quarta-feira, 30 de setembro de 2020

O MILAGRE ESTÁ EM SUA BOCA

Confessar é possuir!  Então, fale somente o que é bom, o que edifica, o que constrói, o que abençoa, o que ministra graça.(Ef 4.29). 

Faça um compromisso consigo mesmo de jamais falar palavras negativas, de morte, de derrota, de fracasso… o diabo só pode agir na sua vida quando você declara palavras que dão legalidade à ação dele…(Pv 18.21)

Muitas pessoas ficam doentes porque declaram a doença; ficam depressivas porque falam e agem como depressivo; pessoas que estão envelhecendo rapidamente porque falam: “estou velho, acabado…”

Há poder em suas palavras, então, tome posse das promessas de Deus, fale das promessas da Palavra de Deus, declare em fé as promessas de Deus, assim, elas tornar-se-ão realidade em sua vida.

O poder de realizar feitos notáveis e viver uma vida extraordinária não está ligado a uma função, mas a uma disposição do coração de confiar no Senhor, de crê e obedecer a Deus e a sua santa palavra. (Jo 7.38; Jo 14.12)

O triste fato é que a igreja limitou a principal estratégia de Satanás a certos comportamentos como: levar a pessoa para o álcool, as drogas, a prostituição, o adultério, os roubos…  na verdade, o que o diabo mais teme é que os discípulos de Jesus descubram quem Deus os chamou para ser, pessoas extraordinárias, com poder, sabedoria, graça, autoridade espiritual e habilidades dadas pelo Espírito Santo para realizar feitos notáveis e incomuns. O apostolo Pedro, curando um coxo de nascença… (Atos 3.1-10).

Em contraste à atual reputação dos cristãos de nosso país; uma das grandes dificuldades que os discípulos da igreja primitiva tiveram foi convencer as pessoas de que eles não eram super-heróis ou deuses. Cornélio ajoelhou-se diante do apostolo Pedro… (At 10.25,26).

Os apóstolos Paulo e Barnabé, foram recebidos como se fossem “deuses” na cidade de Listra, o que eles rejeitaram com veemência… (At 14.8-15) Paulo, na ilha de Malta, quando uma víbora o picou e não aconteceu nada com ele, os nativos pensaram que ele fosse uma espécie de divindade… (At 28.1-6).

Os discípulos de Jesus eram considerados em alta estima pela sociedade da época, o povo lhes tributava grande admiração e respeito. “Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração.” (At 5.13) “Porém, não os encontrando, arrastaram Jasom e alguns irmãos perante as autoridades, clamando: Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui.” (At 17.6).

Que a nossa geração possa ver o que Deus pode fazer com e através de discípulos completamente consagrados a Jesus, que vivem na dependência do amado Espírito Santo.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

 

terça-feira, 29 de setembro de 2020

APROXIME-SE DE DEUS

 

Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo: Com amor eterno te amei; também com amável benignidade te atraí. (Jr. 31.3)

Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. (Ef.2.13)

Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós (Tg 4:8).

Ao vermos a beleza da natureza, uma pessoa automaticamente pensará em um Ser que está por trás de todas as coisas; enquanto outra pensará que se trata simplesmente de coincidências surpreendentes.

A Bíblia declara: “É necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam” (Hb 11:6).

É como um exame de sinceridade. O que se aproxima de Deus deve manifestar confiança, não somente para aceitar a existência de Deus, tão evidente, mas também para reconhecer Sua bondade e crer que será aceito.

“Perto está o SENHOR de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade” (Sl 145:18).

Aproximar-se de Deus, invocá-Lo “em verdade” é admitir que Ele é nosso Criador e que nós somos Suas criaturas.

Significa que tem direitos sobre nossa vida, que tem uma vontade determinada para nós.

Está ao nosso alcance buscar esta vontade, pois Deus deseja Se dar a conhecer a todos por meio de Jesus Cristo.

Todos sabemos algumas coisas sobre a vida de Jesus, porém, para chegar a nos render ao Seu senhorio é necessário ir além desse simples conhecimento intelectual: temos de aceitar pela fé Sua obra, Sua cruz, Seu perdão e Seu governo sobre nós.

Extraído do devocional BOA SEMENTE

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


segunda-feira, 28 de setembro de 2020

CREIA NO INFINITAMENTE MAIS


“Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós.” (Efésios 3.20)

Deus nos orienta a orar pedindo grandes coisas. (Jr 33.3; Sl 2.8) Deus sempre faz infinitamente mais do que pedimos ou pensamos… (Ef 3.20) Jesus disse que nós faríamos as obras que Ele fez e outras ainda maiores. (Jo 14.12) O apóstolo Paulo na cidade de Éfeso… (At 19.11). Para que nós possamos fazer infinitamente mais, Deus nos deu o Seu Espírito sem limitações. “Pois aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque ele dá o Espírito sem limitações.” (Jo 3.34)

O grande prazer de Deus é ver você crescer e atingir o máximo do seu potencial em Cristo, e assim, cumprir o propósito eterno que causou a sua existência. A verdade é que Deus não apenas deseja que você viva extraordinariamente, como também equipou você com talentos naturais, dons espirituais e com o poder do Espírito Santo. (At 1.8)

Nunca se esqueça, uma vida notável, impressionante, extraordinária não está restrita a certas pessoas ou a certas profissões.

