acontecer mas respeita o livre arbítrio do homem.

(Fonte – Bíblia Apologética)

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

terça-feira, 29 de dezembro de 2020

JESUS RECONQUISTA E NOS DEVOLVE A AUTORIDADE

Quando Deus fez o homem deu-lhe livre arbítrio e domínio, ou seja, autoridade sobre tudo.

Antes só Deus tinha autoridade. Mas delegou parte dela ao homem e nunca a cassou. É por isso que o ser humano tem liberdade de fazer o que quiser.

O diabo queria essa autoridade. Com a queda (a desobediência) o homem delegou a autoridade que Deus havia lhe dado ao diabo.

 “Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano algum”. (Lc.10.19)

“Estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e estes serão curados”. (Mc,16.17,18)

Isto é incrível, fabuloso tudo que está nas mãos de satanás esta sujeito a nós, pela autoridade que Jesus nos dá.

Ao ressuscitar Jesus procurou os discípulos e entregou-lhes a autoridade que havia tomado de satanás.

E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra... e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”. (Mt. 28.18-20)

“E havendo dito isso, assoprou sobre eles, e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo Àqueles a quem perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; e àqueles a quem os retiverdes, são-lhes retidos.” (João 20.22,23)

Agora é conosco

Se não repreendemos o inimigo ele não será repreendido

Se não o expulsamos ele não irá embora.

Se não colocarmos as mãos sobre os enfermos eles não serão curados.

Satanás sabe que temos tal autoridade, mas fica na esperança que a ignoramos. Não adianta falar sobre autoridade e proclamá-la em alto e bom som. Precisamos exercitá-la.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

O ARREPENDIMENTO, CAMINHO À SANTIFICAÇÃO

É um dos primeiros sinais, ou evidência da REGENERAÇÃO que ocorre na vida de quem nasceu de novo. 

Biblicamente falando, arrepender-se é uma mudança de atitude para com o pecado e uma mudança de atitude para com Deus.

O arrependimento é uma tremenda reviravolta porque afeta a totalidade da vida do pecador. O arrependimento é uma atitude para com o pecado.

Quem se arrepende passa a odiar o pecado e a se afastar dele. Portanto, dize à casa de Israel: Assim diz o Senhor Jeová: Convertei-vos e deixai os vossos ídolos; e desviai os vossos rostos de todas as vossas abominações (Ez.14.6).

Portanto, eu vos julgarei, a cada um conforme os seus caminhos, ó casa de Israel . diz o Senhor Jeová; vinde e convertei-vos de todas as vossas transgressões , e a iniquidade não vos servirá de tropeço (Ez.18.30).

Quem se arrepende do pecado passa andar no caminho da retidão e da verdadeira santidade. E passa a produzir FRUTOS DIGNOS DO ARREPENDIMENTO, como evidência de que essa mudança ocorreu em sua vida. 

Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos Abraão por pai; porque eu vos digo que até destas pedras pode Deus suscitar filhos de Abraão (Lc.3.8).

O Verdadeiro arrependimento leva o pecador assumir a sua culpa diante de Deus e diante dos homens. O filho pródigo disse: “... levantar-me-ei e irei Ter com meu pai e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho”.

O arrependimento deve produzir CONFISSÃO, TRISTEZA por machucar o coração de Deus. Deve produzir abandono do pecado e anseio, desejo de ficar livre dele.

Arrependimento é uma atitude que deve ser iniciativa do pecador, entretanto é também uma graça operada em nosso coração pelo poder persuasivo do Espírito Santo. E, ouvindo estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade, até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida (At.11.18). De fato, o espírito Santo revela a nossa condição pecaminosa diante de Deus e nos faz dispostos a renunciar nosso estado de rebeldia contra Deus e sua autoridade.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

domingo, 27 de dezembro de 2020

O ESCUDO DA FÉ

"Embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno". (EF. 6.16)

O escudo da fé não é algo que vestimos, mas que empunhamos para nos proteger contra os ataques do inimigo. A fé não estar em nossa própria capacidade, força, mérito ou virtude, mas em Deus (Mc 11:22).