Não importa o seu berço, quem você foi, quem você é, que profissão você tem, se você é um professor, um homem de negócios, um profissional liberal, uma mãe dona de casa, um atleta, um operário de fabrica, um cabeleireiro, um mecânico, um estudante… Uma vida poderosa em Deus é totalmente possível pelo poder do Cristo ressurreto, através do Espírito Santo que habita em você. (Atos 1.8)

Profetize um ano de céu aberto, de manifestação do céu na terra, de transbordar do Espírito Santo, de milagres extraordinários, de multiplicação de discípulos, de crescimento exponencial em todas as áreas de sua vida, em sua família e na vida da igreja; um ano de conquistas infinitamente maiores.

O milagre está em sua boca! Confessar é possuir!

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz

 


domingo, 27 de setembro de 2020

A AUTORIDADE COMPLETA DA FÉ

 

“…E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda”(At.3.1-6). Nesse primeiro milagre realizado pelos discípulos, foi nos dada a chave para ser usada por todos os crentes ao exercer a autoridade de fé.

Ao ordenar a cura para o homem coxo, Pedro emprega o nome/título completo de nosso Senhor: Jesus Cristo (Messias), o Nazareno. Jesus (Joshua ou Yeshua) era um nome comum entre os judeus e, atualmente, continua sendo em muitas culturas. Mas a declaração de seu nome e título completos, prática notável em Atos, parece uma boa e funcional lição para nós.

Em nossa confissão de fé ou proclamação de poder, confesse sua divindade e seu domínio como o Cristo (Messias); use seu precioso nome, Jesus (Salvador). Invoque-o como Senhor Jesus Cristo, Jesus Cristo, Jesus o Nazareno, sem que haja qualquer exigência legal ou ritual nesse momento.

Mas vale a pena lembrar que, assim como oramos em nome de Jesus, nós exercemos toda a autoridade nele – pelo privilégio do poder que ele nos deu em seu nome.

Ao lermos Atos 3.16 = “E, pela fé no seu nome, fez o seu nome fortalecer a este que vedes e conheceis; e a fé que é por ele deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde”. Imediatamente após o derramamento do Espírito no Pentecoste, é declarado: muitos prodígios e sinais foram realizados pelos apóstolos.

O Cap. 3 de Atos dá o relato da cura de um homem coxo desde o nascimento, fato bastante conhecido por todos em Jerusalém. Pedro atribuiu a cura não unicamente a poderes humanos, mas a fé em nome de Jesus.

Constatamos que a cura se dá através da fé em nome de Jesus. Na disposição cultural da Bíblia, um nome não se separava da pessoa que a possuía, e o próprio nome de Jesus Cristo “Salvador Ungido”. Portanto, Pedro está dizendo que foi o Messias em sua plenitude que curou o homem. Além disso, o poder do milagre não estava na fé que Pedro tinha, mas na fé que é por ele.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


sábado, 26 de setembro de 2020

PRIORIDADE NA LEITURA BÍBLICA

 

O quanto este ponto é vital para o objetivo da Bíblia?

Algumas seções das Escrituras possuem mais relevância persuasiva para a condição humana do que outras. Preste atenção nas palavras de Paulo:

“Antes de tudo vos entreguei o que também recebi; que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E apareceu a Cefas, e depois aos doze” (1 Coríntios 15:3-5).

Paulo afirma que há algumas verdades que são “mais importantes”. Ele então descreve essas verdades como a morte, sepultamento e ressurreição de Jesus.

A Bíblia não é uma paisagem plana sem picos e montanhas. Ela tem grande variedade de contorno e geografia. Apesar de todas as palavras da Bíblia serem importantes, nem todas as palavras são igualmente importantes. Apesar de todo texto contribuir para o todo, nem todo texto tem peso igual.

Por exemplo, o mesmo apóstolo Paulo discursou a respeito da ressurreição de Cristo e das jóias das mulheres.

Os temas possuem a mesma importância? Absolutamente. Podemos discordar a respeito de roupas, mas discordar a respeito da Ressurreição pode ser fatal.

Isso significa que a Bíblia possui partes sem valor? Não. Apenas significa que algumas têm mais valor que outras.

Imagine que eu esteja segurando três moedas: 25 centavos, 10 centavos e 5 centavos. Qual moeda tem o maior valor? A de 25 centavos. Isso significa que a de 10 centavos e a de 5 centavos não são importantes? Claro que não. Elas simplesmente têm valores diferentes.