Juntamente com a fé no coração de Deus, precisamos ter fé em sua fidelidade. Nós podemos mudar, mas Deus não. Como diz Tg 1:17: Nele não há sombra de mudança. Além disso, Ele não mente (Tito 1:2), é sempre fiel a Sua palavra. Deus não é apenas fiel, mas também capaz. Portanto devemos ter fé em seu poder.

Deus é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos. (Ef. 3,20). Ter fé na palavra de Deus

Precisamos ter fé total em Deus, no coração de Deus, na sua fidelidade, no seu poder, na sua palavra, na vontade e na soberania de Deus. Se tivermos tal fé, os dardos inflamados de satanás não serão capazes de nos danificar.

Os dardos inflamados são as tentações, propostas, dúvidas, questões, mentiras e ataques de Satanás sobre nós. Toda tentação é um engano, uma promessa falsa. Quando acordamos de manhã, satanás sempre nos faz propostas. Por essa razão, a primeira coisa a fazer de manhã é ler a palavra. Sem a palavra não temos cobertura contra as propostas dele.

Dúvidas e questões também são dardos inflamados de satanás.

Os dardos inflamados do diabo vêm como pensamentos injetados em nossa mente. Esses pensamentos podem parecer nossos, mas, na verdade, são de satanás. Sabemos que os pensamentos vêm de satanás quando, depois de decidir não alimentá-los mais, eles continuam a vir.

A fé no coração para se defender dos dardos inflamados de satanás, relaciona-se principalmente ao exercício da vontade. Em Tiago 1:6, é-nos dito que quem duvida é como uma onda do mar, levada pelo vento. Tal pessoa tem vontade vacilante. Portanto, se quiser ter fé, exercite sua vontade.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

 

sábado, 26 de dezembro de 2020

JESUS CRISTO É DEUS

 Esse Jesus, que veio ao mundo numa estrebaria, que passou pelo processo de se tornar humano ao nascer assim como nós, que cresceu como menino normal física, emocional e espiritualmente, que amadureceu e começou a envelhecer como qualquer pessoa, esse Jesus é Javé desde a eternidade e existe desde sempre. “Eu sou o que sou.” A Epístola aos Hebreus diz a Seu respeito: “Jesus Cristo, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre” (Hb 13.8).

Por que Jesus teve de se tornar homem? Porque Deus não pode morrer! Mas Deus queria morrer pelos pecados dos homens, de modo que tinha de se tornar homem e por isso veio ao mundo através de Jesus Cristo.

Lemos sobre esse ato sublime de Deus se tornando homem: “pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz” (Fp 2.6-8).

No grego, a expressão “subsistindo em forma de Deus” define uma forma, uma maneira de ser quando vista objetivamente por um espectador neutro, a forma como ela é em si mesma. Jesus é Deus e existe desde a eternidade como o próprio Deus.

Nascemos como seres humanos e desejamos entrar na vida eterna. Jesus veio da vida eterna e tornou-se homem para morrer. No jardim Getsêmani, quando Jesus se revelou como o “Eu Sou” e todos os seus inimigos recuaram e caíram por terra, Ele ordenou: “se é a mim, pois, que buscais, deixai ir estes (Seus discípulos)” (Jo 18.8). E então entregou-se voluntariamente para morrer.

Por Jesus ser Aquele que é, Deus “o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra” (Fp 2.9-10). É por isso que “não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4.12).

Jesus é o verdadeiro e único sarador e Salvador. Ele controla qualquer situação com que possamos nos defrontar. Jesus disse com toda a autoridade: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30). Por essa razão aplicam-se a Ele as palavras de Isaías 43.11: “Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim não há salvador.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

NO MONTE DO CALVÁRIO

 "Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como aos malfeitores, um à direita, outro à esquerda. Contudo, Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então, repartindo as vestes dele, lançaram sortes. O povo estava ali e a tudo observava. Também as autoridades zombavam e diziam: Salvou os outros; a si mesmo se salve, se é, de fato, o Cristo de Deus, o escolhido" (Lc 23.33-35).