O sábio estudante da Bíblia sabe quais versículos são versículos de 25 centavos e quais são versículos de 5 centavos. O bom estudante dá mais importância para os mais importantes e menos importância para os menos importantes

Jesus criticou os líderes religiosos de Sua época por não fazerem isto. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da lei, a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis fazer estas coisas, sem omitir aquelas (Mt 23:23).

É POSSÍVEL ENTENDER A BÍBLIA E DEIXAR PASSAR SUA MENSAGEM CENTRAL?

Absolutamente. Isso é exatamente o que Jesus quis dizer quando disse, Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. Contudo não quereis vir a mim para terdes vida (Jo 5:39, 40).

Max Lucado

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


sexta-feira, 25 de setembro de 2020

BÍBLIA!!! BÍBLIA???

 

Eu, a Bíblia, estou em suas mãos. Quero ser uma bênção para você.

Então atente para as verdades que lhe digo e para os conselhos que lhe dou ao pórtico de qualquer leitura de minhas páginas:

1.sou o Livro dos Livros Nenhuma criação ou obra humana se sobrepõe a mim, porque sou a Palavra inspirada do Senhor (II Tim. 3:16);

2.não sou livro de ciências, embora a elas faça algumas referências: sou o livro do coração de Deus para o seu coração carente de alimento espiritual. (Sl. 42:1-2);

3.apresento cenas, painéis, histórias, provérbios, poesias, lutas de reis, fatos sociais vulgares, intrigas palacianas, atitudes nobres, procedimentos vis, fracassos e vitórias de grandes personalidades, santos e ímpios e, faço-o com inteira imparcialidade. Sou a verdade (João 17:17);

4.entro em aposentos de reis e príncipes, em casebres paupérrimos, em escritórios de sábios e de inteligências menos aquinhoadas, para lhes anunciar o maior amor, o amor de Deus em Cristo Jesus. Sou o livro mais popular do mundo (Is 11:9)

5.vivo na mente e no coração de milhões de criaturas. Se eu desaparecesse da face da Terra agora, grande parte do que tenho e sou seria reconstituída por leitores meus e crentes piedosos que não se envergonha de mim (Rm 1:16);

6.desejo ser pão para a sua fome da verdade (João 6), água para a sua sede de Justiça (Atos 17:3), bálsamo para as suas angústias e sofrimentos morais (Mt 11:28), bússola para todas as suas peregrinações neste mundo (Sl 119:19);

7.por mim aprenderá que há um Deus só, um Mediador entre o Pai e você (I Tm 2:5), um Mestre e Senhor (João 13:13) - JESUS. Esperança nossa (I Pe 1:3). Amigo sem par (João 13:1);

8.Moisés teve de tirar as sandálias dos pés para pisar a terra santa (Ex 3:5). Descalçar as sandálias da vaidade humana, porque vai meditar na Catedral do Espírito. Em mim fala o Senhor (1:2);

9.não me manuseie com altivez acadêmica, mas com humildade, com o santo propósito de ouvir a mensagem de Cristo, a luz do Mundo (João 8:12). Diga como o jovem Samuel: - "Fala, Senhor, porque o teu servo ouve".(I Sm3:5,10.

10.com oração e sossego, com amor e fé, com singeleza de coração, aproxime-se de mim e o Deus da verdadeira Paz será com você eternamente (Fil 4:9).

CREIA EM DEUS E DÊ HONRAS AO TEU FILHO.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


quinta-feira, 24 de setembro de 2020

JESUS, O FILHO DO HOMEM

 

“E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (Mt 8.20).

“No Novo Testamento, esta é uma designação de Cristo, quase totalmente limitada aos Evangelhos. Em outros lugares, é encontrada em At 7.56, a única ocasião onde um discípulo aplicou a expressão ao Senhor Jesus, e em Ap 1.13; 14.4”.

 “FILHO DO HOMEM” é o título que Cristo usou para aludir a Si mesmo; Jo 12.34 não é exceção, pois a citação feita pela multidão era advinda da declaração que Ele fazia. O título é especialmente encontrado nos Evangelhos Sinóticos. As ocorrências no Evangelho de João (Jo 1.51; 3.13,14; 5.27; 6.27, 53, 62; 8.28; 12.23; 12.34; 13.31), não são o paralelo dos Evangelhos Sinóticos.

 “Em João, o uso do título entra em dois grupos de textos:

(a) os que se referem à humanidade de Jesus, a obra que Ele fez na terra, Seus sofrimentos e morte (por exemplo,.20; 11.19; 12.40; 26.2,24);

(b) os que se referem à Sua glória na ressurreição e ao Seu futuro advento (por exemplo, Mt 10.23; 13.41; 16.27,28; 17.9; 24.27; 24.30 [duas vezes]; Mt 24.37,39, 44)”.

“Enquanto é título messiânico, é evidente que o Senhor o aplicou a Si mesmo de modo distintivo, porque indica mais que messiado, até supremacia universal por parte daquele que é Homem. Portanto, põe em relevo Sua humanidade, humanidade de ordem única em comparação com todos os outros homens, pois é declarado que Ele é do céu (1 Co 15.47), e mesmo durante o tempo em que esteve aqui embaixo, Ele era ‘o Filho do Homem, que está no céu’ (Jo 3.13).

Como “Filho do Homem”, Ele deve ser recebido espiritualmente como condição de possuir a vida eterna (Jo 6.53). Na Sua morte, como na vida, a glória da Sua humanidade foi mostrada na absoluta obediência e submissão à vontade do Pai (Jo 12.23; 13.31), e, em vista disso, todo o julgamento lhe foi entregue, pois Ele julgará com pleno entendimento experimental das condições humanas, menos o pecado, e exercerá o julgamento como a compartilhar a natureza dos que são julgados (Jo 5.22,27)”.

 “Ele não apenas é homem, mas é “o Filho do Homem”, não pela geração humana, mas, de acordo com o uso semítico da expressão, participando das características (exceto o pecado) da humanidade que pertence à categoria do gênero humano. Duas vezes em Apocalipse (Ap 1.13 e 14.14), Ele é descrito como “um semelhante ao Filho do Homem” (cf. Dn 7.13).

Aquele que assim foi visto era realmente o “Filho do Homem”, mas a ausência do artigo no original serve para acentuar o que moralmente o caracteriza como tal. Por conseguinte, nestas passagens Ele é revelado, não como a Pessoa conhecida pelo título, mas Aquele que é qualificado para atuar como Juiz de todos os homens.

Ele é a mesma Pessoa como nos dias da sua carne, ainda persistindo Sua humanidade com Sua deidade. O termo “semelhante a” (Dn 7.13) serve para distingui-lo como visto lá na Sua glória e majestade em contraste com os dias da Sua humilhação”. (FONTE: Dicionário VINE).

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


quarta-feira, 23 de setembro de 2020

A CALÚNIA

 

A calúnia, a mentira e o aparentado boato (que se propaga com rapidez incrível na tarefa de denegrir o caráter das pessoas) contam-se entre os defeitos humanos que mais contribuem para humilhar as vítimas indefesas e corromper quem se vale desses processos vis.

O engano, a meia-verdade, o juízo temerário e a hipocrisia caracterizam o indivíduo mal formado, o qual sente um prazer mórbido em atirar lama para cima do semelhante, ofendendo a sua honra.

A Bíblia Sagrada admoesta a não falarmos mal uns dos outros. Tiago 4:11, 12: “Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga o seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz. Há um só legislador e um juiz que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?”

O apóstolo Paulo chega mesmo a dizer: “Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros” (Gl 5:15).

Como é possível que cristãos murmuradores e maledicentes desprezem o ensino claro dos textos bíblicos acima, e de muitos outros que poderiam ser referidos. Será que de cristãos têm apenas o nome? É que juízo infundado, difamação e outras formas de se prejudicar o semelhante são ações detestáveis.

Carlos e João Wesley (a quem Deus usou poderosamente no avivamento espiritual ocorrido no século 18 na Grã-Bretanha) comprometeram-se a observar as seguintes regras, a fim de se manterem alheios a toda a maledicência:

1 – Não falaremos mal uns dos outros.

2 – Se ouvirmos falar mal de alguém, não acreditaremos facilmente.

3 – Logo que for possível falaremos sobre o assunto com a pessoa visada.

4 – Antes de fazermos isso não divulgaremos o mal, nem por escrito, nem oralmente.

5 – Após havermos falado com a pessoa em causa, não falaremos do assunto com alguém.

6 – Não abriremos qualquer exceção a estas regras, salvo se a Palavra de Deus e a nossa consciência a isso nos obrigarem.”

Aí está uma ótima receita espiritual para os indivíduos dominados pelo vício da malícia e da hipocrisia.

Vamos deixar de ver cisco na vista de outrem, ignorando a trave nos nossos próprios olhos? Vamos desabituar-nos de “coar mosquitos e engolir camelos,” como no-lo adverte nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo? Vamos deixar de ofender a reputação ou a dignidade das pessoas? Vamos erguer o caído em lugar de enterrá-lo ainda mais? Vamos opor-nos à disseminação de boatos, de atoardas, de afirmações sem qualquer fundamento?

Vamos ser cristãos a sério?

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


terça-feira, 22 de setembro de 2020

A BÍBLIA É RELEVANTE PARA OS DIAS DE HOJE?

 

Hebreus 4:12 nos diz: “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.”

Mesmo tendo sido escrita por mais de 40 autores por um período de mais de 1500 anos, sua verdade e relevância para os dias de hoje não mudou. A Bíblia é a única fonte objetiva de toda a revelação que Deus nos deu a respeito de Si mesmo e Seu plano para a humanidade.