Realmente Ele é o Cristo (o ungido de Javé) e o escolhido de Deus. Oitocentos anos antes da Sua vinda, Ele já foi legitimado por Deus: "Eis aqui o meu servo, a quem sustenho; o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz: pus sobre ele o meu Espírito, e ele promulgará o direito para os gentios" (Is 42.1).

Quando ficamos olhando para o monte do Calvário, uma coisa se torna bem clara: esse Ungido e Escolhido já havia sido predestinado desde a eternidade a levar a própria cruz para a execução no Gólgota como se fosse o maior criminoso.

Pensem no que deve ter custado esse caminho de sacrifício a Jesus e ao Pai! Não conseguimos avaliá-lo, apenas podemos adorá-lO por isso. Ele, o puro Filho de Deus, foi entregue nas mãos dos pecadores e ímpios para ser barbaramente executado.

Por quê?

O malfeitor arrependido que foi pendurado em uma cruz ao lado de Jesus teve de nos servir de exemplo e confessou na hora da sua morte: "Nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos atos merecem; mas este nenhum mal fez" (Lc 23.41).

"Porque Cristo... morreu a seu tempo pelos ímpios" (Rm 5.6).

"Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados", já disse Isaías (cap. 53.5).

Essas pisaduras são a prova de Seu sacrifício absolutamente suficiente e de Seu amor salvador insondável.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

CONFLITO ESPIRITUAL

Cada filho de Deus está envolvido em um grande conflito espiritual, quer queira quer não, pois somos seres espirituais, e a nossa vitória ou derrota está, antes de tudo no reino do espírito. 

Porem não devemos temer pois a palavra de Deus garante que somos mais do que vencedores, por Aquele que nos amou (Rm.8.37). A nossa vitória foi obtida pelo próprio Cristo, mediante a sua morte na cruz.

Neste conflito não estamos desarmados, pois Deus tem colocado a nossa disposição armas poderosas para o combate.

AS ARMAS DA NOSSA MILICIA

As armas da nossa  milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para destruição das fortalezas  II.Co.10.4. A expressão fortalezas representa lugares ou situações que o inimigo mantém as almas presas de tal forma que ficam quase sem possibilidades de serem alcançadas pelo poder do evangelho.

TIPOS DE FORTALEZAS:

a) O amor ao pecado: (eu não consigo deixar de fazer isto). Porque não consegue? Certamente  se trata de uma fortaleza que prende esta pessoa.

b) A incredulidade: quando se trata dos ensinamentos bíblicos e alguém diz: eu não acredito nestas coisas .

c) A religiosidade: mediante a pregação do evangelho muitas pessoas dizem: (eu já tenho a minha religião)

d) As seitas e heresias: (Ensinamentos errados  sem base bíblica ) e as pessoas dizem, eu aprendi assim e vou continuar fazendo assim. Não esqueça, uma meia verdade é pior do que uma mentira.

e) As tradições locais e familiares: (esta é a tradição deste lugar ou então meu avô era assim, meu pai era assim, e eu vou morrer assim).

f) Desculpas com o tempo a idade: (eu não tenho tempo para estas coisas ou ainda sou muito novo (a) e preciso aproveitar a vida)

g) Enfim tem muitas outras fortalezas malignas. Tudo aquilo que impede o homem ou a mulher de se achegar a Deus, certamente é uma fortaleza que precisa ser destruída para que esta pessoa seja liberta.

MAS, COMO DESTRUIR ESTAS FORTALEZAS?

 As armas carnais e humanas são inadequadas para destruir as fortalezas de satanás. As únicas armas adequadas (para desmoronar os arraiais do inferno, a injustiça e os falsos ensinos) são as que Deus nos dá.

Mediante o emprego destas armas contra o inimigo, o reino de Deus se manifestará poderosamente para destruir as fortalezas, salvar os pecadores, iluminar o entendimento dos incrédulos, expelir os demônios, santificar os crentes e curar os enfermos.

A ARMADURA DE DEUS

No demais,  irmãos meus, fortalecei-vos no senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades ...” Ef.6.10-18.

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

RESISTIR AO INIMIGO E OBTER A VITÓRIA

Se quisermos RESISTIR ao inimigo e obter a vitória sobre ele, precisamos desalojar e expulsar os pecados hospedados em nosso coração.

Eles agem em nossa vida espiritual, como o vírus da Aids, o HIV, que destrói toda a resistência do organismo, tornando-nos vulnerável. Para nos manter cativos, ele pode usar uma mágoa crônica guardada contra a esposa, contra o marido, filhos, pais, irmãos, ou o próximo.

Ele pode nos dominar através de pensamentos impuros, desejos carnais e mundanos. Ele usa pecados de nossa vida cotidiana, que temos vergonha de pedir perdão a Deus por tê-los repetido tantas vezes.

Entretanto, precisamos resistir em nome de Jesus. Não esquecer que maior é aquele que está conosco.

Precisamos ser simples como as pombas, mas, também, PRUDENTES como as serpentes.

Nesse mundo, somos cercados, muitas vezes por pessoas falsas, maldosas, maliciosas, hipócritas, perversas e mentirosas, que se aproximam de nós, dizendo-se verdadeiros, porém são lobos em pele de ovelha; são demônios disfarçados de anjos de luz. “Eis que vos enviou como ovelhas para o meio de lobos; sede portanto, prudentes como as serpentes e simplices como as pombas.“ (Mt. 10.16).

A melhor maneira de ser prudente é saber a hora certa de abrir e fechar as portas do coração e da nossa casa. Portas tais como: A ira (Gn. 4.4-7; Sl. 4.4). A cobiça (Ex. 20.17; Tg. 1.14,15). A maledicência (Ef. 4.29; Sl. 141.3; 1 Pe. 3.10; 1 Co. 10.9,10; Fp. 2.14,15) A impureza ((1 Ts. 4.3-8; Gl. 5.19; Ef. 4.17,19; Ef. 5.3; Ap. 21.8;22.15). A avareza (Lc. 12.15; Hb. 13.5,6)

Lidiomar T. Granatti / Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

A PRESSA QUE NÃO ENTENDE O TEMPO DE DEUS

 “Deus não trabalha com a ansiedade” uma vez que se assim fizesse estaria incentivando uma infelicidade constante no homem que passaria a associar sua condição de “sofredor” como a de qualificado para receber alguma bênção.

Deus está sempre presente para nos atender, embora não possamos vê-lo e muitos sequer ouçam a sua voz, principalmente nos momentos de angústia e luta, mas isso não altera seu interesse em nos oferecer o melhor pela fé.

Um problema básico que se coloca entre o pedir e o receber é o “tempo de Deus” que não está calibrado com nossos relógios e nem sempre funciona a nossa maneira.

Pedi e dar-se-vos-a (Mt 7:7);

Tempo de Deus Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. (II Pe 3:8);

Está com o contrito e abatido (Is 57:15);

Quer nosso bem (Jr 29:11)

O modo de nos acertarmos com o “tempo de Deus” é aprender a “esperar”, pois a seu tempo nos recompensará. A seu tempo (I Pe 5:6) “Esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor”.

Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos: E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus...” Salmos 40: 1

Estabelecido o entendimento do tempo divino podemos descansar mesmo antes de receber a bênção, e é importante lembrar que certos caminhos que nós escolhemos são alterados por Deus, exatamente para o nosso bem, pois não sabemos sequer pedir de forma apropriada (Rm 8:26).

Sem pressa, sem preocupação, sem ansiedade, sem estresse, sem medo ou pânico. Lançando sobre Ele (I Pe 5:7) Não andeis ansiosos (Lc 12: 22-34) Há caminhos (Pv 14:12) .

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

DISCERNIMENTO ESPIRITUAL

Corremos o risco de lutar contra nós mesmos, contra Deus e, consequentemente, a favor do inimigo. Devemos discernir o que é ação de Deus. “Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim sãos os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos” (Is. 55.9).

Devemos estar atentos, para não atribuir um ato de Deus que não entendemos, a algo ou alguém que não Ele. “E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito não lho permitiu... concluindo que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o evangelho” (At. 16.6-10).