A Bíblia contém grande quantidade de informações sobre o mundo natural que foi confirmada por observações e pesquisa científica. Algumas dessas passagens incluem Lv 17:11, Ecl 1:6-7, Jó 36:27-29, Sl. 102:25-27 e Col:16-17.

Conforme vai se desdobrando a história bíblica do plano redentor de Deus, muitos personagens diferentes são vividamente descritos. Fazendo assim, a Bíblia fornece muitas informações sobre o comportamento e tendências humanas. Nossas próprias experiências cotidianas nos mostram que tais informações são mais exatas e descritivas da condição humana do que qualquer livro de psicologia.

Muitos fatos históricos registrados na Bíblia foram confirmados por fontes não-bíblicas. Freqüentemente, a pesquisa histórica demonstra um alto grau de concordância entre os relatos bíblicos e não-bíblicos, a respeito dos mesmos acontecimentos. Em muitos casos, a Bíblia tem sido considerada mais correta em termos históricos.

Entretanto, a Bíblia não é um livro de história, texto de psicologia, tampouco periódico científico. A Bíblia é a descrição dada a nós por Deus sobre quem Ele é, Seus desejos e planos para a humanidade.

O componente mais significante dessa revelação é a história de nossa separação de Deus pelo pecado, e as medidas que Deus tomou para a restauração da união através do sacrifício de Seu Filho, Jesus Cristo, na cruz. Nossa necessidade de redenção não muda. Nem o desejo de Deus de que com Ele nos reconciliemos.

A Bíblia contém uma grande quantidade de informações precisas e relevantes. A mensagem mais importante da Bíblia, a redenção, é universalmente e perpetuamente aplicável à humanidade. A Palavra de Deus nunca ficará ultrapassada, suplantada ou necessitando de melhorias. Mudam as culturas, as leis, as gerações vêm e vão, mas a Palavra de Deus é tão relevante hoje quanto o era quando começou a ser escrita.

Nem todas as Escrituras necessariamente se aplicam explicitamente a nós hoje, mas todas contêm verdade que podemos e devemos aplicar em nossas vidas hoje.

Fonte: GotQuestion

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


segunda-feira, 21 de setembro de 2020

DEUS NOS ENSINA COMO PERDOAR AS OFENSAS

 

Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. (Ef.4.32)

Suportando-vos e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como o Senhor vos perdoou, assim fazei vós também. (Cl.3.13)

Antes do apóstolo Paulo mencionar e ensinar a necessidade de perdoarmos mutuamente as ofensas o Senhor Jesus já havia deixado bem claro que esta é uma característica do cristão verdadeiro. Desse modo, o "pão nosso de cada dia" deseja que você pense neste dia sobre a necessidade e o dever que temos de perdoar aqueles que nos ofendem e assim, caso seja necessário, coloque em prática esta marca do caráter do cristão.

Ao ensinar como devemos orar (Mt 6.5-15 – “... E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes...)

Jesus declara que não temos direito de pedir perdão a Deus se não estamos dispostos a perdoar os que nos ofendem.

Você perdoa facilmente os que te ofendem ou magoam?

É necessário encararmos de frente, e com toda sinceridade, todos os ressentimentos que estivermos abrigando contra alguém. O que desejo mostrar é que o perdão vertical (no relacionamento com Deus) só poderá ser alcançado se praticarmos o perdão horizontal (no relacionamento com o homem). Isto não pode ser esquecido.

E para que estejamos motivados a perdoar basta que meditemos sobre como Deus nos perdoa e a medida em que pudermos enxergar o perdão divino a nós dirigido, também teremos capacidade para perdoar os outros. Não podemos inverter a ordem das coisas pensando que o perdão ao semelhante é a base para o perdão divino.

A ação humana de perdoar não dirige a ação divina de perdoar. Por outro lado, quando não perdoamos, o que acontece em nosso relacionamento com Deus? E se Deus não perdoa alguém que não é capaz de perdoar o faz porque é justo. A dinâmica do perdoar exige capacidade de amar.

O amor sim é o que nos capacita a perdoar e nele encontramos as condições para exercer a reconciliação quando somos os ofensores e o perdão quando somos os ofendidos. A responsabilidade cristã de perdoar não está limitada por um número de vezes e o Senhor fica indignado quando nos esquecemos do perdão que Deus nos oferece e não nos dispomos a amar o semelhante através do gesto do perdão. Ele diz que seremos castigados pelo Pai celestial (Mt 18.22-35)

Negar o perdão é uma atitude hipócrita e Deus não ouvirá a oração de um hipócrita.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


domingo, 20 de setembro de 2020

JESUS – GERADO PELO PAI OU COETERNO COM O PAI?