Nem tudo que aparentemente dá errado, é necessariamente obra do diabo ou maldição.

Existem coisas que Deus permite que aconteçam com o objetivo de transformar nossa fraqueza em força, derrota em vitória “...O que faço não o sabes agora; compreendê-lo-ás depois.” (Jo. 13.7).

DISCERNIR O QUE É AÇÃO DO MALIGNO “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora” (1 Jo. 4.1). Eis alguns textos bíblicos que exemplificam o engano de espírito maligno (At. 16.17; 1 Sm. 16.14-23; 1 Ts. 2.18).

DISCERNIMENTO DO QUE É A AÇÃO DA CARNE“Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer.” (Gl. 5.17)

Lidiomar T. Granatti / Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

domingo, 20 de dezembro de 2020

DEUS NOSSO MODELO MISSIONÁRIO

“...Que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência; Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra; (Ef 1.8-10) 

Deus é Deus que faz missões e Ele é nosso modelo de missões. Não podemos entender a tarefa missionária da Igreja se não entendermos que Deus é Deus missionário.

NOSSO DEUS É DEUS QUE ENVIA

A palavra “missão” vem do verbo enviar ou mandar. Uma pessoa enviada tem função ou poder que lhe foi conferido por alguém para fazer algo. Portanto, só fazemos missão quando somos enviados ou mandados por Deus.

Deus, o Pai, enviou muitos homens no tempo de Israel com o fim de salvar o povo do caminho errado. Um exemplo de pessoa preparada por Deus para um momento muito especial é José (Sl 105:12-17). Depois dele, Moisés e outros foram enviados.

Após tantos envios de missionários a Israel, sem muito resultado positivo, Deus enviou seu próprio Filho, Jesus. O texto de Jo. 3:16-17 é muito claro em dizer que Deus enviou seu filho porque amou o povo em pecado.

Depois, na Igreja Primitiva, muitos outros foram enviados, como Paulo e Barnabé (Atos 13). E Deus continua chamando e enviando pessoas ainda hoje (Rm 10:14-15).

NOSSO DEUS É DEUS MISSIONÁRIO.

É Deus que tem compaixão do pecador. Ele sofre por causa da “ovelha perdida” que ainda não retornou ao lar. Para que cada crente seja um missionário precisa ter compaixão dos perdidos.

Deus quer que todos se salvem (1Tm 2:1-4). O amor de Deus não tem limites. Deus não faz acepção de pessoas (Rm 2:11). O ser humano é alvo do amor de Deus.

Deus comissionou sua igreja para fazer sua obra missionária (Mt 28:19-20)

NOSSO DEUS AINDA TEM UM PROJETO MISSIONÁRIO.

O projeto missionário existe no coração de Deus antes mesmo da fundação do mundo (Ef 1:3-5).

O projeto missionário de Deus foi centralizado na pessoa de Cristo (2 Co 5:19) em quem tudo converge (Ef 1:11).

A Igreja, hoje, continua fazendo o trabalho de Cristo na salvação do ser humano. No texto de 2Co. 5:18-20 Paulo diz que nós recebemos o ministério da reconciliação.

Sempre é Deus quem toma o primeiro passo em qualquer atividade cristã, pois Ele é o dono de todas as circunstancias. Foi Ele quem colocou seu povo na história do mundo.

Todo instrumento usado em missões primeiro tem que ser usado por Deus. Deus não usa instrumentos que Ele não santificou.

Toda ação missionária da Igreja local só terá resultados a partir do entendimento de que Deus é Deus missionário. 

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

sábado, 19 de dezembro de 2020

A BÍBLIA E OS ANJOS

 SÃO CRIATURAS - Os anjos não são eternos na mesma essência que Deus. Deus sempre existiu, não teve princípio de dias – os anjos são seres criados – tiveram um princípio.

Quando lemos da criação dos céus e da terra em Gênesis, ali se acha implícita a criação de todo o exército celestial. Como criaturas, recusam receber adoração. Em Ap. 22.8,9, vemos João: “Eu, João, sou o que ouvi e vi estas coisas. E quando as ouvi e vi, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava, para o adorar. Mas ele me disse: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus”; Isto revela a tendência do homem à idolatria!

SÃO ESPÍRITOS - Conforme o texto de Hb. 1.14 que diz: “Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor dos que hão de herdar a salvação?”, a Bíblia os define como sendo espíritos, possuem todas as características de um espírito, pois não possuem limitações naturais e físicas, podem, entretanto, assumir forma corpórea.

A maneira como os anjos se manifestavam na Bíblia, geralmente era de uma forma tão normal em sua apresentação visual, que chegavam a ser confundidos com os homens.

A integração dos anjos é tão perfeita entre os humanos que Hb 13.1,2 nos traz uma advertência!: “Permaneça o amor fraternal. Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, sem o saberem, hospedaram anjos” Esta integração em nossos dias implicaria em recebermos a visita de um anjo, não vestido com uma túnica branca e com asas, mas talvez vestido de Jeans e camiseta, usando tênis. Diversos testemunhos em nossa época confirmam isto.

SÃO IMORTAIS - Os anjos tiveram um princípio, todavia não terão um fim, conforme Lc 20:36: “Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição”. Atravessam os séculos, acompanhando toda a história humana.

Se o termo “legião” usado por Jesus é o mesmo usado para o agrupamento militar do império romano, então uma legião conta com 6000 membros. Como vemos em Mt.26.53, Jesus poderia facilmente rogar ao pai para ter o auxílio de 12 legiões, ou seja: 72.000 anjos somente no Getsêmani. Entretanto, o número aproximado que a Bíblia nos dá é que são miríades de miríades, ou milhões de milhões, isto é: bilhões.

SEM SEXO – O homem em seu gênero possui sexo e, como tal, sente-se na contingência de casar-se. Os anjos, entretanto, não se casam, pois não tem sexo. Foram criados, individualmente. Em Lc. 20.34 a 36 vemos: “Respondeu-lhes Jesus: Os filhos deste mundo casaram-se e dão-se em casamento; mas os que são julgados dignos de alcançar o mundo vindouro, e a ressurreição dentre os mortos, nem se casam nem se dão em casamento; porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.” 

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

AMAR A DEUS

A visita de Jesus à casa de Marta e Maria ilustra o verdadeiro significado de amar a Deus: "Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada os pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos.

Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me.

Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada" (Lucas 10:38-42). 

Marta era uma boa senhora. Ela recebeu bem Jesus em sua casa. Ela poderia ter-se incomodado com o serviço extra e a perturbação que sua visita traria e ter pedido a Ele que se fosse, mas não o fez.

Ela estava ansiosa por sentar-se e ouvir o Senhor, como sua irmã Maria estava fazendo, mas as exigências de suas preparações deixaram-na sem tempo para fazer isso.

Talvez ela estivesse preparando uma refeição, limpando a casa ou atendendo às outras tarefas domésticas da família. Seus elevados padrões nessa área e sua compulsão para ter as coisas bem em ordem para a visita de Jesus frustraram-na grandemente.

Ela ficou irada porque sua irmã não a estava ajudando. Jesus apontou o problema dela: estava aflita e aturdida por muitas coisas. Não eram coisas más, porém não eram "aquela coisa" de importância suprema.

Ela estava aplicando esforço de primeira qualidade a atividades de segunda qualidade. Maria, em contraste, sentou-se aos pés de Jesus, ouvindo-o.

Havia uma refeição para ser preparada, talvez uma casa para ser limpa, mas Maria escolheu passar o seu tempo com seu Senhor.

Tanto Maria como Marta tinham algum amor por Jesus.

Mas Maria era aquela que amava a Jesus com "todo" o seu coração, com "toda" a sua alma, com "toda" a sua força, e com "todo" o seu entendimento.

Amar assim a Cristo significa escolher buscar as prioridades espirituais, mesmo se isso significar fazer outras coisas não tão bem, ou mesmo não faze-las.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

JESUS, O NOSSO REDENTOR

Jesus é nosso Redentor: "Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do Seu amor, no Qual temos a redenção, a remissão dos pecados." (Cl 1:13-14, na ARA, com grifos nossos).