 

“Porque a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho” (Hb 1.5)

 “HOJE TE GEREI” não significa ter sido criado, de vez que o Filho existe desde o princípio, isto é, antes de todas as coisas criadas (Jo 1.1,2, 14). O próprio Filho declara: “E, agora, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha comigo ANTES que o mundo existisse” (Jo 17.5).

Além de ser “o Filho de Deus” (único na relação com o Pai), Ele é o “Unigênito do Pai” (Jo 1.14), “Deus Forte” e “Pai da Eternidade” (Is 9.6).

Jesus não se tornou “o Filho de Deus” no seu nascimento. Daí haver sido chamado “Deus Forte” muito antes de vir à luz.

Jesus declara a sua eternidade também aqui: “Antes que Abraão existisse, EU SOU” (Jo 8.58). “Eu Sou” – também usado por Deus (Êx 3.14) é declaração de eternidade. Ele não foi nem seria. Ele é.

“TE GEREI” -… “Esse ter. 1 Rs 1.32-34, onde Davi assim fez com Salomão). A expressão em Hebreus 1.5 “refere-se à proclamação pública de Jesus como Filho de Deus e à sua unção como profeta, sacerdote e rei (ver Mt 3.12; At 13.33; Hb 1.5; 5.5; 7.28)” (Comentário da Bíblia de Estudo Pentecostal).

Pr. Airton Evangelista da Costa

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


sábado, 19 de setembro de 2020

O QUE FAZER QUANDO NÃO HÁ SAÍDA

 

Então falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala aos filhos de Israel que voltem, e que se acampem diante de Pi-Hairote, entre Migdol e o mar, diante de Baal-Zefom; em frente dele assentareis o campo junto ao mar. Ex 14-1.2

De que forma você reagiria se, em algum momento, tivesse de enfrentar um problema de solução humanamente impossível? Procuraria controlar as suas emoções ou entraria em pânico? Pediria ajuda a alguém ou continua ria indiferente, agindo como se nada houvesse acontecido? Naturalmente, cada um de nós tem uma maneira de agir quando se depara com algum problema.

ADVERSIDADE É: Situação adversa; contrariedade. Infortúnio, desgraça, infelicidade.

I. AO PERCEBEREM QUE ESTAVAM SEM SAÍDA, OS ISRAELITAS:

DESCOBRIRAM QUE ESTAVAM EM UMA SITUAÇÃO DE RISCO. Os carros de Faraó estendiam-se a perder de vista, os arqueiros ansiavam por vingar o nome do Egito. Eles encontraram os israelitas junto ao mar, perto de Pi-Hairote, diante de Baal-Peor (Êx 14.6,7,9).

FORAM DOMINADOS PELO MEDO. Eles tiveram medo do exército de Faraó (Êx l4.l0a).

Nota cultural - O medo não é uma reação patológica, mas um instinto de proteção e auto- preservação. Muitas vezes, no momento em que nossa vida está sob perigo, Deus pode intervir a nosso favor, realizando algum milagre.

PENSARAM EM RECUAR. Os israelitas estavam acampados em Pi-Hairote, quando começaram a murmurar (Éx 14.12).

ATITUDES QUE DEVEMOS TOMAR QUANDO NÃO EXISTEM MAIS SAÍDAS

ENFRENTAR O PÂNICO - O medo é um sentimento muito comum na vida de qualquer ser humano. Contudo, ter medo de sair de casa, de dormir de frente para a janela, de entrar em ônibus, de estar em ambientes escuros ou de permanecer dentro de elevadores caracteriza um tipo de neurose que precisa ser curado por Jesus, mesmo que com a ajuda de um especialista.

NUNCA DESISTIR DE CLAMAR - Quando não encontramos solução para os problemas, devemos clamar a Deus (Êx 14.l0b).

CONTROLAR O MEDO - Moisés ordenou ao povo que não tivesse medo de Faraó. (Êx 14.13a).

FICAR QUIETOS - Moisés ainda falou ao povo convencendo-o a manter-se quieto, calmo, e esperar o tempo de Deus agir em nossas vidas. (Êx 14.13b).

CONFIAR NO SENHOR - Devemos ter fé de que Ele peleja por nós (Êx 14.14).

SEGUIR EM FRENTE - A ordem de Deus para o povo de Israel foi: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem (Êx 14.15b).

USAR A AUTORIDADE ESPIRITUAL - Moisés usou a sua autoridade espiritual quando levantou a vara diante do mar (Êx 14.16).

Os propósitos de Deus para a nossa vida. Ele muitas vezes nos leva em direção às adversidades:

PARA QUE SEJAMOS VITORIOSOS. Nenhuma adversidade acontece na vida do cristão com o propósito de derrotá-lo (Êx 14.17,18).

PARA QUE O INIMIGO SAIBA QUE O SENHOR É O ÚNICO DEUS. O povo de Israel temeu ao Senhor quando viu o exército de Faraó submergir no mar (Êx 14.3 1).

PARA QUE DEUS SEJA GLORIFICADO. Quando somos abençoados, Deus é exaltado em nossa vida. Em Êxodo 14.19, lemos que o anjo se pôs também à frente do povo, mostrando com isso que Deus deve ocupar o primeiro lugar em nossa vida.

Se você está enfrentando tribulações, se tem algum problema cuja solução seja humanamente impossível, não desista: clame a Deus, siga em frente, não deixe que o medo o domine, confie no Senhor e use a autoridade recebida de Jesus Cristo.

Transcrito Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


sexta-feira, 18 de setembro de 2020

COMO POSSO SUPERAR O VÍCIO EM PORNOGRAFIA NA INTERNET?

 

PODE O VÍCIO EM PORNOGRAFIA SER DERROTADO?"

Os estudos mostram que os termos relacionados com a pornografia são, de longe, os mais comumente procurados nos motores de busca da Internet. Todos os dias, literalmente milhões de pessoas fazem pesquisas relacionadas com a indústria pornô. As poderosas imagens da pornografia na internet são altamente viciantes. 

Muitos homens (e mulheres) têm sido capturados nessa armadilha e encontram-se irremediavelmente viciados em sua estimulação visual. Isso resulta em desejo incontrolável, em incapacidade de experimentar a verdadeira intimidade sexual no casamento e, muitas vezes, em intensos sentimentos de culpa e desespero.

A pornografia é a causa número 1 de masturbação, agressão sexual e desvio sexual. Mais importante ainda, a pornografia é uma ofensa a Deus, por isso é um pecado que deve ser confessado, arrependido e superado.

Há dois aspectos principais na batalha para superar o vício na pornografia: o espiritual e o prático. Espiritualmente, esse vício é um pecado que Deus deseja que você supere e, portanto, lhe capacitará a fazê-lo.

O primeiro passo é certificar-se de que você realmente colocou a sua confiança em Jesus Cristo como o seu Salvador. Se ainda tiver dúvidas, por favor visite a nossa página sobre a salvação e perdão. Sem salvação através de Jesus Cristo, não existe a possibilidade de uma vitória verdadeira e duradoura sobre a pornografia: "porque sem mim nada podeis fazer" (João 15:5).

Se você for um crente em Cristo e estiver lutando com o vício em pornografia na Internet, há esperança e ajuda! O poder do Espírito Santo está disponível (Ef 3:16). A limpeza do perdão de Deus está disponível (1Jo 1:9). A capacidade de renovação da Palavra de Deus está à sua disposição (Rm 12:1-2).

Entregue a sua mente e olhos ao Senhor (1Jo 2:16). Peça a Deus para fortalecê-lo e ajudá-lo a superar a pornografia (Filip 4:13). Peça a Deus para protegê-lo de mais exposição à pornografia (1Co.10:13), e para preencher a sua mente com as coisas que são agradáveis a Ele (Filip 4:8). Esses são pedidos que Deus irá honrar e responder.

Em termos práticos, existem inúmeras ferramentas para combater esse vício. Há um ótimo programa disponível no Pure Online com. Existem vários programas de qualidade de filtragem da Internet que bloquearão completamente o seu computador de acessar pornografia, Sua tentação de ver pornografia na Internet seria muito reduzida se você soubesse que o seu pastor de jovens, pai, amigo, pastor ou cônjuge iria receber um relatório detalhado sobre o assunto.

Não se desespere! Um vício em pornografia na Internet não é um "pecado imperdoável." Deus pode e vai perdoá-lo. Esse vício não é um "pecado invencível." Deus pode e vai permitir que você o supere.

Entregue a sua mente e olhos ao Senhor. Comprometa-se a preencher a sua mente com a Palavra de Deus (Sl 119:11). Busque a Sua ajuda diariamente em oração; peça a Ele que encha a sua mente com a Sua verdade e bloqueie os pensamentos e desejos desagradáveis.

Tome as medidas práticas listadas acima para manter-se responsável e bloqueie o acesso à pornografia na internet. "Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós" (Ef 3:20).

Fonte GotQuestion

Por Litrazini

http://www.kairosministeriomissionario.com/

Graça e Paz


quinta-feira, 17 de setembro de 2020

DECISÃO DE TOMAR A CRUZ.


"Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, dia após dia tome a sua cruz e siga-me" (Lc 9.23). Não existe Discipulado sem cruz. Foi na cruz que o Senhor Jesus nos reconciliou com Deus o nosso Pai  (2 Co. 5.18,19).

Estar crucificado com Cristo é uma decisão. "Já estou crucificado com Cristo, já não sou eu quem vive, Cristo vive em mim..." (Gl. 2.19,20).

Jesus só viverá em você, se você estiver crucificado com Ele. Para os pecados que cometemos o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado (1 João 1.7).

Para a nossa velha natureza pecaminosa que herdamos de Adão só existe um remédio, uma solução - a Cruz de Cristo (Rm. 6.6).