O Senhor Jesus realizou uma obra de trasladação, ou seja, uma mudança de lado. No original grego, encontramos aqui o verbo methístemi, "transpor", "transferir", "remover de um lugar para outro". Este é um aspecto fundamental na vida cristã: Paulo está nos dizendo que Jesus nos arrancou do império das trevas e da morte e nos transferiu, por assim dizer, nos removeu para o Seu Reino. Exatamente por esta causa é que Ele operou a nossa Redenção.

Na língua do NT, encontramos o substantivo apolútrosis, "uma libertação efetuada pelo pagamento de um resgate", que por sua vez origina-se de outro substantivo, lútron, "o preço de redenção", "o resgate pago pelos escravos cativos", "o resgate da vida".

Segundo Paulo, foi exatamente isto que Jesus operou em nosso favor: Ele pagou com o Seu sangue o preço de nossa libertação, tornando-se, assim, nosso Redentor e Senhor.

Paulo ainda nos informa que recebemos a Remissão de nossos pecados. No grego temos o substantivo áphesis, "livramento da escravidão ou prisão", "remissão ou perdão de pecados", "remissão da penalidade". Além de termos sido resgatados, somos livres da escravidão e da penalidade, a fim de podermos viver em novidade de vida (cf. 1Co 5:17).

É exatamente isto que sugere o substantivo áphesis: nossa situação muda tão radicalmente que é como se nossos pecados nunca tivessem sido cometidos. Uma realidade sobre a qual Isaías havia falado sete séculos antes: "Assim diz o Senhor, o que preparou no mar um caminho, e nas águas impetuosas uma vereda; Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de Mim, e dos teus pecados não Me lembro." (Is 43:16,25, na ACF, com grifos nossos).

O Senhor Jesus é a perfeita representação de Deus.

Uma revelação importantíssima, pois Ele não é apenas e simplesmente um homem divinizado ou um deus humanizado. Mas o próprio Deus que Se fez carne e habitou entre nós (Jo 1:14), morreu por nossos pecados (Rm 5:6), ressuscitou dentre os mortos (1Co 15:20), subiu aos céus (At 1:2), intercede por nós (Hb 7:25) e um dia voltará para nos levar para Si (Jo 14:3).

Verdades tão profundas que alteram a "rotina" tanto da terra, quanto dos céus!

Lázaro Soares de Assis

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz 

quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

LIVRANDO-SE DA AMARGURA

Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem. (Hb.12.15)

O nosso modo de vida cristã precisa ser um modelo da graça de Deus. Nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe; por ela muitos se contamine.

Amargura é angústia, aflição, dor, oculta, ou melhor, encoberta na nossa alma, que nos torna amargos, tristes, depressivos, cheio de ressentimentos por alguém.

Uma pessoa amargurada, além de prejudicar a si mesma, e de ficar impedida de receber as bênçãos do Senhor, acaba corrompendo os outros a sua volta. Torna-se uma pessoa de difícil convivência

A amargura surge quando sou ofendido e não perdôo, a ofensa se transforma em ira. Posteriormente a ira se transforma em ressentimento. E o ressentimento dar lugar à amargura. A amargura surge em nossos corações atingindo até mesmo os nossos relacionamentos mais puros e sinceros.

A alma amarga dá lugar ao diabo (Ef.4:26-27)

A alma amarga contamina a outros. Por meio de suas palavras o amargurado busca adeptos à sua causa. E quem concorda com o amargurado é seu amigo, e quem não concorda é seu inimigo (Tg.3:5-6).

A alma amarga impede que entendamos os verdadeiros propósitos de Deus para a nossa vida.

Ao enfrentarmos tempos difíceis, Deus recebe nossas sinceras orações, mas precisamos ter cuidado para não negligenciarmos o amor, a força e os recursos que Ele provê em nossas vidas. E não podemos permitir que a amargura e a decepção nos desviem das oportunidades que surgem.