O sacrifício de Jesus foi substitutivo, Ele é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo; porém, o sacrifício de Cristo também foi inclusivo, Ele nos incluiu naquela Cruz. "Foi crucificado com Cristo o nosso velho homem..." (Rom. 6.6).

A nossa posição como discipulos de Jesus deve ser crucificado para o mundo e o mundo para nós.  "Mas longe de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu para o mundo" (Gal. 6.14).

Quem vive assim não busca o aplauso dos homens, o reconhecimento deste mundo, busca somente a glória de Jesus.

Não existe cristianismo verdadeiro sem cruz. A Cruz é o centro da fé cristã. Discipulado é renúncia, é cruz, é morte do "eu," do ego. "Todo aquele que não renúncia a tudo o quanto tem não pode ser meu discipulo" (Lc 14.33). 

Transcrito Por Litrazini
Graça e Paz

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

FARISEUS HIPÓCRITAS - A RELIGIÃO DOS QUE FAZEM E NADA SÃO


"Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios” (1ª Tm 4.1)

Muitos acreditam que este alerta de Paulo pra Timóteo está relacionado com libertação de incrédulos ou ainda falsos crentes na igreja, mas não! Está relacionado com AUTORIDADES e PREGADORES.

Hoje existem muitos púlpitos que estão AFASTANDO as pessoas de Deus. É isso que significa o termo “apostatar”. Esse termo em grego: “aphistemi” significa fazer retroceder, desviar-se ou afastar-se da fé. E a única condição de fazer isso com alguém está nas mão das autoridades instituídas
.
Os "espíritos enganadores” dessas autoridades, distorcem a compreensão e trocam a intenção da Palavra de Deus. Por isso hoje há uma distorção clara do Evangelho nos púlpitos das igrejas. Se o pregador pensar que não pode trazer uma mensagem verdadeira pensando que vai escandalizar seu irmão, nunca irá pregar as verdades bíblicas por causa dos débeis na fé (Rm 14.1).

A igreja está vivendo os últimos dias na face da terra e prestes a vivermos o arrebatamento, mas muitos líderes espirituais não tiveram a coragem de falar as verdades bíblicas. Ficam enganando os outros com coisas fúteis e entretenimento gospel. E dizendo: "É irmãos, a nossa igreja é assim, sempre pensamos desta maneira aqui!”.

Satanás, Pai da mentira, introduziu no meio cristão um tipo de evangelho corrupto, farisaico, fácil, ascético e mentiroso, enganando centenas de irmãos. O ministério dos fariseus continua em alta ainda hoje nas igrejas.

O termo fariseu pode ser, previamente, entendido como “os separados”. Tratava-se de uma seita que se vangloriava de ter a correta interpretação da lei de Moisés. Consideravam-se os protetores da lei de Deus e achavam que podiam determinar os limites dentro dos quais os judeus crentes deveriam viver.

A estes fariseus, super-religiosos, que davam o dízimo de tudo, que faziam várias orações diariamente, que dirigiam o louvor na igreja, que perdiam qualquer reunião social para participarem de uma reunião na igreja e que, sobretudo, julgavam e mediam todas as pessoas, a estes Jesus chamou de HIPÓCRITAS.

A palavra hipócrita vem do grego e pertence ao vocabulário das artes cênicas. Significa artista, ator, mascarado, duas caras, fingimento, aquele que está atuando, aquele que parece, mas, no fundo no fundo, não é. Assim é o super-religioso. Ele apenas parece. E por parecer e não ser, não faz o que deveria fazer, mas deixa de fazer o que esperado seria. Preocupado com a aparência, não com o conteúdo. Um discurso dissonante da práxis. Uma pantomima sacra. Um sepulcro bem caiado.

Ser rotulado como fariseu na época de Jesus gerava orgulho. Seria o equivalente hoje ao radicalismo cristão, a santidade exagerada, à super valorização do fazer ao invés do ser, dos partidários da teologia do “nada pode”, com um discurso tão paradoxal que dá até a impressão que foi o Diabo quem criou o mundo, e não Deus.

Fujam dos que dizem que Jesus perdoa, que você deve perdoar, mas eles mesmo nunca perdoam ninguém. Fujam dos que dizem que Jesus não se importava com o bens materiais, que você não deve se importar, mas eles mesmo nunca abrem mão de nada que possuem. Fujam dos que dizem que Jesus ama a igreja, que você deve amar, mas que eles mesmo fazem com a Noiva o que bem entendem. Fujam dos que dizem que Jesus obedeceu, que você deve obedecer, mas eles mesmo já não ouvem mais a voz do Sumo Pastor.”

Eles são os “espíritos enganadores”, nada pode ser mais demoníaco do que afastar as pessoas do bem mais precioso da terra, à saber… A Palavra de Deus e a Sua Graça Salvífica!

Bruno dos Santos

Por Litrazini
Graça e Paz