Quando damos importância aos problemas não resolvidos ou às promessas não cumpridas, nossos pensamentos enchem-se de mágoa, aumentando o stress e roubando nossa alegria.

Perdoar é deixar estes sentimentos irem embora, essa é a única forma de trazer de volta a paz e calma.

Precisamos combater a amargura em nós mesmos, resistindo a ela com todas as nossas forças. Corte-a pela raiz! Entenda que Satanás é a fonte de todas as atitudes amargas. Quando os sintomas aparecerem, estude e medite nas Escrituras em vez de se entregar a auto piedade. Busque regozijar-se com aqueles que são mais abençoados do que você. Substitua a tristeza pela alegria. E mais do que tudo ore por ajuda.

A palavra do Senhor diz que é necessário nos prevenirmos, e ficarmos atentos, para que nenhum de nós seja impedido, preso ou embaraçado, não recebendo o favor ou os benefícios de Deus, por causa da raiz de amargura: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. Tendo o cuidado que ninguém vos prive da graça de Deus e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem”. (Hb 12:14 e 15).

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

JESUS TOMOU O NOSSO LUGAR

 “Contudo foi da vontade do Senhor esmagá-lo e fazê-lo sofrer, e, embora o Senhor faça da vida dele uma oferta pela culpa, ele verá sua prole e prolongará seus dias, e a vontade do Senhor prosperará em sua mão”.( Is. 53:10. 

A maior dor de Cristo não foi dos pregos, da coroa de espinhos e da agonia da cruz: mas dos pecados que não eram dele!

O maior sofrimento de Jesus foi o de carregar os nossos pecados. Pecados que não eram dele.  Isso foi substituição!

Ninguém melhor do que Isaías para descrever essa missão de dor, mas ao mesmo tempo de cura do Messias:

Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso.

Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e; as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.

Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. (Is.53.3-6

Jesus recebeu o castigo em nosso lugar.

Jesus sofreu rejeição em nosso lugar.

Ele carregou os pecados que eram nossos.

Aquele desamparo momentâneo deveria ser nosso, mas ele nos substituiu! Ele sofreu um castigo que nos trouxe a paz.

Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo". (João 16:33)

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

DÊ FRUTO ONDE DEUS TE SEMEAR

E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho; De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares; E muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor... Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho...” .Filip.1.12-24

Paulo foi um homem que jamais deixou de dar frutos onde quer que Deus o tivesse semeado

Sua vida é uma demonstração que não há terreno estéril demais no qual o evangelho não possa em sendo semeado, brotar, frutificar e florescer.

Paulo dava frutos porque ele sabia que essa era sua missão, nada no mundo era tão importante para ele.

A vida humana é feita de motivos, desafios e projetos. Deus nos chamou para promover a fé, seja quais forem os dons, aptidões, possibilidades, recursos ou capacidade. Onde quer que estejamos neste mundo é para promover a fé.

Paulo sabia que Deus estava no controle de Tudo. Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Jesus Cristo por vós, os gentios; Ef. 3.1;  4.1

Não fora entregue as autoridades romanas, não esteve detido em Cesaréia, não naufragou a caminho de Roma, não ficou preso casualmente, estou aqui por causa de Cristo”

Em 2 Co 11, há um currículo pavoroso de Paulo: Recebi 4 quarentenas de açoites menos 1. Porém ele tinha consciência do controle de Deus.

Nada para ele se compara ao poder de Deus. Ele sempre nos conduz em triunfo em todo lugar.

Ainda que o inimigo se levante: “SE DEUS É POR NÓS QUEM SERÁ CONTRA NÓS”.

Paulo ousou acreditar em Deus que honrou sua fé.

Dar fruto onde Deus nos semear; onde quer que formos, que estejamos, estamos ali para promover fé, para dar frutos.

Se onde estamos existem problemas, as coisas estão difíceis, há miséria, dor, revolta, doenças, lutas, bandidos, Deus nos colocou ali para dar frutos, não para reclamar

Sejamos embaixadores de Deus, portadores de Boas novas, canal condutor da benção de Deus.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz